ACADÊMICOS - Aula Introdução a Administração 2014 1

ACADÊMICOS - Aula Introdução a Administração 2014 1

(Parte 3 de 3)

Prof. Adm. Elvis SILVEIRA-MARTINS, Dr.

A coerção ou força física é o principal meio de controle sobre os participantes operacionais, que não detêm o poder.

Exemplos: Prisões e hospitais penitenciários.

Prof. Adm. Elvis SILVEIRA-MARTINS, Dr.

A remuneração, satisfação intrínseca no cargo, prestigio e estima, são meios de controle das organizações utilitárias. No entanto, no conjunto, a remuneração tem maior realce.

Exemplos: Para empregados de fábrica a remuneração é o principal meio de controle.

Prof. Adm. Elvis SILVEIRA-MARTINS, Dr.

Exemplos: Organizações religiosas, universidades

Nas organizações normativas, os participantes internalizam orientações aceitas como válidas. Liderança, rituais, manipulação de símbolos sociais e de prestígio estão entre as técnicas de controle mais importantes. INTRODUÇÃO A ADMINISTRAÇÃO

Prof. Adm. Elvis SILVEIRA-MARTINS, Dr.

Organizações que utilizam dois tipos de poder:

Combinação entre o poder normativo e coercitivo; Combinação entre o poder normativo e utilitário;

Combinação entre o poder utilitário e coercitivo

Prof. Adm. Elvis SILVEIRA-MARTINS, Dr.

Empresas que ocupam escravos

Organizações de combate

Organizações Sindicais

Prof. Adm. Elvis SILVEIRA-MARTINS, Dr.

Prof. Adm. Elvis SILVEIRA-MARTINS, Dr.

Prof. Adm. Elvis SILVEIRA-MARTINS, Dr.

- Adequando a condições relativamente estáveis; - As tarefas são especializadas e precisas;

- A hierarquia de controle é bem definida;

- A comunicação vertical é enfatizada;

- Valoriza-se a a lealdade e a obediência.

Após estudos, na década de 60, foram identificados modelos alternativos ao tipo ideal de Weber, sendo:

Prof. Adm. Elvis SILVEIRA-MARTINS, Dr.

- Adaptado a condições instáveis; - Ambientes dos quais a organização não tem familiaridade;

- Problemas complexos, que não podem ser resolvidos por pessoas com especialidades tradicionais;

Prof. Adm. Elvis SILVEIRA-MARTINS, Dr.

Teorias Transitivas

Mary Parker Follett Chester Barnard

Prof. Adm. Elvis SILVEIRA-MARTINS, Dr.

Profeta do Gerenciamento

Mary Parker Follett

Prof. Adm. Elvis SILVEIRA-MARTINS, Dr.

Mary Parker Follett (1868-1933)

•Graduou-se na Radcliffe College (hoje incorporada à Universidade Harvard), em 1894, nos seguintes cursos:

–Filosofia

–Direito

–Economia

–Administração pública

•Muito de seu conhecimento foi exposto através de palestras (concentradas entre os anos de 1925 e 1933) veiculadas por ela mesma.

•Apresenta um ideário dissidente do paradigma da época (estruturado sobre o positivismo):

“A busca ardente pela objetividade, a tarefa primordial dos devotos do fato, não pode ser a única tarefa da vida, uma vez que a objetividade sozinha não é realidade”

Prof. Adm. Elvis SILVEIRA-MARTINS, Dr.

Mary Parker Follett

•Principais Publicações

–The Speaker of the House of Representatives (1896);

–The New State: Group Organization the Solution of Popular Governament (1918)

–Creative Experience (1924) – marca a transição de Follett para o gerenciamento

Prof. Adm. Elvis SILVEIRA-MARTINS, Dr.

Profeta do Gerenciamento

•Fundamentos psicológicos da organização de empresas –Relacionamentos (A resposta circular)

–Conflito

–Poder

•Dar Ordens

•Exercício da autoridade –Liderança

–Coordenação •Indíviduo, grupo, sociedade e empresa

Prof. Adm. Elvis SILVEIRA-MARTINS, Dr.

•Visão tradicional

(objeto/estático) Visão de Follett

(processo/movimento)

Homem – objeto

Emissor – receptor A relação entre dois homens:

A + o relacionamento entre A e B + B + o relacionamento entre B e A.

A muda B, que muda A. Ambos mudam também o relacionamento entre ambos.

Prof. Adm. Elvis SILVEIRA-MARTINS, Dr.

