Consumo de Álcool nas Mulheres Durante a Gravidez e das Mães com Crianças Recém- Nascidas-Bairro de Napipine, 2012-2013

Consumo de Álcool nas Mulheres Durante a Gravidez e das Mães com Crianças Recém-...

(Parte 1 de 4)

i Mirela de Palícia Celestino

Consumo de Álcool nas Mulheres Durante a Gravidez e das Mães com Crianças Recém- Nascidas-Bairro de Napipine, 2012-2013

Monografia Científica a ser entregue ao Departamento de Ciências Naturais e Matemática, curso de Biologia, para obtenção do Grau Académico de Licenciatura em Ensino da Biologia.

Supervisor: dr. Geraldo Jamisse

Universidade Pedagógica

Lista de abreviaturas e siglasiv
Lista de gráficosv
Declaraçãovi
Dedicatóriavii
Agradecimentoviii
Resumoix
Capitulo I: Introdução10
1.2.Justificativa1
1.3.Objectivos1
1.3.1.Objectivo geral1
1.3.2.Objectivos específicos1
1.4. Questões Cientificas12
1.5. Problematização12
1.6.Hipótese13
1.7.Metodologia do Trabalho13
1.7.1.Tipo de Pesquisa13
1.7.1.1.Quanto aos objectivos13
1.7.2.Métodos13
1.7.2.1.Consulta bibliográfica13
1.7.2.2.Observação sistemática14
1.7.2.3.Método Estatístico14
1.7.3.Técnicas de recolha de dados14
1.7.3.1.Questionário14
1.7.3.2.Entrevista14
1.8.População e amostra da pesquisa14
1.9.Relevância15
1.10.Enquadramento do tema15
Capítulo I: Fundamentação Teórica16
2.1.Conceitos fundamentais16
2.2.Alcoolismo Feminino16
2.4.Danos fetais de acordo com o tempo de gravidez18
2.4.1.Alterações neurológicas19
2.5.O álcool e a placenta20
2.6.Critérios diagnósticos da teratogenia do álcool21
2.7.Desordem congênita relacionada ao álcool (DCRA)2
2.8.Desordem do neurodesenvolvimento relacionada ao álcool23
2.9.Efeitos adversos específicos do álcool na gestação23
2.9.1. Aborto espontâneo23
2.9.2.Natimortalidade24
2.9.3.Anormalidades Físicas24
2.9.4.Baixo peso ao nascimento25
3.5. Disfunção do sistema nervoso central25
2.9.5. Desenvolvimento neuronal anormal26
Capítulo I: Apresentação, Análise e Interpretação dos Dados28
3.1.Análise dos dados do questionário dirigido as mulheres com crianças recém-nascidas28
3.2.Análise dos dados do questionário dirrigido as mulheres grávidas31
3.3.Análise dos dados da entrevista dirrigido as Parteiras34
3.4.Análise dos dados da entrevista dirrigido aos donos de bares35
3.5.Verificação das hipóteses36
Capítulo IV: Conclusões, Sugestões37
4.1. Conclusões37
5.2. Sugestões38
Apêndices39

iv

Lista de abreviaturas e siglas SAF - Síndrome alcoólica fetal

DEAF - Desordens do espectro alcoólico fetal HIV – Vírus de imunodeficiência humana Dr. Doutor

Lista de gráficos Gráfico 1: Nível das mulheres que tomam bebidas alcoólicas durante o período de gestação

Gráfico 2: Factores que levam as mulheres a tomarem bebidas alcoólicas durante o período de amamentação Gráfico 4: Nível das mulheres em estado de gestação que consome bebidas alcoólicas Gráfico 5: Factores que levam as mulheres em estado de gestação a tomarem álcool Gráfico 6: Impactos do consumo de álcool durante a gravidez e durante a amamentação vi

Declaração Declaro que esta monografia é o resultado da minha investigação pessoal e das orientações do meu supervisor. O seu conteúdo é original e todas as fontes consultadas estão devidamente mencionadas no texto, nas notas e na bibliografia final.

Igualmente declaro que esta Monografia nunca foi apresentada em nenhuma outra instituição para a obtenção de qualquer grau académico.

Nampula, aos _ dede 2013

vii

Dedicatória

Este trabalho, dedico com enorme estima e prazer aos meus pais Celestino Pedro Iocuma e Rosa Zangarote que me deram forças para que eu aprende-se a lutar e a acreditar em vencer os obstáculos da vida.

viii

Agradecimento Agradeço em primeiro lugar, ao meu supervisor dr. Geraldo Jamisse, que com toda sabedoria contribuiu energicamente para a cientificidade deste trabalho, ao fornecer ideias com construção lógica.

