(Parte 1 de 7)

Agricultura de Precisão no Rio Grande do Sul

Agricultura de Precisão no Rio Grande do Sul

Organizadores: Antônio Luis Santi Elódio Sebem Enio Giotto Telmo Jorge Carneiro Amado

CESPOL Santa Maria, RS / 2016

dos autores 1ª edição 2016

Editoração: CESPOL Publicações Revisão dos originais: Antonio Luis Santi; Elódio Sebem; Enio Giotto;

Telmo Jorge Carneiro Amado

Diagramação: Elódio Sebem Arte Capa: Quelen Gomez de Souza - PG Comunicação Visual Imagem Capa: http://pt.freeimages.com/ Impressão: Triunfal Gráfica e Editora (w.graficatriunfal.com.br)

CAPÍTULO 19

Conteúdo

Projeto Aquarius – principais contribuições e resultados

Telmo Jorge Carneiro Amado, Tiago De Gregori Teixeira, Tiago de Andrade Neves Hörbe, Rai Augusto Schwalbert, Geomar Mateus Corazza, Cristiano Paim Buss, Leonardo Kerber, Bernardo da Silva Tisot, Willian Alex Wagner

CAPÍTULO 227

Projeto APcoop: Agricultura de Precisão no Sistema Cooperativo do Rio Grande do Sul Jackson Ernani Fiorin, Telmo Jorge Carneiro Amado

CAPÍTULO 359

Programa de Pós-Graduação em Agricultura de Precisão Elódio Sebem

CAPÍTULO 479

Amostragem de solo na agricultura de precisão

Maurício Roberto Cherubin, Antônio Luis Santi, Osmar Henrique de Castro Pias, Mateus Tonini Eitelwein, Claudir José Basso, Lisandra Pinto Della Flora, Júnior Damian Melo

CAPÍTULO 59

Mapeamento da Produtividade de Grãos e Utilização dos Mapas

Mateus Tonini Eitelwein, Antônio Luis Santi, Enio Giotto, Júnior Melo Damian, Maurício Roberto Cherubin, Geomar Mateus Corassa, Claudir José Basso, Lisandra Pinto Della Flora

CAPÍTULO 6121

Análise econômica do uso da agricultura de precisão Alexandre Russini, Maurício Roberto Cherubin, Guilherme Jost Beras

CAPÍTULO 7137

Aplicação de nitrogênio em tempo real: modelos e aplicações

Christian Bredemeier, André Luis Vian, João Leonardo Fernandes Pires

Agricultura de Precisão no Rio Grande do Sul

CAPÍTULO 8159

6 Tecnologias para detecção e controle em sítio-específico de plantas daninhas Luan Pierre Pott, Elódio Sebem, Telmo Jorge Carneiro Amado

CAPÍTULO 9189

Benefícios do tráfego controlado de máquinas no Rio Grande do

Sul

Vitor Cauduro Girardello, Telmo Jorge Carneiro Amado, Paulo José Alba, Tiago De Gregori Teixeira

CAPÍTULO 10213

Levantamento de plantas daninhas na cultura da soja com as ferramentas da Agricultura de Precisão

Junior Melo Damian , Dejales Fioresi, Felipe Arthur Baron,

Antônio Luis Santi, Diecson Ruy Orsolin da Silva, Sérgio Daniel Bona, Diandra Pinto Della Flora

CAPÍTULO 1233

Definição de zonas de manejo utilizando “multi-layers” e sensoriamento “on-the-go”: Definições e usos

Raí Augusto Schwalbert, Geomar Mateus Corassa, Telmo Jorge Carneiro Amado

CAPÍTULO 12251

Manejo de precisão: Planos de Manejo Inteligentes e estratégias multi-plantas

Antônio Luis Santi, Diego Armando Amaro da Silva, Geomar Mateus Corassa, Claudir José Basso, Júnior Melo Damian, Lisandra Pinto Della Flora, Osmar Henrique de Castro Pias, Leila Daiane Almeida dos Santos

