Disciplina: Mineralogia

Professora: Ana Júlia Silveira

Discente:

Marcelo Nazareno Carvalho,

Maria Priscila Nunes do Rosário, Maria Regina de Souza Cardoso, Silvilane Barbosa da Silva.

Classes dos Halogenetos

Universidade de Brasília –Instituto de Geociências

Instituto de Geociências

Fundamentos de Mineralogia Klein & Hurlbut(1999)

Halita

Criolita Fluorita

Cerargirita

Carnalita Silvita

W W W.Tabelaperiódicaco mpleta.co m.br W W W.Tabelaperiódicaco mpleta.co m.br

Os halogênios for ma m íons grandes, de carga (-1), facil mente polarizável.

Ânions co mbina m-se co m cátions grandes, pouco polarizáveis e de baixa valência, co mo os metais alcalinos. Tendo possíveis ligaçõesiônicas pura.

Quando o cátions é menor e mais facil mente polarizável, as ligações quí micas covalentes,resultando e m si metria mais baixa.

Propriedades gerais desses minerais

Muitos halogenetos do tipo XZ (relação cation:âniosde 1:1).

Estrutura tipo halita

Sulfetos e óxidos

Halita: galena –PbS–

Alabandita – MnS, Pe riclásio –MgO.

Coordenação octaédrica:

Halita –NaCl Silvita – KCl Cerargirita – AgCl.

Google imagens

Aplicável a muitos dos halogenetos do tipo XZ 2

(relação cátion:ânionde 1:2).

Estrutura tipo fluorita

Os íons F- estão em coordenação tetraédrica com

4Ca 2+ esta coordenado a 8F -

Fluorita (CaF2 )

Os cátions Ca 2+.

(Arranjo cúbico de fase centrada).

Óxidos uraninita -UO 2

Google imagens Google imagens

Google imagens

Hábito: Maciço/granular

Clivagem: Cúbica perfeita Dureza: 2,5

Brilho: Vítreo, transparente e translúcido.

Cor: incolor, branco, amarelo, vermelho, rosa, azul e púrpura.

Densidade relativa: 2.16 (baixa)

Sistema Cristalino: Cúbico (octaédrico).

Dados cristalográficos: isométrico 4/ m32/ m

Solúvel em água, gosto salgado.

http://www.rc.unesp.br/ museudp m/ banco/haloides/Halita.ht ml

G oog le ima g en

Produção de cloro e soda cáustica

Consumo humano Tratamento de água

Tratamentos têxteis

Outros usos da Halita

Purificador de ambientes

Amuleto contra “mauolhado” e “energia negativa”.

Halita: incolor a branco

G oog le ima g en

Ocorrência de forma de solução:

Ocorrência no Estado Sólido

Oceanos, lagos, aquíferos subterrâneos.

Depósitos a céu aberto, subterrâneos, superficiais e domos.

Contendo impurezas

Sem impurezas

G oog le ima g en

G oog le ima g en

Hábito: Cristais cúbicos e octaédricos frequente mente co mbinados.

Densidaderelativa: 1,9(baixa)

Brilho: Vítreo, transparente a translúcido.

Cor:Incolor, branco, azul, a marelo ou ver melho.

É solúvel e m água co m muita facilidade.

Dados cristalográficos: isométrico. 4/m 32/m.

http://www.rc.unesp.br/ museudp m

/banco/haloides/silvita.ht ml Clivage m:{100} perfeita

Produção Industrial

Produção de fertilizantes Hidróxidos de Potássio

Hábito: Cúbico, mas rara mente for ma cristais. Frequente mente maciço, le mbrando o aspecto da cera.

Dureza: 2 - 3 Densidaderelativa: 5.5

Cor: Cinza perolado eincolor, violeta.

Dados cristalográficos: isométrico, 4/ m32/ m http://www.rc.unesp.br/ museudp m/banco/haloides/cer argirita.ht ml

Paragêneses e usos

A cerargiritaé um minério supergênicode prata, encontrado na zona superior, enriquecida de depósito de prata. Associada com prata nativa, cerussitae produtos de alteração em geral.

