Trabalho acadêmico – Análise antropométrica em posto de trabalho em uma sapataria em Redenção – PA

Trabalho acadêmico – Análise antropométrica em posto de trabalho em uma sapataria...

(Parte 1 de 2)

Trabalho acadêmico – Análise antropométrica em posto de trabalho em uma sapataria em Redenção – PA

1. INTRODUÇÃO

O presente trabalho tem como objetivo abordar uma analise antropométrica, na fábrica de calçados situada em Redenção – PA, focando o posto de trabalho de prensagem, e as medidas antropométricas do colaborador e do ambiente deste posto. Através de levantamento fotográfico, aplicação do questionário de Análise Ergonômica do Posto de Trabalho (AEPT), projeto arquitetônico e projeto de iluminação, observando o layout e diagnosticando os problemas existentes, e assim sugerindo possíveis melhorias para esta atividade.

2. ANÁLISE ERGONÔMICA DO POSTO DE TRABALHO (AEPT)

1. Tarefa: Tarefa: Prensagem

Operações que compõem a tarefa: Ligar o compressor no inicio da jornada, encaixar a sandália na fôrma de madeira, Abrir a prensa, colocar a sandália encaixada na fôrma dentro da prensa, Ligar a prensa, desligar a prensa, retirar a sandália de dentro da prensa, desencaixar a sandália da forma e desligar o compressor ao fim da jornada de trabalho.

Duração do(s) ciclo(s): 42,17 segundos Operações adicionais: Não tem

Requisitos para execução da tarefa: A sandália precisa estar colada e aquecida na estufa

Operações com aplicação de força: ligar e desligar o compressor na tomada no inicio e termino da jornada, ao empurrar o dispositivo de ligar a prensa e ao puxa-lo para desliga-la, empurrar a tampa para abrir e fechar a prensa, e apertar o solado das sandálias com o alicate (força relativamente pequena).

Parte do corpo que exerce força: As mãos Força aplicada sobre: Comando, tomada e na tampa da prensa.

2. Objeto(s) de trabalho (entradas e saídas) de materiais: Estado: Sólido

Tamanho (o menor e o maior): o menor é de 10 centímetros e o maior é de 26 centímetros.

Massa (a menor e a maior): a menor 150 gramas e a maior 350 gramas

cores variadas

Outras características: material de couro sintético, com stress, solado rígido e Perigos/Riscos: Não tem

3. Meios de trabalho – máquinas, equipamentos, aparelhos, ferramentas, instrumentos de medição e dispositivos:

Meios fixos: Compressor e prensa Meios móveis: Alicate Ferramentas manuais: Alicate

Comandos manuais: Comando de ligar e desligar a prensa, e abrir e fechar a prensa e ligar e desligar o compressor.

Pedais: Não tem Mostradores digitais: Não tem Mostradores analógicos: Medidor de pressão do compressor e da prensa Mostradores qualitativos: Não tem Características relevantes: maquinário pesado

Perigos/Riscos: Risco de estourar a borracha de dentro da prensa caso não seja fechada corretamente, risco de perda de audição por conta do ruído da máquina.

4. Posto de trabalho:

Tipo e acesso: Indústria e de fácil acesso. Posição (ões) de trabalho: Em pé

Movimentos mais significativos (tipo, parte do corpo e extensão): utiliza mais as mãos, extensão dos braços para alcançar a sandália.

Superfície de trabalho: Prensa Assento: Não tem Apoios: Não tem Espaço para movimentos: Adequado

Características dos elementos: metal e possui borracha dentro da prensa, tamanho e altura média.

Perigos/Riscos: Risco de não fechar a prensa direito podendo ocasionar um estouro.

