Relatorio final de estagio SUS

Relatorio final de estagio SUS

UNIVERSIDADE PRESIDENTE ANTÔNIO CARLOS-UNIPAC

INSTITUTO DE BIOCIÊNCIAS – INBIO

CURSO DE GRADUAÇÃO EM FARMÁCIA – Campus Barbacena

relatorio final de estágio curricular supervisionado I:

Farmácia privativa - SUS

ELISABETH RODRIGUES CAMPOS LIMA

BARBACENA

2016

ELISABETH RODRIGUES CAMPOS LIMA

relatorio final de estágio curricular supervisionado I:

Farmácia privativa - SUS

Relatório final de estágio apresentado como parte dos requisitos para graduação no curso de Farmácia da Universidade Presidente Antônio Carlos – UNIPAC.

Local de realização do estágio: UBS Vilela

Endereço: Rua Francisco José de Oliveira Leite, S/N.

Bairro Vilela – Barbacena - MG

Período de estágio: 26/04/2016 a 01/07/2016

Supervisor de estágio: Ane Caroline de Paula Villanova - CRF/MG: 21772

Cargo: Farmacêutica

Formação: Farmacêutica Bioquímica

Assinatura do (a) supervisor (a) de estágio

BARBACENA

2016

SUMÁRIO

1 INTRODUÇÃO ___________________________________________________________4

2 HISTÓRICO _____________________________________________________________ 6

3 ATIVIDADES DESENVOLVIDAS ___________________________________________7

4 DISCIPLINAS DO CURSO E O ESTÁGIO REALIZADO _________________________9

5 DIFICULDADES ENCONTRADAS E SUGESTÕES ____________________________ 9

6 CONCLUSÃO __________________________________________________________ 10

7 REFERENCIAS_________________________________________________________ 11

1 INTRODUÇÃO

As Unidades Básicas de Saúde (USB) são locais onde o atendimento oferecido é de atenção primária de saúde aos indivíduos e familiares, onde não se limita apenas ao Pronto Atendimento e também pelas seguintes ações de caráter preventivo e curativo através do diagnóstico e tratamento, cuidados de reabilitação e medidas de promoção da saúde.

A instituição se organiza e se divide nas especialidades médicas, Pré Natal, vacinação, agendamento e informações, farmácia, exames laboratoriais, enfermaria e acompanhamento de hipertensos e diabéticos.

O presente relatório descreve alguns aspectos relacionados ao Sistema Único de Saúde (SUS) no que diz respeito ao papel do farmacêutico diante desse complexo sistema, bem como os conhecimentos adquiridos e atividades desenvolvidas durante o estágio.

A assistência farmacêutica caracteriza-se como um conjunto de ações relacionadas à dispensação de medicamentos, enfatizando a orientação com o objetivo de contribuir para o sucesso da terapêutica.

Por meio da assistência farmacêutica, o farmacêutico torna-se co-responsável pela qualidade de vida do paciente. O farmacêutico é o profissional que melhores condições reúne para garantir a qualidade de um medicamento, pois tem a sua formação dirigida ao medicamento. Sem o farmacêutico, todo o programa de assistência farmacêutica resultaria, inevitavelmente, em má qualidade.

A dispensação é um ato profissional farmacêutico de fornecimento ao usuário de medicamentos, insumos farmacêuticos e correlatos, no qual também são prestadas informações para o uso correto de medicamentos e correlatos, com base em parâmetros farmacocinéticos , farmacodinâmicos e epidemiológicos.

A dispensação é realizada a partir do software FLY, que trabalha online e interliga todas as Unidades Básicas de Saúde (USB). Nesse sistema cada paciente tem o seu próprio cadastro. A dispensação ocorre mediante a apresentação da receita formulada pelos médicos. Os atendentes da farmácia fazem uma triagem dos medicamentos prescritos e dão baixas dos mesmos no sistema, atentando quanto às informações contidas no receituário, como dosagem e duração do tratamento.

Para ter acesso aos medicamentos, os usuários devem possuir cartão SUS e apresentarem receituário médico ou odontológico emitidos nos serviços de saúde.

Os medicamentos controlados ficam em um armário específico, o mesmo é trancado tendo somente o farmacêutico a posse da chave e a responsabilidade de efetuar a dispensação desses medicamentos. A receita dos mesmos é retida na farmácia e na mesma anotada algumas informações tais como: nome do paciente, o seu endereço, telefone, número da identidade e informações sobre o medicamento como: nome, concentração, lote, validade, data de dipensação e assinatura do farmacêutico.

