Avaliação do Ciclo de Vida do Produto Aplicado a Biopolímeros II

Avaliação do Ciclo de Vida do Produto Aplicado a Biopolímeros II

(Parte 1 de 3)

© Esse material Esse material é de propriedade da Polilab Consultoria de propriedade da Polilab Consultoria --

Reproduzir somente com permissão Reproduzir somente com permissão

•Avaliação do Ciclo de Vida do Produto •Aplicado a Biopolímeros

Avalia Avaliaçç ão do Ciclo de Vida do Produto ão do Ciclo de Vida do Produto

Aplicado a Biopol Aplicado a Biopolíí meros meros ferramenta para a sustentabilidade ferramenta para a sustentabilidade ferramenta para a sustentabilidade

Universidade Federal de São João Universidade Federal de São João del del--

Rei Rei

I Semana de Engenharia do Campus Alto I Semana de Engenharia do Campus Alto

Paraopeb a Paraopeb a -- I SECAP I SECAP

03 e 04 de setembro de 2014 03 e 04 de setembro de 2014

Ouro Branco Ouro Branco -- MG MG

Mó dulo I dulo I

© Esse material Esse material é de propriedade da Polilab Consultoria de propriedade da Polilab Consultoria --

Reproduzir somente com permissão Reproduzir somente com permissão

Avalia Avaliaçç ão dos Impactos ão dos Impactos

Principais categorias de impacto Principais categorias de impacto

Consumo de recursos naturais Consumo de recursos naturais

Consumo de energia Consumo de energia

Efeito estufa Efeito estufa

Acidifica Acidificaçç ão ão

Toxicidade humana Toxicidade humana

Ecotoxicidade Ecotoxicidade

Eutrofica Eutroficaçç ão ou Eutrofiza ão ou Eutrofizaçç ão ão

Fu ma Fu maçç a fotoqu a fotoquíí mica oxidante mica oxidante

Redu Reduçç ão da camada de ozônio ão da camada de ozônio

Inter pret a Inter pret açç ão da Avalia ão da Avaliaçç ão do Ciclo de Vida ão do Ciclo de Vida

3 3 --

Softwares para uso na ACV Softwares para uso na ACV

4 4 --

Li mita Li mitaçç ões da AICV ões da AICV

5 5 --

Demandas para a ACV Demandas para a ACV

Conte Conteúú do do

© Esse material Esse material é de propriedade da Polilab Consultoria de propriedade da Polilab Consultoria --

Reproduzir somente com permissão Reproduzir somente com permissão

Principais impactos ambientais Principais impactos ambientais

© Esse material Esse material é de propriedade da Polilab Consultoria de propriedade da Polilab Consultoria --

Reproduzir somente com permissão Reproduzir somente com permissão

© Esse material Esse material é de propriedade da Polilab Consultoria de propriedade da Polilab Consultoria --

Reproduzir somente com permissão Reproduzir somente com permissão

Categorias de impacto e Categorias de impacto e endpoints endpoints associados associados

Impactos Globais Impactos Globais

Aquecimento Global Aquecimento Global

Derretimento da calota polar, umidade do solo, temporadas de Derretimento da calota polar, umidade do solo, temporadas de colheitas mais longas, perda de floresta, mudan colheitas mais longas, perda de floresta, mudançç a de correntes clim a de correntes climáá ticas no oceano; ticas no oceano;

Destrui Destruiçç ão da camada de Ozônio ão da camada de Ozônio

Quebra da barreira de prote Quebra da barreira de proteçç ão UV, aumento radia ão UV, aumento radiaçç ão; ão;

Esgotamento de recursos naturais Esgotamento de recursos naturais

Decr Decréé scimo dos recursos para gera scimo dos recursos para geraçç ões futuras. ões futuras.

Impactos Regionais Impactos Regionais

Nevoa fotoqu Nevoa fotoquíí mica mica Né voa, perda de visibilidade, irrita voa, perda de visibilidade, irritaçç ão olhos, problemas respirat ão olhos, problemas respiratóó rios, rios, danos danos à vegeta vegetaçç ão. ão.

