guiaeventos cerimonial redefera

guiaeventos cerimonial redefera

(Parte 3 de 6)

Guia de Eventos, Cerimonial e Protocolo | 29Rede Federal de Educação Profissional e Tecnológica assunto. O simpósio difere da mesa-redonda porque os expositores não debatem entre si, embora suas manifestações sejam sobre o mesmo assunto. O público, ao participar de modo ativo dos trabalhos, mediante intervenções, fornece o clima para desenrolar os debates. O coordenador ou mediador, no final, apresenta uma conclusão, representando a maioria das opiniões que é submetida à aprovação do grupo e transformada em documento, que servirá de orientação para a área.

m) Congressos

Caracteriza-se pela reunião formal e periódica de pessoas pertencentes a grupos profissionais com o mesmo interesse, geralmente promovido por entidades associativas, objetivando estudar, debater e chegar a conclusões sobre um tema em geral, que é exposto em subtemas. Estes são apresentados sob diferentes tipos de eventos, como painel, conferência, palestra, debate, mesa-redonda, simpósio, mostra, exposição e feira.

n) Encontro

Tipo de evento que se caracteriza pela reunião de pessoas de uma mesma categoria profissional para debater temas polêmicos, apresentados por representantes dos grupos participantes.

o) Convenção

Caracteriza-se por ser um evento interno de uma organização, empresa, entidade ou partido, objetivando o treinamento, a reciclagem, a avaliação, o entrosamento, a troca de experiências e informações entre os participantes.

p) Semana

Este evento pode ser realizado com sete dias de duração nos seguintes segmentos:

1. Acadêmico: caracterizado pela reunião de estudantes, coordenada por professores, com apoio de profissionais da área, com o objetivo de discutir temas relacionados com a classe a qual pertencem.

2. Empresarial: serve para denominar uma série de acontecimentos realizados por determinada organização, dedicada a um tema único e com uma semana de duração.

q) Debate

Tipo de evento caracterizado pela discussão entre duas pessoas ou mais pessoas, cada um defendendo o seu ponto de vista. Exige a presença de um moderador ou mediador, que coordena os trabalhos, estabelecendo as regras do evento.

r) Mesa-Redonda

Neste tipo de reunião são colocadas as opiniões de duas ou mais pessoas sobre um assunto, em um tempo limitado; após esse período, os componentes da mesa debatem entre si, com a participação da assistência, que pode encaminhar questões, por escrito ou oralmente à mesa. Esses trabalhos são coordenados por um mediador, conduzindo o encontro de modo que os debates se mantenham em torno do tema de origem. Quando o público não tem permissão para formular perguntas aos membros da mesa, denomina-se painel.

s) Painel

Nome dado ao evento caracterizado por um quadro de apresentações, no qual um orador principal e até quatro painelistas explanam sua visão sobre um tema predeterminado. Sua organização, que soma as regras da conferência com as da mesa-redonda, permite a platéia conhecer todos os ângulos de uma questão, o que torna possível aos participantes refletir, perguntar e discutir pontos de interesse em comum.

O painel é dividido em duas partes distintas:

1. Primeira Parte: os painelistas apresentam o tema individualmente, obedecendo às regras da conferência, tendo o orador principal maior tempo de explanação, para enfoque geral.

Guia de Eventos, Cerimonial e Protocolo | 31Rede Federal de Educação Profissional e Tecnológica

2. Segunda Parte: são seguidas as mesmas regras da mesaredonda, nas quais os painelistas debatem entre si e respondem às perguntas da plateia.

t) Fórum

Evento caracterizado pela troca de informação e debate de ideias, com a presença de grandes audiências. Seu objetivo é o de conseguir a efetiva participação da plateia, sempre numerosa, que deve ser sensibilizada e motivada. Tem cada vez mais aceitação por permitir a discussão de problemas sociais.

u) Entrevista Coletiva

Evento caracterizado pela presença de um representante de uma organização, governamental ou empresarial, que será questionado sobre variados temas. Os questionamentos são formulados pela imprensa.