4.1 Layout:

Alcance dos comandos: Estufa ao lado (distância: 15cm), Estufa em frente a prensa (distancia: 50cm) e Dispositivo da prensa (distância: 20cm)

Leitura de mostradores: Analógica Alocação sequencial de comandos e mostradores: Não tem Alocação de peças a alcançar: Estufa ao lado Alocação de ferramentas: (alicate) apoio de madeira

4.2 Movimentos e posturas do trabalhador: Movimentos de tronco: Rotação

Movimentos da cabeça: Extensão e flexão Movimentos dos braços: Adução e abdução Movimentos dos antebraços: Horizontal e obliquo Movimentos das mãos: Flexão e extensão Movimentos dos dedos: Flexão e extensão Movimentos das pernas: Flexão Movimentos dos pés: horizontal e em movimentos

Postura do corpo: em pé Postura da cabeça/nuca: inclinada Postura dos braços: vertical e obliquo Postura dos antebraços: horizontal e pouco na vertical Postura das mãos: horizontal e vertical Postura dos dedos: Em movimento Postura das pernas: Vertical Postura dos pés: Horizontal

5. Ambiente:

Iluminação: Fluxo luminoso

Adequado/ uniforme Não

Fluxo luminoso

não uniforme

Inadequado/ Sim

contraste

Pouco Sim

Tipo luminária

Lâmpadas: Incandescentes

Fontes de ofuscamento Sim

Reflexos

Sim

Condições climáticas: Boas:

Não

Ruins:

Sim

Ventilação:

Pouca

Umidade: Baixa

Fonte de calor radiante: Estufa

Temperatura: Alta

Vibrações: Não há:

Sim

h.....v:

Moderada; Não

h.....v: Não

Intensa:

Som: Ruído:

Som agradável

Som perturbador

Nível até o limite Permissível:

Nível acima do

Permissível: Sim

Não Sim Não

Outros fatores:

Umidade: Não Gás, pó, fumo: Não

Mau cheiro: Sim (cola)

Pressões anormais: Não

Sujeira

Sim

Intempéries

Não

EPI (estorvo)

Não há

Vestimenta (estorvo)

Não

EPIs inadequados Não tem EPIs

Vestimenta inadequada

Não

Perigos/Riscos: Esbarrar em algo, ocasionando uma queda, problema de audição devido os ruídos e toxicação proveniente da cola usada na atividade anterior.

Quadro 01: Análise Ergonômica do Posto de Trabalho (AEPT) Fonte: Fonte: Autoras

3.ANÁLISE DO AMBIENTE DO POSTO DE TRABALHO

Antes da analise antropométrica foi realizada um estudo do ambiente do posto de trabalho da fabrica de calçados que produz sandálias infantis em que a menor possui 10 cm de comprimento e para adultos sendo a maior 26 cm de comprimento e massas de 150 g à 350 g respectivamente. Para melhor entender o estudo feito, a sala principal do posto de trabalho será chamada de Sala 2, e a sala ao lado onde localiza-se o compressor, que faz também faz parte do ambiente de produção, será chamada de Sala 1.

De acordo com as medições, foi possível comprovar que o recinto possui uma estrutura baixa, sendo a distancia do chão ao forro (pé direito) de 2,63 m. O espaço é relativamente pequeno cada sala possui dimensões de 5 x 3 m, ou seja, uma área de 15 m². A sala 1 não influência no aspecto ergonômico e ambiental tanto quanto a sala principal, pois o trabalhador limitase apenas nesta última sala, exceto no momento em que liga o compressor.

Há o compartilhamento da sala principal com 2 (duas) estufas (uma sobre uma cadeira e outra sobre uma bancada), 1(uma) prensa, 3(três) prateleiras, 1(uma) estante, 2 (duas) cadeira e 2 (duas) bancadas:

Tabela -1: Área de ocupação dos móveis e máquinas Fonte: Autoras

O total da área de ocupação dos móveis e máquinas na Sala 2 foi de 32419,95 cm² ou 3,242 m², o equivalente a 21,61% do espaço total (15 m²).

Na sala ao lado (sala 1) contém 1(uma) mesa, 1(uma) mesa para rebitagem, 1(uma) cadeira, 1(uma) máquina de costura, 1(uma) estante pequena e o compressor, que é ligado à prensa por meio de uma mangueira de 7(sete) metros. O conjunto desses equipamentos também faz com que o espaço seja menor:

Sala 1

Dimensões (comprimento x largura) cm

Área (base x altura) cm²

Objetos da Sala 2 do posto de trabalho

Dimensões (comprimento x largura)

Área (base x altura)cm²

Tabela -2: Medidas dos moveis na sala 1 Fonte: Autoras

O total de área utilizado pelos equipamentos da Sala 1 foi de 38519,0 cm², o que equivale a 3,852 m², sendo 25,68% do espaço total (15 m²), demonstrando ocupação considerável do local.

