6. Répteis - Características Gerais e especiais

6. Répteis - Características Gerais e especiais

Contribuições evolutivas

  • Contribuições evolutivas

    • Ovo amniótico com casca;
      • Membranas extra embrionárias: respiração excreção;
      • Em espécies terrestres, as membranas formam estrutura análoga à placenta.
    • Pele seca, altamente queratinizada;
      • Proteção contra agressões e dessecação.
    • Fecundação interna;
      • Independência da água para reprodução.
    • Economia hídrica;
      • Rim metanéfrico: ácido úrico

Final do Carbonífero – 300 ma

  • Final do Carbonífero – 300 ma

    • Anápsidos: crânio sem abertura temporal
      • Tartarugas
    • Diápsido: duas aberturas temporais
      • Originará todos os répteis e às aves:
        • Lepidossauros
          • Ictiossauros
          • Répteis atuais
        • Arcossauros
          • Dinossauros
          • Crocodilianos
          • Aves atuais
        • Sauropterígios
          • Plesiosauros e outros grupos aquáticos extintos
    • Sinápsidos: um par de aberturas temporais
      • Pelicossauros  terápsidos  mamíferos

  • Anápsidos

  • Ossificação maior que os anfíbios

  • Grande variação na região temporal

    • Anápsido  Sem abertura temporal
    • Euriápsido  Uma janela supratemporal
    • Sinápsido  Uma janela infratemporal
    • Diápsido  Duas janelas temporais

Teto do crânio arqueado

  • Teto do crânio arqueado

  • Forâmen parietal

    • Olho pineal (Sphenodon spp)
  • Palato secundário

    • Deslocamento das coanas para trás.
      • Apenas em crocodilianos e quelônios
  • Um côndilo occiptal

    • Articula-se com a atlas
  • Quadrado

    • Móvel em serpentes e lagartos
    • Fixo nos demais
  • Mandíbula com vários ossos

    • Dérmicos
    • Fundida ou unida por ligamentos

Em quelônios:

  • Em quelônios:

    • Não possuem dentes
    • Bico córneo
  • Restritos aos pré-maxilares e maxilares e dental

    • Podem também ser encontrados:
    • Palatinos, vômeres e pterigóide
  • Tipo:

    • Homodonte  Iguais
    • Heterodonte Diferentes
  • Quanto à implantação

    • Acrodonte
    • Tecodonte
    • Pleurodonte

  • Áglifa:

    • Família Columbridae (alguns grupos) e
    • Família Boidae.
  • Não possuem dentes inoculadores.

  • Todas não-peçonhentas.

  • Opistóglifa :

    • Família Columbridae
      • Gêneros: Philodryas, Clelia, Oxyrhopus, etc no Brasil).
    • Dentes inoculadores na região posterior da boca.
      • Dificulta a inoculação.
    • Devem ser consideradas peçonhentas.

Dentição Proteróglifa

  • Dentição Proteróglifa

    • Família Elapidae
      • Corais verdadeiras no Brasil
      • gênero Micrurus
      • Dentes inoculadores de veneno anteriores e fixos,
      • Grande capacidade de inoculação de veneno.
      • São PEÇONHENTAS e com um potencial de toxinas muito elevado.

Dentição Solenóglifa

  • Dentição Solenóglifa

  • Família Viperidae

    • Bothrops  jararacas,
    • Crotalus  cascavéis
    • Lachesis  sururucus
      • (no Brasil).
  • Dentes inoculadores

    • móveis e anteriores
    • Grande facilidade e capacidade de inoculação de veneno.
  • São PEÇONHENTAS, com alto potencial de toxinas.

Botrópica

  • Botrópica

  • Acidentes: 90 %

  • Ação: Proteolítica

  • Manifestações locais

    • dor imediata;
    • inchaço;
    • calor e rubor no local picado;
    • hemorragia no local da picada ou distante dele (principalmente nas extremidades).
  • Complicações

    • bolhas;
    • necrose, principalmente se for em extremidades;
    • abscesso;
    • insuficiência renal aguda.