CAPÍTULO 13285

O uso de Aeronaves Remotamente Pilotadas (RPAS) na agricultura

Júnior Melo Damian, Michele Fornari, Antônio Luis Santi, Osmar Henrique de Castro Pias, Diego Armando Amaro da Silva

A Agricultura de precisão utiliza conceitos antigos de manejo localizado das lavouras e a adoção de técnicas modernas de posicionamento georreferenciando no campo. Ela permite o manejo localizado de solo e planta e a aplicação dos insumos agrícolas nos locais mais adequados. A idéia é fazer a coisa certa, no local adequado, na hora certa e da forma mais eficiente possível.

O livro “Agricultura de Precisão no Rio Grande do Sul” não pretende esgotar o assunto e tampouco tem a pretensão de mostrar tudo que está sendo feito nesta área no estado, mas sim disponibilizar aos interessandos os principais assuntos que estão sendo pesquisados nas Instituições de Ensino e Pesquisa envolvidas.

Os assuntos abordados envolvem os projetos Aquarius e APCoop, a amostragem de solo para agricultura de precisão e os problemas decorrentes de falhas neste processo, o mapeamento da produtividade de grãos e a utilização dos mapas gerados pelos sensores de colheita. A análise econômica do uso da agricultura de precisão forma um capítulo muito interessante para fornecer subsídios aos pretendentes a adotar as tecnologias associadas.

Modelos matemáticos e de aplicação de nitrogênio em tempo real trazem uma abordagem técnica para as vantagens de sua utilização, da mesma forma que o capítulo sobre tráfego controlado de máquinas nas lavouras do estado. O estudo localizado das plantas daninhas é abordado em dois capítulos, um mais geral que aborda as tecnologias envolvidas para a detecção e controle em sítioespecífico e outro na cultura da soja.

O assunto zonas de manejo agrícola se encontra contemplado no artigo que trata da utilização de diversos planos de informação e sensoriamento remoto. Relacionado a isso a obtenção de dados remotamente é abordado no capítulo sobre a utilização de aeronaves remotamente pilotadas na agricultura.

Por fim, uma abordagem de agricultura que procure realizar planos de manejo com o uso de diversas espécies vegetais para a melhoria da fertilidade do solo é apresentada.

Gostaríamos agradecer imensamente ao Ministério da Agricultura,

Pecuária e Abastacimento pelos recursos financeiros destinados a impressão de 1.0 exemplares da obra.

Esperamos que esta obra contribua para uma visão mais abrangente do assunto e que seja um incentivo aos pesquisadores que trabalham na área. Que todos tenham uma boa leitura.

Organizadores.

CAPÍTULO 1

Projeto Aquarius – principais contribuições e resultados

Telmo Jorge Carneiro Amado1, Tiago De Gregori Teixeira2,3, Tiago de Andrade Neves Hörbe2,4, Rai Augusto Schwalbert2,5, Geomar

Mateus Corazza2,6, Cristiano Paim Buss7, Leonardo Kerber8 ,

Bernardo da Silva Tisot9, Willian Alex Wagner10

Resumo

O Projeto Aquarius tem por objetivo a pesquisa, desenvolvimento, inovação e extensão em agricultura de precisão. Trata-se de um projeto multi-institucional com participação de indústria-cooperativa-universidade-produtores agrícolas no qual buscava-se implantar o ciclo completo da agricultura de precisão. Ao longo de dezesseis anos de existência serviu para a validação/desenvolvimento de muitas tecnologias e equipamentos sempre avaliados em talhões pertencentes aos produtores agrícolas. Com isto, as adaptações, ajustes e aperfeiçoamentos necessários nas tecnologias e equipamentos inovadores foram feitas em um curto espaço de tempo. O projeto aquarius sempre foi receptivo as inovações tecnológicas que alterassem processos e rotinas visando dotar de maior eficiência, maior retorno econômico e menor impacto ambiental a atividade agrícola. Também foi muito importante para a formação de recursos humanos e a geração de artigos científicos, informes técnicos, palestras, reportagens, partição em feiras agropecuárias entre outros. Além de comprovar a viabilidade técnica e econômica da agricultura de precisão, o projeto foi um referencial para agricultores, técnicos e estudantes. As tecnologias de agricultura de precisão sempre foram aplicadas em conjunto e de forma complementar a semelhança do que ocorre nas propriedades agrícolas.