A Sala 2 contem apenas uma janela do tipo basculante, com dimensões 90 x 97 (largura x Altura) cm, com três folhas de 18, possui duas portas, uma que leva para o escritório com dimensões 8,5 x 211 cm e outra que leva para a outra sala de fabricação com dimensões 84,5 x 182 cm, o ideal da largura para a porta objetivando o trafego de qualquer pessoa é de no mínimo 80 cm, portanto, estas estão dentro dos padrões exigidos, porém, a altura da ultima porta requer ajustes devido ao padrão de altura das portas (210 cm).

Os cômodos ficam com suas janelas e portas fechadas, assim não há ventilação, além do que, não há nenhum aparelho de climatização, e por conta da estufa e o ambiente fechado, suas condições climáticas são bastante quentes. Há iluminação, tanto natural quanto artificial, porém, insuficiente, pois dependendo do horário o local fica um tanto escuro; cada sala possui apenas uma lâmpada, do tipo incandescente, de 100 W cada, funcionando a uma tensão de 110 V; há momentos em que a luz que mais se destaca é da estufa, e causa reflexos e ofuscamento, provocando certo desconforto nos olhos e com o tempo os seus efeitos podem ser bastante prejudiciais.

Outro fator importante refere-se ao da prensa quando ligada, pois causa um ruído bastante incomodo classificado como impulsivo (que causa impacto ou explosão), o qual é bastante estridente podendo causar lesões auriculares, com perda de audição, distúrbios cardiovasculares, estresse, prejudicar a capacidade de concentração e varias outras consequências. Além disso, há contato com produtos químicos e de cheiro forte, como a cola que é usada para colagem das peças dos calçados referente à outra atividade, no entanto feita no mesmo local da prensagem, em que o cheiro permanece por algum tempo, sendo prejudicial e podendo causar dor de cabeça, tontura, vômitos e etc. Por conta do ambiente fechado isso torna-se mais propício a esta situação. Vale ressaltar que o ambiente não tem nenhum equipamento de proteção coletiva como extintor de incêndio, portas de emergências e sinalizadores.

4.ANÁLISE ANTROPOMÉTRICA

De acordo com LIDA (2005), a antropometria se divide em: estática, quando o objeto de estudo possui pouca ou nenhuma parte móvel, dinâmica, em casos de trabalhos que exigem muitos movimentos, e funcional, quando está relacionado à tarefas especificas. No entanto, para o estudo em questão foram utilizadas as medições de antropometria estática, descrevendo os pontos do corpo em que foram feitas as medidas, assim também, como, postura, posição e localização do corpo e dos membros.

Após a analise do ambiente, pôde-se então partir para as medições do colaborador, as quais serão estudadas e analisadas de forma a encontrar a melhor forma de adapta-lo ao seu posto de trabalho. Primeiramente observouse a sua postura, para o dimensionamento do espaço que ele utiliza para se movimentar, sendo em pé.

A atividade que o colaborador exerce é manual, sendo este o monitor de funcionamento das máquinas, controlando-as quando necessário, influenciando inclusive em sua postura. Quanto ao seu vestuário, não há proteção, nem equipamentos de proteção individual, pois mesmo o colaborador obtendo um uniforme e um jaleco, não os utiliza por serem quentes e ainda aumentarem o volume. Sua própria roupa torna-se então seu único vestuário, não oferecendo proteção contra os possíveis agentes do meio em que trabalha, entretanto, de certa forma o funcionário se sente confortável e não chega a ser um empecilho para a execução de sua atividade.

O método utilizado para medição foi o direto, que é feito quando são utilizadas ferramentas de medição diretamente no corpo do individuo; foram utilizadas trena e fita métrica.

