Esclerose Multipla exercicio

Esclerose Multipla exercicio

(Parte 1 de 2)

Javier Güeita Rodríguez Rocío Lozano Magdalena

Realize os exercícios com roupa cómoda e num ambiente fresco. A temperatura da água da piscina não deve ultrapassar os 28ºC. Não realizar os exercícios durante mais de 45 minutos, intercalando com períodos de descanso. Não há um número de repetições recomendado para cada exercício. Só você conhece melhor as suas forças e as saberá dosear. Tem que ter presente os seus limites.

Alterne os exercícios para evitar a fadiga.

As repetições dos movimentos são importantes da mesma maneira que é importante o descanso.

A seguir descrevemos os 5 blocos em que estão divididos os exercícios:

Esta brochura descreve um programa de exercícios de fisioterapia adaptado a cada uma das suas necessidades. Está adequado ao seu grau de dependência (exercícios com e sem ajuda), ao seu grau de funcionalidade e ao seu meio (na piscina e em casa). Deve por isso pedir conselhos ao seu fisioterapeuta e/ou médico sobre os exercícios mais apropriados para si.

Os exercícios de fisioterapia têm como finalidade manter e melhorar a sua condição física de modo a ter uma melhor qualidade de vida.

O objectivo pretendido com a fisioterapia é permitir que desempenhe cada vez mais e melhor as suas actividades da vida diária.

Poderá observar um aumento da sua capacidade em tolerar esforços e uma diminuição da fadiga.

Aumentará o tempo de permanência em pé e melhorará a sua postura, assim como o modo como caminha (sempre que seja possível). Desenvolverá a mobilidade das pernas e aumentará o equilíbrio. Tudo isto reforçará a sua motivação para manter esta actividade.

Faça as respirações inspirando pelo nariz com a boca fechada e expire lentamente pela boca com os lábios em posição de sopro. Este tipo de respiração melhora a função dos músculos respiratórios e favorece a função respiratória, permitindo uma melhor tolerância ao esforço e retardando a sensação de fadiga. Respire desta forma durante 5 a 10 minutos no início de cada sessão, durante os períodos de descanso, e durante a execução dos exercícios.

São exercícios que põem em funcionamento os mecanismos que nos permitem caminhar e que controlam a nossa postura. O tronco tem um papel importante nesse controlo. Com os exercícios provocaremos desequilíbrios que teremos de compensar. A velocidade de realização dos movimentos será lenta para permitir respostas ao equilíbrio.

São exercícios que tendem a melhorar o modo como movimenta os braços e as pernas e dotá-los de maior força e coordenação. Deve utilizar a maioria das articulações e músculos em cada movimento vencendo resistências, com o fim de melhorar a execução do movimento. A velocidade será lenta para permitir que a informação chegue aos músculos.

Vai caminhar reeducando as diferentes fases da marcha. Estes exercícios tendem a reduzir a fadiga ao realizar esforços, evitar más posturas e melhorar as zonas de apoio.

Estes exercícios pretendem melhorar as propriedades dos músculos, favorecer a coordenação e aumentar a sensibilidade das zonas exercitadas. Os alongamentos serão realizados sem ajuda na ausência de espasticidade, permitindo a máxima tensão muscular. Deve manter-se na posição durante 6 a 8 minutos. Repetir os exercícios duas vezes. No caso de ter espasticidade, os exercícios devem ser realizados com o auxílio de outra pessoa, com movimentos rítmicos e suaves para relaxar.

1. DEITADO DE COSTAS COLOCANDO A SUA MÃO SOBRE A BARRIGA

Inspire o ar pelo nariz com a boca fechada de modo que ao encher a barriga, a sua mão suba.

Solte o ar pela boca com os lábios em posição de sopro, relaxando a barriga.

2. DEITADO DE COSTAS COM A AJUDA DOS BRAÇOS

Com a palma das mãos unidas, os dedos entrelaçados e os cotovelos esticados.

Levante os braços acima da cabeça ao mesmo tempo que inspira.

Baixe os braços para a posição inicial, soltando o ar. O movimento dos braços deve ser lento para aumentar o tempo de respiração.

3. RESPIRAÇÃO COM INCLINAÇÃO DO TRONCO

Sentado numa cadeira com os pés apoiados no chão.

Tente tocar com uma das mãos no chão, inclinando o tronco para o lado. Expire quando faz este movimento.