1 Professor Titular, UFSM, Departamento de Solos/ Universidade Federal de Santa Maria, Campus sede. Av. Roraima nº 1000, Santa Maria – RS. E-mail: florestatel@hotmail.com 2 Pós-graduando. UFSM - PPGCS/ Universidade Federal de Santa Maria, Campus sede. Av.

Roraima nº 1000, Santa Maria – RS. 3 tiagod.teixeira@gmail.com 4 tiagohorbe@hotmail.com 5 rai.schwalbert@hotmail.com 6 geomarmateus@hotmail.com 7 Engenheiro/Setor de pesquisa – Stara, Avenida Stara, 519 - Caixa Postal 53, Não-Me-Toque – RS. E-mail: cristiano@stara.com.br 8 Analista de Produção – Cotrijal, Rua Júlio Graeff, 01. Não-Me-Toque – RS.. E-mail:

lkerber@cotrijal.com.br 9 Agrônomo de campo - Dupont Pioneer, Passo Fundo – RS. E-mail: bernardo.tisot@pioneer.com 10 Engenheiro/Setor de pesquisa – Stara, Avenida Stara, 519 - Caixa Postal 53, Não-Me-Toque – RS. E-mail: william@stara.com.br

Agricultura de Precisão no Rio Grande do Sul

Palavras-chave: Agricultura de precisão, mapas de colheita, mapas de fertilidade, taxa variada

Aquarius Project - main contributions and results

Abstract

The Aquarius Project aims the research, development, innovation and extension in precision farming. This project is composed by different players of agribusiness as industry-farm cooperative-university-farmers aiming the full precision agriculture cycle. Elapsed sixteen years the project was a keystone to development/validation of many technologies and machinery that were evaluated in croplands. As a consequence, the time required to improvement and adjustment was shortened. The Aquarius project always was open to technological innovations that change processes and routines aiming increase the efficiency, economic return and environmental protection. The project also was important to educate technical staff and to generate research articles, technical articles, speech, demonstration in farm expo, social media interviews among others. Besides, it shows the economic and technical viability of precision agriculture it was a milestone to farmers interested in innovation. The technologies also were applied in conjunct in a complementary way with a holistic view of the production system as verified in croplands.

Keywords: fertility maps, harvest maps, precision agriculture, precision farming, variable rate

1.1 Histórico

O Projeto Aquarius teve seu início ano 2000 quando as experiências com adoção em escala da agricultura de precisão eram resumidas aos países desenvolvidos como Estados Unidos, Alemanha, Inglaterra e Austrália. Na América do Sul, as experiências com a Agricultura de Precisão eram restritas a Argentina e algumas escassas no Brasil Central e em São Paulo. Porém, restritas a Universidades e um número reduzido de propriedades.

No ano de 2000 a produtividade média de soja no RS foi de 1700 kg ha (28,3 sc ha) e de milho foi de 2400 kg ha (40 sc ha). Atualmente, a produtividade de soja se aproxima dos 3000 kg ha-1 e do milho foi de 5600 kg ha-1 (Amado et al., 2015). Portanto, o Projeto Aquarius inseriu-se em contexto de modernização da agricultura e profissionalização dos agricultores.

