projeto de pesquisa UP

projeto de pesquisa UP

1. Introdução

O presente projecto aborda sobre “uso de redes mosquiteiras para pesca e o seu impacto negativo para a saúde. Caso do distrito de Metangula 2017”. Com a pesquisa, pretende-se conhecer os motivos que fazem com que os pescadores daquele distrito tenham esse tipo de hábito, também se pretende fazer perceber o quanto os produtos químicos contidos nas redes mosquiteiras causam problemas a saúde humana (as consequências), propor medidas de como acabar com este tipo de problema e por fim dar recomendações aos pescadores de metangula, no que tange as soluções do problema desta natureza.

É importante falar sobre o tema desta natureza, visto que se encontra dentro das áreas de pesquisa do curso de Licenciatura em Quimica “saúde pública” e com o mesmo pode existir um pouco de melhoria para os pescadores do distrito de metangula e a população em geral.

3 2. Tema:

Uso de redes mosquiteiras para pesca e o seu impacto negativo para a saúde. Caso do distrito de Metangula 2017.

3. Delimitação do tema

De acordo com AMORIM (1998, p.6) "delimitação do tema é estabelecimento de limites para a investigação. A pesquisa pode ser limitada em relação ao assunto – seleccionando um tópico, a fim de impedir que se torne ou muito extenso ou muito complexo; a extensão – porque nem sempre se pode abranger todo o âmbito onde o facto se desenrola".

Para o tema, pretende-se pesquisar no distrito de Metangula (lago). A pesquisa será feita no intervalo de Maio-Junho de 2017, e terá como método de pesquisa; entrevista e observação directa.

4. Problema

Para GIL (1999, p.49), na percepção científica "problema é qualquer questão não resolvida e que é objecto de discussão em qualquer domínio do conhecimento".

A formulação do problema constitui o ponto de partida de toda a pesquisa ou o motor do processo investigatório (RUDIO apud CASTRO (2005, p.69). O problema da pesquisa é o que dá razão à pesquisa.

Para o tema em causa, o pesquisador interessou-se muito em desenvolver, visto que se encontra enquadrado nas áreas de pesquisa da Disciplina de Quimica (Saúde Publica) aprovada na 3ª sessão do departamento de Quimica de 2009, e com isso o pesquisador teve como pontos referencias para desenvolver sobre o tema:

1. Porque que os pescadores daquele distrito usam as redes mosquiteiras para o uso as pescas, visto que la contem produtos Químicos? 2. Até que pontos os pescadores iram parar de usar as redes mosquiteiras para a pesca? 3. Será que os agentes do Ministério da Saúde (MISAU) fazem palestras sobre as consequências do uso de redes mosquiteiras param a pesca?

5. Hipóteses

Segundo BALOI (s/d), Hipóteses são soluções provisórias para o problema formulado. Dentre as diversas hipóteses preliminares, o pesquisador opta pela mais provável para submetê-la a testes de experiência. Para o problema em causa, o pesquisador teve como hipóteses:

Se calhar os praticantes da pesca, não estão informados sobre as consequências do uso de redes mosquiteiras para a pesca;

Pode ser que os profissionais da saúde daquele distrito não fazem palestras para aquele tipo de caso; Talvez a direção distrital dos mares água e pescas não tem fiscalizando.

6.Objectivos

6.1. Geral: Conhecer as causas que fazem com que os praticantes da pesca daquele distrito tenham aquele tipo de actitudes.

6.2.Específicos: Assinalar as consequências do uso de redes mosquiteiras para as pescas;

Propor medidas de como acabar com o comportamento dos pesquisadores;

Dar recomendações finais aos pescadores do distrito de Metangula.

7.Justificativa

Segundo LAKATOS e MARCON (1991, p.68), a justificativa consiste em dizer dos porquês da existência da actividade proposta, evidenciando ainda os fundamentos, quer teóricos, quer práticos que o sustenta.

O pesquisador interessou-se no tema, visto que os pescadores do distrito em causa, tem apresentado problemas (por g usar redes mosquiteiras para a pesca), e para melhorar o ensino na sociedade, pensou-se em abordar e desenvolver o tema em causa.

8. Metodologias

Para FONSECA (2002), methodos significa organização, e logos, estudo sistemático, pesquisa, investigação; ou seja, metodologia é o estudo da organização, dos caminhos a serem percorridos, para se realizar uma pesquisa ou um estudo, ou para se fazer ciência. Etimologicamente, significa o estudo dos caminhos, dos instrumentos utilizados para fazer uma pesquisa científica.

Para a elaboração deste trabalho, foram usados os manuais electrónicos. Neste caso, usou-se a observação indirecta de entrevista e por questionário.

8.1.Quanto à abordagem Quanto a abordagem, do trabalho, a pesquisa é do tipo qualitativa: Para MINAYO (2001) apud SILVEIRA et all (2009), pesquisa qualitativa preocupa-se, portanto, com aspectos da realidade que não podem ser quantificados, centrando-se na compreensão e explicação da dinâmica das relações sociais.

A pesquisa qualitativa trabalha com o universo de significados, motivos, aspirações, crenças, valores e atitudes, o que corresponde a um espaço mais profundo das relações, dos processos e dos fenómenos que não podem ser reduzidos à operacionalização de variáveis.

8.2.Quanto aos objectivos Quanto aos objectivos, a pesquisa enquadra-se no tipo exploratório (pesquisa exploratória):

Segundo (GIL, 2007). Este tipo de pesquisa tem como objectivo proporcionar maior familiaridade com o problema, com vistas a torná-lo mais explícito ou a construir hipóteses. A grande maioria dessas pesquisas envolve: i) Levantamento bibliográfico; i) Entrevistas com pessoas que tiveram experiências práticas com o problema pesquisado; i) Análise de exemplos que estimulem a compreensão.

