Consumo de Álcool nas Mulheres Durante a Gravidez e das Mães com Crianças Recém- Nascidas-Bairro de Napipine, 2012-2013

Consumo de Álcool nas Mulheres Durante a Gravidez e das Mães com Crianças Recém-...

(Parte 3 de 4)

A SAF é, habitualmente, diagnosticada com base em defeitos morfológicos e deficiência de crescimento. Para o morfologista experiente, as características faciais descritas acima são facilmente reconhecidas. Estas anomalias crânio-faciais podem ser reproduzidas em estudos em animais (SULIK, JOHNSON & WEBB, 1981 apud ABEL & SOKOL, 1989). De fato, quase todos os defeitos congênitos associados à SAF foram reproduzidos em vários modelos

2 ÁLCOOL E DROGAS SEM DISTORÇÃO. Disponível em: http://72.21.62.210/alcooledrogas/complicacoes_gravidez_sindrome.htm . Acesso em 21 de Janei. 2013 animais. Como foi descrito em item anterior, outras anormalidades físicas incluem defeitos cardíacos e renais, anomalias urogenitais e problemas ósseos e articulares.

2.9.4.Baixo peso ao nascimento A diminuição do peso de nascimento é o efeito mais evidente da exposição antenatal ao álcool, na espécie humana e em naimais. Na óptica de FABRI (2001), fez uma revisão de mais de 300 casos publicados de SAF e verificou que o peso médio de nascimento destas crianças foi ao redor de 2Kg, enquanto o peso médio das crianças fica em torno de 3,3Kg. A incidência elevada de crianças com peso de nascimento menor do que 2,5Kg causa muita preocupação, pois o baixo peso ao nascimento delimita um aumento significante no risco de morbidade e mortalidade infantil. As crianças com baixo peso ao nascimento habitualmente necessitam de cuidados intensivos logo após o nascimento e hospitalizações repetidas devido a problemas durante o crescimento e desenvolvimento.

O retardo de crescimento relaciona -se com o 3° trimestre gestacional, geralmente alcança a proporção de 700g a menos nos recém-nascidos com SAF em comparação com recémnascidos normais.

3.5 Disfunção do sistema nervoso central O consumo moderado de álcool no primeiro trimestre pode ocasionar alterações no desenvolvimento do sistema nervoso central, com actuação directa sobre a formação do túbulo neural (FABBRI, 2001).

Os principais mecanismos fisiopatológicos do álcool sobre o sistema nervoso fetal são: interferência do processo de maturação neuronal, interferência na migração das células e na mielinização, interferência na adesão celular, alteração das membranas celulares, alteração da produção ou da resposta aos factores que regulam o crescimento e divisão celular, interferência na regulação do cálcio intracelular e produção de radicais livres . A SAF é, actualmente, a causa específica mais importante de retardo mental nos países ocidentais em particular e do mundo no geral. A sua frequência ultrapassa aquela da Síndrome de Down e da paralisia cerebral. Em geral, o grau de retardo mental mantém uma associação positiva com a gravidade da dismorfogênese (MAJEWSKI, 1978 apud ABEL & SOKOL, 1989).

Embora os outros defeitos possam ser tratados cirurgicamente, as anomalias associadas à lesão cerebral, como retardo mental, não têm tratamento e são irreversíveis. A média das pontuações do quociente intelectual dos pacientes com SAF é cerca de 65 (STREISSGUTH et al. 1978 apud ABEL & SOKOL).

As crianças expostas ao álcool no período pré-natal podem não ser comprometidas fisicamente, mas ainda apresentarem distúrbios comportamentais. Por exemplo, Majewski observou que dois terços das 95 crianças expostas ao álcool eram hiperativas. Nos EUA, Shaywtz relatou que dentre 82 crianças sob seus cuidados, devido a problemas de aprendizagem, 15 eram hiperativas e tinham características físicas compatíveis com SAF, ou tinham mães que sabidamente foram bebedoras imoderadas durante a gravidez.