•Causa e efeito são processos entrelaçados:

“A medida que desenvolvemos uma certa ação, nossa idéia em relação a ela muda, mudando também nossa atividade”

“Nunca mudo em relação a você, mas sim em relação a você mais eu”

Prof. Adm. Elvis SILVEIRA-MARTINS, Dr.

•A realidade está na relação entre ambos; •Cada exemplo de comportamento deve ser visto como um todo.

•Assim, a atenção deve estar tanto na relação, quanto nas partes que se relacionam;

•Um influencia e “faz” o outro, mutuamente;

Prof. Adm. Elvis SILVEIRA-MARTINS, Dr.

“A natureza deseja ardentemente os opostos e, a partir deles, completa a harmonia, e não a partir de semelhantes”

Heráclito

•O conflito não tem valor intrínseco (bom ou ruim)

•Conflito = aparecimento de diferenças (inerentes aos seres humanos) e GERAÇÃO DE INOVAÇÃO

•Sob o ponto de vista do relacionamento circular, “nunca luto contra você, mas contra você mais eu”. Vendo sob este prisma, não há vencedor ou perdedor.

Prof. Adm. Elvis SILVEIRA-MARTINS, Dr.

•As 3 maneiras de tratar um conflito: –Dominação

–Conciliação

–Integração

Prof. Adm. Elvis SILVEIRA-MARTINS, Dr.

Quadro-Resumo

Negociação “ganha-ganha”

Prof. Adm. Elvis SILVEIRA-MARTINS, Dr.

•A bases da integração

–Explicitar as diferenças (campo dos desejos).

“Deve haver um esforço em descobrir as diferenças e expô-las com clareza. A avaliação sincera das mesmas leva a reavaliação dos desejos”

–Focar nas características significativas de um conflito e não nas mais dramáticas.

–Dividir o problema em fatias menores e compreendê-los a fundo.

–Antecipar as reações do outro lado (jogo de tênis).

Prof. Adm. Elvis SILVEIRA-MARTINS, Dr.

“Não há nada melhor do que mandar e ser obedecido”

Dom Quixote

Miguel de Cervantes O poder é um meio para atingir um fim (desejo de usá-lo para satisfação dos desejos pessoais) ou um fim em si mesmo (necessidade inata humana)?

Prof. Adm. Elvis SILVEIRA-MARTINS, Dr.

Abordagem Comportamental

Prof. Adm. Elvis SILVEIRA-MARTINS, Dr.

Conceito:

De acordo com a abordagem comportamental, entender a diversidade e singularidade das pessoas é uma dimensão importante do processo de administrar as organizações

Prof. Adm. Elvis SILVEIRA-MARTINS, Dr.

Percepção; Aptidões;

Inteligência;

Atitudes;

Personalidade;

Variáveis biográficas.

Prof. Adm. Elvis SILVEIRA-MARTINS, Dr.

A percepção é um produto da interação entre o estímulo (figura) e o observador (vocês ou outras pessoas). Nessa interação, o estímulo influencia o observador e é por ele influenciado.

Prof. Adm. Elvis SILVEIRA-MARTINS, Dr.

O observador nem sempre enxerga tudo o que vê. Dois fenômenos básicos explicam essa diferença:

Percepção Seletiva: A percepção seletiva faz com se vejam apenas algumas características em outras pessoas. A incapacidade de ver o todo pode levar a julgamentos apressados ou conclusões incorretas a respeito de quem está sendo observado.

Prof. Adm. Elvis SILVEIRA-MARTINS, Dr.

Adaptação Sensitiva: Quando submetida durante muito tempo a um mesmo estímulo, a sensibilidade pode reduzir-se. O operador de um equipamento pode acostumar-se e tornar-se inconsciente das variações em seus movimentos.

Prof. Adm. Elvis SILVEIRA-MARTINS, Dr.

Prof. Adm. Elvis SILVEIRA-MARTINS, Dr.

Atitudes, motivações, interesses, experiências e expectativas determinam como os estímulos são percebidos e avaliados;

Intensidade, freqüência, tamanho e outras características afetam a capacidade de perceber os estímulos;

SITUAÇÃO O ambiente empresta significado ao estímulo.

Prof. Adm. Elvis SILVEIRA-MARTINS, Dr.

Prof. Adm. Elvis SILVEIRA-MARTINS, Dr. ATITUDES

Prof. Adm. Elvis SILVEIRA-MARTINS, Dr.

PRINCIPAIS APTIDÕES Categorias Aptidões Específicas

Prof. Adm. Elvis SILVEIRA-MARTINS, Dr. INTRODUÇÃO A ADMINISTRAÇÃO

Prof. Adm. Elvis SILVEIRA-MARTINS, Dr.

