Aula 4 processo de gerenciar em enfermageme seus elementos

Aula 4 processo de gerenciar em enfermageme seus elementos

Profª Fernanda Lima FIC-2ºP enfermagem

A sociedade brasileira está inserida em um processo de produção mundial e organizada sob um modo específico de produzir –o modo capitalista de produção. O modo de produção de uma sociedade determina o modo de vida e as formas de organização da sociedade (QUEIROZ; SALUM, 1994).

Um determinado modo de produção corresponde a um processo de reprodução, ou seja, a produção não ocorre na ausência do consumo, e o consumo depende da produção. A inserção dos indivíduos no trabalho determina, através de seus rendimentos, o acesso a bens materiais de vida, tais como alimentação, moradia, saneamento, assistência médica, escolaridade entre outros (VICTORA, et al 1990) 3

O processo de produção capitalista se caracteriza ainda pelo: processo de valorização do capital, ou seja, de produção de mais-valia (que é o lucro, o capital acumulável) e por modos específicos de trabalhar ou processos de trabalho e esses dois processos estão intimamente relacionados (LAURELL; NORIEGA, 1989).

O processo de trabalho pode ser entendido como um processo entre o homem e a natureza, onde o homem por sua atividade transforma um objeto determinado, esteja este em estado natural ou já trabalhado, em um produto

determinado, e ao modificar dessa forma a natureza ele transforma a si mesmo (MARX, 1988).

O processo de produção em saúde tem especificidades, sendo elas: o lidar cotidiano com paradoxos, como a vida e a morte, a dor e o prazer, tendo como foco do trabalho o monitoramento e o acompanhamento dos perfis de saúde-doença e de reprodução de grupos sociais, sendo um processo histórico; seu produto não é uma mercadoria que simplesmente se troca no mercado,

mas é fruto das relações que se estabelecem entre os homens em sociedade; o desenvolvimento do trabalho não ocorre de modo isolado, ele é consequência da articulação e das relações estabelecidas no trabalho de vários agentes (MISHIMA et al., 1998; QUEIROZ; SALUM, 1996).

Assim como nos demais trabalhos, o processo de produção em saúde possui objeto, finalidade, meios/instrumentos e um modo de divisão e organização do trabalho que SALUM, et al. (1996) descrevem como sendo:

Objeto de trabalho: são os perfis de saúdedoença de indivíduos e grupos sociais;

Finalidade: se caracteriza pela transformação dos perfis de saúde-doença e sua expressão bio-psíquica, através da intervenção nas formas de trabalho e de vida dos indivíduos e grupos sociais, visando o seu aperfeiçoamento;

Meios e instrumentos: caracterizam-se pelos recursos materiais, tecnológicos e pela força de trabalho em saúde;

Divisão e organização de trabalho: consiste na divisão técnica do trabalho sobre determinada pela divisão social e subordinada ao modelo assistencial.

A geração de mais-valia, na saúde, se caracteriza pela geração de lucro social e pela exploração da força de trabalho.

Contribuem e compõem o processo de produção em saúde, distintos processos de trabalho que não existem desarticulados, constituindo um todo, o da assistência à saúde de indivíduos e coletividades (QUEIROZ; SALUM, 1996).

Segundo Silva (1986) em português o termo designa o agente que cuida dos ‘infirmus’, isto é, daqueles que não estão ‘firmes’

(crianças, velhos, doentes). Já em inglês, enfermagem (nursing) vem do verbo to nurse, que significa nutrir, sendo que

‘nurse’originalmente significa aquela que nutre, que cuida.

Mas, vejamos também o que alguns autores falam sobre o que é a enfermagem: “Gente que cuida de gente” (HORTA, 1976, editorial). “Uma prática inserida na sociedade brasileira e como tal historicamente estruturada, estabelecendo relações sociais com todos os outros tipos de trabalho e guardando sua especificidade dentro de uma autonomia relativa” (ALMEIDA et

“Tradicionalmente, a enfermagem é focalizada compreendendo as seguintes abordagens: assistir/cuidar; administrar/gerenciar; educar/ensinar; pesquisar. A dimensão do assistir/cuidar estaria relacionada às atividades desenvolvidas diretamente junto à clientela, as demais comporiam as atividades indiretas, ou seja, de preparo e suporte para a primeira. 14

O objeto da saúde naquilo que diz respeito ao seu campo específico (cuidado de enfermagem?) visualizando o produto final, atender às necessidades sociais, ou seja, a promoção da saúde, prevenção de doenças e a recuperação do indivíduo, ou o controle da saúde da população.

Esses conceitos nos fazem pensar, refletir sobre O que? e Como? fazemos.

O conceito de enfermagem, passa pela compreensão de que realizamos um trabalho, para pessoas com e através de pessoas ou seja nós enfermeiros, na enfermagem não atuamos isoladamente, trabalhamos com outros profissionais, temos que estruturar o nosso trabalho, a nossa ação juntamente com esses trabalhadores.

Mas, qual é então a especificidade do trabalho em enfermagem?

A especificidade do trabalho da enfermagem esta na sua forma de intervenção no objeto, ou seja, nos meios e instrumentos que utiliza para transformar o objeto em direção à finalidade. Historicamente esses meios e instrumentos tem sido: observação, levantamento de dados, planejamento, evolução, avaliação, sistemas de assistência, procedimentos técnicos,

procedimentos de comunicação e de interação, a própria força de trabalho, os equipamentos e materiais, os modelos e métodos de administração entre outros

(QUEIROZ; SALUM, 1994; CASTELLANOS, et al. 1989; ALMEIDA; ROCHA, 1997).

Além disso, como trabalho, a enfermagem, tanto no modelo individual como no de saúde coletiva, se operacionaliza por diferentes processos de trabalho: o de assistência à saúde – cuidar; o de gerenciamento dessa assistência – administrar, o de ensino e o de investigação científica (gerando o saber necessário à produção) (CASTELLANOS, et al. 1989; QUEIROZ;

Comentários