Subfilo Crustacea

Introdução • Mandibulados aquáticos.

Características gerais

•Atributos únicos dos crustáceos:

–Presença de 2 pares de antenas. – Apêndices birre mes.

•3 Tagmas: cabeça, tórax e abdômen.•3 Tagmas: cabeça, tórax e abdômen.

–Entre as classes há diferentes níveis de fusão – cefalotórax.

Características gerais

•Classe Malacostraca–padrão corpóreo geral para o subfilo.

–Cabeça –5 segmentos fundidos. –Tórax –8 segmentos.–Tórax –8 segmentos.

–Abdômen –6 segmentos.

–Na região anterior: rostro.

–Na região posterior: télsone urópodes.

Características gerais Características gerais

Morfologia externa

•Cutícula espessa = quitina, proteína e calcário.

–A cutícula forma uma carapaçaque cobre o cefalotórax.

–Na região do abdômen, cada somito é coberto por –Na região do abdômen, cada somito é coberto por placas separadas.

Apêndices

•Um par de apêndices articulados em cada so mito.

•Todos os apêndices são birremes.

–Homologia seriada = 17 tipos de apêndices.

Brânquia

–Homologia seriada = 17 tipos de apêndices. Brânquia

Coxopodito Basipodito

Endopodito Exopodito

Protopodito

Apêndices Protopodito= rosa / Endopodito= roxo / Exopodito= amarelo

Apêndices

Antenas AntênulasPedúnculo ocular

Apêndices do tórax = pereópodes= “ca minhar”

Apêndices do abdômen = pleópodes= “nadar”

Apêndices

Mandíbulas

Maxila Maxilípedes

Sistema muscular

•Músculos estriados, dispostos em feixes antagônicos: flexores e extensores.

–Os crustáceos tem musculatura forte que é responsável pela locomoção.responsável pela locomoção.

Morfologia externa Morfologia externa

Loco moção

•Natação e caminhamento.

– Natação.

•Remada de apêndices.

–Força ou propulsão = os apêndices são forçados para trás.–Força ou propulsão = os apêndices são forçados para trás. –Recuperação = os apêndices são levados para frente.

•Batimento de ondas metacronais.

•Em alguns crustáceos o epipoditotem uma estrutura larga e filamentosa = filopódios.

– Ca minha mento. •Ação dos feixes musculares flexores e extensores.

Ali mentação

• Suspensivoria.

–Ação dos apêndices torácicos formam correntes para trazer alimentos em suspensão.

–As partículas de depositam nas cerdas dos –As partículas de depositam nas cerdas dos enditos, são levadas ao sulco oral e conduzidas ao sistema digestivo.

Ali mentação

• Suspensivoria.

–As tatuíras e as cracasfiltram passivamente o alimento durante o refluxo das ondas.

Ali mentação

• Predadoresativos.

– Manipulação direta do ali mentos pelas peças bucais, especial mente nos quelados.

– Dilaceração, maceração oucorte.– Dilaceração, maceração oucorte.

– O estô mago destes organis mos predadores é dividido e m duas câ maras: estô mago pilórico e estô mago cardíaco.

Ali mentação

• Predadoresativos. Moinho gástrico

Ali mentação

• Parasitas – Ecto ou endoparasitas.

Sistema digestivo

•Inclui as 3 porções básicas para artrópodes.

–As porção anterior e posterior são revestidas de cutícula e sofrem o processo de muda.

Siste ma circulatório

•Aberto, com coração dorsal.

–O sangue deixa o coração pelas veias, circula pela hemocelee retorna pelos óstios.

Trocas gasosas

•Em crustáceos pequenos as trocas ocorrem nas áreas mais finas da cutícula.

•Em crustáceos de grande porte = brânquias.

–Uma região da segunda maxila bombeia água para –Uma região da segunda maxila bombeia água para o interior da câmara branqueal.

Excreção

• Órgão específico, u m par de glândulas antenais ou maxilares.

– As glândulas antenais ta mbé m são cha madas de glândulas verdes.glândulas verdes.

• Os crustáceos não possue m Túbulos de Malpighi.

Excreção

Bexiga Labirinto

Bexiga

Labirinto

Túbulo renal

Saco ter minal

Excreção

• A bexigase abre e m u m poro na base da antena.

• A pressão para a filtração é dada pela pressão hidrostática da ho mocele.

• Pela passage m notúbulorenal, ocorre o processo• Pela passage m notúbulorenal, ocorre o processo de reabsorção, e a excreção é de resíduos nitrogenados.

• E m organis mos de água doce, as glândulas antenais ta mbé m atua m na os morregulação, liberando u m urinasuper diluída.

Sistema nervoso

• U mgângliosupra-esofágico =cérebro. – Nervação para os olhos e antenas.

• Cordão nervoso ventral duplo,co m u m par de gânglios e m cada so mito, onde parte nervosgânglios e m cada so mito, onde parte nervos para os apêndices.

Sistema nervoso Sistema nervoso

Órgão sensoriais

• Olhos co mpostos = o matídeos (unidades fotorreceptoras).

– Cada o matídeoco mporta-seco mo u m pequeno olho.

– E m cada o matídeo há u ma córneatransparente, dividida e m pequenos hexágonoscha mados defacetas.e m pequenos hexágonoscha mados defacetas.

– Ai mage m percebida por u m artrópode é u maco mbinação da infor mação recebida pelos vários o matídeos que co mpõe m o olho. Cada o matídos está orientado de tal maneira a que recebaluz de u m ponto diferente que o o matídiovizi nho.

Órgão sensoriais • Olhos co mpostos.

Órgão sensoriais

• Olhos co mpostos. Raios luminosos

Córnea (faceta)

Células fotorreceptoras Nervos

O matídio

Órgão sensoriais

• Estatocistos.

