Ensaio - Cinema como Ferramenta de Implementação Ideológica: Estudo do Caso Sex And City 2

Ensaio - Cinema como Ferramenta de Implementação Ideológica: Estudo do Caso Sex...

UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA

Bachalerado Interdisciplinar de Artes

ENSAIO

Cinema como Ferramenta de Implementação Ideológica: Estudo Caso Sex and City

Jonatas de Sousa Silva Pereira

Salvador

Fevereiro 2014

RESUMO

A proposta deste ensaio foi estudar a implementação ideológica através do cinema a partir do merchandising social, tendo como estudo o filme Sex and City 2. Para tanto, foi necessário elucidar conceitos e exemplos praticados ao decorrer da história da humanidade. O próximo passo foi discorrer brevemente sobre estudado a partir da ideologia presente tendo como objetivo defender a tese que o cinema desde primórdios até os dias atuais é utilizado como ferramenta de implementação de ideologias perante o telespectador e assim gerar uma reflexão sobre o tema e que seu debate proporcione um olhar crítico.

Palavras-chave: Merchandising social, Cinema, ideologia e Sex And City 2

ABSTRACT

The purpose of this research was to study the ideological implementation through cinema from tie in social, with the study Sex and the City 2 movie Fri. Therefore, it was necessary to clarify concepts and examples practiced over the course of human history. The next step was studied briefly about descorrer from this ideology aiming to defend the thesis that cinema from beginnings to the present day is used as a tool for implementing ideologies before the viewer and generate a debate on the subject and his discussion provides a critical look.

Keywords: tie in social, movie, ideologic e Sex And City

1 INTRODUÇÃO

"O cinema não tem fronteiras, nem limites, é um fluxo constante de sonhos” (Orson Welles). “O cinema é um modo divino de contar a vida” (Federico Fellini). Nisto configura-se a sétima arte, um mundo de sonhos, desejos, sensações, sentimentos, ideologias e observações que são impregnados num rolo de película ou no projetor digital no qual pretende, de forma encantadora e persuasiva, comunicar a mensagem contida na obra fílmica. A sua etimologia vem do grego κίνημα – kinema que significa "movimento", portanto a definição científica do cinema é a exibição de imagens estáticas de forma contínua tiradas a 24 quadros por segundos, gerando a simulação do movimento. Ao se pensar o conceito mais difundido, percebe-se que é um meio de demonstração artística de alta visibilidade, formada por outras expressões artísticas como o teatro, a fotografia, a música e a literatura. O cinema nos seus primórdios tornou-se muito mais que uma obra de arte admirada e contemplada pelos seus telespectadores, se revelou fonte de entretenimento de massa e de grande capacidade ideológica vislumbrando um enorme potencial mercadológico e difusão de ideologias pelas grandes empresas ou nações para fixação e lembrança de marca, como também na mensagem, a propagação da ideologia presente na obra fílmica, ao ter como umas das ferramentas o merchandising social ou "Ideologic Placement" prática que veem sendo bastante utilizada frequentemente continuada no cinema mundial contemporâneo.

Sendo assim o principal objetivo deste ensaio será defender a tese que o cinema desde sua criação, a partir da magia que ela proporciona, da durabilidade expressiva e das suas técnicas criativas, foi e ainda é utilizado como ferramenta implementação ideológica, a partir da análise do filme “Sex and City 2”. Consequentemente buscando uma reflexão sobre o tema tratado no presente trabalho sendo de grande importância para a sociedade atual. A metodologia será um estudo teórico e análise fílmica, a fim de exibir com nitidez as conclusões desejadas.

2 CONCEITOS

No mundo contemporâneo que se procede, o filme cinematográfico está presente em quase em todas as mídias existentes (celular, internet, televisão), por isto impactar o consumidor com as mensagens implementadas no cinema é cada vez mais vantajoso, sendo assim, utilizar desta ferramenta para conseguir uma comunicação eficiente é alcançar uma projeção ideológica mundial. Portanto entender os conceitos apresentados é elucidará, qual a sua importância tanto para os anunciantes como para os publicitários.

