Prática de pesquisa em administração de sistema de informação

Prática de pesquisa em administração de sistema de informação

(Parte 1 de 3)

Prática de Pesquisa em Administração de Sistema de Informação

José Elber Marques Barbosa Alice Inês Guimarães Araújo Elaine Cristina Batista de Oliveira Jimmy de Almeida Léllis Maria de Fátima Silva Oliveira Maria Luiza da Costa Santos Vilma Sousa Ismael da Costa

Prática de Pesquisa em Administração de Sistema de Informação

José Elber Marques Barbosa Alice Inês Guimarães Araújo

Elaine Cristina Batista de Oliveira

Jimmy de Almeida Léllis

Maria de Fátima Silva Oliveira Maria Luiza da Costa Santos Vilma Sousa Ismael da Costa

© 2012 Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Paraíba - IFPB.

Nenhuma parte desta publicação pode ser reproduzida por qualquer meio, sem a prévia autorização do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Paraíba - IFPB.

Disponível tembém em: PDF.

Este livro faz parte do projeto TCIs na área de Gestão e Negócios que atende ao Edital Nº 015/2010 Capes/ Ded Fomento ao Uso das Tecnologias de Comunicação e Informação nos Cursos de Graduação.

Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Paraída - IFPB. Av. 1º de Maio, 720, Jaguaribe, João Pessoa - PB - CEP: 58.015-430, Fone: (083) 3208.3000 - Fax: (083) 3208.3088

Dilma Vana Roussef Aloizio Mercadante Oliva

João Batista de Oliveira Silva

Carlos Roberto de Almeida

Paulo de Tarso Costa Henriques Francisco Raimundo de Moreira Alves

Joabson Nogueira de Carvalho

Joselí Maria da Silva

Neilor César dos Santos Marcílio Carneiro Dias

Jimmy de Almeida Léllis

José Elber Marques Barbosa Lafayette Batista Melo

Rafael Xavier Leal

Erick de Moura Urbano

Hugo Fernando Vasconcelos de Melo Raquel Ribeiro Diniz

PROJETO TCIs NA ÁREA DE GESTÃO E NEGÓCIOS EQUIPE TÉCNICA

Dados Internacionais de Catalogação na Publicação – CIP Biblioteca Nilo Peçanha - IFPB

informação / José Elber Marques Barbosa... [et al.].

P912Prática de pesquisa em administração de sistema de - João Pessoa: IFPB, 2012. 73p.: il. ISBN 978-85-63406-21-7

1. Pesquisa científica. 2. Prática de pesquisa. 3.

Guimarães. I. Oliveira, Elaine Cristina Batista de. IV.
Léllis, Jimmy de Almeida. V. Oliveira, Maria de Fátima
Silva. VI. Santos, Maria Luiza da Costa. VII. Costa, Vil-
ma Sousa Ismael da.

Pesquisa – administração de sistema de informação I. Barbosa, José Elber Marques. I. Araújo, Alice Inês CDU 001.891

Olá prezado pesquisador!!

É com grande satisfação que vamos iniciar o nosso diálogo sobre a montagem do projeto de pesquisa em Administração de Sistemas de Informação. É certo que, em períodos anteriores, você já teve a oportunidade de conhecer e praticar a arte da pesquisa em outras áreas da Ciência da Administração. Nesta unidade curricular não será diferente. Vamos crescer juntos, entendendo, compreendendo, aprendendo e aprendendo a aprender.

Na primeira unidade deste componente curricular, foi realizada uma revisão temática horizontal do conteúdo, em que se buscou nivelar o conhecimento a partir de estudos de textos, análise de artigos e, também, por meio de experiências pessoais.

