GUIA DE FARMACOTERAP.- Martin

GUIA DE FARMACOTERAP.- Martin

(Parte 1 de 6)

A farmacologia é uma ciência em constante evolução. À medida que novas pesquisas e a própria experiência clínica ampliam nosso conhecimento, são necessárias modificações na terapêutica, em que também se insere o uso de medicamentos. Os autores desta obra consultaram as fontes consideradas confiáveis em um esforço para oferecer informações completas e, geralmente, de acordo com os padrões aceitos à época da publicação. Entretanto, tendo em vista a possibilidade de falha humana ou de alterações nas ciências médicas, os leitores devem confirmar essas informações com outras fontes. Por exemplo, e em particular, os leitores são aconselhados a conferir a bula completa de qualquer medicamento que pretendam administrar para se certificarem de que a informação contida neste livro está correta e de que não houve alteração na dose recomendada nem nas precauções e contraindicações para seu uso.

Essa recomendação é importante em particular em relação a medicamentos introduzidos recentemente no mercado farmacêutico ou raramente utilizados.

M379g Martin, Christopher P.

Guia de farmacoterapia [recurso eletrônico] J

Christopher P. Martin, Robert L. Talbert ; tradução: Simone

Kõbe de Oliveira ; revisão técnica: José Antonio de Oliveira Batistuzzo. -Porto Alegre : AMGH, 2015.

Editado também como livro impresso em 2015. ISBN 978-85-8055-449-6

1. Farmacologia. 1. Talbert, Robert L. li. Título. CDU 615(036)

Catalogação na publicação: Poliana Sanchez de Araujo -CRB 10/2094

Christopher P. MARTIN, PharmD, MS, BCPS Clinica! Assistant Professor

College of Pharmacy, The University of Texas at Austin Austin, Texas

Robert L. TALBERT, PharmD, FCCP, BCPS, FAHA

Professor, College of Pharmacy, University of Texas at Austin Pharmacotherapy Division

Austin, Texas

Professor, School of Medicine, University of Texas Health Science Center at San Antonio

Pharmacotherapy Education & Research Center (PERC) San Antonio, Texas

Tradução:

Simone Kõbe de Oliveira Doutora em Ciências pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS).

Pós-Doutoranda em Biotecnologia e Biociências na Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC).

Revisão técnica desta edição:

José Antonio de Oliveira Batistuzzo Farmacêutico bioquímico.

Professor e coordenador do Curso de Pós-Graduação em Farmácia Magistral da Faculdade de Farmácia Oswaldo Cruz.

Especialista em Manipulação Magistral Alopática pela Anfarmag. Membro do Comitê de Produtos Magistrais e Oficinais da Farmacopeia Brasileira.

Versão impressa desta obra: 2015

Me

Graw

Hill Education

AMGH Editora Ltda. 2015

Obra originalmente publicada sob o título Pharmacotherapy bedside guide, 1 st edition ISBN 0071761306 / 9780071761307

Original edition Copyright© 2013, The McGraw-Hill Global Education Holdings, LLC, New York, New York 10121. All rights reserved.

Portuguese language translation copyright© 2015, AMGH Editora Ltda., a Grupo A Educação S.A. company. All rights reserved.

Gerente editorial: Letícia Bispo de Lima

Colaboraram nesta edição:

Editora: Simone de Fraga

Arte sobre capa original: Márcio Montice/li

Preparação de originais: Luana Peixoto Neumann Leitura final: Carine Garcia Prates

Editoração: Techbooks

Reservados todos os direitos de publicação, em língua portuguesa, à

AMGH EDITORA LTDA., uma parceria entre GRUPO A EDUCAÇÃO S.A. e McGRAW-HILL EDUCATION Av. Jerônimo de Ornelas, 670 -Santana

90040-340 -Porto Alegre -RS Fone: (51) 3027-7000 Fax: (51) 3027-7070

É proibida a duplicação ou reprodução deste volume, no todo ou em parte, sob quaisquer formas ou por quaisquer meios (eletrônico, mecânico, gravação, fotocópia, distribuição na Web e outros), sem permissão expressa da Editora.