Para os antibióticos, a farmácia só retém a segunda via da receita, a primeira é entregue ao paciente. Em seu verso são escritos alguns dados do medicamento como: nome, concentração, lote, data de validade, data da dispensação e assinatura do farmacêutico. Essa classe de medicamentos é também dispensada pelo farmacêutico.

Uma informação importante que deve ser observada é a data de emissão da receita, pois não se podem dispensar os medicamentos principalmente os controlados após 30 trintas dias da data de emissão. Já para os antibióticos, esse prazo é de 10 dias.

As receitas são arquivadas na farmácia. As dos medicamentos controlados além de serem arquivadas tem seus dados levados para um livro de controle (Livro de Registro especial) onde são anotados os dados referentes tanto a entrada quanto a saída dos medicamentos. O preenchimento do mesmo também é de responsabilidade do farmacêutico.

O controle e gerenciamento do estoque é também umas das atividades realizadas pelo farmacêutico e é muito importante. O farmacêutico deve estar atento as condições de armazenamento dos medicamentos, como temperatura, umidade, distância do solo e das paredes. Outro ponto importante que deve ser constantemente monitorizado é a data de validade dos fármacos e produtos, para não permitir que eles passem do prazo de validade e que sejam dispensados a população.

2 HISTÓRICO

O Estágio Curricular Supervisionado Obrigatório I, desenvolveu-se na Farmácia Básica da UBS do bairro Vilela da cidade de Barbacena-MG.

Inaugurada no ano de 1996 em Barbacena, a Farmácia Básica funcionou durante um bom tempo no Hospital Escola que se localiza no mesmo bairro. A partir do dia 31 de maio de 2016, foi reinaugurada, num novo espaço, localizando-se no mesmo bairro, porém agora é na Rua Francisco José de Oliveira Leite S/N.

Seu setor é composto por 2 funcionários contratados, incluindo um farmacêutico responsável pela administração da farmácia. As atividades da Farmácia Básica são direcionadas a liberação de alguns medicamentos essenciais que são estabelecidos pela REMUME (Relação Municipal de Medicamentos). Os pacientes atendidos apresentam na maioria problemas relacionados com hipertensão, diabetes e coração, mas há também medicamentos para o alívio de outros sintomas.

O REMUME existe desde 1993 e, daquela época até a atual gestão do Ministério, muitas inclusões e exclusões foram realizadas. A política de medicamentos excepcionais segue a Portaria n° 2577 de 27 de outubro de 2006 que orienta sobre a abertura de processos, dispensação de medicamentos, controle de estoque e o financiamento para aquisição dos medicamentos que fazem parte do programa. A compra de medicamentos é de responsabilidade do Ministério da Saúde e dos Estados, conforme pactuação na Comissão Intergestores Tripartide.

São abrangidos pelo Programa de Medicamentos excepcionais, aqueles medicamentos de elevado valor unitário, ou pela cronicidade do tratamento, se tornam excessivamente caros para serem pagos pela população. Essa política abrange todas as classes sociais, uma vez que se não fossem distribuídos gratuitamente seriam acessíveis a poucas pessoas, por se tratarem na maioria das vezes de medicamentos caros de uso prolongado ou para a vida toda. O Sistema Único de Saúde (SUS) assegura medicamento para tratamento de algumas doenças, como insuficiência renal crônica, tratamento de hemodiálise, hepatite C, hemofilia, pacientes submetidos a transplantes, esclerose múltipla, anemia falciforme, psoríase, puberdade precoce e quimioterapias em caso de câncer. Depois de fazer todos os procedimentos, exames, consultas, e esclarecida a doença na unidade de saúde de referência, o usuário será cadastrado no programa de medicamentos excepcionais na gerência de insumos do SUS e entrará na agenda de recebimento deste tipo de medicamento.