Agradeço a todos que sempre estiveram em porta aberta para o fornecimento das informações e esclarecimentos de dúvidas para que este trabalho chegasse no final.

ix

Resumo

O trabalho tem como tema, Consumo de álcool nas Mulheres durante a gravidez e das mães com crianças Recém-nascidas, Bairro de Napipine, 2012-2013, com este tema pretende-se conhecer os factores do consumo de álcool durante a gravidez, Bairro de Napipine, 2012 à 2013, uma vez que isto trata-se de um problema que afecta a existência de futuras gerações uma vez que a existência desses casos levam o nascimento de crianças com diversos problemas de saúde, facto que não é bem-vindo em nenhuma sociedade, dai levanta-se o seguinte problema Quais são os factores do consumo de álcool durante a gravidez, Bairro de Napipine, 2012 à 2013. A pesquisa é do tipo o exploratório uma vez que pretende conhecer a base do problema que levam e que factor advém do consumo de álcool durante o período de gestação. Os tais entrevistas e questionários serão dirigido as mulheres gestantes e com crianças recém-nascidas incluindo as parteiras dos hospitais envolvidos, este todo conjunto constitui a população alva. Para a concretização da pesquisa foram usados os métodos bibliográfico permitiu obter base teórica em diversas fontes que dão o fundamento do consumo de álcool durante o período de gestão e o Método de observação sistemática que consistiu na verificação das crianças recém-nascida no que refere as características fisiológicas. Estes métodos foram auxiliados pela seguinte técnica de recolha de dados, questionário e entrevista. No desenvolvimento da pesquisa foram evidentes algumas características ou aspectos referente as causas do consumo de álcool durante a o período de gestação.

Palavras-chave: Consumo, Álcool, Mulheres gestantes, Crianças recém-nascidas

Capitulo I: Introdução O consumo de álcool é uma prática antiga que começou na antiguidade ou pode se dizer que começou desde o momento que o homem descobriu a existência da fermentação alcoólica nas suas actividade, sem se preocupar com as percentagens em que esta se encontra.

Na óptica de MARTINS (1982), o álcool ou etanol na forma de bebida é uma droga lícita para consumo, sendo encontrada em todo o planeta.

Esta pesquisa procura inteirar-se acerca da prevalência do consumo excessivo do álcool durante o período de gestão e de amamentação e que de certa forma esta situação traz efeitos colaterais na vida do feto e não excepcionando a da mãe.

O desenvolvimento deste tema é de extrema importância pois pode-se avaliar o nível dos efeitos causados pelo consumo do álcool no seio da sociedade dai estabelece-se as medidas de mitigação dos efeitos negativos que surtem do consumo de álcool durante o período de gestação e de amamentação.

na pesquisa

Capítulo I, Introdução, no qual se apresenta uma breve reflexão baseada na pertinência da problemática envolvida no estudo, apresentado o problema em estudo e a importância do estudo. Neste capítulo, faz-se uma breve abordagem sobre o objecto de estudo da pesquisa, relevância do tema, a problematização do trabalho, questões científicas que foram levantadas

Capítulo I, relativo ao enquadramento teórico, em que se aborda a problemática do consumo do álcool durante o período de gestão indicando os diversos aspectos relacionados com o consumo de álcool na vida do feto e da própria mãe naquele período.

Capítulo I, proceder-se-á à apresentação, à análise e interpretação dos dados obtidos na pesquisa em correlação com o que as fontes lidas fundamentam.

Finalmente, no capítulo IV, serão apresentadas as conclusões do estudo no que diz respeito aos efeitos do consumo de álcool durante o período de gestação e durante o período de amamentação.

1.2.Justificativa Sendo que uma das substancias que é consumido com maior frequência pelas pessoas em todos os níveis sociais é o álcool (etanol), e que conhecendo a importância e os possíveis impactos no organismo tanto da mãe como do feto.

pesquisa

Na tentativa de garantir saúde agradável, o homem sempre fez estudo sobre diversas substâncias que por eles são consumidos de forma a prever certas reacções após de serem consumidos tanto para pessoas normais como para o caso das pessoas que necessita de cuidados especiais como é o caso das pessoas grávidas, para o actual caso de estudo nesta

Tendo conhecimento sobre os impactos do consumo de álcool pelas mulheres grávidas, é fácil tomar se medidas podendo elas serem de proibição ou diminuir de modo a não criar perturbações no feto ou no recém-nascido através das reacções de álcool no organismo do bebe.

Por outro lado é importante ter conhecimento sobre o os impactos de consumo de álcool durante a gravidez pois os consumidores (mulheres gestantes) passaram a respeitar o quanto e com qual frequência de uso na gravidez o álcool pode comprometer o feto (p.ex., uma dose ocasional; uma dose por semana, uma dose diária).

