Consumo de Álcool nas Mulheres Durante a Gravidez e das Mães com Crianças Recém- Nascidas-Bairro de Napipine, 2012-2013

Consumo de Álcool nas Mulheres Durante a Gravidez e das Mães com Crianças Recém-...

(Parte 4 de 4)

Da questão “que impacto tem o consumo de álcool durante o período de gravidez e nas mulheres com crianças recém-nascidas, tanto para as mães como para o feto e recémnascidas” 100% Afirmaram que os impactos são negativos, 0% afirmaram positivos e nenhum efeito, como ilustra o gráfico

Gráfico 6: Impactos do consumo de álcool durante a gravidez e durante a amamentação

e OSORIO (1985)

Os dados acima apresentados, esse grupo de profissionais alegam que o consumo de álcool tem efeitos negativos pois tem provocado abordos, partos prematuros, os recém-nascidos podem ter ou tem tido o desenvolvimento psicomotor retardado, retardo do crescimento intrauterino implicando o baixo peso a criança, esses tem sido os impactos mais evidentes e mais constantes a serem notados durante o parto. Esses factos referenciados são também fundamentados por ABEL & SOKOL (1989), FREIRE, et all (2005) & KOENIG, MULLER

Impatos do consumo de alcool duranmte a gravidez e durante a amamentacao

Positivos Negativos Nenhum efeito

Com esses resultados pode se sustentar que uma vez dito que é uma realidade, sendo assim pode ser um dos factores que leva o elevado índice de mortes infantis.

Relativamente as medidas de mitigação pode afirmar-se o seguinte: que devido as sugestões dadas por esses profissionais e realizada pela pesquisadora, que a melhor solução é a realização de palestras constantes, aconselhando as mulheres gestantes, com crianças recémnascidas e a comunidade em geral sobre os diversos impactos resultantes do consumo de álcool durante a gravidez, independentemente os factores que levam a mulher neste estado a tomarem bebidas alcoólicas

como para o feto e os recém-nascidos ”

Da questão “será que há bases dados que fundamenta a existência de mulheres gestantes ou de mais com crianças recém-nascidas a consumir álcool e que efeitos que este trás para as mais

Afirmam que não tem dados guardados ou registados nos hospitais, isto é, os hospitais não tem faixas nas fichas para os registos dos partos, não aparece nenhuma fala sobre o consumo das bebidas alcoólicas e fundamentam ainda que se existisse é claro que existiria diversas informações relativas ao consumo de álcool durante a gravidez.

Estes argumentos sustentam que existem diversas evidências do uso de álcool durante a gravidez apenas não há dados, uma vez que não há espaço nas fichas para se preencher esses dados.

3.4.Analise dos dados da entrevista dirigido aos donos de bares Relativamente as informações obtido nos locais de lazer das questões “será que existe mulheres neste bar que consome bebidas alcoólicas no período de gestação?” Os dados apresentam nos que 100% dos entrevistados afirmam que existem mulheres gestante a tomar bebidas alcoólicas nos seus locais de lazer, em diferente fazes de gravidez a tomam, esse forte ou estes dados revelam que a existência de mulheres no período de gestação a consumir bebidas alcoólicas é uma realidade de maneira geral, neste bairro e em particular na unidade comum referenciado.

Segundo argumento dos responsáveis nos locais de lazer que foram entrevistados pode se dizer que a maioria parte desse grupo alvo muitas vezes é difícil determinar o quanto tempo leva nestes sítios apenas pode se dizer que tem ficado muito tempo nestes locais e a certos casos de tanto estares embriagados deve ser acompanhadas aposte se concluir que em certos momentos esse grupo alvo não tem responsabilidades com seu estado de gravidez a chegar ao ponto de que ficasse muito tempo nos locais de lazer a beber no estado de gravidez.

