Monografia - Análise das demonstrações financeiras como instrumento de verificação da situação financeira nas PE’s

Monografia - Análise das demonstrações financeiras como instrumento de...

(Parte 1 de 4)

Nome: Sergio Alfredo Macore / 2016

Contacto: +258 846458829 Email: Sergio.macore@gmail.com

CAPITULO I: INTRODUÇÃO 1.1. Introdução

A presente monografia é subordinada ao tema: Análise das demonstrações financeiras como instrumento de verificação da situação financeira nas PE’s: Estudo de Caso da Water Sistem

Consulting, 2012-2014.

Através do tempo, vem sendo comprovado que a sociedade depende de registos contabilísticos e económico-financeiro para obter bons desempenhos quer no campo governamental, empresarial ou mesmo familiar. Hoje esses conceitos são fortes aliados aos gestores financeiros, fornecendo aos mesmos relatórios que podem ser analisados e a partir daí diagnosticar a situação financeira da empresa. Assim, a Gestão Financeira é fundamental para que as empresas sejam bem-sucedidas e sustentáveis buscando a perpetuidade.

Um dos focos principais desse estudo é abordar a análise financeira das demonstrações financeiras, seu papel dentro de uma empresa. Visto que, a análise por meio de índices financeiros é ferramenta ideal para se ter o controlo mais adequado para as tomadas de decisões nas empresas. Através dos indicadores financeiros é possível comparar uma organização com outras do mesmo segmento e até de segmentos diferentes de mercado, estabelecendo critérios de avaliação do desempenho entre as empresas. Os indicadores também podem ser utilizados para comparar o desempenho da empresa.

Contudo, percebe-se que cada empresa tem por definida uma missão a qual é realizada através do seu posicionamento competitivo no mercado. A estratégia da empresa centra-se precisamente sobre estes posicionamentos.

Deste modo a estratégia competitiva pretende fazer com o crescimento da empresa seja, pelo menos semelhante ao do mercado onde se encontra a competir, deste modo à taxa de crescimento das vendas deve acompanhar ou exceder a taxa de crescimento esperada para o mercado. Sendo viável o uso de projecção de vendas, a qual é a segunda componente de análise deste trabalho.

1.2. Objectivos da pesquisa

1.2.1. Geral

Evidenciar a importância da Gestão Financeira nas PE’s, através da análise financeira das demonstrações financeiras para verificação da situação financeira.

1.2.2. Específicos

Identificar as razões que levam muitas PE’s a não fazerem a análise das demonstrações financeiras produzidas por elas;

Descrever a importância que análise das demonstrações financeira desempenha na verificação da situação financeira das PE’s;

Fazer uma análise financeira das demonstrações financeiras para verificar a situação financeira da Water Systmes Consulting.

1.3. Justificativa

A escolha do tema em estudo teve como pressupostos importância das informações geradas pela análise financeira na tomada de decisões e também como elemento de análise do desempenho financeiro das empresas em determinado período. Justifica-se também por demonstrar a importância da análise financeira como instrumento que deve ser utilizado para auxiliar às tomadas de decisões nas PE’s, uma vez que ajudam na verificação da situação da empresa.

A escolha do tema também baseou-se no conhecimento adquirido durante a assistência das aulas da cadeira de Gestão Financeira, quando se abordava sobre a Análise das Demonstrações Financeiras, e também, deriva da grande importância que a análise financeira tem no processo de tomada de decisão, pois ela é de suma importância para uma empresa que pretende evoluir, uma vez que através dela obtêm-se informações importantes sobre sua posição económica e financeira.

1.4. Problema de Pesquisa

No cenário moçambicano, muitas das PE’s não tem feito o uso das análises das demonstrações financeiras, para que lhes auxiliem no processo de tomada de decisões. Muitos dos proprietários bem como alguns gestores existentes nas PE’s alegam que fazer uma análise financeira tem sido muito difícil, e requer muito tempo. E também nota-se que muitos dos contabilistas que fazem ou elaboram as demonstrações financeiras nas PE’s, não tem feito adicionalmente a análise financeira, por falta de domínio ou porque é de difícil interpretação das informações geradas por este instrumento. Diante desses factos, a questão que se levanta é a seguinte:

Que contributo a análise financeira como instrumento de verificação de desempenho pode trazer paras as PE’s?

1.5. Hipóteses

A análise de demonstrativos contabilísticos se caracteriza pela extracção, transformação e condensação, usando-se diversas técnicas, de uma grande massa de dados em informações úteis e relevantes ao processo de decisão. A análise das demonstrações financeiras deve ser entendida dentro de suas possibilidades e limitações. De acordo com Iudícibus (1998), a análise, por um lado, mais aponta problemas do que indica soluções e, por outro, pode se transformar num painel de controlo a ser utilizado pela Administração. A análise limitada a um exercício apenas é pouco reveladora. Assim, é interessante se ter também dados de Exercícios anteriores.

