A alavancagem e seu impacto na materialização dos objectivos financeiros das empresas do ramo comercial em Nampula

A alavancagem e seu impacto na materialização dos objectivos financeiros das...

(Parte 1 de 6)

Sérgio Alfredo Macore

A alavancagem e seu impacto na materialização dos objectivos financeiros das empresas do ramo comercial em Nampula, caso da Nova-Base, filial de Nampula 2013 a 2015

Licenciatura em Gestão de Empresas com habilitações em Gestão Financeira

Universidade Pedagógica

Nampula

2016

Sérgio Alfredo Macore

A alavancagem e seu impacto na materialização dos objectivos financeiros das empresas do ramo comercial em Nampula, caso da Nova-Base, filial de Nampula 2013 a 2015

Monografia Científica Apresentada a Escola superior de Contabilidade e Gestão, Delegação de Nampula, Para a Obtenção do Grau Académico de Licenciatura em Gestão de Empresas com Habilitações em Gestão Financeira.

Supervisor: dr. Faruque Mamudo Jalilo

Universidade Pedagógica

Nampula

2016

ÍNDICE

LISTA DE TABELAS

Tabela 1: O que intendes por alavancagem?37

Tabela 2: Qual é o grau de alavancagem financeira da empresa?37

Tabela 3: No processo de alavancagem notou-se resultados positivos?37

Tabela 4: Quais são impactos decorrentes no que tange a alavancagem da empresa?37

LISTA DE FIGURAS / GRAFICOS

Figura 1. Vista frontal do edifício da empresa Nova Base, Lda. - filial de Nampula.29

Figura 2. Organograma da empresa Nova Base, Lda.31

Gráfico 1.Nível Académico dos respondentes ao questionário32

Gráfico 2. Género dos respondentes ao questionário32

LISTA DE QUADROS

Quadro 1: Necessidade de capital de giro33

Quadro 2: Valor da divida34

Quadro 3: Retorno sobre activo34

Quadro 4: ROI34

Quadro 5: WACC35

Quadro 6: GAF – Grau de Alavancagem Financeira35

Quadro 7: Indicadores da empresa Nova-Base35

Quadro 8: Valor económico agregado pelo Retorno sobre Investimento36

Quadro 9: VEA agregado pelo LL Operacional36

LISTA DE ABREVIATURAS

SA Sociedade Anónima

AF Alavancagem Financeira

RAT Retorno do Activo

RPL Retorno do Património Liquido

GAF Grau de Alavancagem Financeira

LL Lucro Liquido

PL Património Liquido

CCL Capital Circulante Liquido

NCG Necessidade de Capital Giro

VEA Valor Economico Agregado

ROI Retorno Sobre Investimento

ILS Índice de Liquidez Seca

ML Margem de Lucratividade

DECLARAÇÃO

Declaro que esta monografia científica foi o resultado da minha investigação pessoal e das orientações do meu supervisor, o seu conteúdo é original e todas as fontes consultadas estão devidamente mencionadas no texto, nas notas e bibliografia final.

Declaro ainda que esta monografia não foi apresentada em nenhuma outra instituição para obtenção de qualquer grau académico.

Nampula, __________ de Abril de 2016

Nome do Autor

______________________________________________

(Sergio Alfredo Macore)

Nome do Supervisor

_____________________________________________

(dr: Faruque Mamudo Jalilo)

DEDICATÓRIA

Em primeiro lugar, dedico este trabalho aos meus pais .

A minha esposa por ter acreditado na minha capacidade profissional e me dar todo o apoio necessário ao longo do meu curso académico.

A eles, votos de muita felicidade e longa vida.

AGRADECIMENTO

Em primeiro, agradeço a Deus pela vida.

Em segundo lugar, agradeço ao meu supervisor dr Faruque Mamudo Jalilo, pelo empenho e dedicação no acompanhamento da presente monografia e pelos ensinamentos indispensáveis por ele transmitidos.