1.3.Objectivos 1.3.1.Objectivo geral Conhecer os factores que levam as mulheres gestantes e mães com crianças recém-nascidas a consumir o álcool.

1.3.2.Objectivos específicos

Identificar os factores que levam as mulheres grávidas e mães com crianças recémnascidas ta consumir álcool.

Verificar o nível de conhecimentos sobre os impactos do consumo de álcool para as mulheres grávidas e com crianças recém-nascidas.

1.4. Questões Cientificas Será que as mulheres gestantes e com crianças recém-nascidas podem consumir álcool

Que influencia traz o consumo de álcool nas mulheres gestantes, mães com crianças recém-nascidas e para o feto.

1.5. Problematização

Nos últimos anos quase ao nível mundial, nacional e mesmo provincial, verifica-se que o índice do consumo de álcool em todos níveis da sociedade, isto é, desde crianças, jovens, adultos e velhos.

O uso do álcool é o vector mais relevante de retardo mental nos filhos de mães usuárias dessa droga, além de ser o principal responsável por teratogenias no mundo ocidental.1 O consumo excessivo de álcool entre as mulheres grávidas constitui um dos problemas mais relevantes da dependência alcoólica, pois pode levar à síndrome alcoólica fetal (SAF), isto é, à expressão de maior comprometimento neuropsiquiátrico em filhos de mulheres que beberam em excesso durante a gestação1 .

No bairro de Napipine é notório um elevado índice de pessoas em particular mulheres grávidas e outras que tem crianças recém-nascidas a tomarem álcool nas barracas e em outros locais de lazer, referindo se das casas em que se venda as bebidas tradicionais, outras que compram diversos tipos de bebidas e vão concentrando se em casa duma das pessoas do grupo em tomam álcool e em algum momento em ocasião de festas, casamentos, cerimonias, etc.

Em alguns caso, essas mulheres gestantes e recém-nascidas consome álcool sem primeiro terem ingerido algo durante o dia, pois dependendo dos dias a outros dias que algumas dorme tarde porque saem tarde das barracas chegando nas suas casas não estão em condições para prepararem alguma coisa para comer e logo no dia seguinte de manha estão a matar lazer.

Para o caso das mães com filhos recém-nascidas depois de tomarem álcool, além de não terem ingerido algo no seu estômago dão de mamar a criança e as vezes dorme e esquece que tem uma criança recém-nascida que até algumas destas já dormirá sobre as suas crianças.

1 JUNIOR, R. Consumo de Álcool durante a Gestação. Revista Brasileira de Ginecologia e Obstetrícia, 2005.

Na base de esses pontos apontados levantasse o seguinte problema: Quais são os factores que levam as mulheres gestantes e mães com crianças recém-nascidas a consumir o álcool?

1.6.Hipótese

Excesso dos diversos problemas sociais e familiares Como única forma de diversão e fazer passar o tempo

1.7.Metodologia do Trabalho A metodologia faz a menção de como foi feito a pesquisa indicando o tipo de pesquisa, métodos e as técnicas que foram usadas para auxiliar os métodos na concretização da pesquisa.

1.7.1.Tipo de Pesquisa 1.7.1.1.Quanto aos objectivos Quanto aos objectivos a pesquisa é exploratória pois alveja garantir maior familiaridade com o problema de consumo de álcool por parte das mulheres gestantes e pelas mulheres com crianças recém-nascidas, conhecendo os impactos que advêm desta situação para a saúde da mãe, para o feto e para o recém-nascido. Para tal vai se usar basicamente o levantamento bibliográfico, entrevistas e questionário.

1.7.1.2.Quanto a forma de abordagem Quanto a abordagem a Pesquisa é Quantitativa pois traduz durante a análise e interpretação dos resultados com base nos números, opiniões e informações ao classificá-las e ao analisar os dados na forma de percentagem.

1.7.2.Métodos 1.7.2.1.Consulta bibliográfica Consultou-se diversos livros bibliográficos que abordam sobre o consumo de álcool (etanol) durante o período de gestão e para mãe com filhos recém-nascidos.

1.7.2.2.Observação sistemática Consistira na observação de maneira planejada tanto nos hospitais (central e 25 de Setembro)

lazer

para as crianças recém-nascidas de forma a verificar as possíveis anomalias que terão como resultado do consumo de álcool por parte das mães enquanto estavam grávidas e ainda a observação das mulheres grávidas ou com mães com crianças recém-nascidas nos centros de

1.7.2.3.Método Estatístico Fez-se representações gráficas na interpretações dos resultados do questionário, entrevista e inquérito dirigido as mulheres gestantes, agentes de saúde (hospital local) e as mulheres com crianças recém-nascidas.