Segundo a questão levantada, propõe-se as seguintes hipóteses:

Analise financeira como instrumento de verificação de desempenho nas PE’s contribui para que elas conheçam a sua posição económico-financeira actual, as causas que determinaram a evolução apresentada e as tendências futuras.

Analise financeira servem como identificadores que demonstram a potencialidade da empresa, mostrando qual a liquidez da empresa de dispor de recursos para saldar suas dívidas, qual o endividamento da empresa com terceiros, qual o retorno sobre os investimentos.

1.6. Estrutura do Trabalho

O tema é explanado em cinco capítulos: O primeiro é a introdução que apresenta o contexto, a problematização, os objectivos, as hipóteses e as questões de pesquisa. O capítulo subsequente tem como título: Revisão da Literatura, nele procura-se definir os conceitos chaves deste trabalho de modo a que o leitor seja capaz de seguir a discussão, tomando como base a compreensão dos conceitos segundo o autor.

O terceiro capítulo, faz da metodologia usada para a realização do presente trabalho. Foca o tipo de pesquisa, as técnicas utilizadas para a recolha de dados, o universo da pesquisa e a amostra entre outros aspectos relevantes, que visualizam como o trabalho foi elaborado. O quarto capítulo, aborda sobre a análise e interpretação de dados, através de um estudo de caso da empresa Water Sistem Cnsulting. Neste capítulo, visualiza-se a compilação dos dados e a análise dos mesmos para possível ilação de conclusões subjacentes ao tema em abordagem. Finalmente, no quinto e último capitulo, são apresentadas as conclusões e as recomendações.

2.1. Introdução

Nesta seção é apresentada a base teórica para fundamentar o estudo e propiciar melhor compreensão sobre o tema.

2.2. Analise Financeira

2.2.1. Conceito de Analise Financeira

Analisar significa transformar as demonstrações contabilísticas em partes de forma que melhor se interprete os seus elementos. Interessa conhecer primordialmente dois aspectos do património, quais sejam, o económico e o financeiro. A situação económica diz respeito à aplicação do capital e seu retorno e a situação económica diz como a empresa está em relação a seus compromissos financeiros. (FRANCO 1992, p. 93).

Conforme entendimento de Silva (2010, p. 6), análise financeira “consiste num exame minucioso dos dados financeiros disponíveis sobre a empresa, bem como das condições endógenas e exógenas que a afectam financeiramente, com o objectivo de verificar sua performance económico-financeira.”

Como dados financeiros disponíveis, pode-se incluir demonstrações contabilísticas, programas de investimentos, projecções de vendas e projecção de fluxo de caixa, por exemplo. Como condições endógenas, analisa-se estrutura organizacional, capacidade gerencial e nível tecnológico da empresa. Como condições exógenas, relaciona-se os factores de ordem política e económica, concorrência e fenómenos naturais, entre outros. Desse modo, a análise financeira transcende as demonstrações contabilísticas.

As demonstrações contabilísticas são apenas canais de informação sobre a empresa, tendo como objectivo principal subsidiar a tomada de decisão. Estão implícitos que devemos trabalhar com informações de boa qualidade para chegarmos a um relatório de análise com o esmero necessário.

Análise das demonstrações contabilísticas, segundo Iudicibus (2009, p. 20) é: "a arte de saber extrair relações úteis, para o objectivo económico que tivermos em mente, dos relatórios contabilísticos tradicionais e de suas extensões e detalhamentos, se for o caso".

Para SA (1991, p. 16) "Análise contabilística é um estudo das partes dos demonstrativos para conhecer-se uma situação ou diversas situações de uma empresa".

A análise das demonstrações contabilística é um processo que objectiva ultrapassar as fronteiras dos dados e relatórios obtidos pela contabilidade, transformando dados em informações úteis e de fácil entendimento, que possam facilitar a vida de empresários, gerentes e demais gestores (MATARAZZO, 2003, p.18).

De acordo com Perez Junior e Begalli (2009, p.57) a “análise das demonstrações financeiras extrai o máximo possível de informações, através da interpretação dos dados disponibilizados pelas demonstrações contabilísticas e financeiras, tratadas em conformidade com as premissas contabilísticas”. Sua principal finalidade é fornecer informações precisas para os credores e investidores tomarem decisões.

Para Assaf Neto (2000, p. 35) “a análise de balanços visa relatar, com base nas informações contabilísticas fornecidas pelas empresas, a posição económico-financeira actual, as causas que determinaram a evolução apresentada e as tendências futura.”

Em outras palavras, através da análise de balanços extraem-se informações sobre a posição passada, sobre a posição actual, e fornece subsídios para a projecção da posição futura da empresa.