Essas pesquisas podem ser classificadas como: pesquisa bibliográfica e estudo de caso (GIL, 2007).

8.3.Quanto aos procedimentos Quanto aos procedimentos do trabalho é do tipo; pesquisa documental

A pesquisa documental recorre a fontes mais diversificadas e dispersas, sem tratamento analítico, tais como: tabelas estatísticas, jornais, revistas, relatórios, documentos oficiais, cartas, filmes, fotografias, pinturas, tapeçarias, relatórios de empresas, vídeos de programas de televisão, etc. (FONSECA, 2002, p. 32).

Esta presente pesquisa é do tipo documental, nisto, terá como fontes primárias (pessoas de instituições) e desenvolvera as seguintes mitológicas: Entrevista aos pescadores de Metangula;

Inquérito a membros da saúde do distrito de Metangula;

Consultas bibliográficas.

9.Fundamentação teórica

10.Conceito de saúde Publica

A saúde pública é a área que trata da protecção da saúde a nível populacional. Neste sentido, procura melhorar as condições de saúde das comunidades através da promoção de estilos de vida saudáveis, das campanhas de sensibilização, da educação e da investigação.

O conceito clássico de Saúde Pública define o termo como a arte e a ciência de prevenir doenças, prolongar a vida, possibilitar a saúde e a eficiência física e mental através do esforço organizado da comunidade. Isto envolve uma série de medidas adequadas para o desenvolvimento de uma estrutura social capaz de proporcionar a todos os indivíduos de uma sociedade a condição de saúde necessária.

Esta definição é utilizada também pela Organização Mundial de Saúde, o principal órgão internacional que visa a manutenção do bem-estar físico, psíquico e social. Consultado no link http://portalsaude.saude.gov.br/portalsaude/ acesso no dia 29-05- 2017//13:4:08.

1. Uso de redes mosquiteiras para a pesca

O uso de redes mosquiteiras para a pesca é um problema antigo e comum em muitas regiões do país, sobretudo nas comunidades que vivem ao longo do litoral ou próximo dos rios e lagos.

De acordo com o MISAU (2017), devido ao perigo que esta prática representa para a saúde pública, uma vez que a rede mosquiteira conte produtos tóxicos que podem contaminar o peixe capturado e até o meio ambiente, o Ministério da Saúde (MISAU) aconselha que as populações abandonem este tipo de comportamento.

“As populações das regiões costeiras e das que estão próximas aos lagos e rios têm esta prática. Chama-se atenção para que parem com esta atitude, porque contamina o ambiente e o peixe que é pescado com uso destas redes pode ficar contaminado. O consumo de peixe contaminado causa várias doenças que constituem outros custos para o Governo” (ISMAEL, 2017:s/d).

Na província do Niassa, anualmente são distribuídas redes mosquiteiras, só este ano já foram distribuídas cerca de 30 mil, no entanto, os casos de malária tendem a subir.

O que se verifica actualmente tem a sua razão de ser, pelo facto de não haver um controlo por parte das autoridades no tocante à importação e venda de redes de pesca, (MOMADE, 2017:s/d).

12.Principais efeitos tóxicos

Não é possível descrever todos os efeitos que podem ser produzidos pela grande variedade de substâncias tóxicas existentes; portanto, em seguida será apresentada uma breve explicação sobre os principais efeitos já constatados.

O dióxido de nitrogênio (NO2) é um bom exemplo deste efeito. Uma exposição de longa duração pode causar enfisema, com perda da capacidade do intercâmbio gasoso respiratório.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) também alertou, por meio de vários comunicados, sobre o uso de produtos com estes componentes - ainda que tenha ressaltado que as consequências diretas não são sempre medidas com facilidade e que sua gravidade depende do grau de exposição a eles.

13.Concentração de produtos químicos nas redes mosquiteiras

Producto químico/ substancia Concentração em %

Ácidos fracos 30% Insecticidas 5%

Fonte: Organização Mundial de Saúde (OMS) 2011.

14. Recomendações finais

Para os pescadores que usam as redes mosquiteiras para a pesca, devem reduzir/e ou mudar de actitude, visto que nas redes mosquiteiras existem produtos químicos tóxicos que são e ou podem ser nocivos a saúde, e com isso recomendam-se aos todos os praticantes desta especialidade (pesca) que mudem para melhorar a vida dos compradores e da população em geral.

No que tange a direção distrital de Metangula, recomenda-se que façam palestras no mínimo de quinzenas (15 em 15 dias) como este tipo de tema; e por fim a direção das pescas que fiscalize as formas de como vem sendo obtido o pescado.

15.Cronograma de actividades

Actividades MAIO JUNHO Semana 1-17 Semana 20-27 Semana 01-07 Semana 09-15

Escolha do tema

Período de pesquisa

Período de 1ª correção.

Período de compilação

Entrega de supervisor

10 16.Apêndices

Imagem 1: pescadores de Metangula (2017).

Imagem 2: Adultos usando rede mosquiteira

Imagem 3: crianças usando redes mosquiteiras

Fonte: smartvodafone//android system, (2017).

7. Bibliografia

AMORIM, Ana Paula. Metodologia do trabalho Científico.2a ed. Bahia-Brasil, 1998. BALOI, Emília Afonso Mário Suarte, Introdução à investigação científica; Ensino à Distância; Universidade Pedagógica. Maputo-Moçambique. CASTRO, José M. (2005), Métodos e Técnicas de Pesquisa, Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais, Instituto de Educação Continuada, Belo Horizonte.

ISMAEL, Luís; representante do MISAU, zona norte de Moçambique, 2017.

MOMADE, Sérgio; presidente comunitário das pescas do Lago-Metangula, Niassa.2017.

Comentários