Nesta segunda unidade, enfocaremos o projeto de pesquisa com este módulo. Ele, que tem o objetivo de ser um ingrediente a mais no seu processo de formação e de capacitação para o mercado de trabalho na área de Administração de Sistemas de Informação, foi dividido em sete partes. As partes-componentes equivalem a 20% da carga-horária do componente curricular e estão sequenciadas em:

Aula 1 – DEFINIÇÃO DO PROBLEMA DE PESQUISA OU OPORTUNIDADE Aula 2 – DEFINIÇÃO DOS OBJETIVOS DE PESQUISA Aula 3 – ELABORAÇÃO DA JUSTIFICATIVA Aula 4 – PERSPECTIVAS DA FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICA Aula 5 – ASPECTOS METODOLÓGICOS DA PESQUISA Aula 6 – ANÁLISE E INTERPRETAÇÃO DOS DADOS Aula 7 – REFERÊNCIAS

Portanto, neste módulo estão contidas as diretrizes gerais para a realização de atividades de pesquisa com direcionamento aos temas da Administração de Sistemas de Informação.

Cada aula se apresenta logicamente sistematizada para facilitar o seu aprendizado e compreensão do assunto, distribuída em CONCEITOS, COMO FAZER, EXEMPLOS, ESPAÇO PARA EXERCÍCIOS, LEITURA COMPLEMENTAR e ESPAÇO REVER.

Em alguns momentos, no decorrer do texto, você encontrará alguns balões. Eles têm o objetivo de promover um diálogo entre você e o seu orientador.

Vamos sistematizar os dados, organizar as informações, aplicar o conhecimento, dividir a inteligência e solidificar a sabedoria. Tudo isso sedimentado na experiência.

Sucesso!! O autor.

1 Definição do problema ou oportunidade

Toda pesquisa se inicia com algum tipo de problema ou indagação. Então, veja!

a produtividade

Como aumentar no trabalho?

Nesta primeira aula, você verá como o problema se configura para a pesquisa e sua relevância para o desenvolvimento da prática de pesquisa.

“Problema é uma questão não solvida e que é objeto de discussão, em qualquer domínio do conhecimento”.

No contexto de Prática de Pesquisa em Administração, essa definição cai como uma luva, porque se caracteriza como um problema científico.

Um problema é de natureza científica quando envolve variáveis que podem ser tidas como testáveis. Veja alguns exemplos.

“Em que medida o nível de escolaridade permite a inserção do profissional no mercado de trabalho?”

Numa seleção, quais técnicas de dinâmica de grupo facilitam a percepção do bom candidato para o cargo?

Todos esses problemas envolvem variáveis suscetíveis de observação ou de manipulação, as quais podem estar, ou não, relacionadas entre si.

O problema pode ser determinado por razões de ordem prática ou de ordem intelectual. Em projetos de prática profissional, o ponto de partida da investigação é limitado a problemas específicos de gestão das organizações. Já em projetos de pesquisa científica, nosso caso, pode originar-se de debates acadêmicos ou ter seu ponto de partida em problemas práticos.

Num tô entendendo direito. Poderia explicar melhor?

Claro, veja bem!

Para definir um problema organizacional, parte-se de quatro itens principais: a caracterização da empresa e seu ambiente, a situação problemática, a definição dos objetivos e a justificativa do projeto.

Neste momento, iremos nos ater aos dois primeiros pontos; os demais serão abordados nas próximas aulas.

Definição do problema ou oportunidade

Toda organização tem uma história, apresenta antecedentes que ajudam a entender uma situação problemática, como data de fundação, modificações em sua natureza jurídica ou propriedade. Além disso, é conveniente dimensionar sua nacionalidade, número de estabelecimentos, filiais, subsidiárias e tamanho da organização, medido, por exemplo, por meio do faturamento ou número de funcionários. Outro dado fundamental diz respeito à linha de produtos ou serviços da organização.

A organização está inserida em um contexto e este também deve ser mencionado, principalmente porque a maioria das mudanças organizacionais é provocada por fatores ambientais, como, por exemplo, mudanças de política governamental, mudanças no mercado de produtos, nos fatores de competitividade. Essas mudanças geram problemas ou oportunidades a serem exploradas em pesquisa científica.

b) SITUAÇÃO PROBLEMÁTICA

No contexto de prática de pesquisa em Administração, é utilizada, com maior frequência, a pesquisa aplicada na busca de se estabelecer uma conexão maior entre a teoria e a prática. Ou seja, no nosso âmbito de pesquisa científica, um problema pode ser uma situação não resolvida, mas também a identificação de oportunidades até então não percebidas pela organização.