Acidifica Acidificaçç ão ão

Corrosão pr Corrosão préé dios, acidifica dios, acidificaçç ão da ão da á gua, efeitos na vegeta gua, efeitos na vegetaçç ão, efeito no solo; ão, efeito no solo;

Sa Saúú de Humana de Humana

Incremento de mortalidade e de doen Incremento de mortalidade e de doençç as. as.

Principais impactos ambientais Principais impactos ambientais

© Esse material Esse material é de propriedade da Polilab Consultoria de propriedade da Polilab Consultoria --

Reproduzir somente com permissão Reproduzir somente com permissão

Categorias de impacto e Categorias de impacto e endpoints endpoints associados associados

Impactos Locais Impactos Locais

Sa Saúú de humana de humana

Aumento na mortalidade e morbidade. Aumento na mortalidade e morbidade.

Toxidade do solo Toxidade do solo

cola e da biodiversidade,
cola e da biodiversidade,

Di minui Di minuiçç ão da produ ão da produçç ão agr ão agríí di minui di minuiçç ão da ca ão da caçç a (cadeia de alimenta a (cadeia de alimentaçç ão) e o turismo ecol ão) e o turismo ecolóó gico. gico.

Toxidade da Toxidade da á gua gua

Di minui Di minuiçç ão de plantas aqu ão de plantas aquáá ticas e ticas e ña biodiversidade, biodiversidade, di minui di minuiçç ão da pesca comercial e no turismo ecol ão da pesca comercial e no turismo ecolóó gico e pesca esportiva. gico e pesca esportiva.

Eutrofiza Eutrofizaçç ão ão

Nutrientes descompensados ( f Nutrientes descompensados ( fóó sforo e nitrogênio) levam a lagos, sforo e nitrogênio) levam a lagos, estu estuáá rios, e rios de baixo fluxo a ter crescimento excessivo de algas rios, e rios de baixo fluxo a ter crescimento excessivo de algas e plantas e e plantas e redu reduçç ão do oxigênio na ão do oxigênio na á gua ( gua ( oxygen oxygen depletion depletion ).

Uso da terra Uso da terra

Perda do habitat natural de esp Perda do habitat natural de espéé cies selvagens e diminui cies selvagens e diminuiçç ão do ão do espa espaçç o o ú til. til.

Uso da Uso da á gua gua

Perda do uso de Perda do uso de á gua pot gua potáá vel do len vel do lençç ol fre ol freáá tico e de superf tico e de superfíí cie. cie.

Principais impactos ambientais Principais impactos ambientais

© Esse material Esse material é de propriedade da Polilab Consultoria de propriedade da Polilab Consultoria --

Reproduzir somente com permissão Reproduzir somente com permissão

Consumo de recursos naturais Consumo de recursos naturais

Consumo de energia Consumo de energia

Efeito estufa Efeito estufa --

Global Global

War ming War ming

Acidifica Acidificaçç ão ão

Toxicidade humana Toxicidade humana

Eutrofica Eutroficaçç ão ão

Foto Foto-- oxida oxidaçç ão ão

Des trui Des truiçç ão da camada de ozônio ão da camada de ozônio

Principais categorias de impactos ambientais Principais categorias de impactos ambientais

© Esse material Esse material é de propriedade da Polilab Consultoria de propriedade da Polilab Consultoria --

Reproduzir somente com permissão Reproduzir somente com permissão

Principais impactos ambientais Principais impactos ambientais

© Esse material Esse material é de propriedade da Polilab Consultoria de propriedade da Polilab Consultoria --

Reproduzir somente com permissão Reproduzir somente com permissão

Recursos naturais Recursos naturais

Energia das mar Energia das maréé s: Pode ser obtida da varia s: Pode ser obtida da variaçç ão do n ão do níí vel da vel da á gua dos gua dos oceanos (energia potencial) para obten oceanos (energia potencial) para obtençç ão de energia mecânica. ão de energia mecânica.

Energia solar: Energia radiante do sol, pode ser usada para aqu Energia solar: Energia radiante do sol, pode ser usada para aqu ecimento de ecimento de á gua e gera gua e geraçç ão de energia el ão de energia eléé trica por meio de c trica por meio de céé lulas fotoel lulas fotoeléé tricas. tricas.