Também foram notadas dificuldades significantes na percepção, por exemplo, coordenação motora-visual e percepção visual (ARONSON, KYLLERMAN, SABEL et al., 1985 apud ABEL & SOKOL, 1989).

Problemas de linguagem parecem especialmente comuns entre crianças com SAF. Losub e cols. Observaram que três dentre 63 crianças com SAF apresentavam problemas de audição. Mais recentemente, Church e cols. Relataram que entre 12 crianças com SAF examinadas, 90% apresentavam hipoacusia e necessidade de aparelhos para melhorar a audição.

2.9.5. Desenvolvimento neuronal anormal A microcefalia é uma característica comummente associada à SAF e provavelmente resulta de uma diminuição global do crescimento cerebral. As necropsias dos filhos de alcoólatras mostram alterações grosseiras da distribuição neuronal, que incluíam padrões anormais de crescimento e de migração dos neurônios e agenesia de corpo caloso (CLARREN & SMITH, 1978; PEIFFER, MA JEWSKI et al., 1979 apud ABEL & SOKOL, 1989). Estudos em animais revelaram que alterações sutis podem ocorrer na estrutura cerebral, compatíveis com a vida, que explicariam muitas das anormalidades de comportamento associadas com a exposição pré-natal ao álcool.

O diagnóstico por imagem é feito por meio de ressonância nuclear magnética ou tomografia computadorizada.

O hipocampo parece ser uma área particularmente vulnerável para a ocorrência destas anormalidades. Exemplificando, estudos em animais mostraram que as fibras que carregam os impulsos nervosos do giro de nteado do hipocampo terminam em regiões diferentes das observadas em animais normais (WEST, HODGES & BLACK, 1981 apud ABEL & SOKOL, 1989). Estas pesquisas revelara m uma diminuição de células especificas no hipocampo e anormalidades na estrutura dendrítica nesta área (ABEL, JACOBSON & SHERWIN, 1983 apud ABEL & SOKOL, 1989).

A actividade eléctrica cerebral também está anormal em crianças com SAF. Havlicek e cols. observaram ondas de amplitude anormalmente elevada, durante vários estágios do sono, no EEG destas crianças.

Estudos recentes têm mostrado que a presença do álcool (mesmo em baixas concentrações) no sistema nervoso fetal inibe o gene responsável pela síntese molécula. Para FURTADO e FABRI (1999), a tal molécula, presente nas membranas neuronais, é responsável pela adesão dos neurônios aos fibroblastos (células do tecido conjuntivo) e a outros neurônios. Elas auxiliam também, o processo de migração celular. Desse modo são fundamentais para a formação da arquitetura dos tecidos nervosos. Nos neurônios diferenciados (maduros) parecem exercer um importante papel nas alterações sinápticas que influenciam a memória e o aprendizado. Assim, alterações sobre a síntese destas moléculas são capazes de levar à malformações cerebrais e retardos mentais, tais como os observados na SAF.

Capitulo I: Apresentação, Análise e Interpretação dos Dados Neste capítulo faz-se a apresentação clara e lógica dos dados e a interpretação dos resultados obtidas durante a pesquisa, em relação aos questionários dirigidos mulheres com crianças recém-nascidas, mulheres gestantes e

A análise do questionário está sistematizada e apresentada em gráficos de barras, construídos em percentagem embora existem algumas análises representados em texto corrido.

3.1.Analise dos dados do questionário dirigido as mulheres com crianças recém-nascidas Neste grupo acima referenciada das mães com crianças recém-nascidas, relativamente a questão “Se tem já tomou bebidas alcoólicas durante o período de amamentação?” todas a mães das crianças recém-nascidas da amostra afirmaram em 100% que sim tomam bebidas no período de amamentação e nos 0% afirmaram que não tem tomado, como ilustra o gráfico 1.