Esta relacionado com o comportamento coletivo nas organizações, ou seja, o entendimento e administração dos indivíduos com os integrantes de grupos de trabalho.

O experimento de Hawthorne, realizado no período de 1927 a 1933, fez nascer a escola das relações humanas

Prof. Adm. Elvis SILVEIRA-MARTINS, Dr.

O desempenho das pessoas depende muito dos métodos de trabalho, segundo a visão da administração cientifica, do que os fatores emocionais e comportamentais. A fábrica deveria ser vista como sistema social, não apenas econômico industrial.

Prof. Adm. Elvis SILVEIRA-MARTINS, Dr.

Após o experimento os Administradores reconheciam que, para fazer a organização funcionar, era preciso considerar seriamente o comportamento das pessoas.

Prof. Adm. Elvis SILVEIRA-MARTINS, Dr.

As características individuais focalizadas em estudos comportamentais aplicados à administração são principalmente as seguintes:

Traços de comportamento ou traços de personalidade definidores de preferências ou temperamentos, que influenciam desempenho no trabalho, estilo de trabalhar em grupo, percepção da realidade e estilo de resolver problemas e tomar decisões;

Atitudes que determinam reações favoráveis ou desfavoráveis em relação ao próprio individuo e à realidade e que influenciam os interesses e as motivações, contribuindo para definir o nível de esforço e desempenho dos indivíduos e dos grupos

Prof. Adm. Elvis SILVEIRA-MARTINS, Dr.

Competências, ou aptidões e habilidades, que compõem o sistema de forças que definem as escolhas profissionais e o nível de desempenho dos indivíduos e dos grupos. Liderança, inteligência, mecanismos de aprendizagem e resolução de problemas são exemplos de aptidões que interessam aos estudos comportamentais aplicados à administração.

Sentimentos e emoções. Essa área do comportamento organizacional ganhou grande impulso no final do século X, quando se popularizou a ideia de inteligência emocional.

Prof. Adm. Elvis SILVEIRA-MARTINS, Dr.

Indica as causas ou motivos que produzem determinado comportamento, seja ele qual for. A motivação é a energia ou força que movimenta o comportamento e que têm propriedades:

• Direção: o objetivo do comportamento motivado ou a direção para a qual a motivação leva o comportamento; • Intensidade: magnitude da motivação;

• Permanência: duração da motivação;

Prof. Adm. Elvis SILVEIRA-MARTINS, Dr.

Prof. Adm. Elvis SILVEIRA-MARTINS, Dr.

TEORIA DA EXPECTATIVA (expectancy theory)

Propõe que as pessoas esforçam-se para alcançar resultados ou recompensas, que para elas são importantes, ao mesmo tempo em que evitam os resultados indesejáveis.

A teoria da expectativa retrata a idéia intuitiva de que o esforço depende do resultado que se deseja alcançar.

Prof. Adm. Elvis SILVEIRA-MARTINS, Dr.

É um ramo do estudo do comportamento que se baseia em experimentações de laboratório com animais. O behaviorismo é uma área controversa do enfoque comportamental, dada sua associação com o adestramento de animais.

Behave (pronuncia-se birreiv) significa: proceder, portar-se, comportar-se. Behavior, behaviour, significa procedimento, comportamento, conduta.

Prof. Adm. Elvis SILVEIRA-MARTINS, Dr. CONCEITOS DE BEHAVIORISMO

Prof. Adm. Elvis SILVEIRA-MARTINS, Dr. CONCEITOS DE BEHAVIORISMO

Prof. Adm. Elvis SILVEIRA-MARTINS, Dr.

Estabelece que as pessoas são motivadas essencialmente pelas necessidades humanas.

Comum a todas as pessoas

Influenciadas pela sociedade, personalidade e diferenças individuais

Prof. Adm. Elvis SILVEIRA-MARTINS, Dr.

• Necessidades Básicas

Inerentes a condição humana. Elas tornam todas as pessoas iguais as outras. São também chamadas necessidades de sobrevivência.

• Necessidades Adquiridas Necessidades que as pessoas adquirem ou desenvolvem por meio de treinamento, experiência, pela convivência com outras pessoas, pela incorporação dos valores da sociedades em que vivem, ou por causa da própria personalidade.

Prof. Adm. Elvis SILVEIRA-MARTINS, Dr.

Abraham Maslow (1908-1970) desenvolveu a ideia de que as necessidades humanas dispõem-se numa hierarquia mais complexa que a simples divisão em dois grandes grupos.

Prof. Adm. Elvis SILVEIRA-MARTINS, Dr.