Crotálica

  • Crotálica

  • Acidentes: 8 %

  • Ação: Neurotóxico

  • Manifestações locais

    • dificuldade em abrir os olhos;
    • visão dupla;
    • "cara de bêbado";
    • visão turva;
    • dor muscular;
    • urina avermelhada,
    • escurecimento da urina.
  • Complicações

    • insuficiência renal aguda.

Laquética

  • Laquética

  • Acidentes: Raros (< 1%)

  • Ação: Neurotóxico

  • Manifestações locais

    • dor imediata;
    • edema;
    • podem surgir bolhas com conteúdo soro hemorrágico
    • hemorragias apenas no local da picada;
    • hipotensão, bradicardia cólicas e diarréia (síndrome vagal);
    • necrose.
  • Complicações

    • insuficiência renal aguda.

Manter a vítima em repouso

  • Manter a vítima em repouso

    • Evitar a circulação do veneno.
  • Não fazer garroteamento, para não agravar as lesões locais.

  • Remover o acidentado para centros de tratamento no menor tempo possível, para a aplicação do soro específico.

  • O membro afetado deve ser mantido elevado.

  • Pode-se administrar analgésicos e tranqüilizar o paciente.

  • Evitar o uso de drogas depressoras do sistema nervoso.

Específicos:

  • Específicos:

  • Existem soros específicos para cada gênero de serpentes:

  • ANTIBOTRÓPICO,

    • jararacas (gênero Bothrops);
  • ANTICROTÁLICO,

    • cascavel (gênero Crotalus);
  • ANTILAQUÉTICO,

    • surucucu (gênero Lachesis);
  • ANTIELAPÍDICO,

    • corais (gênero Micrurus).

Músculos axiais mais desenvolvidos

  • Músculos axiais mais desenvolvidos

    • Aparecimento das costelas
    • Maior amplitude de movimentos
  • Musculatura ventral

    • Com uma camada intercostal
  • Músculos dérmicos

    • Bem desenvolvidos, principalmente nas serpentes
      • Levantam e abaixam as escamas
      • Diminuem a fricção

Fechado, duplo e incompleto

  • Fechado, duplo e incompleto

  • Mais eficiente e desenvolvido

    • adaptado à vida terrestre
    • Desenvolvimento das veias pulmonares e pós-cava
    • Menor utilidade do sistema porta-renal
  • Coração:

    • 2 átrios separado por septo interatrial
      • Seio venoso incorporado ao AD
    • Ventrículo: parcialmente separado por septo
      • Nos crocodilianos septo completo
      • 2 ventrículos
      • Cone arteriose origina 3 vasos
      • Foramen de Panizza
        • Pequena mistura de AS e SV

Adaptado aos hábitos alimentares

  • Adaptado aos hábitos alimentares

  • Glândulas orais: terrestres mais desenvolvidas

    • Palatinas
    • Labiais
    • Liguais
    • Sublinguais
  • Glândulas de veneno

    • Glândulas orais
    • Serpentes
    • Lagartos
      • Heloderma suspectum (monstruo de Gila)
      • Heloderma horridum.
  • Veneno similar aos ofídios

    • Dentes anteriores curvos
    • Acidentes raros e de rápida recuperação

Boca

  • Boca

    • Pleurodontes
      • Dentes cônicos implantados em alvéolos
  • Língua:

    • Cobras e lagartos
      • Bem desenvolvida
      • Bífida
        • Função sensorial
    • Camaleões
      • Extensível e com gls adesivas
      • Captura de insetos
    • Tartarugas e crocodilianos
      • Não extensível

Pulmões intermediários entre os pulmões dos anfíbios pulmonados adultos e os dos vertebrados superiores.

  • Pulmões intermediários entre os pulmões dos anfíbios pulmonados adultos e os dos vertebrados superiores.

