Gabarito da AD1 de Gestão da Interface Empresa X Sociedade (2017.2)

Gabarito da AD1 de Gestão da Interface Empresa X Sociedade (2017.2)

Fundação Centro de Ciências e Educação Superior a Distância do Estado do Rio de Janeiro Centro de Educação Superior a Distância do Estado do Rio de Janeiro

Avaliação a Distância – AD1

Disciplina: Gestão da Interface Empresa x Sociedade Coordenador: Francisco Paulo De Melo Neto

Gabarito

1ª Questão: Especialistas reunidos na Comissão Mundial sobre Meio Ambiente e Desenvolvimento, criada pela Organização das Nações Unidas (ONU), propuseram um novo modelo de desenvolvimento econômico, o qual denominaram de desenvolvimento sustentável.

Discorra sobre o conceito de desenvolvimento sustentável e cite ao menos dois princípios nos quais se baseiam esse modelo.

“Há diversas linhas de pensamento sobre o assunto, mas todas abrangem o conceito da Organização das Nações Unidas que assim refere-se ao tema: ”É o desenvolvimento capaz de suprir as necessidades da geração atual sem comprometer a capacidade de atender as necessidades das futuras gerações; é o desenvolvimento que não esgota os recursos para o futuro” (pg. 124). “Tal modelo baseia-se nos seguintes princípios:

os recursos naturais são finitos e, por isso, devem ser preservados;

o desenvolvimento econômico deve levar em conta o meio ambiente;

os recursos naturais devem ser preservados porque deles dependem a humanidade e toda a diversidade biológica (zoologia e botânica);

o aumento da reutilização e da reciclagem é uma prática que deve ser estimulada, pois reduz o uso de matérias-primas e produtos;

todas as relações do homem com a natureza devem ocorrer com o menor dano possível;

para alavancar o desenvolvimento sustentável, a proteção ambiental deve constituir-se parte integrante do processo de desenvolvimento e não pode ser considerada isoladamente deste” (p. 113).

2ª Questão: O que são Negócios Sociais Sustentáveis (NSS) e qual a importância desses empreendimentos locais?

"As comunidades, assistidas pelas empresas-cidadãs, pelos governos locais empreendedores e pelas ONGs e movimentos socioambientais atuantes nas regiões onde se localizam, desenvolvem seus próprios empreendimentos.

São empreendimentos sociais que buscam viabilizar pequenos negócios locais com o objetivo de criar o sustento de membros da comunidade local e promover o seu autodesenvolvimento.

É o que denominamos Negócios Sociais Sustentáveis (NSS). São, portanto, negócios gerenciados em bases comunitárias e fruto da atuação das organizações locais, como, por exemplo, cooperativas e ONGs.

Porque esses negócios são importantes? Porque geram trabalho e renda para populações de baixa renda, que estão à margem do mercado de trabalho e excluídas da cadeia produtiva local; aproveitam e desenvolvem o potencial dos moradores daquela comunidade; resgatam tradições culturais esquecidas e, assim, preservam a memória e a história da comunidade, seus costumes e tradições.

A geração de emprego e renda e, consequentemente, a inclusão social transformam a comunidade local. Tais ganhos – sociais, culturais e econômicos – geram desenvolvimento e tornam uma sociedade sustentável. Esse é o impacto social atingido por qualquer tipo de negócio dessa natureza. (...).

Negócios sociais sustentáveis são empreendimentos que promovem a inclusão social, a geração de emprego e renda e contribuem para a criação de comunidades e de uma sociedade sustentável" (p. 173-174).

3ª Questão: Em seu livro “A riqueza da base da pirâmide”, Prahalad identifica e analisa o potencial dos mercados de baixa renda e aponta essa estratégia como a solução para erradicar a pobreza no mundo. Como a nova concepção de capitalismo sustentável permite a participação desse mercado, que hoje movimenta bilhões de reais em nosso país?

O capitalismo criativo é baseado em ações sustentáveis, que tornam vantajosas iniciativas de inclusão social e econômica, como o estímulo ao mercado voltado para a população de menor renda, ao desenvolvimento de produtos e serviços que visam à melhoria das condições de vida das populações mais pobres, aos negócios sustentáveis ou responsáveis, direcionados à preservação ambiental e a promoção do desenvolvimento das comunidades locais, às empresas que fomentam as atividades de empreendedorismo local, com ênfase na concessão de microcrédito, dentre tantas outras. Edmund Phelps, vencedor do Prêmio Nobel de Economia em 2006, propõe, sob o novo paradigma do capitalismo sustentável, um novo conceito de inclusão como parte essencial do dinamismo econômico, afirmando ser justamente “a possibilidade de as pessoas poderem participar dos negócios dessa economia”. (p. 9 e 12)

4ª Questão: O que se entende por capitalismo criativo, responsável e sustentável?

"A era do capitalismo criativo também pode ser denominada era do capitalismo responsável ou sustentável. Isso porque não deve prevalecer a idéia do negocio em si, a primazia do lucro em detrimento de outros fatores, como a preservação do meio ambiente, o bom relacionamento com a comunidade, a ética, a boa imagem, o respeito e a admiração dos clientes, a satisfação dos acionistas, o atendimento das necessidades dos empregados, a aprovação de toda a sociedade e a colaboração com o governo." (p. 9)

"O novo capitalismo tem uma forte vertente socioambiental, pois utiliza os investimentos em ações sustentáveis como estratégia de negócio e fator de vantagem competitiva da empresa. As empresas que vinculam suas ações socioambientais às suas estratégias empresariais reforçam suas marcas, posicionam-se melhor em seus mercados, diferenciam-se dos seus concorrentes, motivam seus empregados e parceiros, ganham espaço na mídia, conquistam e fidelizam clientes, conseguem a simpatia do público, obtém a adesão e o apoio dos seus acionistas e estreitam seus relacionamentos com o governo e a sociedade." (p. 8)

Comentários