Unidade São Paulo

Av. Embaixador Macedo Soares, 1O.735 -Pavilhão 5 -Cond. Espace Center

Vila Anastácio -05095-035 -São Paulo -SP Fone: (1) 3665-100 Fax: (1) 3667-1333

SAC 0800 703-3444-w.grupoa.com.br

Andrea L. Coffee, Pharm.D., MBA, BCPS Scott & White Healthcare

Temple, Texas

Seção 10

Cynthia Mascarenas, Pharm.D., M.Sc., BCPP

Clinica! Pharmacy Specialist

South Texas Veterans Health Gare System

San Antonio, Texas Clinica! Assistant Professor

Pharmacy Education and Research Center The University of Texas Health Science Center at San

Antonio San Antonio, Texas

Seção 9

Jason M. Cota, Pharm.D., M.Sc., BCPS

Assistant Professor Department of Pharmacy Practice

University of the lncarnate

Word Feik School of Pharmacy

San Antonio, Texas Capítulos 2.1 e 2.2

Jeffrey S. Stroup, Pharm.D., BCPS, AAHIVE

Associate Professor of Medicine Oklahoma State University Center for Health Sciences

Tulsa, Oklahoma

Seção 12

John Tovar, Pharm.D. Associate Professor

Department of Pharmacy Practice

Feik School of Pharmacy

University of the lncarnate Word

San Antonio, Texas Capítulos 2.1 e 2.2

Laurajo Ryan, Pharm.D., M.Sc., BCPS, COE Clinica! Associate Professor

University of Texas at Austin College of Pharmacy

University of Texas Health Science Center

Pharmacotherapy Education Research Center

Department of Medicine

Austin, Texas Capítulos 3. 1 e 5.2

Nathan P. Wiederhold, Pharm.D. Associate Professor

University of Texas at Austin College of Pharmacy Clinica! Assistant Professor

UT Health Science Center San Antonio San Antonio, Texas

Capítulo 2. 3

Nicole L. Cupples, Pharm.D. Clinica! Pharmacy Specialist

Psychiatry, San Antonio State Supported Living Center San Antonio, Texas

Seção 9

Phillip Lai, Pharm.D., BCPP Community Gare

Austin, Texas

Seção 9

Susan J. Rogers, Pharm.D., BCPS

Assistant Clinica! Professor

University of Texas at Austin

Clinica! Pharmacy Specialist Neurology

South Texas Healthcare System

Audie L. Murphy Veterans Hospital

San Antonio, Texas Capítulos 4.2, 4.3 e 4.4

Troy Moore, Pharm.D., M.Sc., BCPS Assistant Professor

Division of Schizophrenia and Related Disorders

Department of Psychiatry University of Texas Health Science Center at San

Antonio Clinica! Pharmacy Specialist in Psychiatry

South Texas Veterans Health Gare System San Antonio, Texas

Seção 9

Esta página foi deixada em branco intencionalmente. Esta página foi deixada em branco intencionalmente.

Para Jennifer, Trevor e Mason; sem o amor e o apoio de vocês, este livro teria permanecido um sonho não realizado.

-Chris.

Esta página foi deixada em branco intencionalmente. Esta página foi deixada em branco intencionalmente.

Albert Einstein é citado dizendo: "Se você não pode explicar de maneira simples, você não entende bem o suficiente". A prestação de um bom cuidado médico é tudo, menos simples. A decisão de qual farmacote- rapia empregar no âmbito dos cuidados ao paciente é uma das muitas decisões complexas a serem to- madas. O profissional da saúde tem que considerar, simultaneamente, um grande número de variáveis. Quais são os possíveis benefícios das opções de tra- tamentos farmacológicos em relação ao risco para o paciente? O que dizem as evidências sobre qual trata- mento deve ser usado? Como a idade, o sexo, a raça ou as comorbidades do paciente afetam a escolha da farmacoterapia? Que mal poderia trazer este medica- mento para meu paciente? Existem interações com medicamentos que este paciente já está tomando? O custo da medicação será uma barreira?

Desenvolvemos essa referência em farmacotera- pia com as palavras de Einstein em mente. O uso exclusivo de tabelas e algoritmos proporciona uma estrutura que mostra muitas variáveis complexas em um único lugar. Buscamos incluir informações clinicamente rotineiras e relevantes para produzir uma referência eficaz: aqui você encontrará respos- tas para muitas das questões mencionadas e algumas dicas clínicas elaboradas ao longo do caminho.

Esperamos que esta referência ajude a proporcionar o melhor atendimento para seus pacientes.

Toda opinião para melhorar futuras edições é muito bem-vinda.

Christopher P. Martin Robert L. Talbert

Esta página foi deixada em branco intencionalmente. Esta página foi deixada em branco intencionalmente.