A todos os docentes da UP-Nampula, em particular aos do Departamento de Contabilidade e Gestão pelos conhecimentos por eles transmitidos durante a minha formação académica.

Aos meus colegas de carteira, pelo companheirismo e interacção académica que demonstraram ao longo deste percurso.

Aos meus familiares em praticar meus irmãos, Primos Sobrinhos, meus pais pelo apoio moral e material e pela dedicação e confiança por eles oferecido durante toda a caminhada.

Finalmente agradecer a todos que direita ou indirectamente deram de si para o alcance deste objectivo.

O meu muito obrigado.

RESUMO

Diante do exposto, percebe-se que as empresas têm dois mecanismos para poder financiar as suas actividades: Na verdade, pode-se recorrer os capitais próprios assim como os capitais de terceiro. Dai que, os capitais próprios intende-se que são aqueles que não dispõem de qualquer contrapartida exacta de remuneração, enquanto os capitais de terceiros são aqueles que dispõem de remuneração mínima que pode ou não ser acrescida a uma taxa de referencia aceite no mercado e que possui uma regra com um esquema de desembolso muito definido, contudo, esta pesquisa, o objecto de estudo centra-se ou seja esta focado no ultimo mecanismo de financiamento, podendo ser utilizada por capitais de terceiros para poder maximizar os lucros dos accionistas, dai que esse todo processo é denominado por alavancagem. Com as modificações de tensão política que se verifica na zona centro pais, verifica-se grande diminuição de comprar de compra de produtos da primeira necessidade, mas assim mesmo as firmas enfrentam pós a pós dia grandes obstáculos, pois o publico esta cada vez mais exigente e o comercio esta altamente competitivo. Assim as empresas em termos das suas condições tem de trazer para oferecer o que o mercado já esta a oferecer e com isso, nessa avaliação esta sendo realizado e notado que nem todas as vezes as firmas adquirem aquilo que seria recursos de terceiros onde ocorrera um processo de alavancagem muito positivo.

Palavras-chaves: Alavancagem. Demonstrações financeiras.

CAPITULO I - INTRODUÇÃO

1.1.Introdução

As empresas podem financiar suas actividades pelo emprego de recursos próprios ou de terceiros que, unidos, constituem sua estrutura de capital, a alavancagem financeira atribui a relação entre capital próprio e créditos empregados em uma operação financeira. Dai que é sabido que, o mercado hoje em dia esta altamente exigente e ao mesmo tempo competitiva verificando-se aquilo que seria concorrência, dê que as empresas devem fazer o máximo para se adaptar as mudanças que estão a ocorrer para poder tornar a firma no ritmo competitivo diante da realidade.

Os investidores e ou accionistas estão preocupados em rentabilizar o capital por eles aplicado, entretanto, é função e responsabilidade do gestor definir a estrutura de capital que seja eficiente no alcance dos objectivos da empresa, e dos accionistas / investidores; nesta ordem de ideais é crucial que os gestores não sejam muito conservados ao tomar esta decisão uma vez que pretendem alcançar resultados que garantam a continuidade eficiente da empresa. E para que a empresa continue eficientemente esta precisa gerar retornos maiores aos seus accionistas.

O uso dos capitais alheios é um recurso fundamental na geração de resultados que alavanquem os fundos próprios ou riqueza dos accionistas. Todavia, é preciso alavancar e na verdade para que isso aconteça é muito importante que as firmas consigam enfrentar alguns riscos advindas no ambiente envolvente. E com isso, o estágio do negócio tem de ser feito em consonância para identificar o real necessidade da empresa, podendo assim fazer com que os seus custos não sejam muito maiores, o que pode vir prejudicar o processo de alavancagem.

