ELEMENTOS METEOROLOGICOS lagoa portinho

ELEMENTOS METEOROLOGICOS lagoa portinho

AVALIAÇÃO DE ELEMENTOS METEOROLÓGICOS NA LAGOA DO PORTINHO ENTRE OS MUNICÍPIOS DE PARNAÍBA E LUÍS CORREIA - PIAUÍ NO PERÍODO DE DEZEMBRO DE 2008 A FEVEREIRO DE 2010.

Raimundo Mainar de Medeiros

Doutorando, Meteorologista, E-mail: mainarmedeiros@gmail.com

Luiz Roberto Dal Poggetto Oceanógrafo Físico, E-mail: consul.ambiental@hotmail .com

Francisco das Chagas Rocha Engenheiro Agrônomo, CONSPLAN - Consultoria e Planejamento Ltda. consplan@consplanltda.com.br

RESUMO Mostra o comportamento da precipitação; radiação solar acumulada; temperatura do ar; umidade relativa do ar, velocidade e direção do vento na Lagoa do Portinho entre os municípios de Parnaíba e Luis Correia – Piauí no período de dezembro de 2008 a agosto de 2009. Foram utilizados os dados da Estação Meteorológica Automática operante na referida área. Os resultados mostram que a temperatura do ar média do período é de 26,7o C, a máxima temperatura do ar registrada foi de

C e a mínima temperatura do ar foi 13,2o C. A umidade relativa do ar média é de 80,1%, e as suas variações máximas e mínimas foram de 94,1% e 4,7%, respectivamente, enquanto a precipitação média compreendida entre o período de dezembro de 2008 a agosto de 2009 foi de 720 m. Observou-se que a marcha da umidade relativa do ar acompanha a distribuição de precipitação, por que a precipitação é o processo de alimentação das fontes naturais de vapor da água e umidade e que a temperatura do ar é um fator inversamente proporcional a temperatura do ar (umidade alta temperatura baixa e vice-versa). A insolação total recebida é bem distribuída durante o período estudado apresentando uma média de 1,4 MJ/mA2 e suas oscilações máximas e mínimas oscilando entre 7,5 a 0,1 MJ/mA2. . A velocidade média do vento é de 4,3 ms

-1 e a primeira direção predominante é de Este (E) com 774 frequência de entrada.

Palavras-Chave: Variabilidade meteorológicos, Lagoa do Portinho – Piauí, Conforto térmico

ABSTRACT Shows the behavior of precipitation, accumulated solar radiation, air temperature, relative humidity, wind speed and direction of the Lake Portinho between the municipalities and Parnaiba Luis Correia - Piauí from December 2008 to August 2009. We used data from the Meteorological Station Automatic operating in that area. The results show that the air temperature is the average of 26,7ºC, the maximum air temperature recorded was 28,2ºC and minimum air temperature was 13,2ºC. The average relative humidity is 80,1%, and its maximum and minimum variations were 94,1% and 4,7% respectively, while the average rainfall between the period December 2008 to August 2009

ranging from 7.5 to 0.1 MJ/mA2The average wind speed is 4.3 ms-1 and the first predominant

was 720,0 m. We observed that the motion of air relative humidity accompanying the distribution of precipitation, that precipitation is the process of feeding natural sources of water vapor and moisture and the air temperature is a factor inversely proportional to air temperature (high temperature low humidity and vice versa. The total insolation received is well distributed during the study period giving an average of 1.4 MJ/mA2 and their maximum and minimum oscillations direction is east (E) with 774 frequency of entry.

Keywords: meteorological variability, Lagoa do Portinho - Piauí, Thermal comfort.