3 ATIVIDADES DESENVOLVIDAS

O estágio foi uma oportunidade de entrar em contato com o mercado de trabalho, de forma a complementar e aperfeiçoar as competências sócio-profissionais através de uma ligação entre o sistema educativo e o contato direto com as atividades realizadas pelo Farmacêutico na Farmácia Básica. Sendo as atividades desenvolvidas listadas a seguir:

  • Conheceu-se o programa de Assistência Farmacêutica e como os medicamentos são distribuídos aos pacientes em geral;

  • Conhecimento das classes de medicamentos disponíveis no estabelecimento e divisão de armazenamento dos mesmos: breve explicação sobre os mecanismos de ação dos principais fármacos (antibióticos, anticoncepcionais, antiinflamatórios, etc) e entendimento de como são armazenados os medicamentos de atenção básica (ordem alfabética), bem como os medicamentos da Portaria 344/98 e antibióticos que são devidamente separados;

  • Análise de receitas: cada paciente traz consigo a prescrição para busca de medicamento, com isso analisa-se data da prescrição, carimbo e assinatura do profissional, medicamento e as devidas dosagens e quantidades. Prescrição de medicamentos de uso contínuo (hipertensão, diabetes, anticoncepcionais, entre outros) tem validade por 6 meses a partir da data prescrita e com isso o paciente poderá pegar medicação com a mesma receita por 6 meses, prescrição de medicamentos constados na Portaria 344/98 tem validade por 30 dias a partir da data prescrita e a receita vale somente uma vez, prescrição de antibióticos tem validade de 10 dias a partir da data prescrita e a receita vale somente uma vez, prescrição de medicamentos de uso agudo (antialérgicos, antiinflamatórios, analgésicos, etc) tem validade de 30 dias e a receita vale somente uma vez. Deve-se ter atenção nessa análise para não dispensar medicamento para receita vencida;

  • Documentação necessária para retirada de medicamento: o paciente quando for buscar o medicamento, além de estar com a prescrição em dia deve também levar consigo seus documentos. Prescrição de medicamentos de uso contínuo e de uso agudo, o paciente deverá apresentar seu documento com foto e o cartão do SUS. Prescrição de medicamentos constados na Portaria 344/98 deverá apresentar documento com foto, CPF e cartão do SUS. Para entrega de medicamento para terceiros, deverá apresentar os documentos do paciente descrito na receita e os documentos da pessoa que está retirando o medicamento, além disso para retirada de medicamentos da Portaria 344/98 deverá levar uma autorização escrita de próprio punho pelo paciente caso a pessoa não tenha nenhum parentesco com ela;

  • Dispensação com retenção de receitas: todas as receitas devem vir com 1ª e 2ª vias. A 1ª via de receitas de uso contínuo quando apresentadas pela primeira vez na farmácia são retidas com a devida assinatura de quem está retirando (paciente ou terceiros), a 2ª via fica com o paciente para as próximas retiradas (válidas por 6 meses da data da prescrição), no verso da 2ª via são carimbadas as próximas datas de retirada (30 dias). Para receitas de medicamentos controlados e antibióticos, retém-se a 1ª via com preenchimento no verso os dados do paciente (Nome, CPF, telefone, endereço, medicamento, dosagem e quantidade, data de retirada) e assinatura de quem está retirando (paciente ou terceiros) e a 2ª via destes ficam com o paciente. Para receitas de medicamentos de uso agudo, retém-se a 1ª via com assinatura de quem está retirando (paciente ou terceiros) e a 2ª via fica com o paciente, sem validade para retorno;

  • Utilização do sistema online Fly saúde: nesse sistema tem-se o controle de cada paciente cadastrado, basta colocar o número do Fly e com isso faz-se as devidas consultas. Para registrar um medicamento retirado deve colocar o número do Fly do paciente (conferir com o nome do paciente), o nome do médico que fez a prescrição, o nome do medicamento com a quantidade e posologia, a data da prescrição da receita e a data da retirada, deve-se fazer o mesmo processo para todos os medicamentos dispensados, após isso, salva. Com isso, tem-se um controle de dispensação de medicamento para o paciente, o mesmo podendo ser retirado após 30 dias corridos. Nesse mesmo sistema tem-se controle das consultas do paciente, os medicamentos que ele mais administra, entre outros;

  • Higienização e organização das prateleiras: todos os medicamentos são armazenados em ordem alfabética; os medicamentos de atenção básica são armazenados juntamente em prateleiras abertas; os medicamentos pertencentes à Portaria 344/98 são armazenados em um armário com chave (que fica a poder do farmacêutico), separado dos demais e que é devidamente identificado; os antibióticos são armazenados em outro armário com chave, separado dos demais e devidamente identificado. É feita limpeza das prateleiras com pano úmido e álcool 2 vezes por semana, assim como os demais móveis da farmácia;

