analise ergonomica... posto de trabalho - trabalho - de - ergonomia - pronto

analise ergonomica... posto de trabalho - trabalho - de - ergonomia - pronto

(Parte 1 de 2)

13

13

Universidade Estadual de Maringá

Centro de Tecnologia

Departamento de Engenharia de Produção

7261 – ENGENHARIA DO TRABALHO

2014

TURMA 31

ANÁLISE ERGONOMICA DO POSTO DE TRABALHO DE UMA AUXILIAR ADMINISTRATIVA

Vinicius Jurkonis

RA 55713

Maringá - Paraná

Brasil

Sumário

1-INTRODUÇÃO

De acordo com Grandjean (1998) a palavra ergonomia vem do grego: ergon = trabalho e nomos = legislação, normas. Desse modo, a ergonomia é definida como a ciência da configuração de trabalho adaptada ao homem. Segundo Dul e Weerdmeester (2004), pode-se dizer que a ergonomia é uma ciência aplicada ao projeto de máquinas, equipamentos, sistemas e tarefas, com o objetivo de melhorar a segurança, saúde, conforto e eficiência no trabalho.

Wisner (1987), afirma que o ambiente, turno, salário, transporte, esforço realizado nas tarefas durante o trabalho, e a relação interpessoal são fatores que influenciam o trabalho sendo definidas como condições de trabalho. Durante uma jornada de trabalho, os operadores podem assumir inúmeras posturas diferentes e demandar esforços musculares que, no futuro, podem causar doenças ocupacionais relacionadas ao trabalho (DORT).

A ergonomia estuda vários aspectos: a postura e os movimentos corporais (sentados, em pé, empurrando, puxando e levantando cargas), fatores ambientais (ruídos, vibrações, iluminação, clima, agentes químicos), informação (informações captadas pela visão, audição e outros sentidos), relações entre mostradores e controles, bem como cargos e tarefas (tarefas adequadas, interessantes). A conjugação adequada desses fatores permite projetar ambientes seguros, saudáveis, confortáveis e eficientes, tanto no trabalho quanto na vida cotidiana.

O estudo foi desenvolvido a partir da utilização da Análise Ergonômica do Trabalho, o setor analisado foi o administrativo, no posto de auxiliar administrativo de uma indústria de álcool e açúcar, localizada em Maringá-PR, distrito Iguatemi.Conforme Motta (2009) e Iida (2005), o posto de trabalho com computador em comparação com o trabalho tradicional de escritório torna-se mais severo, pois a pessoa deve permanecer com o corpo quase estático durante horas, com a atenção fixa na tela do monitore as mãos sobre o teclado, realizando operações de digitação altamente repetitivas,ocasionando conseqüências bastante incômodas, como: fadiga visual, dores musculares do pescoço e ombros, e dores nos tendões dos dedos. As possíveis causas do desconforto do usuário no posto de trabalho com computador são: altura do teclado muito baixa em relação ao piso; altura do teclado muito alta em relação à mesa; faltam apoios adequados para os antebraços e punhos; cabeça muito inclinada para frente; pouco espaço lateral para as pernas; posicionamento inadequado do teclado.

2- OBJETIVO

A Análise Ergonômica do Trabalho (AET) tem como objetivo aplicar os conhecimentos da ergonomia para analisar, diagnosticar e corrigir determinada situação de trabalho. Esta técnica foi desenvolvida por pesquisadores franceses e pode ser considerada como um exemplo da ergonomia corretiva, ou ergonomia de correção (IIDA, 2005).

Segundo Moraes (1998) o principal objetivo da AET é de ser um método destinado a examinar a complexidade, sem colocar em prova um modelo escolhido. A análise ergonômica faz com que se tenha uma compreensão de tudo que aconteceu no trabalho, mostrando principalmente o desempenho de produção do funcionário. Sendo assim, com a análise ergonômica do trabalho pode-se verificar as condições reais do ambiente de trabalho, as funções desempenhadas e as condições reais da tarefa executadas pelos trabalhadores (IIDA, 2005).

Este estudo busca realizar uma Análise Ergonômica do Trabalho em um posto de trabalho de uma auxiliar de administração, no setor administrativo dos Recursos Humanos de uma usina sucroalcooleira.

Busca-se desenvolver no posto de trabalho um enfoque ergonômico, colocando o operador em uma postura adequada de trabalho, os objetos ao alcance dos movimentos corporais e facilidade de percepção de informações.

3 –CARACTERIZAÇÃO DA EMPRESA

A empresa no inicio dos anos 60, quando o engenho de pinga de pequeno porte se transformou em uma fabrica produtora de açúcar. No inicio da década de 1980 através do programa PROÁLCOOL iniciou-se as atividade para produção de álcool. Hoje a empresa conta com oito unidades produtoras, um terminal logístico, um terminal de transbordo rodoferroviário e um escritório central na cidade de Maringá. Todas as suas unidades atuais operantes localizam-se no Paraná.