A Lagoa do Portinho localizada entre os municípios de Luís Correia e Parnaíba tem a sua classificação climática segundo os parâmetros de Köppen, um clima do tipo Aw’ – Clima Tropical Chuvoso - com temperatura do ar média de 26,7ºC, Os principais mecanismos dinâmicos que provocam a chuva no Estado são às altas convecções diurnas - água evaporada no local e a evapotranspiração – resultante do aquecimento das superfícies de água, floresta e vegetação, associada aos fenômenos atmosféricos de grande escala, tais como: Formações de linhas de instabilidade, aglomerados convectivos, – conglomerados de nuvens cumulonimbos que se forma na costa N-NE do Oceano Atlântico devido à circulação de brisa marítima – atuação de Vórtices ciclônicos - anticiclone que se forma em alto nível da atmosfera (200 hPa) durante os meses de verão e situa-se sobre o altiplano nordestino; Zona de Convergência Intertropical (ZCIT) – conglomerados de nuvens cumulonimbos que se forma na costa N-NE do Oceano Atlântico devido à circulação de brisa marítima. O período chuvoso inicia-se na segunda quinzena do mês de dezembro como chuvas de pré-estação e prolonga-se até o mês de maio, tendo como trimestre mais chuvoso os meses de fevereiro a maio a precipitação pluviométrica observada no período estudado foi de 720,0 m, com chuvas mais significativas nos meses de março, abril e maio.

A temperatura do ar variou entre 13,2ºC a 28,2ºC com uma temperatura média de 26,7ºC. A umidade relativa do ar varia de 4,7% a 94,1%, com uma média de 80,1% no período de estudo. A velocidade do vento média é de 4,3 m/s e as maiores predominância dos ventos estão nas direções Este (E), Sudeste (SE) e Noroeste (NO).

O trabalho tem como objetivo uma analisar dos comportamentos dos elementos, precipitação, radiação solar incidente, temperatura e umidade relativa do ar, velocidade e direção predominante do vento.

Para a realização deste estudo, foram utilizados os dados da Estação Meteorológica automática localizada na área da Lagoa do Portinho, que compõem a rede básica de Estações Meteorológicas automática localizada nesta área de estudo, figura 1. A estação é composta por sensores ultrasonicos de velocidade e direção do vento, velocidade de rajada, sensores de temperatura do ar, umidade relativa do ar, pluviômetro, radiação solar incidente e pressão atmosférica. As informações trabalhadas são em relação ao período de dezembro de 2008 a agosto de 2009 por (Medeiros, 2009).

Foram realizadas as médias da precipitação, temperaturas do ar, velocidade do vento e contabilizaram-se as direções predominantes do vento nas posições básicas de: Norte (N), Sul (S), Este (E), Oeste (O), Nordeste (NE), Sudeste (SE), Sudoeste (SO) e Noroeste(NO) conforme indicações dos padrões da Organização Meteorológica Mundial (OMM), umidade relativa do ar e radiação solar incidente, para o período de dezembro de 2008 a agosto de 2009.

Na figura 2 mostramos o contorno da Lagoa do Portinho e suas dunas onde estão sendo realizada a contenção dos seus deslocamentos.

Figura 1. Estação meteorológica automática, que compõem a Rede básica de Estações Meteorológicas.

Figura 2. Imagem de satélites mostrando a área da Lagoa do Portinho e suas dunas onde estão sendo realizada a contenção dos seus deslocamentos.

RESULTADOS E DISCUSSÃO A figura 3 mostra os valores diários da precipitação observada diárias durante o período de dezembro de 2008 a agosto de 2009 para a Lagoa do Portinho, com flutuações variando de 0,0 a 115,6 m durante o período. Totalizando 720,0 m. As intensidades dos índices pluviométricos foram mais significativos nos meses de março, abril e maio, devido as formações e intensificações dos sistemas meteorológicos provocadores de chuvas na referida área estarem mais instáveis que a sua normalidade, podemos concluir que na Lagoa do Portinho as chuvas foram atípicas e bem acima dos padrões normais da sua climatologia.

Figura 3. Valores diários médios da precipitação para Lagoa do Portinho – Piauí, para o período de dezembro de 2008 a agosto de 2009.

A figura 4 demonstra o comportamento da variabilidade da temperatura do ar para a área estudada durante os meses de dezembro de 2008 a agosto de 2009, onde registrou variação entre 13,2 a 28,2ºC, com uma temperatura média de 26,7ºC. Estas oscilações de temperaturas abaixo das normais foram causadas pela instabilidade atmosférica que contribuíram para as elevações dos índices pluviométricos e conseqüentemente as reduções das temperaturas, visto que em sua maioria a incidência das chuvas foram mais nos horários diurnos, o que amenizou os valores da temperatura.

Figura 4. Valores médios de temperatura do ar para Lagoa do Portinho – Piauí, para o período de dezembro de 2008 a agosto de 2009.