v) Jornadas

As jornadas são eventos específicos de grupos profissionais e realizados periodicamente para discussão de temas que não foram ou que não serão debatidos, normalmente em congresso. Possuem a estrutura desse tipo de evento, em escala menor, já que são realizadas em âmbitos regionais.

w) Exposição

Exibição pública de produção artística ou industrial, em painéis ou estandes, visando à demonstração e divulgação. Pode ser itinerante ou não.

x) Mostra

Semelhante ao conceito de exposição, mas sem objetivo de venda. Trata-se da exibição pública de bens, produtos e peças artísticas, com a finalidade de divulgação histórica. A mostra pode ser itinerante ou não.

y) Homenagens

Dependendo do tipo de homenagem, pode requerer formação de mesa de honra ou não. Geralmente quando envolve mais de um homenageado, forma-se mesa e exposição de bandeiras para a audição do Hino Nacional e a entrega da homenagem precedida do discurso do anfitrião e das palavras do homenageado que tem a liberdade de usá-la ou não.

As homenagens podem ser feitas por meio de retratos, bustos, nomes de espaços, galeria, etc.

4 EVENTOS SOLENES DAS INSTITuIçõES FEDERAIS

A solenidade de outorga de grau, denominada Colação de Grau, é o ato oficial, público e obrigatório, por meio do qual o aluno, concluinte do curso de graduação, recebe o grau ao qual tem direito por concluir o curso superior. Em nenhuma hipótese, a outorga de grau é dispensada e, por oficializar a conclusão do curso, é PRÉ-REQUISITO para emissão e registro do Diploma.

É um cerimonial solene e cívico. Isso significa dizer que exige o cumprimento das normas aqui apresentadas, buscando não incorrer em deslizes protocolares. Compete a instituição federal a colação de grau, devendo ser organizado pelo setor responsável pelos eventos. As demais etapas da formatura, como as atividades festivas e religiosas são de responsabilidade da comissão de formatura.

4.1.1 Setor responsável pelos eventos

Compete à Instituição (sugestão): • Organizar o evento de colação de grau;

• Providenciar espaço físico adequado para o evento, que comporte os formandos e seus familiares, equipamentos de sonorização, decoração do ambiente e limpeza e registro fotográfico;

Guia de Eventos, Cerimonial e Protocolo | 33Rede Federal de Educação Profissional e Tecnológica

• Elaborar, produzir, imprimir e fornecer gratuitamente 20 (vinte) convites, padrão institucional, para cada formando;

• Elaborar roteiro de cerimonial (script);

• Providenciar mestre de cerimônias, equipe de recepção, convites para as autoridades, bandeiras e vestes talares para os alunos e membros da instituição que compõem a mesa.

Obs.: À critério da instituição, os convites e os registros fotográficos podem ser impressos ou entregues aos formandos na forma digital.

4.1.2 Comissão Temporária de Formatura

É composta por um grupo de estudantes eleitos pelos seus pares, com no mínimo cinco integrantes. Deverá ter representantes dos cursos que participarão da colação de grau.

São atribuições dessa Comissão: • Respeitar os prazos definidos pela instituição;

• Informar ao setor responsável pelos eventos, após votação com os colegas formandos, os escolhidos para paraninfo e patrono da(s) turma(s);

• Mobilizar os alunos para o ensaio que antecede a colação de grau;

• Escolher música para o momento da entrega dos diplomas;

• Entregar um CD por curso, que contenha as músicas, no momento do ensaio, ao responsável pela instalação do som, na ordem de entrega dos diplomas (alfabética) - após aprovado pela instituição.

4.1.3 Precedência

O Reitor tem precedência sobre todas as demais autoridades presentes a um ato oficial da instituição, ou seja, cabe ao Reitor presidir os trabalhos e todos os atos a que estiver presente. As exceções ficam em caso de presença do Presidente da República, Vice-Presidente e Governador, aos quais, por lei, o Reitor deve ceder a presidência. Nesses casos, o Reitor abre a cerimônia e fica à esquerda da autoridade de maior hierarquia.

