ESCOLA SUPERIOR PEDAGOGICA DO BENGO

ESP – BENGO

Antecedentes da Psicologia Diferencial

Autor:

Manuela Lopes Alves Fernandes

Sala nº 13

Curso: Psicologia

Turma: B

Ano: 2º

Turno: Manhã

Professora: Msc. Maricela Rois Reyes

Caxito, 2015

ESCOLA SUPERIOR PEDAGOGICA DO BENGO

DEPARTAMENTO DE PRATICAS PEDAGÓGICAS

PRÁTICAS PEDAGÓGICAS

RELATÓRIO GERAL DAS ACTIVIDADES DE PRÁTICAS PEDAGÓGICAS DO IIº SIMESTRE/2016

Nome: Mevilde Esmeralda Evaristo de Andrade

IIIº Ano

Turma: B

Período: Manhã

Curso: Ciências da Educação

Opção: Ensino de Psicologia

Professor MSc

José Machado

Caxito/2016

PRÁTICAS PEDAGÓGICAS

RELATÓRIO GERAL DAS ACTIVIDADES DE PRÁTICAS PEDAGÓGICAS DO Iº SIMESTRE/2016

Nome: Mevilde Esmeralda Evaristo de Andrade

IIIº Ano

Turma: B

Período: Manhã

Curso: Ciências da Educação

Opção: Ensino de psicologia

Professor MSe

José Machado

Caxito/2016

RELATORIO GERAL

DE

PRATICAS PEDAGOGICAS

No dia 7 de Aabril do ano corrente foi a nossa primeira aula com o professor José Machado, em que mandaram-nos formar grupos de cinco elementos. Por falta de material o professor recorreu a escola primaria que antecede a nossa escola e trouxe livros, com tema de nossa autoria tinhamos de traçar um plano de aula. Querendo ter certeza até que ponto estavamos preparados para dar avante as aulas praticas.

No mesmo dia fez-se a entrega dos planos e o professor pedio-nos que nos fizessemos acompanhar na aula seguinte com o programa do ensino primário da 1ª classe à 6 ªclasse. E deveriamos te-los sempre que tivessemos aulas práticas.

Já no dia 21 de Abril 2016 fizemos uma recapitulação do que aprendemos em didática em que vimos os componentes pessoais, e ainda descrevemos os elementos que cada componente se faz acompanhar, tais como:

Componentes pessoais

  • Professor

  • Aluno

Componentes interpessoais

  • Objectivos

  • Conteúdo

  • Métodos

  • Recursos

  • Estratégias

  • Actividades

  • Avaliação

Dai vimos como deve ser feita a planificação de uma aula.

Para planificar uma aula não devemos esquecer-nos do factor psicológico,

temos de ter em conta por causas das crianças. Não será preciso o factor físico na planificação da aula mais sim na organização da sala de aula.

Existe uma ordem para a planificação de uma aula.

1º Temos que ter os pré-requisitos de uma aula. Começando pelo nome da escola ou da instituição , em que ensino encontra-se? Primário ou secundário e o numero da escola.

- Depois vimos o:

  • Nome do professor

  • Disciplina que será lecionada

  • Classe que dará aula

  • Turma

  • Tipos de aulas

  • Número de alunos na turma

  • Duração da aula

  • Assunto que será tratado

  • Data que foi planificada a aula

Sem esquecermos do perfil entrada e sadia .

Perfil de entrada - para o tema da aula é onde nos referimos dos pré-requisitos que os alunos trazem.

Perfil de saída – apresenta as copetencias que os alunos adquiriram durante a aula, isto no final.

E só assim passamos para o plano propriamente dito que vimos no modelo de Maria Helena Damião o mais adequado para se utilizar. Que esta extruturado da seguinte maneira.

Objectivos: - Gerais

- Específicos

Conteúdos

Estratégias ou métodos

Activiadades

Tempo

Recurso de ensino

Avaliação

Observação

Fazer lembrar que neste plano ou modelo de Maria Helena Damião divide-se os conteúdos pelas linhas verticais e não pelas horizontais, para diferenciar um ponto do outro podemos usar letras ou números.

Ainda neste dia fizemos algumas intervenções, o porquê chamamos de método de chuva de idéias.