Verifica-se na figura 5 que a umidade relativa do ar se mantém elevada em quase todo o período estudado, porém com valores mais baixos e em dias isolados nos meses de junho e julho. Ver-se claramente na figura abaixo que durante o mês de janeiro de 2009 em dias isolados a umidade relativa do ar atingiu o valor mínimo de 4,7%. E sua umidade relativa máxima registrada durante o período não ultrapassou os 94,1%, com uma umidade relativa do ar média de 80,1%. Observa-se ainda que a marcha anual de umidade relativa do ar acompanha a distribuição anual da precipitação isso por que a precipitação é o processo de alimentação das fontes naturais de vapor d’água.

Figura 5. Variação média da umidade relativa do ar, para Lagoa do Portinho – Piauí, para o período de dezembro de 2008 a agosto de 2009.

A figura 6 mostra a variação media diária da radiação solar global durante o período de dezembro de 2008 a agosto de 2009 para a área da Lagoa do Portinho situada entre os municípios de Luís Correia e Parnaíba – Piauí. Observe-se que o fluxo médio da radiação solar durante os meses mais chuvosos é maior, segundo LIBERATO et al., (2007) a radiação solar no topo da atmosfera é máxima nos meses chuvosos e mínimos nos meses secos, devido à declinação solar. Um outro ponto importante a ser destacado é que durante os meses mais secos do ano na região a concentração de aerossóis de queimadas na atmosfera é muito grande ARTAXO et al., (2006), como a radiação solar é composta pela radiação direta e difusa, então a uma diminuição no fluxo de radiação direta e um aumento na radiação difusa. Portanto, se a menos radiação solar chegando ao topo da atmosfera, então chegará menos radiação solar à superfície, e levando em consideração os aerossóis de queimadas a uma redução maior no fluxo de radiação solar chegando à superfície. Na

Lagoa do Portinho durante o período a média da radiação solar foi de 1,4 MJ/mA2 , e seus valores máximos e mínimos fluíram deste 0,1 a 7,5 MJ/mA2

Figura 6. Variação da insolação total, para Lagoa do Portinho – Piauí, para o período de dezembro de 2008 a agosto de 2009.

Na figura 7 demonstramos a freqüência de entrada do vento, para se contabilizar as direções predominantes do referido parâmetro. Nos registros dos dados foi colocado um sistema de coleta e contador a partir da direção do vento sobre a rosa-dos-ventos nas direções referenciadas pela Organização Meteorológica Mundial (OMM).

A partir deste contador obtemos que a direção de predominância com maior intensidade é a direção de Este com 774 vez, a segunda e terceira direção de maior predominância são as direções de Sudeste e Noroeste, com 317 e 196 vez durante o período de estudo. As demais direções apresentam freqüências com valores baixos e de menos importâncias para o referencialmente da direção predominantes principais.

Figura 7. Frequência de entrada de vento para Lagoa do Portinho – Piauí, para o período de dezembro de 2008 a agosto de 2009.

Os resultados mostraram que durante o período estudado, a temperatura média é de 26,7o C, com oscilações entre 13,2 a 28,2ºC. A umidade relativa do ar média é de 80,1%, enquanto a precipitação foi de 720,0 m. Observou-se que marcha de umidade relativa do ar acompanha a distribuição da precipitação, por que a precipitação é o processo de alimentação das fontes naturais de vapor da água e umidade. A insolação total é bem distribuída durante todo o período estudado, apresentando valores oscilando de 0,1 a 7,5 MJ/mA2 . Tais flutuações apresentam valores acima das climatológicas principalmente no período dos br-br-bros, onde há a junção do equador térmico com o centro de alta pressão, os quais reduzem o vapor da água e umidade, a quantidade de nebulosidade, os ventos permanecem em suas maiorias em calmarias, alterando o estado da atmosfera em estabilidades forcadas e de longa duração de período.

ARTAXO, P.; OLIVEIRA, P. H.; LARA, L.L.; PAULIQUEVIS, T.M.; RIZZO, L.V.; JUNIOR, C.P.; PAIXÃO, M.A.; LONGO, K.M.; FREITAS, S.; CORREIA, A. L. Efeitos climáticos de partículas de aerossóis biogênicos e emitidos em queimadas na Amazônia. Revista Brasileira de Meteorologia, 21(3a), 168 – 189, 2006.