Necessidades de Auto-Realização

Necessidades de Estima

Necessidades Sociais

Necessidades de Segurança Necessidades Básicas

Prof. Adm. Elvis SILVEIRA-MARTINS, Dr.

• Necessidades Básicas ou Fisiológicas: Necessidades de alimento, abrigo

(proteção contra a natureza), repouso, exercício, sexo e outras necessidades orgânicas.

• Necessidades de Segurança: Necessidades de proteção contra ameaças, como as de perda do emprego e riscos à integridade física e à sobrevivência.

•Necessidades Sociais: Necessidade de amizade, afeto, interação e aceitação dentro do grupo e da sociedade.

Prof. Adm. Elvis SILVEIRA-MARTINS, Dr.

• Necessidade de Estima: Necessidade de auto-estima e estima por parte de outros.

•Necessidade de Auto-Realização: Necessidade de utilizar o potencial de aptidões e habilidades, autodesenvolvimento e realização pessoal

Prof. Adm. Elvis SILVEIRA-MARTINS, Dr.

Segundo Maslow:

-As necessidades básicas manifestam-se em primeiro lugar;

- Uma necessidade de uma categoria qualquer precisa ser atendida antes que a necessidade de uma categoria seguinte se manifeste;

- Uma vez atendida, a necessidade perde sua força motivadora;

- Quanto mais elevado o nível das necessidades, mais saudável a pessoa é;

- O comportamento irresponsável é sintoma de privação das necessidades sociais e de estima

Prof. Adm. Elvis SILVEIRA-MARTINS, Dr.

A teoria desenvolvida por Frederick Herzberg, explica como o ambiente de trabalho e o próprio trabalho interagem para produzir motivação. Esta teoria é divida em: Fatores Motivacionais e Fatores Higiênicos.

Prof. Adm. Elvis SILVEIRA-MARTINS, Dr.

Fatores Higiênicos AMBIENTE DE TRABALHO

Fatores Motivacionais

Prof. Adm. Elvis SILVEIRA-MARTINS, Dr.

1 – FATORES RELACIONADOS AO PRÓPRIO TRABALHO, CHAMADOS FATORES MOTIVACIONAIS OU INTRÍSECOS

Conteúdo do trabalho em si (natureza das tarefas e suas sintonia com os interesses e qualificações da pessoa)

• Sentido de realização de algo importante

• Exercício da responsabilidade

• Possibilidade de crescimento

• Orgulho e sentimento de prestígio decorrentes da profissão

• Reconhecimento pelo trabalho bem-feito

Prof. Adm. Elvis SILVEIRA-MARTINS, Dr.

2 – FATORES RELACIONADOS COM AS CONDIÇÕES DE TRABALHO, CHAMADOS FATORES EXTRINSECOS OU HIGIÊNICOS

• Estilo de supervisão do chefe • Relações pessoais com os colegas

• Salário

• Políticas de administração de pessoal

• Condições físicas e segurança do trabalho

Prof. Adm. Elvis SILVEIRA-MARTINS, Dr. TEORIA X e Y

Prof. Adm. Elvis SILVEIRA-MARTINS, Dr.

Pressupostos = As pessoas são preguiçosas e não gostam de responsabilidades

Objetivo das pessoas = Segurança individual Motivação para produzir = Emprego e remuneração

Instrumentos do empresário e dos gerentes = Disciplina e prêmios materiais

Prof. Adm. Elvis SILVEIRA-MARTINS, Dr.

Pressupostos = As pessoas não são preguiçosas e assumem responsabilidades

Objetivo das pessoas = Realização pessoal e profissional Motivação para produzir = Participação

Instrumentos do empresário e dos gerentes = Mentalização e treinamento

Prof. Adm. Elvis SILVEIRA-MARTINS, Dr.

Douglas McGregor

McGregor defendia a ideia de que a teoria Y era a correta dentro da realidade americana nas décadas de 1950 e 1960.

Estudos posteriores comprovaram que este posicionamento de McGregor estava correto.

Prof. Adm. Elvis SILVEIRA-MARTINS, Dr.

Prof. Adm. Elvis SILVEIRA-MARTINS, Dr.

COMPLEXIDADE: É a palavra que indica o grande número de problemas e variáveis presentes em uma situação. Complexidade é a condição normal que as organizações e os administradores devem enfrentar. Quanto maior o número de problemas e variáveis, mais complexa é a situação. Ex: Aeroporto

É a ferramenta que lida com a complexidade, possibilitando: • Visualizar a interação de componentes que se agregam em totalidades ou conjuntos complexos; • Entender a multiplicidade e interdependência das causas e variáveis dos problemas complexos; • Criar soluções para problemas complexos.

(Parte 3 de 3)

Comentários