SEÇÃO 1 Cardiologia1
SEÇÃO 3 Endocrinologia93
SEÇÃ04 Neurologia107

SEÇÃO 2 Doenças infecciosas •••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••• 37

SEÇÃO 5 Gastrenterologia •••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••• 139

SEÇÃO 7 Nefrologia169

SEÇÃO& Pneumologia ••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••• 149

SEÇÃO 8 Reumatologia •••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••• 175

SEÇÃ09 Psiquiatria ••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••• 185 SEÇÃO 10 Ginecologia ••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••• 211

SEÇÃO 12 lit . erap1a 1n ens1va ............................................................................. . 241

SEÇÃO 1 Hematologia •••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••• 227

SEÇÃO 14 Tratamento da dor263
SEÇÃO 15 Urologia277

SEÇÃO 13 Fluidos e eletrólitos •••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••• 249 Índice •••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••• 283

Esta página foi deixada em branco intencionalmente. Esta página foi deixada em branco intencionalmente.

Cardiologia

1 .1 Hipertensão 3

1 .1 .1 Dosagem de fármacos anti-hipertensivos 3

1.1.2 Indicações convincentes e contraindicações dos anti-hipertensivos, por classes 5

1.1.3 Recomendações das diretrizes para terapia farmacológica da hipertensão primária) sem indicações convincentes 6

1.1.4 Redução estimada da pressão sanguínea1 por classes de fármacos anti-hipertensivos 7

1 .1 .5 Precauções e efeitos adversos1 por classes de anti-hipertensivos 8 1.1.6 Interações de medicamentos cardiovasculares selecionados 1 O

1.1.7 Farmacoterapia para hipertensão aguda 12

1.2 Cardiopatia isquêmica 13

1.2.1 Farmacoterapia para angina estável crônica e para prevenção primária de síndrome coronariana aguda 13

1.2.2 Eficiência e prejuízos da aspirina na prevenção primária 14

1.2.3 Farmacoterapia para infarto do miocárdio sem supradesnivelamento do segmento ST agudo 15

1.2.4 Farmacoterapia para infarto do miocárdio com supradesnivelamento do segmento ST agudo 16 1.2.5 Farmacoterapia para tratamento e prevenção de síndrome coronariana aguda secundária 17

1.3 Dislipidemia 20

1.3.1 Redução aproximada de lipoproteína de baixa densidade pelas estatinas, de acordo com a regra dos 7 20

1.3.2 Eficácia antidislipidêmica comparativa, por classes de fármacos 21

1.3.3 Painel Ili do NCEP NIH para o tratamento de adultos -alvos para o colesterol lipoproteína de baixa densidade 21

1.3.4 Dosagem de fármacos antidislipidêmicos 2 1.3.5 Efeitos adversos de fármacos antidislipidêmicos 23

1.4 Arritmias 24

1.4.1 Algoritmo de gestão da fibrilação atrial 24

1.4.2 Agentes de controle da frequência e do ritmo para fibrilação atrial 25 1.4.3 Agentes antitrombóticos para fibrilação atrial 25

1.4.4 Guia de recomendações para terapia antitrombótica na prevenção do acidente vascular cerebral primário na fibrilação atrial 26

1.4.5 Indicações e dosagem de fármacos antiarrítmicos 27 1.4.6 Efeitos adversos dos fármacos antiarrítmicos 29

1.5 1.5. 1

BCCND bpm

BRA eco

DCr

FibA

Insuficiência cardíaca

Farmacoterapia para insuficiência cardíaca com fração de ejeção do ventrículo esquerdo reduzida

Dosagem de digoxina para insuficiência cardíaca

Farmacoterapia para situações especiais em pacientes com insuficiência cardíaca

Algoritmo diurético para tratamento de hipervolemia na insuficiência cardíaca aguda descompensada

Farmacoterapia para insuficiência cardíaca aguda descompensada

American College of Cardiology

Associação Americana do Coração (de American Heart Association)

Ataque isquêmico transitório

Tempo de protrombina parcial ativada (de activated partia/ prothrombin time)

Antagonista do receptor de aldosterona Acidente vascular cerebral

Betabloqueador

Bloqueador de canal de cálcio

Bloqueador de canal de cálcio di-hidropiridínico

Bloqueador de canal de cálcio não di-hidropiridínico Batimentos por minuto

10 ISDN

Infarto do miocárdio

Infarto do miocárdio com supradesnivelamento do segmento ST

Infarto do miocárdio sem supradesnivelamento do segmento ST lntraósseo

Dinitrato de isossorbida

Infecção do trato respiratório superior Infecção do trato urinário

Intravenoso

Lipoproteína de baixa densidade (de low-density lipoprotein)