O principal objetivo do projeto era a implantação da agricultura de precisão através da criação de áreas piloto nas quais as tecnologias disponíveis seriam aplicadas. Através de cases de sucesso esperava-se que outros agricultores se mostrassem interessados pela nova tecnologia. Na época existia uma carência de projetos de pesquisa que fossem de longa duração, que incorporasse gradualmente as tecnologias a medida que fossem geradas e que fosse multidisciplinar. Por ser uma área de intensa inovação, o projeto deveria ser dinâmico e flexível. Entendia-se que mais que avaliar isoladamente cada tecnologia, dever-se-ia investiga-las de forma conjunta e complementar.

Projeto Aquarius – principais contribuições e resultados

Anteriormente, ao Projeto Aquarius a Serrana Fertilizantes já realizava no Estado amostragem de solo e geração de mapas temáticos de atributos químicos, evidenciando elevada variabilidade espacial nas lavouras gaúchas. Porém, a fertilização a taxa variável visando a correção destes desequilíbrios da fertilidade ainda foi muito restrita.

A Stara Sfil juntamente com a Massey Ferguson, lideraram a criação do

Projeto Aquarius em Não-Me-Toque - RS. No ano 2000 os dois talhões, área da Lagoa (132 ha) e Schmidt (124 ha) localizados na Fazenda Anna foram escolhidos para serem as áreas experimentais. Estes talhões passaram a ter acompanhamento contínuo, sendo a base para a realização de vários trabalhos de pesquisa que resultaram em dissertações e teses de doutorado da UFSM. Os agricultores pioneiros foram Fernando e Roberto Stapelbroek, onde Fernando conheceu a tecnologia durante uma viajem nos Estados Unidos realizada há alguns anos.

O tamanho dos talhões escolhidos eram representativas do tamanho médio das áreas de cultivo na região do Alto Jacuí desmitificando que a agricultura de precisão só seria viável para grandes propriedades. Ainda, o resultado financeiro das intervenções fazia parte do caixa dos proprietários, não possibilitando que uma prática que não trouxesse retorno fosse adotada por longo prazo. Este fato demandou que as tecnologias fossem criteriosamente avaliadas. Assim, na sua gênese o projeto seguiu a estratégia de pesquisa conduzida na propriedade agrícola. Este fato foi muito importante para que os ajustes necessários nas novas tecnologias fossem feitos em curto espaço de tempo e permitiu que a indústria se aproximasse dos produtores.

Quando da criação do Projeto Aquarius, a tecnologia para AP era importada de países desenvolvidos, com custo elevado, com manuais escritos em inglês e muitas vezes não adaptada as condições da agricultura brasileira (potência de máquinas, presença de cabine para proteção de computadores de bordo, comunicação entre equipamentos entre outros). Também havia ceticismo se os agricultores brasileiros seriam capazes de incorporar a complexa tecnologia que era disponibilizada, uma vez que o nível de escolaridade dos operadores rurais era restrito. Para tanto, optou-se por estimular os agricultores vinculados ao projeto a adquirirem as novas máquinas e tecnologias, de modo que a administração das áreas continuava com os produtores agrícolas em um processo de aprender-fazendo.

No ano 2000 as duas principais tecnologias disponíveis para a

Agricultura de Precisão eram a amostragem de solo georreferenciada visando a elaboração de mapas temáticos de atributos de solo e o mapa de colheita. Um dos desafios do projeto era aplicar o ciclo completo da agricultura de precisão composto de diagnóstico, intervenção localizada e avaliação do resultado obtido orientando um novo ciclo de intervenções. Assim, optou-se na área da Schmidt iniciar a agricultura de precisão com base no mapa de colheita e amostragem de solo dirigida. Enquanto na área Lagoa, as atividades se iniciaram com base no

Agricultura de Precisão no Rio Grande do Sul mapa de atributos de solo baseado em amostragem georreferenciada com 1 amostra composta a cada cinco ha utilizando um quadriciclo adaptado com GPS e coletor de solo. Em ambas as estratégias utilizou-se a taxa variável de fertilizantes e corretivos.

(Parte 1 de 7)

Comentários