De maneira geral, existem duas situações básicas para definição do problema. O quadro a seguir mostra caminhos para definição do problema. A SITUAÇÃO 1 apresenta o problema na visão do pesquisador e a SITUAÇÃO 2, na ótica da empresa.

SITUAÇÃO 1 (na visão do pesquisador) SITUAÇÃO 2 (na visão da empresa)

Interesse do alunoBusca de acesso às organizações

Exploração do ambiente (existência de dados; relevância do assunto para organizações, bibliografia, orientação)

Exploração de problemas e/ou oportunidades organizacionais

Busca de acesso às organizaçõesExploração (existência de bibliografia, possibilidades de orientação)

Negociação do projeto com a organização (disponibilidade de dados, definição de limites)

Negociação do projeto com a organização (disponibilidade de dados, definição de limites)

Quadro 1 - Caminhos para a definição do problema Fonte: ROESCH (2009, p.92)

Uma situação problema é difícil de ser definida, já que geralmente problemas são confundidos com causas. Uma técnica que auxilia na definição do problema é a técnica dos “cinco por quês”.

Para qualquer que seja o problema definido (por exemplo, declínio de vendas, reclamações dos clientes, absenteísmo de funcionários), busca-se mapear a problemática, indagando cinco vezes sucessivamente suas causas, o que pode ajudar na distinção entre sintomas e problemas.

Para o problema absenteísmo de funcionários, tem-se dois parâmetros.

Se o referencial não for estabelecido explicitamente, então ele se refere ao ao absenteísmo de funcionários em toda a empresa, o que passa a ser um problema típico da área de gestão de pessoas (setor). Mas, se o referencial é estabelecido num setor específico, por exemplo, no setor de arquivo de um tribunal, então o parâmetro de análise muda totalmente, porque, embora o foco esteja ainda na gestão de pessoas (área), o problema passa a ser do setor de arquivo da empresa.

Observe o exemplo no quadro 2, apresentado a seguir:

Definição do problema ou oportunidade

Absenteísmo de funcionários
Absenteísmo de funcionários

(Empresa como um todo) (Setor específico)

PRIMEIRO POR QUÊ: Por que está acontecendo o absenteísmo de funcionários na empresa?

R.: Porque existe uma desmotivação no ambiente de trabalho.

PRIMEIRO POR QUÊ: Por que está acontecendo o absenteísmo de funcionários no setor de arquivo da empresa?

R.: Porque o ambiente é muito insalubre, propiciando a incidência de doenças.

SEGUNDO POR QUÊ: Por que existe desmotivação no ambiente de trabalho?

R.: Porque a insatisfação salarial é muito grande.

SEGUNDO POR QUÊ: Por que o ambiente é muito insalubre?

R: Porque tem muita poeira nos documentos guardados.

TERCEIRO POR QUÊ: Por que a insatisfação salarial é muito grande?

R.: Porque o plano de cargos e salários para os funcionários está defasado há mais de 10 anos.

TERCEIRO POR QUÊ: Por que tem muita poeira nos documentos guardados?

R.: Porque não é feita a higienização dos documentos de forma adequada, o que acarreta ambiente propício a poeira.

QUARTO POR QUÊ: Por que o plano de cargos e salários para os funcionários está defasado há mais de 10 anos?

R.: Porque falta uma melhor definição de uma política de gestão de pessoas articulada para a empresa.

QUARTO POR QUÊ: Por que não é feita a higienização dos documentos de forma adequada?

R.: Porque falta conhecimento dos funcionários para executarem a higienização.

QUINTO POR QUÊ: Por que falta uma melhor definição de uma política de gestão de pessoas articulada para a empresa?

R.: Porque o gestor de pessoas não tem habilitação e conhecimento para o desenvolvimento da política e, consequentemente, da reestruturação do plano de cargos e salários da empresa.

QUINTO POR QUÊ: Por que falta conhecimento dos funcionários para executarem a higienização dos documentos?

R.: Porque não houve treinamento dos funcionários para a higienização dos documentos.

Quadro 2 - Parâmetros para foco do problema

Observe no exemplo que os PROBLEMAS se referem à área de GESTÃO DE

PESSOAS, porém têm conotações diferentes. Ambos os casos apresentados acabam tendo como foco final o TREINAMENTO DE FUNCIONÁRIOS, mas o que treinar e quem treinar determina o rumo da solução do problema. O problema pode ser atacado de vários ângulos.