Gráfico 1: Nível das mulheres que tomam bebidas alcoólicas durante o período de gestação

Os dados acima representados no gráfico 1, certificam que de existe mulheres durante o período de amamentação que tomam bebidas alcoólicas é uma realidade como se pode certificar através dos resultados da pesquisa referente ao gráfico 1 que afirma em 100% de todas as mulheres questionadas que tomam as bebidas alcoólicas durante o período de amamentação e desde os primeiros dias após o parto até a fase de desmamentação.

0% Mulheres que tomam bebidas alicoolicas durante o periodo de gestao

Sim Nao

Em relação aos motivos que lhes levam a tomar este precisos liquido, colocou se a seguinte questão “Caso tem tomado bebidas alcoólicas durante o período de amamentação, o que te leva a consumir álcool durante este período?”47%, afirmaram que tomam como forma de diversão, 0% afirmam que trata-se de recomendações médicas e os restantes 53% afirmam que como forma de refúgio nos problemas sociais que afligem a sua família, como ilustra o gráfico 2.

Gráfico 2: Factores que levam as mulheres a tomarem bebidas alcoólicas durante o período de amamentação

Os dados patentes no gráfico 2 fundamentam que a maior parte das mães com crianças recémnascidas tomam bebidas como forma de refugio dos diversos problemas sociais que lhe afligem, este facto é fundamentado por (ABEL & SOKOL, 1989) & (FABRI, 2001), que as diversas ocasiões muita mulheres durante o período da amamentação e mesmo de gravidez são sujeitas a tomarem bebidas e que na sua óptica acham que estão a fugir da responsabilidade dos diversos problemas sociais. Mas em certos momentos podemos considerar esta atitude não correcta, visto que não se resolve os problemas sociais embriagando-se e ainda porque este facto pode criar graves problemas de saúde no recémnascido como afirma MARTINS (1982).

0% Factores que levam as mulheres a beberem bebidas alcoólicas durante o período de amamentação

Como forma de diversaoForma de refugio nos problemas sociaisOutros

Relativamente aos 47% referentes as mulheres que bebem alegando como fosse forma de diversão, esses estão a apresentar-se como irresponsáveis, não dando importância e responsabilidade para a sua saúde e a saúde do recém-nascido, na medida em que poderiam arranjar outras formas de diversão além de tomarem bebidas alcoólicas.

Para o caso da questão “Em que período tem tomado bebidas alcoólicas durante a gestação, caso tome?” todos os questionados afirmaram em 100% que não existia um período específico em que cada uma delas tem tomado as bebidas alcoólicas durante o período de gestação, sendo que estes afirmaram que tem sido em quase todo o período de gestação, este facto vem fundamentar a questão apresentada no gráfico 1 que apresenta que todas as mulheres gestantes questionadas afirmaram que consomem bebidas alcoólicas.

De acordo com a questão “será que é casada ou vive maritalmente”, obteve-se os seguintes dados, 23% que afirmam que estão casadas, 12% são divorciadas, as solteiras correspondem a 36% e por fim os 29% disseram que vivem separadas dos seus parceiros, como ilustra o gráfico 3.

Gráfico 3: Estado civil de mulheres que consomem álcool durante o período de amamentação

Os dados acima expostos no gráfico 3 pode dizer-se que a maior percentagem dessas mulheres não vivem com seus maridos ou parceiros de maneira geral, com excepção dos 23%

Estado civil da mulher em estado de amamentacao que consome alcool casadas Divorciadas Solteiras Vivem separadas que correspondem as mulheres casadas e as restantes percentagens de 7% independentemente das situações em que cada uma delas pois dos 7%, os 12% são referentes as que são divorciadas 36 correspondem as solteiras e por ultimo os 29% vivem separadas dos parceiros. Destes, a maior parte destas são mães solteiras conforme os dados apresentados no gráfico.