O uso intensivo dos fundos alheios resulta num aumento do retorno aos accionistas e em contrapartida aumenta também o nível de risco associado ao mesmo. Assim, o tema do presente projecto de pesquisa é: A alavancagem e seu impacto na materialização dos objectivos financeiros das empresas do ramo comercial em Nampula, visando investigar as relações entre a alavancagem e materialização eficiente e eficaz dos objectivos financeiros das empresas do ramo comercial em Nampula, em particular a Nova-Base, filial de Nampula, no período compreendido entre 2013 até 2015.

1.2.Objectivos do Trabalho

A presente pesquisa procura alcançar os objectivos traçados, isto é, geral e os específicos de modo que se materialize a questão acima colocada acerca de alavancagem e seu impacto na materialização dos objectivos financeiros das empresas do ramo comercial em Nampula.

1.2.1. Objectivo geral

A presente pesquisa tem como objectivo geral:

  • Analisar o impacto da alavancagem na materialização dos objectivos financeiros da empresa Nova-Base, filial de Nampula.

1.2.2. Objectivos específicos

  • Descrever analiticamente as vantagens do uso do capital alheio pelas empresas do ramo comercial;

  • Identificar as formas de decisão dos efeitos gerados pela alavancagem financeira;

  • Identificar as vantagens e desvantagens do uso da alavancagem financeira pelas empresas do ramo comercial;

  • Avaliar a aplicabilidade da alavancagem operacional e financeira pelas empresas do ramo comercial em Nampula.

1.3. Justificativas

As empresas do ramo comercial estão em constante inovação estratégica a fim de alcançar de forma eficiente os seus objectivos financeiros, nos quais a alavancagem pode ser usada em várias situações onde a maximização dos resultados se revele importante. Muitas são as empresas que necessitam de capital para financiar seus projectos, porem conservadoras no quesito busca de financiamento, pois estas receiam os riscos altos associados ao endividamento elevado, facto que motivou a pesquisa e aprofundamento deste tema.

A importância deste tema reside também no facto de o volume de alaranjem na estrutura de capital poder afectar seu valor de maneira significativa ao afectar o retorno e risco, por isso, dado o seu efeito sobre o valor da empresa, o gestor financeiro deve saber como medir e avaliar. Assim sendo as empresas podem marcar diferenças e ter vantagem competitiva em relação a concorrência.

Por outro lado a importância do mesmo, reside no facto de puder servir de material para futuras pesquisas e, igualmente, para dar a conhecer as empresas alheias sobre os impactos da alavancagem no alcance dos seus objectivos financeiros e consequente sucesso empresarial.

1.4. Problematização

Vários são os estudos feitos sobre a relevância da estrutura de capital na criação de valor as empresas e aos accionistas, dos quais uns sustentam que exista uma relação entre rendibilidade e alaranjem, e outros sustentam a irrelevância da forma como a empresa é financiada na criação de riqueza aos seus proprietários. Teorias como a de MM, entre outras, foram desenvolvidas nesse âmbito, visando encontrar reais respostas do impacto da origem dos fundos na criação de valor, porém ainda persistem divergências nesse âmbito.

Face ao exposto acima, o pesquisador levanta a seguinte questão:

  • Qual é o impacto da alavancagem na materialização dos objectivos financeiros das empresas do ramo comercial em Nampula, no caso particular da Nova-Base?

1.5. Hipótese de estudo

[...] é uma resposta possível de ser testada e fundamentada para uma pergunta feita relativa ao fenómeno escolhido. O pesquisador examina a literatura sobre o fenómeno, obtém a maior quantidade de conhecimento possível, para responder ao problema formulado. Essa tentativa de resposta é a hipótese.” (RICHARDSON,1999, p. 27).

Assim, as hipóteses que se pretendem testar com a presente pesquisa são:

H0: No contexto das empresas do ramo comercial em Nampula, a alavancagem não tem impactos na materialização dos objectivos financeiros nas empresas.

H1: No contexto das empresas do ramo comercial em Nampula, a alavancagem contribui grandemente na materialização dos objectivos financeiros nas empresas, em particular a Nova-Base, filial de Nampula.