  • Mais complexos que os dos anfíbios,

    • maior número de câmaras internas e alvéolos
    • órgãos respiratórios mais eficientes.
  • Em alguns lagartos, um pulmão é consideravelmente maior do que o outro, e, nas serpentes, o lobo esquerdo é reduzido ou, até mesmo, ausente

    • A redução ou eliminação do pulmão de um lado parece estar relacionada com a forma alongada do corpo, nestes répteis.
  • Os crocodilianos possuem pulmões semelhantes aos dos mamíferos;

  • Alguns lagartos possuem divertículos, que se estendem para trás e, que possuem uma certa semelhança com os sacos aéreos dos pulmões das aves.

Rim metanefro.

  • Rim metanefro.

  • Durante a vida embrionária tanto o pronefro como o mesonefro aparecem,

    • refletindo, talvez, a origem dos répteis.
  • O metanefro assemelha-se ao mesonefro dos vertebrados inferiores:

    • situa-se mais atrás,
    • é mais compacto,
    • contém muito mais néfrons.
  • Túbulos renais, abrem-se nos túbulos coletores que conduzem ao ureter.

Glândulas secretoras de sal, situadas na cabeça.

  • Glândulas secretoras de sal, situadas na cabeça.

    • rápida eliminação de sal do sistema, que passa por meio de ductos, para a cavidade nasal.
    • glândulas desenvolvidas nos iguanas marinhos que se alimentam de algas marinhas;
    • Em iguanas terrestre, preserva água frequentemente,
      • sal expelido durante a exalação, como uma nuvem de vapor.
    • Reduz sal da urina,
      • mais urina reabsorvida na cloaca.
      • Vantajoso em ambientes secos.

Ducto arquinéfrico, ou Ducto de Wolff,

  • Ducto arquinéfrico, ou Ducto de Wolff,

    • degenera-se nos répteis fêmeas,
    • nos machos, torna-se o ducto genital funcional.
    • Extremidade superior é muito enrolada e forma o epidídimo.
  • Fertilização é interna

    • Ovos eclodem internamente
    • ou são envolvidos por uma casca dura
  • Machos de muitas espécies desenvolveram órgãos copuladores especiais

    • Nos lagartos e serpentes: hemipênis,
    • Crocodilos e tartarugas possuem uma estrutura, que pode ser homóloga ao pênis dos mamíferos.

Encéfalo médio é o centro da atividade encefálica,

  • Encéfalo médio é o centro da atividade encefálica,

  • Nos répteis, pela primeira vez, ocorre a mudança do centro nervoso para o cérebro.

    • Isto está relacionado com o aumento acentuado do tamanho dos hemisférios cerebrais,
  • Como resultado da invasão do pálio por muitas células nervosas para formar o neopálio (córtex).

  • O cerebelo relativamente maior do que o dos anfíbios,

    • Não atinge o tamanho do cerebelo de alguns tubarões, nem se aproxima do tamanho do cerebelo das aves ou dos mamíferos.
    • Esta relacionado com a capacidade locomotora relativamente limitada da maioria dos répteis.
  • 12 nervos cranianos.

Gustação

  • Gustação

    • Corpúsculos gustativos na faringe
  • Olfato

    • Cavidade nasal com concha para aumentar a superfície olfatória
    • Orgão de jacobson ligado ao teto da boca, em serpentes e lagartos
  • Visão

    • Cristalino móvel ou muda a curvatura
    • Muitas espécies diferenciam cores
    • Geralmente pálpebras móveis
    • Olho coberto por escamas em serpentes e alguns lagartos
      • Mudam por ocasião da troca de pele
    • Membrana nictitante
    • Olho pineal
      • Termorregulação
      • Controle do ritmo circadiano
  • Fosseta loreal

  • As glândulas paratireóides

    • situadas atrás da glândula tireóide, que é única,
  • As duas partes das glândulas adrenais juntam-se nos répteis.

  • As outras glândulas endócrinas dos répteis não diferem marcadamente das encontradas na maioria dos outros vertebrados superiores.

