Animais sinantrópicos

Animais sinantrópicos

Alexsander Leandro Marques

Médico Veterinário –Msem Ciências Ambientais Vigilância em Saúde /SMS/Cáceres

Prefeitura Municipal de Cáceres

Secretaria Municipal de Saúde Coordenadoria de Vigilância em Saúde

1 Com ênfase no Aedes aegypti

Fauna Sinantrópica Nociva

Riscos á saúdeTranstornos econômicos e ambientais 2

Animais Peçonhentos

São animais que, por meio de um mecanismo de caça e defesa, são capazes de injetar em suas presas uma substância tóxica produzida em seus corpos, diretamente de glândulas especializadas (dente, ferrão, aguilhão) poronde passa oveneno.

Cobras, aranhas, escorpiões, lacraias, taturanas, vespas, formigas, abelhas e marimbondos são exemplos dessacategoria.

Animais Venenosos

São animais que produzem a toxina mas não possuem dispositivos inoculadores. O veneno pode ser subproduto do metabolismo ou ser composto por substâncias tóxicas extraídas de plantas e acumuladas. Nesse caso, as toxinas não são protéicas e se ingeridas, causam o quadro de intoxicação durante a alimentação ou quando entra em contato direto com o animal, acidentalmente.

Sapos, peixe baiacu, lagarta taturana.

Animais Sinantrópicos Não-

Peçonhentos e Não-venenosos

São animais que podem transmitir doenças ou mesmo causar incômodo pela sua presença.

Ratos, pombos, mosquitos, moscas, caramujos, morcegos, são exemplos dessa categoria.

Tityus serrulatus 7

Tityus bahiensis 8

Características Biológicas

O escorpião é um artrópode quelicerado, pertencente ao Filo Arthropoda (arthro: articuladas/podos: pés), classe Arachnida (por terem oito pernas) e ordem Scorpiones.

São animais vivíparos;

São conhecidas no mundo 1.600 espécies;

No Brasil, existem cerca de 160 espécies de escorpiões;

Todos os escorpiões atuais são terrestres;

São carnívoros predadores;

Apresentam hábito noturno.

Distribuição dos acidentes por escorpiões por unidade da federação em 2006. Fonte: – Sinan do Ministério da Saúde, 2007.

Importância Sanitária

Distribuição dos números de casos de acidentes por escorpiões por faixa etária no território nacional em 2006.

Escorpionismo 13

CLASSIFICAÇÃO QUADRO CLÍNICO TRATAMENTO LEVE (97%) Dor, eritema, sudorese local. SINTOMÁTICO

MODERADO (1,3%)

Alterações locais e sistêmicas: Agitação, sudorese, sonolência, náuseas, vômitos, hipertensão arterial, taquicardia, taquipnéia.

SAA ou SAE, 2 –3 Ampolas EV.

GRAVE (1,7%)

Alterações locais e sistêmicas: vômitos profusos, sialorréia, sudorese profusa, agitação, tremores, espasmos musculares, edema pulmonar agudo e choque.

SAA ou SAE, 4 –6 Ampolas EV.

Caramujo Gigante Africano

A)Exemplares de Achatinafulicacom diferentes idades;

B)Exemplares adultos: Megalobulimussp. (direita) e A. fulica(esquerda);

C)Corbiculasp.; D)Helixaspersa; E) Limnoperna fortunei; F)Melanoidestuberculatus. Escala: 10mm.

Características Biológicas

É um molusco grande, terrestre, nativo do leste e nordeste da África.

São hermafroditas;

Extremamente prolíferos;

Entram em estágio de letargia (permanece inativo) em condições adversas como seca e frio, podendo sobreviver por meses nesse estado.

Importância Sanitária

Angiostrongilíase meningoencefálica humana, (Angiostrongylos cantonensis): ocorre quando o verme se aloja no sistema nervoso central, provocando inflamação das meninges.

Angiostrongilíase abdominal (Angiostrongylos costaricensis), que pode resultar em perfuração intestinal, peritonite e hemorragia abdominal.

Doença de Chagas

Trypanosoma cruzi

Habitat do barbeiro Habitat do barbeiro

Miíase Miíase

Tinea Capitis “MICOSE” Escabiose Nodular

Milíse Primária Foruncoloide “LARVA DA MOSCA”

Parasitoses Parasitoses

Columba livia 34

Características Biológicas

No Brasil, o pombo-doméstico foi introduzido pelos europeus já no século XVI, tendo-se adaptado muito bem aos grandes centros urbanos, devido à facilidade de encontrar alimento e abrigo;

Não há nenhum predador nas grandes cidades para este animal e sua reprodução é rápida, o que gera uma população cada vez maior;

Pombos-comuns se reproduzem em qualquer época do ano, mas os períodos de pico são a primaverae o verão.

Importância Sanitária

Criptococose Histoplasmose

Ornitose

Salmonelose

Toxoplasmose

Dermatites

Alergias respiratórias

Doença de Newcastle

Aspergilose

Tuberculose aviária

Ectoparasitas 37

Ratazana 40

Rato de Telhado 41

Características Biológicas

Rato é o nome geral dos mamíferos roedores da família

Muridae. É a maior família de mamíferos existente na atualidade.

Os elementos necessários para sustentar uma população de ratos são: alimento, água e abrigo. Todos eles são encontrados com facilidade nos grandes centros urbanos;

Têm hábitos noturnos, são sedentários e marcada antropofobia.

Importância Sanitária

Leptospirose; Peste Bubônica;

Hantavirose;

Febreda mordida do rato;

Controle de morcegos

Vampirismo 48

Aedes aegypti 50

Comentários