1.6. Delimitação do Estudo

O estudo será realizado na empresa Nova-Base, filial de Nampula, localizada e sedeada na cidade de Nampula. A pesquisa abrange os resultados financeiros da empresa em estudo no período compreendido entre 2013 a 2015, para medir o impacto da alavancagem nos mesmos.

1.7. Estrutura do trabalho

Para uma melhor percepção e análise, o trabalho está estruturado em cinco capítulos. Sendo que a parte pré-textual do trabalho apresenta primeiro a lista de tabelas, abreviaturas, depois a declaração, dedicatória, agradecimentos e resumo do trabalho.

No capítulo introdutório é apresentada a introdução, os objectivos do estudo: geral e específico que se esperam alcançar e a justificativa. Depois, é apresentada a definição do problema de pesquisa, a hipótese de estudo e a delimitação do estudo.

No segundo capítulo desta pesquisa temos os conceitos referentes a alavancagem na materialização dos objectivos financeiros da empresa, onde muitos autores de renome falam e retratam acerca do tema em questão.

No terceiro capítulo é apresentada a metodologia da pesquisa, onde foi evidenciada a classificação da pesquisa, fontes de dados, universo e amostra, dados da pesquisa, o plano de colecta de dados e por fim instrumentos usados para a colecta de dados.

O quarto capítulo irá se apresentar breve historial ou seja uma pequena contextualização acerca da empresa em estudo e por fim uma analise dos dados e interpretação em geral.

No último capítulo é apresentada conclusões recomendações, referencia bibliográfica utilizada para a elaboração do trabalho e os apêndices.

CAPÍTULO II - REVISÃO DA LITERATURA

2.1.Introdução

No sentido de dar resposta ao problema a que se propôs, a revisão de literatura que a seguir se apresenta ira incidir sobre questões relacionadas com o impacto da alavancagem na materialização dos objectivos financeiros das empresas do ramo comercial em Nampula.

2.2.Alavancagem

Segundo Gitman (2002) apud Candido e Caires (2014: p.34), alavancagem é um processo utilizado na administração para elevar os resultados da empresa, é a utilização de recursos próprios ou de terceiros a um custo fixo, com o intuito de aumentar os retornos dos sócios. Quando uma empresa aplica o processo de alavancagem, busca um retorno, que seja, no mínimo, suficiente para saldar as dívidas adquiridas durante o processo. A probabilidade de o retorno ser menor que o esperado é chamado de risco e esse factor é proporcional ao grau de alavancagem, ou seja, quanto maior a alavancagem, maior o risco, e assim o retorno esperado, já que ambos têm relação directa.

O termo alavancagem ou do inglês leverage, origina-se no princípio da alavanca da Física, segundo a qual determinada que a massa pode ser levantada de forma indirecta (através de uma alavanca apoiada em um ponto fixo) com menor esforço do que aquele que seria exigido em um levantamento directo, ao se erguer esta massa. Como técnica de análise financeira, alavancagem é a utilização dos activos a custos fixos destinados a multiplicar o retorno aos sócios (proprietários). As oscilações nas alavancagens geram oscilações nos retornos e nos riscos. Utilizam-se três tipos de alavancagens: alavancagem operacional, financeira, e combinada ou total. Ambas possuem o mesmo objectivo, mas a forma com que atingem este objectivo é que difere uma da outra. (TÓFOLI, 2012) apud Candido e Caires (2014: p.35).

A alavancagem pode ser considerada a utilização de custos operacionais e/ou financeiros (juros e dividendos de acções), com o objectivo de financiar as actividades das operações de uma empresa, maximizando seu resultado e proporcionando maior retorno (FERREIRA, 2005, p.191).

Segundo Hoji (2004), a forma de medição da alavancagem é através do seu grau, que mostra o quanto a empresa comportou-se numericamente. O grau de alavancagem operacional (GAO) mede o quanto ela obteve de resultados em números relacionados à parte operacional. Assim como o grau de alavancagem financeira (GAF) mede o quanto a organização obteve de resultados financeiros.