  • Retirada das prateleiras os medicamentos que estavam vencidos ou com prazo de validade próximo: toda semana verifica-se todos os medicamentos da farmácia quanto a data de validade, os medicamentos vencidos são recolhidos em saco plástico para descarte próprio;

  • Determinação de quais medicamentos estão em falta na farmácia: todo final de mês deve-se verificar os medicamentos que estão em falta para fazer o pedido, observando as quantidades dos que já tem (se precisa pedir mais), os medicamentos que mais são dispensados. Deve-se anotar os nomes e quantidades e no sistema Fly Saúde fazer o requerimento destes;

  • Atenção farmacêutica: informar ao paciente a quantidade dos medicamentos que ele está levando e orientar sobre a administração destes, tirar as possíveis dúvidas dos pacientes, orientar quanto ao uso indiscriminado de medicamentos, entre outros.

4 DISCIPLINAS DO CURSO E O ESTÁGIO REALIZADO

As aulas frequentadas na faculdade tiveram uma grande contribuição para melhores desenvolvimentos das atividades realizadas no estágio, bem como no entendimento de assuntos abordados no mesmo. As disciplinas de farmacologia, atenção farmacêutica foram necessárias para a identificação de um paralelo patologia x doenças e medicamentos correspondentes a estes, com mecanismos de ação, dosagens, posologia e reações adversas. A atenção farmacêutica é importante para uma boa orientação aos pacientes quanto ao uso correto dos medicamentos, melhores horários para administração, duração do tratamento medicamentoso, entre outros. Sendo assim conclui-se a importância relevante destas disciplinas para a realização do estágio.

5 DIFICULDADES ENCONTRADAS E SUGESTOES

As dificuldades encontradas no decorrer do estágio foram baseadas no desconhecimento de alguns medicamentos, alguns receituário com letras ilegíveis ou com nomenclaturas comerciais, uma vez que a unidade possui medicamento com nome do(s) princípio(s) ativo(s). Outro fato é que devido o estágio ter sido concluído em um momento onde alguns assuntos ainda não terem sido abordados em sala, surgiam dúvidas a respeito de alguns medicamentos, suas ações e indicações, porém essas dificuldades foram solucionadas com ajuda do Farmacêutico juntamente com pesquisas e estudos particulares sobre os medicamentos.

6 CONCLUSÃO

O sistema único de saúde (SUS) formado pelo conjunto de todas as ações e serviços de saúde prestados por órgãos e instituições públicas federais, estaduais e municipais, visando à prevenção, promoção e recuperação da saúde de inúmeros usuários em todo o país, ainda vem passando por diversas transformações com o objetivo de melhoras para o sistema. Mas tudo está encaminhando para uma atividade efetiva onde todos poderão contar.

A assistência farmacêutica prestada no SUS é de grande relevância visto que muitos pacientes saem do consultório medico sem saber como e quando administrar o medicamento por falta de orientação. Um sistema trabalhando em conjunto promove ainda mais a saúde e bem estar da população brasileira.

7 REFERENCIAS BIBLIOGRAFICAS

1 - BRASIL. Constituição Federal, de 5 de outubro de 1988. Lei nº 8.080. Dispõe sobre as condições para a promoção, proteção e recuperação da saúde, a organização e o funcionamento dos serviços correspondentes e dá outras providências. Diário Oficial da União, 20 set. 1990.

2 - PENSE SUS. Disponível em: <http://pensesus.fiocruz.br/sus>. Acesso em 1 de setembro de 2015.

3 - BRASIL. Ministério da Saúde. Relação nacional de medicamentos essenciais : Rename. Ministério da Saúde, Secretaria de Ciência, Tecnologia e Insumos Estratégicos, Departamento de Assistência Farmacêutica e Insumos Estratégicos. – 5. ed. – Brasília : Editora do Ministério da Saúde, 2007. 286 p.: il. – (Serie B. Textos Básicos de Saúde).

________________________________________________________

Elisabeth Rodrigues Campos Lima

Estagiária

Ane Caroline de Paula Villanova

CRF/MG: 21772

Farmacêutica

(Supervisora)

9

Comentários