Movimento Uniforme - relatório física prática A

Movimento Uniforme - relatório física prática A

Movimento Uniforme

Prática 3 - Data 16/06/2017

Centro Universitário Senai Cimatec, Engenharia Química, 2º Trimestre e 2017GRDEQIDIU

Ana Laise do Nascimento dos Santos; Henrique da Gama Monteiro dos Santos; Leonardo Santana; Matheus Santos de Oliveira Lima Souza; Raquel Araujo da Cruz

Entregue ao professor Targino Amorim Neto da disciplina Física A Prática

Resumo: A terceira prática teve como objetivo determinar a velocidade em um movimento uniforme e então a partir de variadas medições em intervalos de espaço por tempo, utilizando um plano inclinado e um corpo imerso em líquido viscoso, verificou-se que a velocidade é constante devido à desaceleração causada pela viscosidade do líquido, visto que sem a existência do liquido a velocidade iria variar conforme o tempo.

Palavras-chave: Movimento Uniforme – Plano Inclinado – Velocidade Constante.

  1. Introdução

Têm-se como movimento uniforme, o movimento que possua sua velocidade escalar instantânea constante, acima de zero, o que a faz coincidir com a velocidade média em qualquer intervalo de tempo, e que apenas a posição varia com o tempo. Em outras palavras, segundo o RAMALHO e col. (2007), no movimento uniforme, o móvel percorre distâncias iguais em intervalos de tempo iguais.

Devido ao fato da velocidade escalar coincidir com a velocidade média, torna-se possível calcular a velocidade do corpo a partir da fórmula de velocidade média (1):

(1)

Na qual, corresponde a variação de posição do corpo, e a variação do tempo.

Após compreendida essa fórmula e manuseada, obtêm-se então a função horária do movimento uniforme, que representa todo e qualquer movimento com as características supracitadas, representada pela fórmula 2:

(2)

Quando “S” e “So” são as posições finais e iniciais do móvel, respectivamente, “t” o tempo e ”v” a velocidade.

Tendo como objetivo geral, calcular a velocidade do móvel nas dadas condições, e objetivo específico de analisar a variação dos intervalos de tempo para as posições, têm-se o seguinte trabalho.

  1. Experimento

Materiais e Métodos

Na pratica utilizou-se os seguintes materiais:

Plano inclinado;

Nível;

Esfera metálica;

Imã;

Cronômetro (ou celular).

Identificou-se as escalas dos instrumentos e anotou-se os desvios, feito isso ajustamos o nível do plano, de modo que ficasse nivelado, então ajustou-se o ângulo de inclinação do equipamento para 5°.

Cronometrou-se então que a esfera levava para percorrer o plano até uma marca pré-estabelecida. Iniciando-se com a distância de 50mm e a partir daí, em um intervalo de 50 em 50mm até 400mm (50, 100, 150...400mm) e para cada intervalo repetiu-se o experimento por 10 vezes.

Fig. 1- Plano utilizado na prática. Fonte: Própria.

Fig. 2. Recorte do plano utilizado na prática, com esfera e imã ao centro. Fonte: Própria.

Fig. 3- Detalhe do ângulo de inclinação do plano. Fonte: Própria.

  1. Resultados

Para a realização dos procedimentos foi realizado um movimento uniforme com diferentes intervalos de espaço, o qual foi repetido dez vezes para cada intervalo de espaço com o intuito de se obter uma única velocidade, confirmando que a velocidade no experimento é constante.

Os resultados da pesquisa são demonstrados na tabela 1, e um ponto marcante foi a pouca variação da velocidade média, que demonstra que a atuação do líquido transformou a relação do movimento, que deveria ser acelerado devido à gravidade, pode-se notar também que na figura 4 a relação entre tempo (s) e posição em (mm) foi uma reta, caracterizando assim o formato do movimento uniforme citado anteriormente, na equação (2).

Tabela 1: INTERVALOS

Intervalo (mm)

Tempo Médio (s)

Desvio Médio do tempo (s)

Vel. Média (m/s)

0-50

3,18

0,16

0,016

0-100

6,18

0,23

0,016

0-150

9,10

0,18

0,015

0-200

12,97

0,01

0,015

0-250

16,35

0,19

0,015

0-300

19,81

0,12

0,015

0-350

22,91

0,17

0,015

0-400

27,05

0,09

0,015

Fig. 4. Relação da posição em função do tempo.

  1. Conclusão

Conclui-se que a partir dos procedimentos anteriormente listados em materiais métodos e como mostrado no gráfico 1 em que as velocidades obtidas em cada intervalo de tempo beiram a velocidade constante , onde essa velocidade foi obtida originalmente da velocidade média de cada intervalo de espaço. Isso foi observado a partir da medição dos intervalos tempo, os quais para a obtenção da velocidade constante deveriam ser proporcionais aos intervalos de espaço, analisando-os e calculando seus erros e desvios para uma maior precisão. Não foi possível obter resultados perfeitos pois ,toda medida ou grandeza quando analisada experimentalmente contém erros mas, como é possível observar na linha de tendência presente no gráfico 1 os resultados encontrados estão numa margem de erro praticamente nula constatando assim o objetivo da prática de comprovar a velocidade constante do movimento observado no experimento.

  1. Referências

1- RAMALHO, Nicolau e Toledo. Os Fundamentos da Física, Vol. 03, 7ª Ed. Editora Moderna.

Comentários