Trefilação

Trefilação

UNINASSAU

ELAYNE ALBERTINA GOMES MACÊDO

TREFILAÇÃO

Elayne Albertina Gomes Macêdo

TREFILAÇÃO

Trabalho apresentado como exigência parcial de nota para disciplina Processo de Conformação, do 8º período do curso de Engenharia Mecânica da Universidade Maurício de Nassau.

Orientador: Prof. Francis S. P. da Silva

Trefilação

É o processo que consiste na fabricação de arames, barras finas, tubos, entre outros. Tal processo acarreta na redução da largura e um aumento no comprimento do material. Consiste na Tração da peça através de uma matriz chamada fieira ou trefila, com forma de canal convergente.

Esse processo de conformação mecânica consiste em puxar o metal através de uma matriz, por meio de uma força de tração a ele aplicada na saída da matriz. Geralmente a geometria é circular, porém isto não é um requisito, pois podem ser feitas com outras formas geométricas também. Algumas das aplicações para a trefilagem são fios elétricos, cabos, clipes de papel, corda para instrumentos musicais, raio para rodas, barras, vergalhões, arames, entre outros, dependendo do diâmetro do produto final. A trefilação pode também ser realizada em tubos ocos e, neste caso, existem diversas técnicas empregadas, com a utilização de um mandril interno ao tubo que permite um melhor controle da espessura final ou mesmo sem.

Geralmente os processos de trefilação são realizados à temperatura ambiente, porém sabemos que quando há grandes deformações ocorre um aumento considerável de temperatura no decorrer da operação.

Trefilação a Frio: usado para metais de rede CFC (Cúbico de Face Centrado). O fio fica preso numa tarracha da trefila, sendo então 'puxado'. A medida que o fio é puxado seu diâmetro diminui e o tamanho aumenta. Normalmente, são usadas mais de uma tarracha seguidas umas das outras, reduzindo sucessivamente o diâmetro.

Trefilação úmida: as fieiras e o fio ficam completamente imersos no lubrificante.

Trefilação seca: o fio ou barra passa entre um reservatório de lubrificante o que deixa a superfície preparada para a trefilação.

Cobertura metálica: o fio é coberto com uma camada de metal que funciona como um lubrificante sólido.

Vibração ultrasônica: as fieiras e os mandris, ou carcaças de aço, são vibrados, o que ajuda a reduzir os esforços mecânicos e permitir maiores reduções por passada.

A área de redução da seção transversal de fios finos varia entre 15 e 25 % e fios grossos entre 20 e 45 %. É importante que a tarracha gire eventualmente deixando o fio deslizar com menos resistência a uma velocidade constante com o objetivo de não deixar que o fio agarre, o que poderia enfraquecer ou até mesmo quebrar o fio.

A velocidade em que o fio deve ser trefilado muda de acordo com o material e a dimensão da redução. O fato de 'puxar' o material sem aquecimento prévio exige maior força da máquina. Logo, pode causar exaustão antecipada do equipamento e fadigas no metal. Pra diminuir os efeitos da exaustão, existe a lubrificação.

Existem vários tipos de lubrificantes. Um dos métodos é mergulhar o fio numa solução de Sulfato de cobre fazendo com que uma camada de cobre fique depositada formando uma espécie de lubrificante. Em alguns tipos de fio, o cobre continua envolvendo o fio prevenindo contra oxidação ou então para permitir uma boa separação dos fios.

Referências Bibliográficas

http://www.ebah.com.br/content/ABAAAe0MUAL/trefilacao

https://pt.wikipedia.org/wiki/Trefilagem

sistemas.eel.usp.br/docentes/arquivos/5840793/LOM3079/A3PIM.pdf

Maceió

2017

Comentários