Regresse à posição inicial, enquanto inspira.

Repita o exercício para o lado contrário.

A piscina oferece segurança perante a sensação de queda, permitindo fazer maiores desequilíbrios. Mantenha as posições de desequilíbrio durante uns segundos antes de descansar.

1. DE PÉ USANDO UMA BOLA

Com os braços esticados, a outra pessoa atira-lhe a bola sobre a água.

Deixe-a passar, rodando o seu tronco e o seu braço acompanhando a bola.

Quando já não pode rodar mais, devolva a bola arras- tando-a para a frente.

À medida que se sinta mais seguro(a) lançar-lhe-ão a bola cada vez mais afastada do seu corpo.

2. USANDO UMA GARRAFA DE PLÁSTICO (alternar com outros objectos de diferentes pesos)

De pé, com os pés ligeiramente afastados, com um braço levantado, cotovelo esticado e tronco ligeiramente inclinado.

Sem mover os pés, agarre na garrafa que a outra pessoa lhe entrega. Passe a garrafa para a outra mão e por cima da cabeça. Endireite o tronco. Mantenha-se nesta posição durante uns segundos.

Devolva a garrafa à outra pessoa com a mão contrária. O grau de dificuldade aumenta quando lhe afastam mais a garrafa.

3. LANÇAR A BOLA

Segure a bola com ambas as mãos e levante os braços acima da cabeça.

Lance a bola para dentro do cesto ou aro que se encontra à sua frente.

O cesto ou aro deve ser trocado de posição (para o lado), para que sem mover os pés, lance a bola rodando o corpo.

4. COM UM PAU DE MADEIRA

Utilize os seus ombros como referência.

Coloque um pau nas suas costas, segure-o com os cotovelos e coloque as mãos na cintura.

Incline o tronco para a frente e rode um dos ombros também para a frente.

Faça depois o movimento contrário, inclinando ligeiramente o tronco para trás.

Faça o mesmo exercício com o ombro contrário.

5.EM POSIÇÃO DE CAMINHAR

Com os braços afastados do tronco, coloque os pés paralelos e ligeiramente afastados. Depois coloque um pé à frente do outro.

Mantenha-se nesta posição sem se desviar para os lados.

No caso de ter ataxia, recomenda-se fazer o exer- cício de olhos fechados.

Pode fazer os exercícios anteriores nesta posição.

2. USANDO BRAÇADEIRAS FLUTUADORAS (I)

Coloque-se na posição do exercício anterior.

Submerja o corpo na água, flectindo a perna que está apoiada, mantendo o tronco direito e a outra perna para a frente e com o joelho esticado.

Volte à posição inicial.

Faça o mesmo exercício mas com a perna que tem a braçadeira, esticada para trás.

1.USANDO BRAÇADEIRAS FLUTUADORAS (I)

De pé com uma braçadeira no peito do pé.

Levante a perna para a frente com o joelho esticado mantendo o tronco direito.

Mantenha-se nesta posição afastando os braços para se equilibrar. A seguir leve a mesma perna para trás.

3. COM OUTRA PESSOA USANDO UMA BOLA

Um de frente para o outro.

Agarrar o mesmo braço (ex.: direito com direito) pelo cotovelo. Levantar a perna contrária ao braço e lançá-la para trás sem tocar no chão.

Com a mão livre passar à outra pessoa a bola, por detrás das costas.

A outra pessoa recebe-a e devolve-a da mesma maneira.

4.NO COLCHÃO

Apoiar as mãos e os joelhos no colchão. Estes devem estar ligeiramente afastados de modo a repartir o peso do corpo.

Incline-se para um lado. Mantenha-se nessa posição. Incline-se para o outro lado.

1. RELAXAMENTO FLUTUANDO DE COSTAS

Para ter maior segurança coloque uma bóia na sua cintura e umas braçadeiras flutuadoras nos tornozelos e punhos. A outra pessoa coloca-se atrás de si segurando-o(a) na cintura. Deve apoiar a sua cabeça no ombro da outra pessoa.

A outra pessoa deve fazer-lhe rotações passivas com o seu corpo.

Ao movimentar-se na água ocorrerá o aumento da sensibilidade do seu corpo. Isto favorece a coordenação do movimento e fortalece os músculos ao ter que vencer uma resistência constante. Ajuda-o(a) nos movimentos mais difíceis devido à flutuação.