– U ma bolsafor mada por grão de areiarevestida de quitina, encontrada na base da pri meira antena.

– Mudanças de posição são percebidas pelos– Mudanças de posição são percebidas pelos estatocistos e per mite m que o cérebro ajuste a posição docorpo.

– A cada ecdise a bolsa é perdida, e novos grãosão incorporados.

Órgão sensoriais

• Cerdastáteis.

– Projeções da cutícula, abundantes nas quelas, peças bucais etélson.

Reprodução

• Dióicosco m especializações paracópula. • Desenvolvi mento direto eindireto.

• Desenvolvi mentoindireto = meta morfose.

– Ovo –larva – adulto.

– Pri meirolarva = náuplio = 3 pares de apêndices natatórios.

– Segunda larva = protozoéia = adiciona m-se so mitos.

Reprodução • Desenvolvi mentoindireto.

Ecdise • Processo de ecdise.

IntermudaProtocutículaantiga se separa da epiderme

Fluidos dissolvem a cutícula antigaCutícula antiga é descartada

Ecdise

• Processo de ecdise.

– A muda é controlada pela inibição da produção da ecdisona.

– A ecdisona ésecretada pela glândula órgão Y,localizada na base das antenas.base das antenas.

– A atividade deste órgão é controlada pela ação do hor mônio MI H (hor mônioinibidor de muda), produzi do pelo órgão X,localizado no pedúnculo ocular.

– Níveis altos de MI H no sangue,i mpede m a produção de ecdisona econsequente mente a muda.

Ecdise

Ausência do estímulo externo

Células do órgão X produzam MIH

MIH é armazenado na

Estímulo externo e ou interno apropriado

Sistema nervoso central

Inibição da produção de

Níveis de MIH caem no sangue

MIH é armazenado na glândula do seio, e o hormônio liberado no sangue.

MIH inibe a produção de ecdisonapelo órgão Y

Não há muda

Inibição da produção de MIH pelo órgão X

Órgão Y produz ecdisona Ocorre a muda

Filo Arthropoda Subfilo Crustacea

Classe Remipedia

Classe Cephalo carid a

Classe

Branchio poda

Filo Arthropoda Subfilo Crustacea

Branchio poda

Classe Maxillo poda

Classe Mala costraca

Classe Remipedia

• 10 espécies descritasrecente mentes. • Ani maisco mcaracterísticas pri mitivas.

• Habitat =cavernasconectadas ao mar.

Classe Remipedia

• 25 a 38 seg mentos, dotados de apêndices natatório, birre mes.

Classe Cephalocarida

• 9 espécies conhecidas, co m características pri mitivas.

• Ocorre m aolongo da costa norte-a mericana, Caribe ecostajaponesa.Caribe ecostajaponesa.

• 2-3 m m, encontra m-se nos sedi mentos da zona entre- marésaté 300 m de profundidade. Não poss ue m olhos, carapaças ouapêndicesabdo minais.

Her mafroditas verdadeiros, eli mina m óvulos e sptz por u m mesm o duto.

Classe Cephalocarida Classe Cephalocarida

Classe Branchiopoda

• Ta mbé m apresentacarateres pri mitivos.

• 4 ordenssãoreconhecidas dentro daclasse:

– Anostraca – artê mias,se mcarapaça. – Notostraca –carapaça e mfor ma deconcha dorsal.– Notostraca –carapaça e mfor ma deconcha dorsal.

– Conchostraca –carapaça bivalve.

– Cladocera – pulgas-d’água, carapaça que só não recobre acabeça.

Classe Branchiopoda

Anostraca

Notostraca Conchostraca

Cladocera

Classe Branchiopoda

• Pri meira antena esegunda maxilareduzidas.

• Apêndices filopódios, que são os principais órgãosrespiratórios.

– Suspensívoros, utilização os filopódios para– Suspensívoros, utilização os filopódios para ali mentação.

– Ta mbé m pode m servir co mo apêndices loco motores.

• Dulcícolas.

Classe Branchiopoda

• Cladocera é a orde m mais representativa, especial mente pelo gênero Daphnia.

Classe Branchiopoda

• Os cladóceros possue m u m processo reprodutivo quele mbra a dosrotíferos.

– Durante o verão, as fê meas reproduze m-se por partenogênese.partenogênese.

– E m condições desfavoráveis ocorre reprodução sexuada, onde os ovoste m grande capacidade de sobrevivência. Ovos

Filo

Arthropoda

Subfilo

Crustacea Classe

Maxillo poda

Subclasse Ostracoda

Subclasse Mystacocarida

Subclasse Copepoda

Arthropoda

Crustacea Maxillo poda

Subclasse

Tantulocarida

Subclasse Branchiura

Subclasse Cirripedia

Classe Maxillopoda

• Grupo monofilético.

• 5so mitoscefálicos, 6toráxicos e 4 abdo minais ter minados e m u mtélson.

• Não há presença de apêndices abdo minais.• Não há presença de apêndices abdo minais.

• Olho naúplio – olhotípico dafaselarval que (pode) persiste nos adultos.

Classe Maxillopoda: Subclasse Ostracoda

• Se melhantes aos Branchiopodasco mconchas.

– Presença decarapaça bivalve. – 0,25 a 8 m m.

• Ali mentação e loco moção = apêndices• Ali mentação e loco moção = apêndices cefálicos.

• Marinhos e dulcícolas = vive m no fundo ao sobre plantas.

• Desenvolvi mento = metaforfose.

Classe Maxillopoda: Subclasse Mystacocarida

• 10 espécies descritas.

– -0,5 m m deco mpri mento. – Marinhos,vive m entre os grãos de areia.

Comentários