Lesão renal aguda

Bloqueador de receptor de angiotensina Cardioversão de corrente direta

Creatina-fosfocinase (de creatine phosphokinasf1) Concentração sérica de digoxina

Monitoramento ambulatorial da pressão sanguínea Mudanças terapêuticas de estilo de vida

Doença arterial coronariana

Doença cardíaca coronariana Depuração de creatinina

Diabetes melito Doença renal crônica

Ecocardiograma transesofágico

Fármaco antiarrítmico

Frequência cardíaca

Fração de ejeção do ventrículo esquerdo

Fibrilação atrial

Fibrilação ventricular Hidroclorotiazida

Lipoproteína de alta densidade (de high-density lipoprotein)

Hipertensão

Heparina não fracionada

Inibidor da bomba de próton

Insuficiência cardíaca

Intervenção coronariana percutânea Inibidor da enzima conversora de angiotensina se

SCA ser

TCA TdP

TV vo

National Cholesterol Education Program

Nitroglicerina

Punção lombar

Pressão sanguínea Pressão sanguínea diastólica

Pressão sanguínea sistólica

Taquicardia supraventricular paroxística (de paroxysmal supraventricular tachycardia)

Paratormônio (de parathyroid hormone) Revascularização do miocárdio

Subcutâneo Síndrome coronariana aguda

Creatinina sérica

Sociedade Europeia de Cardiologia Sublingual

Taquicardia supraventricular (de supraventricular tachycardia)

Tempo de coagulação ativada Torsades de pointes (torção das pontas)

Taxa de filtração glomerular

Teste de função hepática

Taquicardia ventricular Via oral

1 .1 1 Hipertensão 3

TABELA 1.1.1 Dosagem de fármacos anti-hipertensivos

Fármaco (marca)

IECAs Benazepril (Lotensin)

Captopril (Capoten)

Enalapril (Renitec) Fosinopril (Monopril)

Lisinopril (Prinivil, Zestril)

Moexipril (Univasc)

Perindopril (Coversyl)

Quinapril (Accupril)

Ramipril (Triatee) Trandolapril (Gopten)

Candesartana (Atacand)

Eprosartana (Teveten) lrbesartana (Aprovei)

Losartana (Cozaar)

Olmesartana (Olmetec) Telmisartana (Micardis)

Valsartana (Diovan)

BBs -~1 seletivos Atenolol (Atenol)

*Betaxolol (Kerlone)

Bisoprolol (Concor)

Tartarato de metoprolol (Lopressor)

Succinato de metoprolol (Selozok) Nebivolol (Nebilet)

BBs -não seletivos -~1 e ~2 Nadolol (Corgard)

Propranolol (lnderal)

Propranolol de ação prolongada (lnderal LA)

*Timolol (Blocadren)

Carvedilol (Coreg)

Carvedilol fosfato (Coreg CR)

Labetalol (Normodyne, Trandate)

Genérico

Não

Sim

Sim Sim

Sim

Não

Sim

Não

Sim Não

Sim

Não

Sim

Sim

Sim Sim

Sim

Sim

Não

Sim

Sim

Não Sim

Não Sim

Não Não

Sim Não

Não

Dosagem média diária (mg/dia)

10-40 12,5-150

5-40 10-40

10-80 2,5-1 o

150-300 50-100

20-40 20-80

5-20 2,5-1 o

50-200 5-20

160-480 80-320

12,5-50 20-80

Doses por dia

1ou2

2 ou 3

1ou2 1

1ou2

1ou2

1ou2 1

1ou2

1ou2

1ou2

2 ou 3

(Continua)

4 Seção 1 1 Cardiologia

TABELA 1.1.1 Dosagem de fármacos anti-hipertensivos (Continuação)

Fármaco (marca) Genérico Bloqueadores de canal de cálcio -di-hidropiridínicos

Amlodipina (Norvasc) Sim

Felodipina (Splendil) Não

lsradipina (Lomir) Não lsradipina SR (Lomir SRO) Não

Nicardipina de liberação prolongada Não (Cardene SR)

Nifedipina de ação prolongada (Adalat Oras) Não

Nisoldipina (Sular) Não Bloqueadores de canal de cálcio -não di-hidropiridínicos

Diltiazem (Cardizem SR e outros) (Cardizem CD e outros)

Verapamil Dilacoron 80mg e

Dilacoron Retard 120 e 240 mg

Bloqueadores a2 centrais Clonidina (Atensina)

(Parte 1 de 6)

Comentários