BALLESTER, M.V.R.; VICTORIA, D. C.; KRUSCHE, A.V.; COBURN, R.; VICTORIA, R. L.; RICHEY, J. E.; LOGSDON, M. G.; MAYORGA, E.; MATRICARDI, E. A remote sensing/GIS- based physical template to understand the biogeochemistry of the Ji-Paraná river basin (Western Amazônia). Remote Sensing of Environment, 87, 429-445, 2003.

FERREIRA DA COSTA, R., FEITOSA, J.R.P.; FISCH, G.; SOUZA, S.S., NOBRE, C.A. Variabilidade diária da precipitação em regiões de floresta e de pastagem na Amazônia. Acta Amazônica, 18, 395-408, 1998.

LIBERATO, A. M.; CARDOSO, F.L.; CASTRO, H.P.S.; LEITE, K.G. Transmitância atmosférica em área de pastagem em Rondônia. In: XV Congresso Brasileiro de Agrometeorologia, Aracaju - SE. Anais CD Rom, 2007.

LIBERATO, A.M.; SILVA, L.V. Transmitância atmosférica em área de floresta tropical na Amazônia. In: XXV Encontro de Físicos do Norte e Nordeste, Natal – RN. Livro de Resumos, p.034, 2007.

MEDEIROS, R. M.; POGGETTO, L. R. DAL.; ROCHA, F. C. Comportamento da velocidade dos ventos nas dunas da Lagoa do Portinho entre os municípios piauiense de Parnaíba e Luis Correia. Congresso ABIME – São Paulo, Semana da mudança climáticas – Rio Poty Hotel – Teresina – Piauí. POSTER, agosto de 2009.

OLIVEIRA, O. A. Geografia de Rondônia Espaço & Produção. Rondônia: Dinâmica Editora e Distribuidora LTDA. 158p, 2002.

SILVA, M.J.G.; PAULA, D.J.; LISBOA, A.M.; LONGO, A.E.; SILVA, L.P.; FERNANDES, L.C.; GUIMARÃES, S.C.P. Boletim Climatológico de Rondônia – 1999. SEDAM, Porto Velho – RO, 20p., 2000.

SILVA, M.J.G.; ARCANJO, A.S.; LISBOA, A.M.; LONGO, A.E.; COSTA, G.F.; SILVA, L.P.; FERNANDES, L.C.; GUIMARÃES, S.C.P.; BARROS, W.S. Boletim Climatológico de Rondônia – 2000. SEDAM, Porto Velho – RO, 22p., 2001.

SILVA, M.J.G.; ARCANJO, A.S.; LISBOA, A.M.; LONGO, A.E.; COSTA, G.F.; SILVA, L.P.; FERNANDES, L.C.; GUIMARÃES, S.C.P.; BARROS, W.S. Boletim Climatológico de Rondônia – 2001. SEDAM, Porto Velho – RO, 23p., 2002.

SILVA, M.J.G.; ARAÚJO, M.L.P.; LISBOA, A.M.; LONGO, A.E.; COSTA, G.F.; SILVA, L.P.; FERNANDES, L.C.; GUIMARÃES, S.C.P.; BARROS, W.S. Boletim Climatológico de Rondônia – 2002. SEDAM, Porto Velho – RO, 25p., 2003.

SILVA, M.J.G.; SARAIVA, F.A.M.; ARAÚJO, M.L.P.; LISBOA, A.M.; COSTA, G.F.; FERNANDES, L.C.; GUIMARÃES, S.C.P.; BARROS, W.S. Boletim Climatológico de Rondônia – 2003. SEDAM, Porto Velho – RO, 23p., 2005.

SILVA, M.J.G.; SARAIVA, F.A.M.; ARAÚJO, M.L.P.; LISBOA, A.M.; LONGO, A.E.; COSTA, G.F.; FERNANDES, L.C.; GUIMARÃES, S.C.P.; BARROS, W.S. Boletim Climatológico de Rondônia – 2004. SEDAM, Porto Velho – RO, 26p., 2005.

SILVA, M.J.G.; LISBOA, A.M.; LONGO, A.E.; COSTA, G.F.; SILVA, L.P.; FERNANDES, L.C.; GUIMARÃES, S.C.P.; BARROS, W.S.; ARAÚJO, M.L.P. Boletim Climatológico de Rondônia – 2005. SEDAM, Porto Velho – RO, 40p., 2007.

Comentários