5. EXERCÍCIOS COM UM COLCHÃO

Sente-se no colchão de modo a que os pés não fiquem apoiados no chão.

Mantenha esta posição com as pernas e os braços afastados e o tronco direito.

De seguida faça o exercício colocando-se numa posição mais instável aproximando os braços do tronco e unindo as pernas. Realize movi- mentos de tronco para a direita e esquerda em cada uma das posições descritas.

2.MOVIMENTOS FLUTUANDO DE COSTAS

A outra pessoa deve colocar-se na posição do exercício anterior. a)Afastar e unir os braços e as pernas, aproveitando a flutuação.

b)Submerja os braços e as pernas, vencendo a resistência da água.

c)Levante a perna, até ao peito, dobrando o joelho, sem retirar a braçadeira da água.

3.MOVIMENTO COM AS PERNAS NA POSIÇÃO DE SENTADO

Sentado numa cadeira de madeira com a água pelo peito e com uma braçadeira no tornozelo.

a) Levante a perna mantendo o joelho flectido. Volte a apoiar o pé no chão.

b) Levante a perna com o joelho esticado e volte à posição inicial.

Pode fazer este exercício sentado na borda da piscina.

a. b.

a. b.

4.LEVANTAR-SE A PARTIR DA POSIÇÃO DE SENTADO

Sentado numa cadeira de madeira dentro de água, com ambas as mãos apoiadas na borda da piscina. Devem estar a segurar-lhe na cadeira.

Para se levantar, transfira o peso do seu corpo para os pés, com os joelhos ligeiramente flectidos e incline o tronco para a frente.

Estique os joelhos e endireite o tronco.

Mantenha as mãos apoiadas na borda da piscina.

Para se sentar, incline o tronco para a frente e dobre os joelhos.

5.MOVIMENTO ESPECÍFICO

PARA O JOELHO (com braçadeiras nos tornozelos)

Coloque-se de frente para a escada da piscina. Agarre-se com ambas as mãos.

Leve o calcanhar até às nádegas. Volte à posição inicial.

6.MOVIMENTO COMPLETO DA

PERNA (com braçadeiras nos tornozelos)

Coloque-se ao lado da escada da piscina. Segure-se com a mão esquerda.

Dobre o joelho esquerdo até ao peito, mantendo o pé direito.

Leve a perna atrás.

Repita o mesmo movimento segurando-se com a mão direita.

1.MOVIMENTAR OS BRAÇOS SEGURANDO UM OBJECTO (DISCO)

Colocar-se de joelhos com a água pelos ombros e com um objecto nas mãos.

Com os braços junto ao corpo e os cotovelos esticados faça movimentos para a frente e para trás (sempre empurrando a água com a palma das mãos).

Pode também fazer este exercício com o movimento de braços para os lados e para a frente.

2.MOVIMENTAR AS PERNAS

De pé sem estar apoiado e com uma braçadeira no peito do pé.

Dobre o joelho até ao peito com o tronco direito. Vá com a perna atrás sem a apoiar no chão. Equilibre-se afastando os braços do tronco.

Faça o mesmo exercício mas com os movimentos em diagonal.

3.COM UMA GARRAFA DE PLÁSTICO

De pé sem se apoiar. Apoie os dedos do pé numa garrafa de plástico cheia de água.

Rode a garrafa por debaixo da planta do pé.

Acabe o movimento com a perna esticada e com o calcanhar apoiado na garrafa.

Rode a garrafa para trás acabando o exercício com o joelho esticado e com os dedos apoiados na garrafa.

4.O RELÓGIO

De pé sem apoio e com uma braçadeira no peito do pé.

A perna que tem a braçadeira é o ponteiro do relógio que marca as horas no chão. O outro pé deve estar sempre apoiado no chão.

1.REEDUCAÇÃO DA MARCHA COM A AJUDA DE PAUS DE MADEIRA

Coloque-se de pé com uma pessoa atrás de si e com um pau de cada lado. Ambos agarram os paus com braçadeiras nas extremidades, uma em cada ponta. Caminhe até a água chegar à sua cintura, para que os paus fiquem à altura da água, avançando o braço e a perna contrária, um de cada vez.

2.MARCHA COM AJUDA DE PAUS

Coloque na extremidade dos 2 paus braçadeiras para que flutuem dandolhe apoio.