Em eventos da instituição, com a presença de ministros de Estado, chefe de Estados estrangeiros, senadores, deputados federais e estaduais, prefeitos, vereadores, comandantes militares e quaisquer outras autoridades, recomenda-se a consulta ao Decreto Nº 70274/72 (w. planalto.gov.br/ccivil_03/decreto/D70274.htm).

4.1.3.1 Ordem de precedência para composição de mesa de honra

A instituição adotará a seguinte Ordem de Precedência para as cerimônias de Colação de Grau:

• Reitor ou representante legal;

• Autoridades dos poderes executivo, legislativo e judiciário, previstas no Decreto nº 70.274/72;

• Diretor-Geral do campus do evento;

• Coordenador de curso;

• Patrono.

Para compor a mesa de honra, recomenda-se o máximo de 9 pessoas, sendo que podem ser convidados ainda os Pró-Reitores, Diretores e Chefes de Departamento ou seus equivalentes nessa ordem.

4.1.3.2 Ordem de pronunciamentos

Guia de Eventos, Cerimonial e Protocolo | 35Rede Federal de Educação Profissional e Tecnológica

• Diretor-Geral; • Reitor ou representante legal.

Os discursos devem ser proferidos da própria mesa ou do púlpito. As falas não devem ultrapassar 5 minutos para cada. No caso de Colação de Grau com mais de um curso, deverá ser escolhido um representante dos paraninfos para fazer o pronunciamento.

Os casos excepcionais, para solicitações de colação de grau em separado, deverão ser requeridas ao Gabinete da Reitoria, com as respectivas justificativas, para análise e parecer. Caso o formando obtenha deferimento de seu pedido, a colação será feita em caráter extraoficial, conforme segue:

Serão concedidas antecipações para Outorga de Grau nos seguintes casos: 1. Militares transferidos ex-offício; 2. Esposas e filhos de militares transferidos ex-offício; 3. Transferência: a) para pós-graduação; b) para posse em cargo público e/ou privado em outro estado; 4. Para mudança da família para outro estado; 5. Outras justificativas plausíveis a serem analisadas pela instituição.

4.1.4.2 Colação de Grau Postergada

Será concedida postergação de outorga de grau nos casos de doença impeditiva de comparecimento (atestada por médico) do formando ou de seus pais.

Nesses dois casos, a cerimônia de leitura e assinatura da ata, a outorga de grau e o juramento deverão acontecer no gabinete do diretor-geral.

4.1.5 Traje: Uso da vestes talares

4.1.5.1 Do reitor

As vestes talares do reitor são compostas de: pelerine branca (sinônimo de muceta - exclusiva do reitor e que representa todas as áreas do conhecimento) e capelo na cor branca. O reitor usa ainda a borla, branca, que usará para a outorga de grau.

4.1.5.2 Dos pró-reitores, diretores-gerais e professores

A veste dos pró-reitores, diretores-gerais, chefes de departamento e coordenadores de curso presentes na mesa de honra é composta de beca, coberta por uma pelerine, na cor conforme a formação de cada um (ver ilustração de cores a seguir) vestida sobre a roupa que estiver usando e capelo. As becas, pelerines e capelos dos componentes da mesa de honra são de responsabilidade da instituição.

Nas cerimônias oficiais de Colação de Grau, todos os formandos deverão trajar beca na cor preta, faixa na cintura na cor do curso de graduação e capelo, que é colocado na cabeça somente após a Outorga de Grau.

Guia de Eventos, Cerimonial e Protocolo | 37Rede Federal de Educação Profissional e Tecnológica

4.1.5.4 Das autoridades, empresários e demais pessoas

Para as autoridades, empresários e demais pessoas que, eventualmente, participarem da mesa de honra e que não sejam membros da instituição: sugere-se aos homens o uso de terno (a partir das 18 horas – recomenda-se que seja em cor escura). Para as mulheres, sugere-se o uso de traje social.