1.7.3.Técnicas de recolha de dados 1.7.3.1.Questionário Fez-se perguntas dirigidos as mulheres gestantes e as mulheres com recém-nascidos que consomem o álcool durante este período, de modo a obter informações relativas a consequências do consumo do álcool durante este período. O questionário é composta por perguntas abertas e fechadas.

1.7.3.2.Entrevista Fez se perguntas dirigidas aos profissionais do centro de saúde, com perguntas aberta de modo a contribuir sobre os impactos, situações vividas e medidas que podem ser tomadas contra o consumo de álcool durante o período de gestação. Ainda estará dirigido aos locais de venda das bebidas alcoólicas, as perguntas serão abertas e fechadas.

1.8.População e amostra da pesquisa A pesquisa representa como população ou universo envolvido nela, todas as mulheres gestantes e as que amamentam crianças recém-nascidas no bairro de Napipine, centros de venda de álcool no bairro e na maternidade do Hospital Central e 25 de Setembro. Desta amostra serão envolvidos como amostra da pesquisa: 50 Mulheres gestantes e 50 Mulheres com crianças recém-nascidas no bairro; 400 mulheres grávidas ou que deram partos no hospital central e no hospital 25 de Setembro, 200 para cada hospital. Serão também envolvidas na amostra 5 locais de venda desta substancia. A escola de amostra será de forma aleatória para permitir a fiabilidade dos factos.

1.9.Relevância Este estudo pode servir de um instrumento de análise e reflexão para mudança de comportamento das mulheres gestante do bairro de napipine não só da cidade de Nampula no que concerne ao consumo de bebidas alcoolicas, e ainda para todos que tem contribuído para a redução das taxas de mortalidades materno infantil e para as entidades de tutela com maior enfoque a Direcção Provincial de Saúde.

1.10.Enquadramento do tema Pelo interesse prático do tema este enquadra - se na disciplinas de Ciências Naturais no ensino primário do 2º grau, Biologia 12ª classe no ensino Secundário Geral e Educação Sanitária, leccionada no ensino superior muito particularmente no 4º ano do curso de Biologia, no antigo currículo da Universidade Pedagógica.

CAPÍTULO I: Fundamentação Teórica Neste capítulo faz-se uma abordagem teórica de diversas obras com conteúdos o consumo do

para o feto, incluindo a criança recém-nascida

álcool durante o período de gestão e de amamentação em relação aos impactos para a mãe e

2.1.Conceitos fundamentais O álcool ou etanol na forma de bebida é uma droga lícita para consumo, sendo encontrada em todo o planeta.

2.2.Alcoolismo Feminino Sabe-se, desde os tempos bíblicos, que o álcool consumido por mulheres e ingerido durante a gravidez provoca efeitos deletérios no produto conceptual. Antigas civilizações, por exemplo, proibiam nubentes de embriagarem-se na celebração de seu casamento para que a possível gravidez não sofresse os efeitos da bebida.

MARTINS (1982), afirma que o alcoolismo na gravidez associa-se às más condições socioeconómicas, ao nível educacional baixo, à multiparidade, à idade superior a 25 anos e, concomitantemente, à desnutrição, às doenças infecciosas e ao uso de outras drogas.

A prevalência do alcoolismo entre mulheres é significativamente menor que a encontrada entre os homens, girando em torno de 5,7%. Ainda assim, o consumo abusivo e/ou a dependência do álcool trazem, reconhecidamente, inúmeras repercussões negativas sobre a saúde física e psíquica e a vida social da mulher.

As mulheres que fazem uso de álcool durante e após a gestação expõem seus filhos a riscos já identificados em vários estudos clínicos e experimentais.

Embora não se saiba exactamente qual é a dose de álcool que poderia causar dano fetal, evidências recentes sugerem que mesmo uma dose por semana está associada à possibilidade de dificuldades mentais. Expondo o feto a um teratógeno, a mãe é moral e causalmente responsável pelo resultado, pois está demonstrado que crianças de mães dependentes de substâncias psicoativas apresentam risco elevado de doenças perinatais graves, como prematuridade, malformações, retardo no crescimento intra e extra-uterino, sofrimento fetal e infecções, com sequelas neurológicas e respiratórias. O recém-nascido de uma alcoolista grave mama pouco, é irritável, hiperexcitado e hipersensível, tem tremores, hipotonia muscular alteração do padrão de sono, transpira muito e pode ter apnéia. Além disso, a transmissão vertical de infecções ligadas ao uso de drogas, como HIV, hepatite B e C e sífilis, também é aumentada. (KAUP, 2001)

(Parte 1 de 4)

Comentários