Chuva de idéias – quando os alunos já vêm com noção da matéria propriamente dita.

A maior inquietação foi na avaliação no que tange os tipos como:

  • Diagmostica

  • Formativa

  • Somativa

É diagnostica porque tem a finalidade de diagnostificar, para saber até que ponto os alunos sabem ou os requisitos que sabem.

Formativa para ver se ao longo da aula os alunos estão aprender.

Somativa faz-se no final da aula tanto se forma quantitativa como qualitativa para ver o desempenho dos alunos.

A avaliação quantitativa é feita da seguinte maneira:

  • Medíocre

  • Médio

  • Suficiente

  • Bom

  • Muito-bom

Neste dia traçamos um plano feito pelo o professor em que o tema era o tráfico de escravos.

E como tarefa mandou-nos traçar um plano de aula de nossa autoria e o mesmo com o tema.

No dia 28 de Abril de 2016 a primeira que foi feita pelo professor foi perguntar se todos tinham todos os programas mandados. A segunda foi cobrar a tarefa da aula anterior que era a elaboração de um plano a nossa autoria.

Neste dia o professor escolheu um tema dos planos entregues e pediu que um aluno fosse ao quadro, o tema foi recursos naturais e o subtema, os combustíveis.

O grande objectivo desta aula era para retirarmos as duvidas e ver até que ponto estamos a aprender quanto a planificação de uma aula. Ainda no mesmo dia o professor pediu que não nos apegássemos somente aos métodos dos dois programas que foi planificado na sala, porque existiam vários métodos, até porque é alérgico á alunos preguiçosos, gosta de alunos dinâmicos.

Sem fugir da aula falou do didata Celestino Freiné este didata era contra o ensino livresco.

Mais outros como Motessori, Maria Célia disseram que a criança tem que aprender para ser um elemento para agir no meio que vive e no mundo de forma global.

E por ultimo nos foi dado como tarefa para cada um de nós construir um plano de aula cujo o tema foi de autoria do professor, eu calhei com a 1ª classe, disciplina –estudo do meio, tema- Eu e a minha família.

No dia 12 de Maio de 2016 deu-se o inicio das nossas aulas simuladas, mais ao assistirmos essas devíamos nos fazer acompanhar das nossas grelhas de avaliação que contem todos os itens necessários, os que administraram as aulas neste dia foram;

Josefa Leite com o tema comparação de grandeza, que é de louvar a sua coragem sendo a primeira pessoa, esteve bem até certo ponto, não conseguia ter controlo da turma até porque os alunos não ajudavam, comportavam-se piores que as crianças da

2ª classe que era sua classe.

O professor chamou a atenção de alguns aspectos notados na sala de aula dizendo que:

A motivação é um elemento essêncial na aula e que não deve ser feita apenas no princípio da aula mais ao longo de toda a aula, chamou atenção quando disse que todos os alunos eram seus filhos e que isso não se deve repetir, pois todo aluno numa sala de aula deve ser visto como aluno e não como filho, quando aplicamos uma tarefa deve ser explicada.

Como não tivemos contacto com o programa não há muito a relatar.

No Caso do Luís Chicola o tema foi; A fundação da capitania de Luanda,

5ª classe.

Conseguiu gerir o seu tempo teve controlo da turma, mais falhou em alguns aspectos no que tange o conteúdo sendo a primeira aula entende-se, posso dizer que esteve bem.

Quanto a critica feita pelo professor foi para os dois e já foquei quando falava da Josefa. O professor recomendou que deveríamos ter em conta dois aspectos:

  1. Devemos saber o que é uma sala de aula.

  2. Qual é o comportamento que devemos ter dentro da sala de aula.

E por ultimo que na aula a seguir deveríamos nos fazer acompanhar de 20

programas para dar aos colegas para melhor acompanhamento e preencimento das grelhas.

No 26 de Maio de 2016 dando continuidade das aulas simuladas aos

aministradores desta aula foram.

Mevilde Andrade com o seguinte tema- Eu e a minha família, disciplina – Estudo do meio, 1ª classe.