Biog Biogáá s: s: É a energia que pode ser obtida do g a energia que pode ser obtida do gáá s natural resultante da s natural resultante da dec o mposi dec o mposiçç ão anaer ão anaeróó bica de compostos orgânicos. bica de compostos orgânicos.

Bico mbust Bico mbustíí vel: Material obtido pela fermenta vel: Material obtido pela fermentaçç ão e decomposi ão e decomposiçç ão anaer ão anaeróó bica bica de v de váá rios tipos de biomassa. rios tipos de biomassa.

• • Gá s hidrogênio: Combust s hidrogênio: Combustíí vel gasoso produzido por processos vel gasoso produzido por processos elet roqu elet roquíí micos, a partir da eletrolise da micos, a partir da eletrolise da á gua. gua.

Recursos renov Recursos renováá veis veis

© Esse material Esse material é de propriedade da Polilab Consultoria de propriedade da Polilab Consultoria --

Reproduzir somente com permissão Reproduzir somente com permissão

Recursos não Recursos não-- renov renováá veis veis

Co mbust Co mbustíí veis f veis fóó sseis e seus derivados: São dep sseis e seus derivados: São depóó sitos naturais de petr sitos naturais de petróó leo, g leo, gáá s natural e carvão, s natural e carvão, que que é a energia solar armazenada na forma de energia qu a energia solar armazenada na forma de energia quíí mica, em dep mica, em depóó sitos geol sitos geolóó gicos formados gicos formados a milhões de anos a partir de decomposi a milhões de anos a partir de decomposiçç ão de vegetais e animais e submetidos a altas ão de vegetais e animais e submetidos a altas temperaturas e pressões na crosta terrestre. A partir da temperaturas e pressões na crosta terrestre. A partir daíí obtê m obtê m-- se produtos fracionados de se produtos fracionados de petr petróó leo, principalmente, como gasolina, leo, principalmente, como gasolina, ó leo diesel, querosene, etc.. leo diesel, querosene, etc..

Derivados sint Derivados sintéé ticos: ticos: Ó leo cru sint leo cru sintéé tico e g tico e gáá s natural sint s natural sintéé tico produzidos por liquefa tico produzidos por liquefaçç ão ou ão ou gaseifica gaseificaçç ão de carvão. ão de carvão.

Co mbust Co mbustíí veis nucleares: Urânio e T veis nucleares: Urânio e Tóó rio, encontrados em dep rio, encontrados em depóó sitos naturais que podem sofre sitos naturais que podem sofre fissão nuclear, o processo ocorre de maneira controlada que gera fissão nuclear, o processo ocorre de maneira controlada que gera l vapor para l vapor para acinonar acinonar uma turbina uma turbina e gerar eletricidade. e gerar eletricidade.

Fusão nuclear: Dois Fusão nuclear: Dois á tomos de elementos leves (is tomos de elementos leves (isóó topos de hidrogênio) se unem dando origem a topos de hidrogênio) se unem dando origem a um material mais pesado, que associado a alta energia um material mais pesado, que associado a alta energia provo me provo me gera geraçç ão de energia el ão de energia eléé trica. trica.

Dep Depóó sitos geot sitos geotéé rmicos confinados: Dep rmicos confinados: Depóó sito de vapor seco e sito de vapor seco e á gua quente em zonas subterrâneas. gua quente em zonas subterrâneas.

Recursos naturais Recursos naturais

© Esse material Esse material é de propriedade da Polilab Consultoria de propriedade da Polilab Consultoria --

Reproduzir somente com permissão Reproduzir somente com permissão

Crescimento populacional Crescimento populacional

Demanda de energia Demanda de energia

Fontes de energia Fontes de energia

Polui Poluiçç ão e gera ão e geraçç ão de res ão de resíí duos duos

Aspectos b Aspectos báá sicos da crise energ sicos da crise energéé tica tica

© Esse material Esse material é de propriedade da Polilab Consultoria de propriedade da Polilab Consultoria --

Reproduzir somente com permissão Reproduzir somente com permissão

© Esse material Esse material é de propriedade da Polilab Consultoria de propriedade da Polilab Consultoria --

Reproduzir somente com permissão Reproduzir somente com permissão

Fontes de energia Fontes de energia

Fonte: Introdução àEngenharia Ambiental -Fontes de energia:Miller (1985)

