Memória resumo trabalho

Memória resumo trabalho

Memória

Através do texto apresentado, pode-se compreender e aprender mais sobre a memória.

Trata- se de elemento indispensável ao fenômeno da aprendizagem, em geral, ao falar em memória, nos referimos à capacidade de lembrar o que foi de algum modo vivido. Todos nos passamos ou ainda iremos passar pelo fenômeno chamado ponta da língua, ou seja, quando sabemos um determinado assunto ou resposta, mas não conseguimos lembrar. Depois de algum tempo a palavra nos vem à cabeça, isso ocorre porque a questão ou assunto abordado estava armazenado em nossa memória.

Assim sendo os psicólogos tiveram de enfrentar três questões: como a informação entra na memória? Como é mantida na memória? Como é resgatada da memória?

Essas perguntas correspondem aos três processos principais envolvidos na memória; sendo eles:

Codificação: envolve a formação de um código de memória, quando se forma um código pra uma palavra,pode- se enfatizar como ela se parece, como soa ou o que significa.

Já o armazenamento envolve a manutenção da informação codifica na memória por um período, a armazenagem da informação não é suficiente para garantir que você se lembrará, é preciso conseguir extrair a informação da memória.

E por fim a recordação, a recuperação que envolve o resgate das informações armazenadas na memória. Esses três princípios básicos ajudam a explicar porque as pessoas esquecem.

Outro tema apresentado no texto é o papel da atenção na codificação, a atenção envolve a focalização consciente de uma classe restrita de estímulos ou eventos, ou seja, a atenção é a seleção do estímulo.

A atenção é fundamental para a codificação das lembranças mas ela vem de muitas formas. Sendo elas:

Codificação estrutural: é um processamento relativamente superficial que enfatiza a estrutura física dos estímulos. Ex.: se palavras são projetadas em uma tela, a codificação estrutural registra a impressão (letras maiúsculas) ou o comprimento das palavras( quantas letras).Podendo resultar em codificação fonética essa enfatiza os sons de uma palavra e envolve nomear e proferir palavras ( mesmo que silenciosamente).

Por fim a codificação semântica enfatiza o significado do estímulo verbal, envolve o pensar sobre objetos e ações que a palavra representa.

Outras dimensões podem enriquecer o processo de codificação e assim melhorar a memória incluem elaboração e imagem visual.

Elaboração: consiste em ligar um estímulo a outra informação no momento da codificação.

Imagem: é mais fácil criar imagens para objetos concretos do que para conceitos abstratos, a facilidade da formação de imagem afeta a memória de maneira positiva.

Memória sensorial: retém a informação por alguns segundos ou frações de segundos apenas. Sua capacidade é muito pequena e ela precisa "esvaziar-se" logo, para dar espaço a outras impressões sensoriais.

A memória de curto prazo: recebe material da memória sensorial e consegue reter por mais tempo (por ate 20 segundos).

Memória de longo prazo: a mensagem precisa ser deixada "em repouso" para um período de consolidação, que varia de quinze minutos a uma hora mais ou menos. Após esse período, pode considerar-se fixada por tempo indefinido, mesmo que venha a ser esquecida. Pessoas de idade avançada são capazes de lembrar-se com detalhes de fatos ocorridos na infância que estiveram esquecidos durante anos e anos. A memória de longo prazo seria como um reservatório permanente de informações, embora essas informações não sejam o tempo todo presentes na lembrança.

Como o conhecimento é representado e organizado na memória?

A maioria das teorias parece concordar que as representações mentais possivelmente assumem uma variedade de forma, dependendo da natureza do material que precisa ser guardado na memória, ou seja, definições ou datas históricas, possibilitando assim um conjunto de conhecimentos e respeito de um objeto em particular ou evento abstraído de experiências anteriores que chamamos de esquema.

Com essas comparações e estudos chega-se em redes semântica que são caminhos mais curtos e associações mais fortes como, por exemplo, associar uma palavra à outra (manteiga-pão), fazer a interligação naturalmente de palavras a seus pensamentos, onde o processo de ativação irradiada dentro de uma rede semântica seja ativado e ao mesmo tempo passa a ser lembradas facilmente.

Em resumo pude compreender que o armazenamento da memória é um assunto complexo, envolvendo vários armazenamentos de uma variedade de mecanismos a fim de entender que é cérebro humano parece entender extensivamente do processamento distribuído em paralelo, ou seja, o processamento simultâneo da mesma informação que é espalhada pelas redes de neurônios.

Com a leitura do texto observei tópicos que irei citar brevemente.

Usando pistas para auxiliar a recordação.

Felizmente, as lembranças podem com frequência ser manipuladas com pistas de recordação, são estímulos que ajudam a ganhar acesso às lembranças.

Monitoramento da fonte.

É o processo de fazer atribuições acerca das origens das lembranças.

Medidas do esquecimento.

Inevitavelmente medem também a retenção, a que é a proporção de material retido, medidas de recordações requerem que os participantes reproduzam informações por si próprias sem auxilio de qualquer sugestão.

Por que esquecemos.

Temos possíveis causas do esquecimento sendo: codificação ineficiente, decadência, interferência, falhas no resgate.

Através da leitura dessas primeiras paginas nos apresentada pude concluir que o principio da especificidade da codificação estabelece que o valor de uma sugestão de resgate depende de quão bem ela corresponde ao traço de memória.

Tal principio fornece uma explicação para a inconstância no sucesso das tentativas de resgate.

A memória é um dos fatores da inteligência e funciona integrada com ela. Por outro lado, a inteligência não existe sozinha. O que existe é uma pessoa. Pensamentos, sentimentos e ações são possibilidades de uma pessoa. Portanto a memória tanto influencia o estado geral da pessoa como sofre influência desse estado.

Comentários