Matarazzo (2003, p. 1) afirma que “a Análise de Balanços objectiva extrair informações das Demonstrações Financeiras para a tomada de decisões.” As demonstrações financeiras fornecem uma série de dados sobre a empresa, de acordo com regras contabilística. A Análise de Balanços transforma esses dados em informações e será tanto mais eficientes quanto melhores informações produzir.

A análise das Demonstrações Contabilísticas, portanto, têm por objectivo observar e confrontar os elementos patrimoniais e os resultados das operações, visando o conhecimento minucioso de sua composição qualitativa e de sua expressão quantitativa, de modo a revelar os factores antecedentes e determinantes da situação actual, e, também, servir de ponto de partida para delinear o comportamento futuro da empresa.

Conforme Assaf Neto (2000) a principal característica que norteia a análise de balanços é a comparação. Comparam-se valores obtidos em determinado período com aqueles levantados em períodos anteriores e o relacionamento desses valores com outros afins.

Quando uma conta ou grupo de contas é tratado isoladamente não retrata adequadamente a importância do valor apresentado e menos ainda seu comportamento ao longo do tempo. A esse processo de comparação, indispensável ao conhecimento da situação de uma empresa, é representado pela análise horizontal e análise vertical.

A Análise das Demonstrações Contabilísticas tem como escopo verificar a evolução ou involução das situações financeira e económica da entidade. Matarazzo (2003, p. 2) afirma que “a Análise de Balanços objectiva extrair informações das Demonstrações Financeiras para a tomada de decisões”. As Demonstrações Contabilísticas fornecem uma quantidade de dados relativos a empresa e através da Análise de Balanços é possível transformar estes dados em informações úteis aos usuários.

É importante ressaltar que a análise das demonstrações contabilística, amplamente aceite no meio académico e empresarial, compreende duas categorias distintas:

A Análise Financeira, que possibilita a interpretação da saúde financeira da empresa, seu grau de liquidez e capacidade de solvência; e

A Análise Económica, que possibilita a interpretação das variações do património e da riqueza gerada por sua movimentação. A análise económica e financeira consiste numa metodologia, ou conjunto de técnicas e processos previamente determinados que apoiam o gestor no momento de definição de políticas, acções e metas que compõem o planeamento estratégico da organização.

Tanto a análise financeira quanto a económica, são elaboradas e avaliadas sob vários pontos de vistas distintos, conforme a necessidade e amplitude de cada usuário.

Conforme Fernandes et al. (2012, p.23) Analise Financeira esta vocacionada para a recolha de informação de cariz eminentemente económico-financeiro, para o seu tratamento e o seu estudo, de forma a fornecer dados e informações financeiras que sirvam de base para a tomada de decisões por parte dos gestores financeiros.

Por conseguinte, a análise visa determinar em que medida são conseguidos os objectivos gerais e particulares que correspondem ao conjunto das tarefas integrantes da função financeira. Quando feita internamente, é vista numa perspectiva previsional e voltada para o controlo de gestão.

2.2.2. Utilizadores da Análise Financeira

O estudo da situação económico-financeiro das empresas interessa a todos os stakeholders das empresas, dado que todos eles necessitam de informação financeira que seja útil para o apoio à tomada de decisão. De facto, o diagnóstico financeiro pode ser utilizado tanto a nível interno como externo, já que informação financeira e a sua interpretação constituem o objecto essencial de comunicação entre a empresa e o meio envolvente.

Apresentam-se de seguida, e de forma resumida, alguns dos grupos de stakeholders e suas respectivas necessidades da informação:

Gestores – necessitam da informação económico-financeira, a fim de puderem tomar decisões, por exemplo, acerca dos financiamentos e investimentos, bem como as medidas corretoras da situação financeira ou económica financeira. Accionistas ou sócios – esta classe de investidores preocupa-se essencialmente com o risco inerente ao seu investimento, bem como com a realidade que este lhe proporciona. Precisam, de informação que os ajude a tomar a decisão quanto à aquisição, manutenção, ou venda de uma determinada participação numa empresa.

Clientes - necessitam da informação capaz de lhes permitir aferir sobre a probabilidade de continuidade da empresa, essencialmente se fazem importantes adiantamentos ou estão muito dependentes de uma determinada empresa.

Fornecedores - a perspectiva da análise da empresa é essencialmente de curto prazo, preocupando-se com a capacidade da empresa pagar as suas dívidas nas respectivas datas de vencimento. Credores - para o caso desses intervenientes, como sejam as instituições financeiras e os obrigacionistas, a informação da empresa permitir-lhes-á analisar a capacidade da empresa amortizar os empréstimos contraídos, bem como os respectivos juros. Trabalhadores e sindicatos - estes stakeholders estão particularmente interessados em analisar a estabilidade financeira, e a rendibilidade da empresa, que se reflectira na capacidade da empresas pagar as respectivas remunerações, oferecer benefícios e criar oportunidades de emprego.

(Parte 1 de 4)

Comentários