Repita o movimento do exercício anterior, cami- nhando com a ajuda dos paus.

Estes exercícios favorecem o caminhar, ajudam a não arrastar os dedos e são menos cansativos do que andar fora de água.

COM AJUDA Opte por um dos 4 exercícios, em função da sua estabilidade e segurança.

3.REEDUCAÇÃO DA MARCHA COM AJUDA DE OUTRA PESSOA

De pé, um frente ao outro, segurando pelos cotovelos e com os braços estendidos.

Coloque o peso do corpo sobre a perna que está apoiada facilitan- do o avanço da outra.

Troque o peso para cima da perna que avançou e assim sucessiva- mente.

4.REDUCAÇÃO DA MARCHA COM AJUDA POR TRÁS (quando há maior instabilidade)

De pé com uma pessoa colocada atrás de si.

A outra pessoa encosta o peito nas suas costas. Coloca uma mão na cintura do lado que tem menos estabilidade. A outra mão passa pela sua frente e vai até ao ombro contrário.

A outra pessoa desloca o seu peso para a perna que está apoiada para favorecer o avanço da outra perna.

1.CAMINHAR TOCANDO NO JOELHO COM O CALCANHAR DO LADO CONTRÁRIO (se há tremor nas pernas)

Leve o calcanhar da perna que avança até ao joelho oposto.

Mal toca avance o pé e termine o passo. Troque de perna.

Pode fazer este exercício deslizando o calcanhar da perna que avança pela parte anterior da perna de apoio.

Caminhe seguindo uma linha recta.

Coloque um pé à frente do outro.

Afaste os seus braços para se equilibrar melhor.

Pode-se complicar este exercício utilizando braçadeiras ou sapatos de borracha.

3.CAMINHAR ARRASTANDO A ÁGUA

Caminhe para a frente. Levante a perna dobrando o joelho e faça meia circunferência de fora para dentro, arrastando a água com a parte interior do músculo.

Caminhe para trás. Faça meia circunferência de dentro para fora varrendo a água com a parte externa do músculo.

4.CAMINHAR COM UMA BOLA

Caminhe elevando o joelho até ao peito.

Passe a bola por debaixo da perna que elevou, com a mão contrária. Recolha-a com a outra mão. Troque de perna.

5.CAMINHAR RODANDO O CORPO

Entrelace os seus dedos com os braços esticados.

Avance elevando o joelho.

Ao mesmo tempo leve os braços para o lado da perna que elevou rodando o tronco.

1.RELAXAMENTO FLUTUANDO DE COSTAS

Colocar-se na posição do exercício com igual nome da secção da reeducação. O acompanhante irá relaxar o seu tronco com movimentos suaves.

Após relaxar o tronco, irá relaxar as zonas com es- pasticidade.

(para casos de espasticidade)

Em casos de espasticidade procurar-se-á reduzir a sensação de peso, fazendo com que a pessoa flutue recorrendo a bóias e braçadeiras, o que irá relaxar os músculos. Deve-se ter presente quais são os músculos espásticos, para os colocar contra a gravidade. Depois disto, e com movimentos lentos e rítmicos, ir-se-ão alongando os mesmos músculos.

1. PARTE POSTERIOR DA PERNA

Coloque-se de joelhos, com uma perna esticada para a frente e apoiada no calcanhar.

Incline o tronco no sentido da perna esticada, expirando.

Mantenha a perna esticada e o tornozelo dobrado para si.

Repita com a outra perna.

2.PARTE INTERIOR DA PERNA

Coloque-se de joelhos, com uma perna esticada e rodada para fora. Apoie a parte interna do pé.

Incline o tronco na direcção dessa perna e tente tocar no pé. Mantenha o joelho esticado. Repita com a outra perna.

Ao realizar alongamentos na água aumentará a sensação da zona exercitada. Isso permite que se vá mais longe em cada posição de alongamento, ao não haver desequilíbrio, aumentando a eficácia do exercício.

3.PARTE ANTERIOR DA PERNA

Coloque-se com uma perna esticada para trás apoiando os dedos e a outra perna com o joelho flectido, mantendo o tronco direito.

Submerja o corpo na água, dobre o joelho de trás e mantendo o tronco direito.

Repita com a outra perna.

Coloque-se de joelhos, com água ao nível dos ombros. Estique os braços para trás.

(Parte 1 de 2)

Comentários