2.1 Cinema

O cinema, meio de comunicação desse ensaio é a derivação de diversas artes como a literatura, a fotografia, o teatro e a pintura, firmando-se como arte do século XX, também considerada como arte do homem moderna, a chamada sétima arte, onde move um mercado bilionário (CARVALHO, 2003). É incrível o poder do cinema sobre o comportamento do espectador, onde o mesmo se for impactado pela narrativa fílmica se entrega totalmente de forma absoluta, não se fazendo a resistir às belezas cinematográficas apresentada no telão das salas de cinema, fazendo o público sentir diversas emoções, acabam encantando-se e consequentemente são envolvidos por uma grande história e assim a magia por um instante se torna realidade, assim influenciando hábitos de consumo e estilos de vida.

2.2 Ideologia

Segundo o dicionário digital ideologia significa:

Ciência da formação das ideias e de um sistema de ideias ou sistema articulado de ideias, valores, opiniões, crenças etc., organizado como corrente de pensamento, como instrumento de luta política, como expressão das relações entre classes sociais, como fundamento de seita religiosa etc. Portanto é um conjunto de idéias, pensamentos, doutrinas ou de visões de mundo de um indivíduo ou de um grupo, orientado para suas ações sociais e, principalmente, políticas. (http://www.significados.com.br/ideologia/).

No marxismo ideologia significa o conjunto das formas de consciência social que tem por finalidade legitimar a classe dominante ou, no lado oposto, os interesses revolucionários da classe proletária. (KARL MARX). Portanto ideologia se encaixa nas mensagens passadas pelos filmes cinematográficos pois cada obra exprime uma visão culturalmente vigente condenando ou apoiando de acordo a ideologia do realizador.

2.3 Merchandising Social

A conceituação do merchandising social é quando a mensagem ideológica é inserido num filme em forma de comportamento ou hábito (HELENA e PINHEIRO, 2012). Tem com objetivo utilizar do poder lúdico engajador do cinema para ser utilizado como ferramenta ideológica sendo utilizada como instrumento político-ideológico ao longo da história, exprimindo a bel-prazer do ideal contido na obra fílmica suas intenções particulares no objeto ou fato narrado. O presidente americano Woodrow Wilson declarou, num trecho encontrado no livro "O grande filme - dinheiro e poder em Hollywood"

"O cinema alcançou a categoria de "mais alto meio de disseminação da inteligência pública" e, por falar uma linguagem universal, se presta significativamente para apresentação dos planos e propósitos do país." (EPSTEIN, 1982, p.)

Com isto verifica o quanto o entretenimento e o cinema são áreas que oferecem um grande potencial para a manipulação e implementação ideológica.

3 IMPLEMENTAÇÃO IDEOLOGICA A PARTIR DO CINEMA

O Cinema ao longo de sua pequena trajetória, perante as outras artes existentes, acumulou durante a história da humanidade, deveras inserções de grande relevância na trama da vida real. A partir da primeira guerra mundial, observou-se que a sétima arte poderia ser uma grande ferramenta de implementação ideológica e com isto os governos com suas respectivas ideologias intensificaram os investimentos na arte cinematográfica.

Destaca-se o cinema nazista proporcionado pelo ministro da propaganda Joseph Goebbels, sendo o primeiro partido a criar o departamento de cinema. O tema dos seus filmes em sua grande maioria eram ataques aos judeus que serviam como apoio a holocausto judaico e exaltação ao ideal nazista, entre os melhores filmes produzidos estão contidos Triunfo da Vontade e Olympia ambos da diretora Leni Riefenstahl. Outro destaque foi o cinema soviético, depois da revolução de 1917, ofereceu grande incentivo à cinematográficas por considerá-las ferramenta estratégicas para propaganda ideológica ou merchandising social. Portanto, as obras que exaltassem a força e o heroísmo do povo soviético eram estimuladas, financiadas e amplamente distribuídas pelo governo soviético. O filme que mais ficou evidente é o "Encouraçado Potemkin", de Eisenstein. Sendo o grande destaque em merchandising social é o cinema estadunidense, utilizando o público interno e externo para difusão do ideal capitalista e servindo de expansão ideológica pelo planeta. No mercado interno o ponto áureo do merchandising social foi logo após a grande depressão nos Estado Unido, a fim de levantar a autoestima do povo norte americano foi invento "american way of life" o modo de vida americano, que teve como difusor o cinema hollywoodiano, abarcando também o mercado mundial. Na segunda guerra mundial e na guerra fria os Estados Unidos utilizou do cinema para sugerir interpretações contrárias aos seus inimigos, dentre os filmes utilizados para tal façanha estão o curta-metragem da Disney "Na cara do Fuehrer", tendo o pato Donald soldado do regime nazista e na guerra fria tem-se a trilogia Rambo, onde os vilões da trama era algum personagem soviético.