Verificação das hipóteses Após a confrontação das ideias encontradas no campo com as ideias dos outros estudos fundamentadas, pode se afirmar que todas as Hipótese são valida:

A 1ª hipótese que afirma que as causas do consumo de álcool durante o período de gestação ou amamentação “Excesso dos diversos problemas sociais e familiares” é considerada valida, pois diversas bases apresentadas sustentam a existência de problemas sociais, divórcios, vida separada, as condições em que cada uma delas vive economicamente são extremamente precária dai que a bebida é vista como forma de esquecer dos tais diversos problemas sociais.

A 2ª hipótese também considerada valida “Como única forma de diversão/vicio e fazer passar o tempo” são validados pois fazendo uma analise aprofundada corresponde-se através dos argumentos dos inqueridos que existe uma certa camada que consomem bebidas alegando que a única forma de fazerem passar tem é consumindo o álcool e outros afirmam ainda que sem tomarem não se sentem realizado ou satisfeito num determinado dia.

Capitulo IV: Conclusões, Sugestões Neste capítulo faz-se uma breve síntese das ideias chaves que foram alcançadas ao longo da pesquisa em jeito de conclusão e também indicam-se as devidas sugestões relativas a pesquisa.

4.1. Conclusões De um modo geral, conclui-se que os factores do consumo de álcool durante o período de gestação ou de amamentação são diversificados e muito delas em certos momentos depende do status social de cada em que cada uma delas está inserida, incluindo as amizades por elas criadas.

A pesquisa demonstrou através da entrevista e questionário incluindo a observação sistemática que tem neste bairro de Napipine em particular na Unidade Comunal Santa Maria e nos Hospitais envolvidos na pesquisa que os factores do consumo de álcool durante a gestação mais evidentes são os divórcios, a situação de os pares conjugados vi verem separados e a questão da pobreza e dos diversos problemas sociais não bem referenciados.

Ainda foi concluído em algum momento a existência de maior número de mulheres gestantes e no período de amamentação a consumirem álcool, por um lado é condicionado pelos factores sociais, isto é a tentativa de refugiar ou isolar-se na resolução dos diversos problemas na sua família e usam o álcool como solução mas também existem um grosso numero que usa álcool como diversão, isso tudo revela a falta de conhecimentos relativo aos impactos negativos do consumo desse precioso líquido nesta estado de gestação ou amamentação.

É de referir que o consumo de álcool para as mulheres gestantes e no período de amamentação não foi possível referenciar-se um período específico durante as fases de gravidez que tem consumido o álcool, sendo que, estas tomam em quase todos os períodos desde o primeiro trimestre até o ultimo trimestre e mesmo durante a amamentação.

5.2. Sugestões Ao ministério de saúde inclua nas fichas de preenchimento durante o período do controle e do parto uma parte que fala-se do consumo de álcool ou que seja mesmo dentro da ficha de dados no hospital, isto ira facilitar a obtenção de dados em relação ao número das mulheres em estado de gestação e de amamentação que tomam álcool criando graves problemas da saúde no feto e na criança.

Que o governo na responsabilidade dos hospitais cria-se equipes de sensibilização constante e permanente na divulgação dos efeitos que advém do consumo de álcool durante o período de gestação na vida de feto.

Que se garantisse uma assistência técnico médico a todas as crianças que foram afectados com o consumo de álcool pelas mães durante o período de gestação, nesta tal assistência deve ser contemplado a mãe.

39 Apêndices

Apêndice 1: Questionário dirigido às Mulheres Grávidas 1.Alguma vez já tomou bebidas alcoólicas durante o período de gestação?

