Anemia ferropriva

Anemia ferropriva

• É o tipo de anemia decorrente da privação, deficiência, de ferro dentro do organismo levando à uma diminuição da produção, tamanho e teor de hemoglobina dos glóbulos vermelhos,hemácias.

• O ferro é essencial para a produção dos glóbulos vermelhos e seus níveis baixos no sangue comprometem toda cascata de produção das hemácias.

• Os recém-nascidos prematuros estão especialmente sob risco por causa do reduzido suprimento fetal de ferro.

• Crianças com 12 a 36 meses de vida correm risco de anemia resultante da ingestão primariamente de leite de vaca e pelo fato de não ingerirem quantias adequadas de alimentos que contêm ferro

• Os adolescentes também estão sob risco em virtude da sua rápida taxa de crescimento combinada com hábitos pobres de alimentação, menstruação, obesidade e atividades vigorosas.

• Durante o último trimestre de gestação, o ferro é transferido da mãe para o feto.

• A maior parte do ferro é armazenada nas hemácias circulantes do feto, sendo o restante depositado no fígado, no baço e na medula óssea fetal.

• Essas reservas de ferro usualmente são adequadas para os primeiros 5 a 6 meses de uma criança nascida a termo, mas para somente 2 a 3 meses nos prematuros e nos nascimentos de gêmeos.

• Caso o ferro da dieta não seja fornecido para suprir a demanda de crescimento da criança após a depleção das suas reservas fetais, ocorre a anemia ferropriva.

• Apesar de a maioria das crianças com anemia ferropriva estar abaixo do peso, muitos lactentes têm sobrepeso por causa da ingestão excessiva de leite (conhecidos como bebês farináceos).

• Essas crianças tornam-se anêmicas, pois o leite é uma fonte pobre de ferro e é dado quase em exclusão aos alimentos sólidos

• Falta de ferro na alimentação

➢Continua sendo ainda a causa mais frequente de anemia ferropriva no mundo, principalmente em crianças abaixo de

2 anos e mulheres gestantes. No Brasil, estima-se que atinja

25 % das crianças até os 2 anos de idade e 21% até os 5 anos de idade.

➢Alguns estudos no Brasil chegaram a apontar uma prevalência de anemia em 50% ou mais em crianças até os

5 anos de idade, que frequentavam escolas ou creches e Unidades Básicas de Saúde.

• Diminuição da absorção do ferro pela mucosa intestinal:

➢Várias condições clínicas podem afetar a absorção de ferro na mucosa intestinal.São elas:

✓Cirurgias que retiram partes do estômago e/ou intestino que afetam a absorção do ferro

✓Trânsito intestinal acelerado, como nos casos de diarreias frequentes dificultando a absorção do ferro

•Perda de sangue recorrente causada por:

➢Fluxo sanguíneo menstrual de grande volume e por muitos dias

➢Sangramentos crônicos do tubo digestivo

➢Sangramentos constantes pelo nariz (epistaxe ) ou pela urina ( hematúria)

➢Doenças descamativas da pele que cursam com descamação cutânea excessiva.

• O fator de risco mais importante para a anemia ferropriva é a dieta deficiente em ferro.

• Crianças e adolescentes, gestantes e idosos são os públicos mais vulneráveis.

• Pacientes submetidos à cirurgia bariátrica para redução do peso também correm maior risco de deficiência de ferro.

• Existem vários sintomas desencadeados pela anemia ferropriva, são eles:

➢Fadiga crônica e desânimo

➢Cansaço aos esforços

➢Pele e mucosas pálidas (descoradas)

➢Tonturas e sensação de desmaio

➢Dores de cabeça e dores nas pernas

➢Geofagia ( vontade incontrolável de comer terra )

➢Queda de cabelo e unhas fracas e quebradiças ➢Falta de apetite

➢Taquicardia (aceleração dos batimentos cardíacos )

➢Dificuldade de concentração e lapsos de memória

➢Diminuição do desejo sexual.

• Após o diagnóstico da anemia ferropriva, o tratamento fundamenta-se no aumento da quantidade de ferro suplementado que a criança recebe.

• Isso costuma ser feito por meio de recomendações sobre a dieta e pela administração de suplementos orais de ferro.

• Nas fórmulas alimentares infantis, a fonte mais conveniente e as melhores fontes de ferro suplementar são as fórmulas comerciais e os cereais infantis enriquecidos com ferro.

• A fórmula enriquecida com ferro fornece uma quantidade relativamente constante e previsível de ferro e não está associada a aumento na incidência de sintomas gastrointestinais (GI), como cólicas, diarreia ou constipação.

• Se houver suspeita de sangramento pela via gastrointestinal, as fezes da criança devem ser testadas pela reação de guáiaco (pesquisa de sangue oculto nas fezes), pelo menos quatro ou cinco ocasiões para identificar qualquer perda de sangue intermitente.