O grupo em questão é o 5º maior no ranking de potencias sucroenergéticas nacionais, sendo a única que possui capital 100% brasileiro. A empresa tem missão definida como:

“Atuar de forma segura e rentável, produzindo cana de açúcar, etanol, energia elétrica e derivados para o atendimento dos mercados nacional e internacional, com responsabilidade sócio-ambiental, contribuindo para o desenvolvimento sustentável da Companhia e da Comunidade”.

E estabelece sua visão como:

“Manter-se no mercado sucroalcooleiro e de energia, sempre entre as maiores do ranking, garantindo a remuneração do capital acionista”.

A empresa possui um sistema de hierarquia, programa de participação dos rendimentos, PPR para seus colaboradores industriais e oferece também o programa de remuneração variável, RV para os trabalhadores do setor agrícola. Oferece plano de saúde, incentivo a educação, alem de outros benefícios, como alimentação, nutricionista,.., tudo para incentivar e recompensar os colaboradores que agem conforme os princípios éticos e morais do grupo.

A área de atuação é muito promissora, o agronegócio sucroalcooleiro, segundo MAGALHÃES (2005) movimenta cerca de R$ 40 bilhões por ano, com faturamentos diretos e indiretos, o que corresponde a aproximadamente 2,35% do PIB (Produto Interno Bruto) nacional, além de ser um dos setores que mais empregam no país, com a geração de 3,6 milhões de empregos diretos e indiretos, e congregar mais de 72.000 agricultores.

Este setor faz do Brasil o maior produtor mundial de cana e açúcar e o principal país do mundo a implantar, em larga escala, um combustível renovável alternativo ao petróleo. Hoje o álcool é reconhecido mundialmente pelas suas vantagens ambientais, sociais e econômicas e os países do primeiro mundo estão interessados em nossa tecnologia. Somente este ano o Brasil deve obter mais de US$ 3,5 bilhões em divisas com as exportações de 14,3 milhões de toneladas de açúcar e 2,5 bilhões de litros de álcool.

Na safra 2004/2005, a moagem foi de 380 milhões de toneladas de cana, produzindo 24 milhões de toneladas de açúcar e 14 bilhões de litros de álcool.

As usinas de cana de açúcar e álcool apresentam duas fases de processos: uma agrícola e outra industrial, formando os chamados sistemas agroindustriais. A fase agrícola é caracterizada pelo plantio, sistemas de corte, carregamento e transporte da cana-de-açúcar. A fase industrial é iniciada com a recepção da cana na usina e sua moagem, resultando no caldo da cana e no bagaço como mostra a figura abaixo.

Figura 3.1: Fluxograma do processo.

4 - DEMANDA DA SITUAÇÃO DE TRABALHO AVALIADA

A situação analisada é de um posto de trabalho de uma auxiliar de administração, como já foi citado anteriormente, e o estudo em questão é demandado porque a empresa preza pelo trabalho dentro das normas ergonômicas, edevido a tal auxiliar ter sido recentemente contratada. Destacando mais uma vez que posto se localiza dentro do setor administrativo dos Recursos Humanos de uma usina de cana de açúcar e álcool. O posto por sua vez estava especificamente dimensionado para a antiga auxiliar, que deixou o grupo. Sendo assim temos a tarefa de redimensionar o posto em questão, para a nova auxiliar, mas antes de tal tarefa vamos analisar o mesmo de maneira que se encontrem quais características são necessárias mudanças e quais podem permanecer. Para a averiguação deste posto de trabalho coletamos informações por meio de medidas, observação do local e entrevista com a nova auxiliar. A observação ocorreu direta no local de trabalho escolhido, com o objetivo também de identificar o trabalho realizado de fato, no posto de trabalho, bem como identificar os fatores de risco ocupacionais.

O dimensionamento correto do posto de trabalho baseados nos estudos antropométricos previnem futuras condições não favoráveis aos trabalhadores, que podem levar a doenças ocupacionais relacionadas ao trabalho (DORT), citado na introdução, e lesões por esforços repetitivos (LER). Influenciando também na otimização da relação entre o homem com o produto, tarefa e ambiente. Sendo assim torna-se interessando realizar a analise para o posto de trabalho da auxiliar e adequá-lo a ela, objetivando que a “auxiliar novata” possa desenvolver suas atividades na forma ótima.

5 - ANÁLISE SITUAÇÃO DOTRABALHO

Nesta etapa do estudo em questão é onde organizamos a coleta dos dados para fazer a analise deste posto.

Figura 5.1 : Layout esquemático do posto de trabalho.

Fonte: Dados observados e medidos na empresa.

Legenda da figura 5.1:

  • 1 = Arquivos para documentos e certificados;

  • 2 = Armário para materiais diversos;

  • 3 = Maquina copiadora;

  • 4 = Prateleira para materiais diversos e impressoras;

O posto também conta com uma cadeira com rodinhas nos pés de apoio, encosto regulável, um monitor de computador, teclado convencional, mouse, aparelho telefônico, dentre mais alguns utensílios de escritório.

Neste setor identificamos juntamente em parceria com os funcionários da empresa os fatores ambientais que podem influenciar na execução da tarefa, e os mesmos foram postura repetitiva, contusões, lesões, fungos, vírus, parasitas e umidade.