  • Glândulas tegumentares

    • Glândulas de geração: associadas a muda
    • Serpentes e lagartos não possuem
    • Glândulas de almiscar
      • crocodilianos
      • Pescoço e abertura cloacal

Escamas

  • Escamas

    • Epidérmicas  Superficiais e trocadas periodicamente,
    • Dérmicas  São placas ósseas permanentes e aprofundadas na pele.
  • Coloração

    • Cromatóforos
    • Mimetismo
    • Reconhecimento sexual
    • Advertência
    • Termorregulação
    • Proteção contra radiação

Forma do corpo variável,

  • Forma do corpo variável,

    • compacta ou alongada
  • Corpo recoberto por:

    • escamas epidérmicas cornificadas,
    • placas dérmicas ósseas;
    • Carapaça e plastrão
  • Tegumento:

    • poucas glândulas.
  • Tetrápodos pentadáctilos:

    • adaptados para escalar, correr ou nadar;
    • ausentes em serpentes e alguns lagartos.
  • Esqueleto bem ossifícado:

    • costelas e esterno (ausente em serpentes)
    • formam uma caixa torácica incompleta;
    • Crânio com um único côndilo occipital.
  • Respiração pulmonar:

    • ausência de brânquias;
    • alguns apresentam respiração cloacal;
    • arcos branquiais presentes durante a vida embrionária.
  • Coração:

    • 03 câmaras
    • 04 câmaras nos crocodilianos
    • usualmente um par de arcos aórticos;

Subclasse Anapsida

  • Subclasse Anapsida

    • Ordem Testudines (Chelonia)
      • Crânio sem abertura temporal
        • Tartatuga
        • Cágado
        • Jaboti

Subclasse Diapsida

  • Subclasse Diapsida

    • Superordem Lepidossauria
    • Ordem Squamata
      • Subordem Lacertilia
        • Lagartos
      • Subordem Amphisbaenia
        • Cobra-de-duas-cabeças
      • Subordem Serpentes
        • Serpentes
    • Ordem Sphenodonta
      • Sphenodon

Subclasse Diapsida

  • Subclasse Diapsida

    • Superordem Achosauria
    • Ordem Crocodylia
      • Crocodilianos
        • Aligator
        • Gavial
        • Crocodilo
        • Jacaré

Família Gavialidae (gaviais)

      • Gênero Gavialis (1 espécie)
        • G. gangeticus (Gavial)  India (Ganges) e Nepal

Família Crocodylidae (crocodilos)

    • Crocodilo-americano, .....................Crocodylus acutus
    • Crocodilo-de-focinho-delgado,....... Crocodylus cataphractus
    • Crocodilo-do-orinoco, .....................Crocodylus intermedius
    • Crocodilo-de-água-doce, ................Crocodylus johnstoni
    • Crocodilo-filipino, ............................Crocodylus mindorensis
    • Crocodilo-de-morelet, .....................Crocodylus moreletii
    • Crocodilo-do-nilo, ...........................Crocodylus niloticus
    • Crocodilo-da-nova-guiné, ...............Crocodylus novaeguineae
    • Crocodilo-persa ..............................Crocodylus palustris
    • Crocodilo-de-água-salgada, ...........Crocodylus porosus
    • Crocodilo-cubano, ..........................Crocodylus rhombifer
    • Crocodilo-siamês, ..........................Crocodylus siamensis
    • Crocodilo-anão, .............................Osteolaemus tetraspis
    • Gavial-falso, ...................................Tomistoma schlegelii

Família Crocodylidae

Família Alligatoridae (jacarés, aligátores e caimões)

      • Gênero Alligator (3 espécies)
        • A. mississippiensis (jacaré-americano)
        • A. sisensis (jacaré-da-china)
      • Gênero Caiman (3 espécies)
        • C. latirostis (jacaré-do-papo-amarelo)  Am. Sul.
        • C. yacare (jacaré-do-pantanal) Sul da Bolívia à Argentina
        • C. crocodilus (jacaretinga)  Noroeste da Am. Sul.
      • Gênero Melanosuchus
        • Melanosuchus niger (jacaré-açu) Am. Sul
      • Gênero Paleosuchus
        • P. palpebrosus (jacaré-pagua) Norte Am. Sul.
        • P. trigonatus (jacaré coroa)  Floresta amazônica

Família Alligatoridae

Comentários