Por exemplo, a questão de sobrevivência da organização no mercado pode ser definida pela área de RH como falta de qualificação dos funcionários, enquanto a área de produção buscará soluções em melhoria de processos ou aquisição de equipamentos, e a área de marketing buscaria atingir novos mercados.

Torna-se vital delimitar sempre o seu referencial. Este pode ser uma unidade organizacional, uma área de atuação, um setor específico, uma filial, entre outros. Sem estabelecer o referencial (onde é seu foco de ação), torna-se confuso a identificação do problema. Se esse processo inicia-se sem referencial, perde-se tempo e o rumo da pesquisa fica comprometido.

Está claro?Tô ligado...

Definição do problema ou oportunidade

E na Prática de Pesquisa? Vamos fazer?

Coloque-se na posição de Diretor da área de Sistemas de Informação de uma EMPRESA do segmento de serviços e identifique, nos itens quais são problemas e quais são as causas, JUSTIFICANDO cada um:

ITENS Identificação

(problema ou causa?) Justificativa

Falta de hierarquia das informações

Falta de profissionais técnicos em número suficiente

SAD inapropriado

Interfaces sem padronização

Para maior fixação do conteúdo, pesquise e leia, os artigos disponíveis em bases de dados ou repositório de artigos confiáveis na internet, como também busque os artigos produzidos no Componente Curricular de Práticas de Pesquisa em Administração de Sistemas de Informação nos semestres anteriores.

REVEREliminar dúvidas!!

Anote aqui suas dúvidas para rever no texto ou discutir com o professor tutor. Não guarde nenhuma dúvida com você!!

Definição do problema ou oportunidade 19

2 Definição de objetivos de pesquisa

Neste encontro você vai compreender a importância do objetivo para os trabalhos de pesquisa e como ele deve ser explicitado e classificado.

Objetivo é sinônimo de meta, fim. É o que o pesquisador quer atingir com a realização do trabalho de pesquisa. Você viu que o problema é uma questão não resolvida, então, dessa forma, objetivo é um resultado a alcançar, ou seja, responde a pergunta que você quer investigar.

IMPORTANTE: Quando você atingir o objetivo geral, alcançará a solução do problema.

Objetivo é uma meta concreta a ser alcançada num prazo determinado e ajuda a definir qual o tipo de estudo apropriado, a estratégia e a tática a serem utilizadas.

Os objetivos podem ser classificados em objetivos gerais e objetivos específicos.

Embora não exista regra a ser cumprida quanto a isso, em trabalhos resumidos há a necessidade de enumerar apenas o objetivo geral ou, simplesmente, objetivo.

Só isso??!!!! Como eu faço??

Antes de começar a escrever os objetivos dos trabalhos de pesquisa, verifique se a questão-problema é relevante e se ela é possível de ser respondida.

Ao escrevê-lo, observe que a sua explicitação deve ser obrigatoriamente feita com verbos de ação no infinitivo, tais como: esclarecer, definir, procurar, permitir, demonstrar, estabelecer, sistematizar, analisar, identificar, verificar, determinar, propor, relacionar...

9O objetivo geral deve descrever de modo claro e sucinto uma meta a ser atingida

9O objetivo geral deve descrever uma característica ou conjunto de características do problema

9O objetivo geral pode ser uma proposta que solucione um problema crítico

9O objetivo geral pode ser uma proposta que explore uma oportunidade de melhoria

Definição de objetivos de pesquisa

Para maior clareza do objetivo geral é preciso desdobrá-lo em objetivos específicos. Os objetivos específicos são estratégias particulares para se alcançar o objetivo geral.

Para os objetivos específicos, o pesquisador deve perguntar a si mesmo: o que farei para alcançar o objetivo geral proposto?

Analisar incidentes conflituosos dentro da organização X a) Conhecer os incidentes conflituosos que mais ocorrem dentro da organização X.

b) Detalhar como ocorrem os incidentes conflituosos na organização X.

(Parte 1 de 3)

Comentários