Com estes exemplos acima fica claro o quanto o cinema foi, é e ainda será grande disseminador ideológico tanto em âmbito interno como também externo, no Brasil esse papel é feito muito bem pelas novelas, mas filmes como Tropa de Elite, Dois Filho de Francisco e Gonzaguinha: De pai para filho ajuda entender o papel engajador do cinema perante o telespectador.

4 ESTUDO DO CASO SEX AND CITY 2

O filme Sex and City 2 fala sobre quatro amigas onde o tema central está sobre Carrie Bradshaw e Mr. Big que estão casados há dois anos e, embora vivam bem, já sentem o desgaste do convívio diário. Paralelamente, Samantha é convidada por um sheik para visitar a luxuosa cidade de Abu Dhabi. Ela então inclui as amigas na viagem e, diante de uma cultura muito diferente, o quarteto tem a chance de refletir sobre alguns dilemas.

Ao se ler as críticas sobre filme pode ver a qualidade cinematográfica mediana da obra fílmica, mas no que se refere a merchandising social a produção cinematográfica em questão, a utilização da ferramenta é bem feita. A exaltação do consumismo e a luxúria capitalista são evidentes. E sem dúvida o nosso tempo (...) prefere a imagem á coisa, a cópia ao original a representação á realidade, a aparência, ao ser... Ele considera que a ilusão é a sagrada, e a verdade é profana. (FEUERBACH).

As marcas que compõe os personagens reafirmam o intuíto capitalista pela sociedade do consumo, elas fazem parte das personalidade e definem os personagens. Para cada momento uma marca se torna evidente e torna um elemento natural da vida cotidiana. Ajudando a refletir a beleza e virtudes do mundo consumista e com isso a ideologia é passada tão simples e tão lúdica que a implementação é feita sem ser percebida pelo telespectador, sendo completado por Helena e Pinheiro que afirma:

É uma geração que valoriza mais o imagético do que físico. A imagem é idolatrada. A realidade é espetacularizada para ser consumida como imagem. O parecer é infinitamente mais importante. (HELENA E PINHEIRO, 2012, p 54).

O luxo, a vida exorbitante, as belezas de Nova York e que tudo que o dinheiro pode proporcionar é mostrado num filme como magia. O exagero, a futilidade e o consumismo são divulgados ao longo do filme, e a expansão dessa ideologia é expressa no oriente médio, vide a qualidade do hotel de Abu Dhabi e pelas marcas utilizadas pelas mulheres mulçumanas.

O filme evidencia o poder existente da ferramenta e quando ela é bem trabalhada pode se tornar uma arma para divulgação e implementação.

5 CONCLUSÃO

Ao decorrer do ensaio foi transcorrido o quanto o cinema pode ser uma fonte de implementação ideológica e fazer uma reflexão sobre o assunto é de grande relevância, tamanha importância que a imagem no mundo contemporâneo obtém na sociedade do espetáculo e do consumo.

REFERÊNCIAS

EPSTEIN, E. J. O grande filme - Dinheiro e poder em Hollywood. Nova York: Edward Jay Epstein, 1982. 292p.

HELENA, R. S.; PINHEIRO, A. J. A. Muito Além do Merchan: Como enfrentar o desafio de envolver as novas gerações de consumidores. Rio de Janeiro: Andréa Campos Bivar, 2012. 292p.

Ideologia. Disponível em: <http://www.significados.com.br/ideologia/> Acesso em: 8 fev. 2014

Comentários