Tabela 5.1: Dados do posto de trabalho.

Altura do Posto

(m)

Espaço para as pernas

(m)

Distancia visual do computador

(m)

Altura do monitor/computador em relação ao chão

(m)

Altura da cadeira (m)

Largura da cadeira (m)

Alcance dos braços no posto

(m)

0,80

0,90

0,50

1,00

0,55

0,45

0,60

Fonte: Dados obtidos através de medições realizadas no posto e com a operadora deste mesmo posto.

As tarefas propostas para o cargo de auxiliar administrativa do chefe do setor de treinamento no Recursos Humanos desta empresa são :

  • Controle de arquivo de certificados (digital): digitaliza e escanear certificados.

  • Realizam pesquisas, consultas: utilizando o computador, (frequência: sempre que solicitado).

  • Preenchimento de planilhas de controle: exige concentração, habilidade com Excel,...

  • Organiza arquivos impressos, nos porta arquivos (indicação 1 da figura 1): fluxo do posto até o arquivo, distancia de aproximadamente 1 metro.

  • Entrega holerites de pagamento em outros setores.

Em geral os requisitos básicos para exercer a função é ensino médio completo, conhecimento em informática, destaque para Excel, boa comunicação, concentração e dedicação. Em relação aos movimentos, o trabalho é no seu maior período sentado, mas alternando com a posição em pé e caminhas. Raramente carregam-se pesos, nos quais atingem no máximo 10 quilos.

Tabela 5.2: Dados pessoais básicos para a analise, da operadora do posto.

Idade:

19 anos

Peso:

51 Kg (aproximadamente)

Altura:

1,58 m

Fonte: Dados obtidos através de entrevista com operadora.

Figura 5.2: Estimativa de comprimentos de partes do corpo em pé, em função da estatura, dimensionada para a operadora em questão.

Fonte: Altura da auxiliar medida e estimativa feita com auxilio do software para estimativas antropométricas disponível no moodle presencial UEM/ engenharia do trabalho.

Figura 5.3: Estimativa de comprimento das partes do corpo, na posição sentado.

Fonte: Altura da auxiliar medida e estimativa feita com auxilio do software para estimativas antropométricas disponível no moodle presencial UEM/ engenharia do trabalho.

6 - Análise das Atividades e Diagnóstico.

Figura6.1: Fluxos de deslocamento durante a jornada de trabalho.

Fonte: Dados obtidos através de observação e relatos da operadora do posto.

Na legenda presente na figura 6.1, temos três indicações, sendo 1 representação do fluxo com maior incidência, 2 com incidências menores e 3 é o movimento de rotação da cadeira para comunicação com a chefe do setor, que trabalha no posto logo atrás indicado também na figura 6.1. As atividades realizadas durante a rotina de trabalho não foge muito da proposta prescritas nas tarefas, porém há algumas situações onde a auxiliar atende trabalhadores de outros setores, se desloca até o chão de fabrica para entrega de holerites, no qual o translado distancia-se dos normais, foi relatado também pela colaboradora do posto que em caso de falta de uma funcionária na área de recepção foi designado a ela exercer a atividade de recepcionista a fim de cobrir a falta, porém é um caso totalmente atípico, pois não é algo que esta prescrita nas tarefas desta auxiliar.

As tomadas de informações nas atividades realizadas no posto são feitas através de comunicação direta (pessoalmente), via telefone, via internet e também por recados em edital.

O trabalho em sua maior parte é efetuado na posição sentada, sendo em pé apresas nos translado e no caso de necessidade de fotocopias, escanear algum documento, etc.

Na posição sentada observamos também durante o decorrer da realização das tarefas, varias posturas e movimento tomados pela auxiliar, e detectamos a necessidade de analisar os possíveis impactos no pescoço, coluna, braços, antebraços, dedos, punho, tronco e pernas.

Tabela 6.1: Desdobramento de aspectos e impactos ligados a atividade de trabalho, que podem afetar a saúde do trabalhador e/ ou diminuindo sua eficiência de trabalho.

Atividade

Aspecto

Impacto

Trabalho sentado duração longa.

Possibilidade de posturas prejudiciais por longo tempo

Futuras dores na coluna, pescoço,...

Trabalho sentado duração longa.

Altura do posto/ espaços para as pernas, gerando má postura.

Dores lombares, dorsais, ... possíveis DORT.

Digitação

Movimentos repetitivos

Possibilidade de LER

Digitação

Ofuscamento dos olhos, devido luz do monitor

Problemas de perda de visão.

Digitação

Rotação do punho

Problemas na articulação/ DORT.

Fonte: Aspectos observados e questionados pela equipe.

A figura a seguir mostra alguns aspectos de desajuste do posto de trabalho, podendo citar como altura da mesa, da cadeira, posição do punho e posição do pé devido à cadeira estar alta, sendo que o efeito de estar alta é o aspecto altura da mesa, não concordando com as especificações antropométricas da operadora do posto, observe a figura 5.3 já visualizada anteriormente no tópico “ Analise da situação do trabalho”.

(Parte 1 de 2)

Comentários