Mencionei todos os meus objectivos, mais como todos apresentei alguns erros que foi constatado pelo o professor e os colegas e senti a motivação de melhorar, segundo o professor, devo melhorar o plano de aula pelos erros constatados no perfil de saída, nos obejectivos gerais, específicos e nos recursos de ensino, devia trazer as gravuras à parte.

Quanto ao Joaquim Ferreira, 3ª classe, o seu tema foi a agricultura, disciplina- Estudo do meio.

Não esteve tão bem na transmissão dos conteúdos escrevia tanto que até cansava os alunos, devia resumir o conteúdo.

Uma das criticas do professor quanto ao Joaquim foi na organização do programa com relação as linhas horizontais. Por outro lado esteve bem.

Fora as criticas colectivas que recebemos e a chamada de atenção feita pelo o professor, dizendo que tudo que vai no recurso de ensino deve se fazer acompanhar com o professor, quando vai para a sala de aula.

No dia 02 de junho de 2016 a aula foi amnistrada pela Jurelma Rufino, 2ª classe, tema – partes constituintes da planta, disciplina – Estudo do meio.

Nesta aula a Jurelma apresentou-se um pouco insegura,lenta, mais sabia o que realmente quis transmitir, não esteve tão bem. E porque apresentou ao colegas um plano sem pré-liminares.

A Mariza Cesar amnistrou a segunda aula, 2ª classe, tema – as figuras geométricas planas,disciplina – Matemática.

Esteve bem até um certo ponto porque o professor constatou algumas falhas na sua apresentação uma delas foi nas figuras apresentadas que deviam ser medidas com régua apresentando os centímetros (Cm) de cada lado e quando pediu que os alunos comprassem cartolinas e para crianças da 2ª classe é muito pesado.

No caso do José Caboco amnistrou a ultima aula, 5ª classe, tema – o golpe de estado 25 de Abril em 1974 em Angola, disciplina – Historia.

Não esteve tão bem porque a aula foi muito rápida, e não deu pra perceber muita coisa. O professor chamou-lhe a atenção pelo desenho do mapa no quadro que levou tempo pra desenhar, - da próxima vez deve trazer um mapa, disse o professor.

E por fim as criticas as criticas colectivas que são muito construtivas para todos nós, ajuda-nos a melhorar.

No dia 16 de Junho de 2016, mudamos a rotina, a nossa aula foi na escola missionária nº 307 em Caxito, em que tínhamos de assistir aulas amnistradas pelos professores locais, fazer uma observação dos pontos positivos e negativos da aula e do professor concernente tudo que aprendemos para poder preencher a grelha de observação.

Assisti aula na sala 19, 5ª classe, tema – Gramática, disciplina – língua Portuguesa com a professora Ana Manuel, não foi muito agradável por alguns erros encontrados em sala de aula que são:

  1. A professora não motiva os seus alunos

  2. É muito agressiva para com os seus alunos

  3. Não programou a aula e passava a matéria na turma

  4. Apresenta erros ortográficos e tem falhas na acentuação

  5. Perguntou ao aluno o significado de intensidade, ele não sabia, mandou como tarefa procurar no dicionário

  6. Só trabalhou com crianças que tinham uma aprendizagem rápida, em vez em vez de trabalhar com os alunos mais distraídos e que nem percebiam

Quanto à segunda aula na sala 10 do professor Mauro da Conceição já não foi a

Tempo de assistir quando cheguei já havia posto a tarefa no quadro.

Introdução

O presente relatório descreve de forma organizada todas as actividades realizadas durante o primeiro semestre. Concernente a planificação de um plano de aulas, as aulas simuladas, o desempenho de cada aluno consoante as aulas simuladas, e a observação feita por nós aos professores locais da escola missionária.

Conclusão

Depois dos relatos apresentados notei que é muito bom fazer apontamentos de tudo o que o professor apresenta em sala de aula, só foi possível a realização deste relatório devido os apontamentos durante as aulas, e não só, é uma forma de termos bem organizado tudo aquilo que aprendemos sobre experiência do professor, colegas e a minha própria experiência.

Consegui com este relatório fazer uma descrição de tudo que foi aprendido durante o primeiro semestre, e procurar melhorar consoante as criticas recebidas ao longo do mesmo.

Comentários