Hábito: For mas co muns são {001} e {110}. Geral mente maciça, mas pode ocorrer co mo raros cristais pseudocúbicos.

Clivage m: partição segundo {110} e {001} resulta e m for mas de aparência cúbica.

Brilho: vítreo a graxoso, transparente a translúcida. Co m aspecto de gelo.

Cor:Incolor a branco-neve

Aspecto de parafina: Oíndice de refração muito baixo (próxi mo da água). Resulta no quase desapareci mento do pó do mineral, quandoi merso a água.

Dados cristalográficos: monoclínico. 2/ m http://www.rc.unesp.br/ museudp m/ banco/haloides/criolita.ht ml

Google imagens

A criolitanatural foi amplamente utilizada como fundente na indústria de alumínio.

Na fabricação de sais de sódio Alguns vidros e porcelanas

Fórmula química:

K MgCl3 6H2 O

Clivagem: Não apresenta. Fratura conchoidal.

Densidade relativa: 1.6 (baixa)

Dados cristalográficos: ortorrô mbico, 2/ m2/ m2/ m http://www.rc.unesp.br/ museudp m/banco/ haloides/cerargirita.ht ml

Hábito: Cristais sãoinco muns, pseudo-hexagonais. Nor mal mente maciça ou granular.

Cor: Incolor, branco leitoso, amarelo, raramente azul, frequentemente vermelho,

Gosto amargo, altamente hidroscópico, dissolve em ambiente úmidos.

Brilho: Graxoso

Carnalita

Paragêneses e usos

Ocorre nas camadas superiores de alguns evaporitos, em associação com halita, silvitae Kieserita. Importante fonte de potássio para fertilizantes (não tanto como a silvita).

Hábito: Cristais cúbicos, frequente ge minados segundo{1}.

Dureza: 4 Sistema Cristalino: Cúbico

• Menos frequentes: Tetrahexaédricas e hexaoctaédricas.

• São raros: Octaedros.pelos planos de clivage m.

• São frequentes: octaédricas produzidas

Clivagem: {1} perfeita

Densidade relativa: 3.18

Dados cristalográficos: isométrico, 4/ m32/m http://www.rc.unesp.br/ museudp m/banco/h aloides/cerargirita.ht ml

Brilho: Vítreo

Cor: verde-claro, amarelo, verde azulado, violeta, branco, rosa, azul, marro m.

Filões em rochas ígneas, metamórficas e sedi mentares.

Depósitos marginais em rochas carbonatíticas e alcalinas.

Depósitos estratiformes em rochas carbonatadas

Google imagens Google imagens

A mpla mente distribuída, ocorrendo associação co m alguns minerais: Calcita, dolo mita, gipsita, celestita, barita, entre outros.

• Co muns e m rochas sedi mentares: Calcários e dolo mitos.

• Acessórios e mrochas:ígneas e peg matitos.

• O principal modo de ocorrência: veios hidroter mais. Google imagens

Produção de ácido fluorídrico

Na fabricação de vidro, cerâmica e materiais óticos

Fundente na indústria do aço

Klein & Hurlbut Universidade de Brasília – Instituto de Geociências, Instituto de Geociências Funda mentos de Mineralogia(1999)

Tabela Periódica. Disponível e m: W W W.Tabelaperiódicaco mpleta.co m.br Acesso e m: 24/01/2018

Unesp Banco de dados. Disponível e m: http://www.rc.unesp.br/ museudp m/banco/haloides/Halita.ht ml Acesso e m: 24/01/2018

Unesp Banco de dados. Disponível e m: http://www.rc.unesp.br/ museudp m/banco/haloides/silvita.ht ml Acesso e m: 23/01/2018

Unesp Banco de dados. Disponível e m: http://www.rc.unesp.br/ museudp m/banco/haloides/cerargirita.ht ml Acesso e m: 24/01/2018

Unesp Banco de dados. Disponível e m: http://www.rc.unesp.br/ museudp m/banco/haloides/cerargirita.ht ml Acesso e m: 24/01/2018

Comentários