• A adição de alimentos ricos em ferro na dieta normalmente não é recomendada como um tratamento único para a anemia ferropriva porque o ferro é mal absorvido, fornecendo, então, quantidades suplementares insuficientes.

• O ácido ascórbico (vitamina C) facilita a absorção de ferro e pode ser administrado com o preparado de ferro, ou seja, junto com alimentos e sucos enriquecidos com vitamina C.

• Se o nível de hemoglobina não aumentar após 1 mês de terapia oral, é importante pesquisar para sangramento persistente, má absorção de ferro, falta de adesão ao tratamento, administração inadequada de ferro ou outras causas de anemia.

• A administração parenteral (IV ou IM) de ferro é segura e eficaz, porém dolorosa, cara e, ocasionalmente, associada a reações alérgicas graves.

• Por esse motivo, o ferro administrado por via parenteral é reservado para crianças que têm má absorção de ferro ou hemoglobinúria crônica.

• Hemotransfusões são indicadas para a maioria das anemias profundas e em casos de infecções graves, distúrbio cardíaco ou emergência cirúrgica.

• O prognóstico para uma criança com essa condição é muito bom. Entretanto, algumas evidências indicam que, se a anemia ferropriva for grave e crônica, pode haver prejuízo cognitivo,comportamental ou motor

• Reconhecimento precoce dos sinais e sintomas de anemia ferropriva

• Quantidade apropriada de leite, uso de fórmula infantil fortificada com ferro e introdução de alimentos sólidos

• Qualidade dos resultados esperados para o paciente

• Aderência a suplementos orais com ferro e administração apropriada

• Aumento da hemoglobina em 1 mês e resolução da anemia em 6 meses

• Uma responsabilidade essencial da enfermagem é instruir os pais na administração do ferro.

• O ferro oral deve ser administrado conforme prescrito em duas doses divididas entre as refeições

• Uma fruta cítrica ou suco ingerido junto com a medicação ajuda na absorção.

• Uma dosagem adequada de ferro oral confere às fezes uma cor verde-escura.

• A enfermeira deve informar os pais sobre esta mudança normalmente esperada e perguntar sobre sua ocorrência em visitas futuras.

• A ausência da cor verde-escura nas fezes pode ser um indício da administração de ferro inadequada, seja em relação ao horário ou à dosagem.

• Vômitos e diarreias podem ocorrer com a terapia de ferro.

• Caso os pais relatem esses sintomas, o ferro pode ser administrado com alimentos e a dosagem reduzida e, então, gradualmente aumentada até que ele seja bem tolerado.

•Alerta sobre medicamentos

➢O leite de vaca contém substâncias que se ligam ao ferro e interferem na sua absorção. Os suplementos de ferro não devem ser administrados com leite ou produtos derivados do leite

• Alerta sobre medicamentos

➢Preparações líquidas contendo ferro podem, temporariamente, colorir os dentes. Se possível, a medicação deve ser ingerida por meio de um canudo ou com auxílio de seringa ou conta-gotas posicionados na parte posterior da boca. A escovação dos dentes após a administração do fármaco reduz a sua coloração.

• Alerta sobre medicamentos

➢Tendo em vista que a ingestão de ferro em quantidade excessiva é tóxica ou mesmo fatal, os pais devem ser instruídos a não manter suprimentos para mais de 1 mês em casa e guardá-los em lugar seguro, fora do alcance das crianças.

• O objetivo principal da enfermagem é prevenir a anemia nutricional por meio da educação familiar.

• Como o leite materno é uma fonte baixa de ferro, deve-se reforçar a importância de administrar suplementos de ferro em crianças alimentadas exclusivamente com leite materno

• No caso das crianças que se alimentam com fórmulas, a enfermeira deve orientar os pais sobre a importância de se usar uma fórmula enriquecida com ferro e introduzir os alimentos sólidos na idade apropriada durante o primeiro ano de vida.

• Tradicionalmente, os cereais são os primeiros alimentos semissólidos a serem introduzidos na dieta infantil aos aproximadamente 6 meses de vida

• Os mesmos princípios são aplicados como aqueles para a introdução de novos alimentos, especialmente oferecer alimentos sólidos antes do leite.

• As crianças alimentadas predominantemente com leite recusam os alimentos sólidos, e os pais precisar ter cuidado com isso, além da necessidade de serem firmes e não perderem o controle sobre a criança. Isso pode requerer, por parte dos pais e da enfermeira, persistência para superar a resistência da criança.

• A educação alimentar de adolescentes é especialmente difícil, em especial porque as meninas adolescentes são particularmente propensas a seguir dietas de redução de peso.

• Enfatizar o efeito da anemia na aparência (palidez) e nível de energia (dificuldade em manter as atividades populares) pode ser útil

Comentários