Na óptica de MARTINS (1982), fundamenta que as mães solteiras divorciadas ou as que vivem separadas, tem sido esses que frequentemente tomam bebidas alcoólicas, algumas como diversão e outras como forma de esquecer alguns problemas sociais.

A maior parte desse grupo numa percentagem de 100% são inocentes em termos dos impactos do consumo do álcool durante o período de amamentação.

Para a questão “Que período de tempo tem tido para amamentar a sua criança após o consumo de álcool”, somente 5% afirmam que dão de mamar as suas crianças após ter acabado o álcool, sendo que numa análise lógica para o bem da criança essa percentagem é muito reduzida. Os 95% afirmaram que é lhes difícil referenciar o tempo de dar de mamar os suas crianças, apenas eles dão de mamar sempre que a criança dar sintomas de estar com fome, como é o caso de ter ficado muito tempo sem mamar, estando a chorar, independentemente de a mãe estar ou não embriagada.

3.2.Analise dos dados do questionário dirigido as mulheres grávidas Da questão “se tem tomado bebidas alcoólicas durante a digestão” a maior parte destes com uma percentagem de 91% afirmam que tem consumido bebidas alcoólicas durante o período da digestão e somente 9% afirmam que não tem tomado, como ilustra o gráfico 4.

32 Gráfico 4: Nível das mulheres em estado de gestação que consome bebidas alcoólicas

Esses dados patentes no gráfico 4 pode dizer-se que quase toas as mulheres tomam álcool durante o período de gestação pois a percentagem das que não tomam relativamente aos que tomam é quase insignificante, isso dá nos a possibilidade de existência de crianças que nascem com alguns problemas de saúde que derivam do consumo de álcool.

Para os que tem tomado bebidas alcoólicas durante o período de gravidez 31% alegam que é como uma forma de diversão, 28% sustentam os problemas sociais e os 41% alegam o vício (gosta de beber independentemente de estar ou não grávida, como ilustra o gráfico 5.

9% Tem consumido bebidas alcoolicas durante a gravidez

Sim Nao

3 Gráfico 5: Factores que levam as mulheres em estado de gestação a tomarem álcool

Os dados acima apresentados levam-nos a afirmar que o grosso número de pessoas que tomam as bebidas alcoólicas são os que tomam como vício, o que pode se afirmar que há certos vícios, como este, em que quando não são bem controlados levam a danos na saúde humana, particularmente neste caso em que o feto é afectado em diversas situações da saúde devido a vícios da mãe além de certos prejuízos na saúde da mãe, seguidamente tem-se os 31% referente aos que encaram a bebida como sendo uma forma de fazer passar o tempo sem ganhar ou ter uma responsabilidade que referencie a boa vida ou qualidade de vida do feto ou mesmo da mãe.

Neste caso seria viável que ganhasse responsabilidade em preservar a saúde do feto, isto é, que controlasse os seus vícios e os seus diversos durante o período de gestação de modo a nascer uma criança com menos problemas.

Em relação aos que estão divorciadas que estão em 28% o factor de estar relacionado com os diversos factores sociais em que o grupo alegou que é uma das formas de sair do mundo real para não real de modo a esquecer os problemas sociais como afirma KAUP et a (2001) & FABRI, C. E (2001).

Os factores que levam as mulheres gestantes a tomarem bebidas alcoolicas neste estado

Forma de diversao

Refugio dos problemas sociais

Vicio

3.3.Analise dos dados da entrevista dirigido Parteiros Em, relação a questão “tem existido dados que revelam sobre as mulheres que consomem bebidas alcoólicas durante o período de gravidez” todos os profissionais envolvidos na pesquisa afirmaram que sim, claramente existem mulheres que tem tomam bebida alcoólica durante o período de gravidez fundamentam eles que tem sido detectado esses problemas devido as características que certa gestante como o caso de abortos apresentam durante o período e em particular no feto, tem tido algumas das anomalias que são características do consumo de álcool

(Parte 3 de 4)

Comentários