Medidas de antropometria estática de um trabalhador em fábrica em Redenção:

Medidas de antropometria Estática (cm) Colaborador

1 co rpo e m p

1.1 Estatura, corpo ereto: 1.2 Altura dos olhos, em pé ereto: 1.3 Altura dos ombros, em pé, ereto: 1.4 Altura do cotovelo, em pé, ereto: 1.5 Altura do centro da mão, braço pendido, em pé: 1.6 Altura do cento da mão, braço erguido, em pé: 1.7 Comprimento do braço, na horizontal, até o centro da mão: 1.8 Profundidade do corpo, na altura do tórax: 1.9 Largura dos ombros, em pé: 1.10 Largura dos quadris, em pé:

2 Corp o se n ta d o

2.1Altura da cabeça, a partir do assento, tronco ereto: 2.2 Altura dos olhos, a partir do assento, tronco ereto: 2.3 Altura dos ombros, a partir do assento, tronco ereto: 2.4 Altura do cotovelo, a partir do assento, tronco ereto: 2.5 Altura do joelho, sentado: 2.6 Altura poplítea ( parte inferior da coxa): 2.7 Comprimento do antebraço, na horizontal, até o centro da mão: 2.8 Comprimento nádega-poplítea: 2.9 comprimento da nádega-joelho: 2.10 Comprimento nádega-pé, perna estendida na horizontal: 2.1 Altura da parte superior das coxas: 2.12 Largura entre os cotovelos: 2.13 Largura dos quadris, sentado:

3 Ca e ça

3.1 Comprimento vertical da cabeça: 3.2 Largura da cabeça, de frente: 3.3 Largura da cabeça, de perfil: 3.4 Distancia entre os olhos: 3.5 Circunferência da cabeça:

4 mão s

4.1 Comprimento da mão: 4.2 Largura da mão: 4.3 Comprimento da palma da mão: 4.4 Largura da palma da mão: 4.5 Circunferência da palma: 4.6 Circunferência do pulso: 4.7 Cilindro de pega máxima( diâmetro):

é s 5.1 Comprimento pé:

5.2 Largura do pé:

5.3 Largura do calcanhar:

Tabela 01: Medidas antropométricas do colaborador Fonte: Adaptada de Lida (2005)

Baseando-se na norma alemã 33402 de junho de 1981, resumida em uma tabela de medida antropométrica mais completa, realizaram-se as medidas do colaborador como: do corpo em pé, corpo sentado, mãos, pés e cabeça, porém de acordo com o posto de trabalho do funcionário, onde o trabalho é executado na posição em pé não será estudado as medidas na posição sentado, levando em considerações somente as demais.

Analisando as medidas do corpo ereto, altura dos olhos, altura do cotovelo, altura dos ombros, altura do centro da mão com o braço pendido, altura do centro da mão braço erguido, comprimento do braço na horizontal até o centro da mão, profundidade do corpo na altura do tórax, largura dos ombros e largura dos quadris, comprimento vertical da cabeça, largura da cabeça de frente, largura da cabeça de perfil, distancia entre os olhos, circunferência da cabeça, comprimento da mão, largura da mão, comprimento da palma da mão, largura da palma da mão, circunferência da palma, circunferência do pulso, cilindro de pega máxima (diâmetro), comprimento do pé, largura do pé e largura do calcanhar todas essas medidas foram na posição em pé, as mesmas são de extrema importância pra avaliar e servir como parâmetro para adaptações do posto de trabalho.

A altura entre o cotovelo com o corpo ereto (1 cm de altura) do empregado e a prensa (106 cm de altura) é de 5 cm, portanto a posição do antebraço na horizontal juntamente com o braço na vertical está adequada levando em consideração aos padrões de antropometria. Porém como não há um recuo na parte inferior da prensa para o encaixe dos pés que possui comprimento de 27 cm, o operário adota uma postura inclinada prejudicando a coluna e tem dores nos músculos lombares.

O Espaço para movimentar-se no posto de trabalho analisado (prensa), pôde ser mensurado. Verificou-se que esse espaço entre o funcionário e a maquina está adequado sendo de 20 cm. Caracterizando os movimentos, o alcance dos movimentos é um tipo de alcance máximo, em que os ombros e tronco se movimentam tendo que pegar as rasteiras que estão na estufa ao lado (distância: 15cm), e quando alcança o dispositivo de ligar ou desligar a prensa (distância: 20cm) e ainda a sua tampa fazendo um movimento de adução e abdução juntamente com extensão e flexão dos braços e antebraços com 56 cm e 27 cm respectivamente, a força é aplicada através das mãos sobre os comandos de ligar e desligar do compressor e do dispositivo que controla a prensa, juntamente com a tampa. O colaborador inclina-se em um movimento leve de flexão para colocar e retirar a sandália da prensa com uma angulação média de 30º graus.

(Parte 1 de 2)

Comentários