© Esse material Esse material é de propriedade da Polilab Consultoria de propriedade da Polilab Consultoria --

Reproduzir somente com permissão Reproduzir somente com permissão

Fontes de energia Fontes de energia

Fonte: Introdução àEngenharia Ambiental -Fontes de energia:Miller (1985)

© Esse material Esse material é de propriedade da Polilab Consultoria de propriedade da Polilab Consultoria --

Reproduzir somente com permissão Reproduzir somente com permissão

Fontes de energia Fontes de energia

Fonte: Introdução àEngenharia Ambiental -Fontes de energia:Miller (1985)

© Esse material Esse material é de propriedade da Polilab Consultoria de propriedade da Polilab Consultoria --

Reproduzir somente com permissão Reproduzir somente com permissão

Energia Energia --

O caso brasileiro O caso brasileiro

TEP = Tonelada Equivalente de Petróleo

© Esse material Esse material é de propriedade da Polilab Consultoria de propriedade da Polilab Consultoria --

Reproduzir somente com permissão Reproduzir somente com permissão

Matriz de Oferta de Energia Elétrica %GWh 2007

NUCLEAR 3 %

GÁS NATURAL 4 %

CARVÃO MINERAL 1 %

DERIVADOS DE PETRÓLEO 3 %

BIOMASSA (b) 3 %

GÁS INDUSTRIAL 1 %

I MPORTAÇÃO 8 %

(b) biomassa inclui 559 GWhde eólica em 2007

Energia Energia --

O caso brasileiro O caso brasileiro

© Esse material Esse material é de propriedade da Polilab Consultoria de propriedade da Polilab Consultoria --

Reproduzir somente com permissão Reproduzir somente com permissão

Estrutura da oferta de energia Estrutura da oferta de energia

Fonte: Resenha energética MME -2007

© Esse material Esse material é de propriedade da Polilab Consultoria de propriedade da Polilab Consultoria --

Reproduzir somente com permissão Reproduzir somente com permissão

Brasil Brasil --

Matriz energ Matriz energéé tica de transporte tica de transporte

© Esse material Esse material é de propriedade da Polilab Consultoria de propriedade da Polilab Consultoria --

Reproduzir somente com permissão Reproduzir somente com permissão

Matriz energ Matriz energéé tica de consumo final tica de consumo final

© Esse material Esse material é de propriedade da Polilab Consultoria de propriedade da Polilab Consultoria --

Reproduzir somente com permissão Reproduzir somente com permissão

Matriz energ Matriz energéé tica tica --

I mportância I mportância

Como j Como jáá foi dito, a importância das defini foi dito, a importância das definiçç ões de dados para a ões de dados para a matriz energ matriz energéé tica e seus resultados e impactos são fundamentais tica e seus resultados e impactos são fundamentais para um bom desempenho e confian para um bom desempenho e confiançç a de dados em um estudo de a de dados em um estudo de

ACV e na AICV. ACV e na AICV.

A maioria dos softwares possuem um banco de dados baseados em A maioria dos softwares possuem um banco de dados baseados em matrizes europ matrizes européé ias, americanas ou asi ias, americanas ou asiáá ticas, devendo, quando for ticas, devendo, quando for ser analisado no estudo envolvendo condi ser analisado no estudo envolvendo condiçç ões brasileiras de ões brasileiras de energia, sempre que poss energia, sempre que possíí vel atualizar os dados. vel atualizar os dados.

Quando são assumidos os dados envolvidos como sendo de Quando são assumidos os dados envolvidos como sendo de qualquer das matrizes mencionadas, deve ser informado e deixar qualquer das matrizes mencionadas, deve ser informado e deixar isso claramente definido. isso claramente definido.

© Esse material Esse material é de propriedade da Polilab Consultoria de propriedade da Polilab Consultoria --

Reproduzir somente com permissão Reproduzir somente com permissão

Categorias de impacto Categorias de impacto

© Esse material Esse material é de propriedade da Polilab Consultoria de propriedade da Polilab Consultoria --

Reproduzir somente com permissão Reproduzir somente com permissão

Visão esquem Visão esquemáá tica dos componentes do sistema clim tica dos componentes do sistema climáá tico, seus processos e intera tico, seus processos e interaçç ões ões

(Parte 1 de 3)

Comentários