4.1.6 As cores dos cursos

É possível que haja variações, mas como regra geral, as seguintes cores representam os respectivos cursos: Superiores de Tecnologia, Bacharelados e Licenciaturas.

CuRSOS COR DOS ELEMENTOS

1. Cursos Superiores de Tecnologia

Ambiente e SaúdeVerde

Apoio EscolarVerde Controle e Processos IndustriaisAzul Gestão e NegóciosAzul Hospitalidade e LazerAzul Informação e ComunicaçãoAmarelo Infraestrutura Azul Produção Alimentícia Azul Militar Verde Produção Cultural e DesignAzul Produção Industrial Azul Recursos Naturais Verde Segurança Verde

CuRSOS COR DOS ELEMENTOS

2. Bacharelados Engenharias Azul

Códigos e LinguagensVermelho Ciências da NaturezaAzul Ciências Humanas Vermelho

*Os cursos que não estão listados acima devem seguir as cores da área correspondente.

4.1.7 Descrição e Roteiro

4.1.7.1 Cerimonial de Colação de Grau: atos protocolares

A cerimônia de colação de grau será coordenada pelo setor responsável pelos eventos, executada pelo mestre de cerimônia e terá a seguinte estrutura:

1. Início da solenidade (mestre de cerimônias); 2. Composição da mesa de honra (definida pelo cerimonial);

3. Entrada dos formandos acompanhados pelo paraninfo e pelo patrono

4. Instalação da solenidade pelo reitor; 5. Execução do hino nacional (som mecânico ou ao vivo);

6. Nominar autoridades presentes (primeiro externas, depois internas, até coordenadores);

Guia de Eventos, Cerimonial e Protocolo | 39Rede Federal de Educação Profissional e Tecnológica

9. Entrega simbólica dos diplomas. (Após a outorga, o paraninfo e o patrono cumprimentam o formando e entregam o certificado simbólico. Nesse momento, o formando coloca o capelo na cabeça. A outorga e a entrega são atos concomitantes);

14. Encerramento oficial da solenidade pelo reitor ou representante legal.

5 OBSERVAçõES OPERACIONAIS

1. Durante a cerimônia de colação de grau, não serão permitidas exibições de filmagens ou apresentações em telão sem a prévia aprovação do setor responsável pelos eventos (em caso de aprovação, as filmagens ou apresentações deverão ser entregues com no mínimo 48 horas antes do evento).

2. Toda e qualquer inovação na cerimônia de colação de grau deverá ser apreciada pelo setor responsável pelos eventos.

3. Todos os formandos devem participar do ensaio geral em data previamente marcada.

4. É imprescindível a instalação de uma recepção para os formandos e convidados especiais (homenageados e autoridades). Os recepcionistas podem ser membros do setor responsável pelos eventos e deverão realizar a chamada dos concluintes presentes – sugere-se que a última chamada seja feita faltando cinco minutos para o início da solenidade.

5.1.1 Solenidade de conclusão de cursos de Pós- Graduação, Técnicos, de Ensino Médio e de Formação Inicial Continuada

Da mesma forma que a colação de grau, as solenidades de conclusão de cursos de pós-graduação, técnicos, de ensino médio e de formação inicial continuada são eventos solenes e carecem de atos protocolares.

Seus atos protocolares seguem aqueles já expostos para a colação de grau, exceto o ato de outorga de grau.

5.1.2 Trajes Fica a critério da instituição, respeitando o momento solene.

A Aula Magna é a solenidade que marca o início das atividades escolares acadêmicas a cada ano. Prioritariamente, deve ser ministrada pelo reitor da instituição ou por um convidado – professor, intelectual ou autoridade.

A Aula Inaugural poderá ser realizada quando do início de um curso novo na instituição. O coordenador do curso, o diretor-geral do campus podem ministrar ou convidar um palestrante.

(Parte 3 de 6)

Comentários