Sim Não

2.Em que período tem tomado bebidas alcoólicas durante a gestação, caso tome? 1º Trimestre 2º Trimestre 3º Trimestre Todos Trimestres

3.Será que casada ou vive maritariamente? Casada Divorciada Solteira Vive separada do parceiro

4.Caso tem tomado bebidas alcoólicas durante a gravidez, o que te leva consumir álcool durante este período. Como meio de diversão Satisfação de desejos da gravidez Questões sociais

5.Será que tem conhecimentos sobre os impactos do consumo de álcool durante a gravidez, tanto para si como mãe e para o feto? Sim Não

Apêndice 2: Questionário dirigido às parteiras 1.Tem existido dados que revelam sobre as mulheres que consome bebidas alcoólicas durante o período de gravidez.

2.Que impactos tem o consumo de álcool durante o período de gravidez e nas mulheres com crianças recém-nascidas, tanto para as mães como para o feto e recém-nascidas. Positivos Negativos Nenhum efeito

4.Será que há base de dados que fundamenta a existência de mulheres gestantes ou de crianças recém-nascidas a consumir álcool através dos efeitos que este traz para as mães como para o feto e os recém-nascidos. _

Apêndice 3: Questionário dirigido aos locais de Lazer 1.Será que existe mulheres gestantes neste bar consome bebidas alcoólicas no período de gestação? Sim Não

Apêndice 4: Questionário dirigido às Mulheres Grávidas 1.Alguma já tomou bebidas alcoólicas durante o período de amamentação?

Não Sim

2.Caso tem tomado bebidas alcoólicas durante o período de amamentação, o que te leva consumir álcool durante este período. Como meio de diversão Satisfação de desejos da gravidez Questões sociais

3.Será que é casada ou vive maritariamente? Casada Divorciada Solteira Vive separada do parceiro

Será que tem conhecimentos sobre os impactos do consumo de álcool durante o período de amamentação, tanto para si como mãe e para o feto? Sim Não

Que período de tempo de separação tem tido para amamentar a sua criança após o consumo de álcool. Sem período nenhum, desde o momento que estiver presente Só depois de acabar o álcool Durante 1 dia Depois de algumas horas

Bibliografia ABEL & SOKOL. O uso de álcool na gravidez 2. ed. In: NIEBYL.: Uso de Drogas na

Gravidez. São Paulo: Roca, 1989.

Álcool e DROGAS sem distorção. Disponível em: http://72.21.62.210/alcooledrogas/complicacoes_gravidez_sindrome.htm. Acesso em 21 Janeiro de 2013

BAYNES, J. & DOMINICZAK, M.H. Bioquímica médica. Barueri: Manole, 2000.

FABRI, C. E. Desenvolvimento e Validação de Instrumento para Rastreamento do Uso Nocivo de Álcool Durante a Gravidez. Ribeirão Preto, Universidade de São Paulo, 2001.

FREIRE et al. Efeitos do consumo de bebida alcoólica sobre o feto. Revista Brasileira de Ginecologia e Obstetrícia. São Paulo. 2005.

FURTADO, E.F. & FABBRI, C.E. Consumo materno de álcool e outras substâncias psicoativas e seus efeitos sobre o desenvolvimento infantil: Revista do Hospital das Clínicas e Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo. São Paulo. 1999.

KAUP et al. Avaliação do Consumo de Bebida Alcoólica Durante a Gravidez. Revista Brasileira de Ginecologia e Obstetrícia. São Paulo. 2001.

KOENIG, A.; MULLER, R.; OSÓRIO, M.C., Síndrome fetal alcoólica. Revista do Hospital das Clínicas de Porto Alegre & Faculdade de Medicina da Universidade Federal do Rio Grande do Sul. 1985.

MARTINS, I.A.P., Efeitos nocivos de drogas sobre o feto e recém-nascidos humanos. 6. ed., Rio de Janeiro. 1982.

JUNIOR, R. Consumo de Álcool durante a Gestação. Revista Brasileira de Ginecologia e Obstetrícia, 2005.

SACKHEIN, G.I. & LEHMAN, D.D. Química e bioquímica para ciências biomédicas. 8. ed. Barueri: Manole, 2001.

(Parte 4 de 4)

Comentários