Aula 01 - síntese processo saúde - doença

Aula 01 - síntese processo saúde - doença

AULA 01 – Síntese do Processo Saúde–Doença

O que é Saúde?

Revendo os conceitos de Saúde

  • Prática clínica

- “Ausência de doença”

- “Doença: Falta ou perturbação da saúde”

  • OMS(1948)

- “Saúde é um bem estar físico, mental, social e não apenas ausência de doença.”

  • Aurélio

- “Saúde é o estado do indivíduo cujas funções orgânicas, físicas e mentais se acham em situação normal.”

Conceito Ampliado de Saúde

Saúde é a resultante das condições de alimentação, educação, renda, meio ambiente, trabalho, transporte, emprego, lazer, liberdade, acesso e posse da terra, acesso a serviços de saúde...

8a. Conferência Nacional de Saúde

Conceitos de Doença / Qualidade de vida

  • A Doença é um sinal da alteração do equilíbrio homem-ambiente, estatisticamente relevante e precocemente calculável, produzida pelas transformações produtivas, territoriais, demográficas e culturais.

  • A qualidade de vida resulta da adequação das condições sócio-ambientais às exigências humanas.

Processo saúde-doença???

Representa o conjunto de relações e variáveis que produz e condiciona o estado de saúde e doença de uma população, que se modifica nos diversos momentos históricos e do desenvolvimento científico da humanidade.

Classificação dos agentes de doenças

MODELOS UTILIZADOS PARA REPRESENTAÇÃO DO PROCESSO SAÚDE DOENÇA

Modelo Mágico-religioso

  • Doença: resultante de transgressões de natureza individual ou coletiva.

  • Cura da doença: rituais religiosos (feiticeiros, xamãs, sacerdotes) para reatar as relações com as entidades religiosas

  • Tipo de pensamento ainda existente

    • Sociedades tribais;
    • Superstições.

Modelo Empírico - racional

  • A doença já é considerada como fenômeno natural.

  • Hipócrates: doenças como resultantes do desequilíbrio da relação do homem X ambiente.

  • Galeno: doenças poderiam se relacionar ao fator interno, externo e ou a ambos.

  • Paracelso: a doença era determinada pelas influências cósmicas e telúricas além de substâncias tóxicas e venenosas, bem como da predisposição do próprio organismo e das motivações psíquicas.

Modelo Biomédico ou mecanicista

Modelo da Cadeia de Eventos

  • Muito utilizado para doenças infecciosas e parasitárias;

    • Ex: Malária, esquistossomose
  • Vantagem: concisão e clareza.

  • Limitação: não cogitar outros fatores (moradia, tipo de ocupação, sexo, etc.).

Modelos Causais

  • Rede de causas: natureza multicausal das doenças – muitas causas – 1 efeito

  • Múltiplas causas – múltiplos efeitos

    • Ex:
    • Sedentarismo
    • Excesso de peso
    • Idade ≥ 45 anos
    • Má alimentação
    • Consumo de tabaco

Determinação Social da Doença

Modelo Processual: História Natural da Doença

História natural da doença

“As inter-relações do agente, do suscetível e do meio ambiente que afetam o processo global e seu desenvolvimento, desde as primeiras forças que criam o estímulo processo patológico no meio ambiente, ou em qualquer outro lugar; passando pela resposta do homem ao estímulo, até as alterações que levam a um defeito, invalidez, recuperação ou morte”.

(Leavell & Clark, 1976)

História natural da doença Períodos

  • Período Pré-patogênico (epidemiológico)

    • Interação susceptível – ambiente
  • Período Patogênico

    • Pré-condições internas

História Natural da Doença

O PROCESSO SAÚDE-DOENÇA

Está diretamente atrelado à forma como o ser humano, no decorrer de sua existência, foi se apropriando da natureza para transformá-la, buscando o atendimento às suas necessidades.

Representa o conjunto de relações e variáveis que produz e condiciona o estado de saúde e doença de uma população, que se modifica nos diversos momentos históricos e do desenvolvimento científico da humanidade.

Referências bibliográficas

  • BARROS JAC. Pensando o processo saúde-doença: a que responde o modelo biomédico? Rev Saúde e Sociedade 11 (1): 67 -84, 2002.

  • PEREIRA, M. G. Epidemiologia: teoria e prática. Ed. Guanabara Koogan. 1995. Capítulo 3: Saúde e Doença.

  • ROUQUAYROL, M.Z. Epidemiologia e Saúde. 6º edição. MEDSI, Rio de Janeiro, 2003, Capítulo 2: Epidemiologia, História Natural e Prevenção de Doenças.

Comentários