2.2.1.Alavancagem Financeira e Grau de Alavancagem

Para Assaf Neto e Lima (2011) apud Candido e Caires (2014: p.35), o grau de alavancagem financeira depende da relação capital de terceiros/capital próprio e do diferencial de taxas de captação (Ki) e aplicação (ROI) de recursos, além do próprio desempenho operacional da empresa.

Tófoli (2012) apud Candido e Caires (2014: p.35), destaca que a empresa, ao usar recursos de terceiros com um custo fixo para aumentar os lucros dos sócios ou accionistas, aplica o princípio de alavancagem.

Ainda conforme Tófoli (2012) apud Candido e Caires (2014: p.35), quando não houver despesas financeiras, não haverá alavancagem financeira. Assim, o GAF será igual a 1. Fórmula de alavancagem financeira, indicando um elemento multiplicador:

GAF = Lop / (Lop – DESPESAS FINANCEIRAS)

Ou

GAF = Lop / (Lop – DF)

Este indicador pode ser obtido de outra forma, de acordo com Hoji (2004), o grau de alavancagem é um importante instrumento de gestão financeira e é calculado da seguinte forma:

GAF = RPL / RAT

Ainda de acordo com Hoji (2004):

GAF: Grau de alavancagem financeira.

RPL: Retorno do património líquido.

RAT: Retorno do activo.

Quando a empresa apresentar:

a) GAF = 1 Alavancagem financeira nula.

b) GAF > 1 Alavancagem financeira Favorável.

c) GAF < 1 Alavancagem financeira desfavorável.

Para Hoji (2004), quando a empresa possuir GAF = 1 e a alavancagem for nula, significa que a empresa não utiliza capital de terceiros, GAF > 1, o capital de terceiros está valorizando o património líquido e GAF < 1, a alavancagem foi desfavorável, não trazendo retorno para a empresa.

Enfim, para tomar crédito em instituições financeiras, uma empresa pode ou não estar passando por uma crise financeira, possivelmente pode estar adquirindo capital terceiros como fonte para alavancar os seus lucros, o que pode ou não dar certo, dependendo da maneira com que ela vai utilizar este capital. Mas utilizando-o de maneira correta, a empresa apresentará uma alavancagem financeira positiva, ou seja, terá resultados superiores aos custos dos valores.

2.2.2.Processos de alavancagem financeira

Segundo Hoji (2004), a alavancagem financeira ocorre quando o capital de terceiros produz efeitos sobre o património líquido da empresa e como o capital de terceiros se utiliza de uma alavanca, para produzir efeitos sobre o património líquido, podendo os mesmos serem positivos ou negativos.

Tófoli (2012) afirma:

O retorno sobre o capital próprio (Lucro liquido / Património liquido) deve ser superior ao retorno sobre o activo total (LAJIR / Activo total) devido ao uso de capitais de terceiros para financiar parte do activo. Além disso, esse retorno sobre o capital próprio deve ser superior ao custo que a empresa paga pelo uso do capital de terceiros obtido. Um recurso captado a 15% ao ano deve proporcionar um lucro operacional superior a essa taxa, ou seja, o retorno do activo deve ser maior que 15% sob pena de empresa experimentar sérias consequências. Assim, usar os recursos (de terceiros) a custo fixo para multiplicar o lucro dos accionistas é o princípio da alavancagem financeira. (TÓFOLI, 2012, p. 167.).

Ainda conforme Tófoli (2012), o processo de alavancagem trata da relação existente entre as receitas e os lucros antes dos juros. O crescimento de X% das vendas não resulta nos mesmos X% no crescimento dos lucros, dada a existência de custos fixos e custos variáveis na composição dos resultados.

A análise da rentabilidade baseia-se em três índices, exemplificados por Tófoli (2012):

a) Retorno sobre o activo:

(Parte 1 de 6)

Comentários