Criado e Desenvolvido por:

Todos os direitos são reservados ©2014. w.tioronni.com.br

Apresentam-se amplamente distribuídos pelo corpo humano.

Unem e sustentam outros tecidos.

Dão suporte e sustentam todos os tecidos epiteliais.

Formam a derme da pele.

São quase sempre vascularizados, o que garante a nutrição e a oxigenação das células conjuntivas e epiteliais.

O tecido conjuntivo cartilaginoso não é vascularizado.

TENDINOSO ou MODELADO

FIBROSO ou NÃO-MODELADO

CARACTERÍSTICAS GERAIS FONTE: http://aessenciadaciencia.blogspot.com/2010/08/3-fase.html

Está presente em diversas partes do corpo; Dá sustentação aos tecidos epiteliais;

Preenche os espaços entre tecidos e órgãos

FONTE: http://www.teliga.net

TECIDO CONJUNTIVO FROUXO Possui diversos tipos de células:

Fibroblasto Célula

mesotelial

Adipócito Condroblastos

Condrócitos Osteócito

Célula endotelial

Osteoblastos

Célula mesenquimal indiferenciada

São as células mais abundantes nos tecidos conjuntivos. Têm forma estrelada e núcleo grande.

Possui Retículo Endoplasmático Rugoso e Complexo Golgiense bem desenvolvidos.

São responsáveis pela produção das fibras proteicas e da substância fundamental amorfa que compõem a matriz extracelular.

Quando adultos, adquirem forma ovalada e passam a se chamar fibrócitos.

Colágenas – Elásticas – Reticulares. FIBRAS COLÁGENAS: são constituídas de colágeno – a proteína mais abundante em nosso corpo (¼ de todas as nossas proteínas). São conhecidos 15 tipos de colágeno.

No tecido conjuntivo denso tendinoso, as fibras colágenas estão orientadas lado a lado, apresentam alto grau de compactação, o que confere aos tendões grande resistência e pouca elasticidade.

A gelatina que utilizamos em diversos produtos alimentícios é constituída por moléculas de colágeno obtidas de tendões e cartilagens de gado bovino.

A falta de vitamina C diminui a produção de colágeno, acarretando a perda de fibras nos tecidos conjuntivos que se tornam enfraquecidos.

São formadas por glicoproteínas e pela proteína elastina.

Conferem elasticidade ao tecido conjuntivo, complementando a resistência das fibras colágenas.

São as fibras elásticas que permitem que a pele retorne à sua forma original, depois de esticada.

A pele perde elasticidade à medida em que envelhecemos porque as fibras elásticas se agregam e formam fibras mais grossas – menos elásticas.

São constituídas por um tipo especial de colágeno e são mais finas que as outras fibras.

Ocorrem em abundância nos órgãos que têm relação com o sangue, como a Medula Óssea Vermelha, o Baço e os Linfonodos.

FIBROBLASTOS: Cicatrização

Participam ativamente do processo de CICATRIZAÇÃO de ferimentos.

Eles migram para a região da pele ferida e tornam-se hipertrofiados, passando a produzir grande quantidade de substância amorfa e fibras.

Cicatriz de cirurgia abdominal (laparotomia). Na porção superior, em forma de cruz, observa-se uma cicatrização tendendo a ser quelóide, enquanto no segmento inferior assume o aspecto típico de uma cicatriz hipertrófica.

Os fibroblastos se reúnem, se modificam e adquirem a capacidade de se contrair, o que fecha a lesão.

Ao final do processo, a cicatriz contém apenas fibrócitos inativos originados dos fibroblastos, fibras compactadas e uns poucos vasos sangüíneos em processo de atrofiamento.

São células grandes com forma amebóide originadas pela diferenciação de um tipo de glóbulo branco do sangue (o monócito).

Elas Fagocitam ou Pinocitam restos de células mortas ou agentes infecciosos que penetraram no corpo.

São os macrófagos que participam da regressão da mucosa uterina, tanto na menstruação, quanto após o parto, englobando e digerindo restos de fibras e células.

São células globosas, com núcleo central esférico e citoplasma repleto de grânulos.

Acumulam Heparina e Histamina.

HEPARINA = possui propriedades anticoagulantes.

HISTAMINA = resulta da modificação do aminoácido histidina, é o principal agente ativo dos processos alérgicos e inflamatórios; é um vasodilatador.

Quando agentes infecciosos invadem os tecidos e desencadeiam uma inflamação, os mastócitos liberam histamina, que aumenta o fluxo de sangue e drenagem no local inflamado, facilitando o acesso aos macrófagos.

São reações alérgicas.

O mastócito é a principal célula responsável por essa reação.

Ao entrar em contato com o alérgeno (substância estranha) os mastócitos são estimulados a se ligar à eles e liberam grande quantidade de histamina.

Se os alérgicos entrarem diretamente na corrente sanguínea da pessoa, a reação anafilática pode ter grande amplitude, sendo chamada Choque Anafilático.

A histamina, liberada em grande quantidade no sangue, é a principal responsável pelos sintomas do choque anafilático: taquicardia, queda da pressão arterial, inchaço na glote (laringe), diarréia, vômitos, etc.

Pode levar a morte e deve ser tratado imediatamente com injeções de Adrenalina (substância que combate os efeitos da histamina).

Picadas de Insetos; Ingestão de alimentos; Rinite, Conjuntivite, etc.

São células ovoides, com núcleo esférico.

São especializadas em produzir Imunoglobulinas, que constituem os anticorpos.

Os anticorpos também participam de mecanismos de defesa do corpo combatendo substâncias estranhas ou microrganismos que penetram nos tecidos.

Sintetizam substâncias lipídicas e as armazenam em um vacúolo central, fazendo com que o citoplasma e o núcleo se desloquem para a periferia da célula.

São de forma arredondada.

As células adiposas não se dividem.

São células alongadas, dotadas de alta capacidade de multiplicação e de diferenciação.

É originária do mesoderma (tecido embrionário).

São células Multipotentes – capazes de originar diferentes células dos tecidos conjuntivos: Fibroblastos, Células Adiposas, Condroblastos (células do tecido cartilaginoso), Osteoblastos (células do tecido ósseo).

Recentemente, conseguiu-se obter células mesenquimatosas indiferenciadas em laboratório, a partir da Células-Tronco (células multipotentes) presentes na Medula Óssea Vermelha.

É mais consistente que o frouxo, mas não tem forma definida;

Há fibras entrelaçadas que lhe conferem resistência e elasticidade;

Acompanha a forma do órgão do qual faz parte;

Constitui as cápsulas envoltórias de diversos órgãos internos: rins, baço, fígado e testículos.

Possui fibras grossas orientadas paralelamente, o que o torna bastante resistente e pouco elástico;

Constitui os tendões e os ligamentos.

Comentários