Mapas Mentais-uma proposta de metodologia de design para a sustentabilidade

Mapas Mentais-uma proposta de metodologia de design para a sustentabilidade

(Parte 1 de 7)

Universidade Estadual Paulista – “Júlio De Mesquita Filho”

Faculdade de Arquitetura, Artes e Comunicação Programa de Pós Graduação em Design

Ronise de Paula

Prof. Dr. Francisco de Alencar Orientador

Mapas Mentais: uma proposta de metodologia de design para a sustentabilidade.

Universidade Estadual Paulista – “Júlio De Mesquita Filho”

Faculdade de Arquitetura, Artes e Comunicação Programa de Pós Graduação em Design

Ronise de Paula

Dissertação apresentada ao Programa de Pós Graduação em Design (área de concentração: Planejamento de Produto) à Comissão Julgadora da Faculdade de Arquitetura, Artes e Comunicação, da Universidade Estadual “Júlio de Mesquita Filho”, como exigência parcial para a obtenção do título de mestre.

Prof. Dr. Francisco de Alencar Orientador

Mapas Mentais: uma proposta de metodologia de design para a sustentabilidade.

Ronise de Paula

Esta Dissertação foi julgada adequada para obtenção do título de Mestre em Design e aprovada em sua forma final pelo Programa de Pós-Graduação em Design da Universidade Estadual Paulista (UNESP).

Bauru, 19 de agosto de 2010 Banca Examinadora

Prof. Francisco Alencar, Dr. Orientador

Prof. Paulo Kawauchi, Dr. Universidade de Marília

Prof. José Carlos Plácido da Silva, Dr. Universidade Estadual Paulista

Mapas Mentais: uma proposta de metodologia de design para a sustentabilidade.

Dedico este trabalho a todos os amigos; À minha filha Mariana, meu amor maior;

Aos meus pais: Sidnei e Lenize, amores que me fazem crescer na medida e na intensidade certa;

Aos meus irmãos, amores que me enchem de alegria.

Mapas Mentais: uma proposta de metodologia de design para a sustentabilidade.

Agradecimentos

Primeiramente a Deus, pelo dom da vida, pela graça de poder compartilhar da companhia de pessoas amadas, por possibilitar mais esse avanço na minha formação profissional, e permitir a concretização de um sonho.

A toda família, pelo amor, estímulo e dedicação, sempre me incentivando e me apoiando na busca de meus sonhos.

Ao meu irmão Dr. Roger de Paula, pela confiança, paciência e credibilidade, sempre auxiliando na transposição de todos os obstáculos.

Ao amigo Paulo Farias, que acima de tudo continua companheiro e se desdobra em cuidados com nossa filha.

Ao meu orientador Prof. Dr. Francisco de Alencar, pela liberdade na escolha do tema, paciência e colaboração na realização do projeto de pesquisa.

Ao Dr. Cristiano Alves da Silva, pela amizade e generosidade, ao partilhar seu tempo e conhecimento, colaborando na orientação do desenvolvimento deste trabalho.

Aos professores que contribuíram na busca de novas oportunidades e temas contemporâneos, favorecendo meu crescimento acadêmico.

Aos Professores Dorival Rossi e Olympio J. Pinheiro pelo auxílio e transposição na compreensão dos temas.

Ao professor Claudio Goya, pela amizade, conselhos e oportunidade criada ao me deixar acompanhar seu trabalho, auxiliando no desenvolvimento e compreensão desta pesquisa.

Aos membros da Banca: Prof. Dr. José Plácido da Silva e Prof. Dr. Paulo Kawauchi, pela paciência, colaboração e ponderação que tanto contribuíram para o entendimento da pesquisa.

As grandes amizades que conquistei em Bauru e que de alguma forma, colaboraram para o desenvolvimento pessoal e acadêmico.

A Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES), que financiou esta pesquisa.

Mapas Mentais: uma proposta de metodologia de design para a sustentabilidade.

Resumo

O objetivo deste trabalho foi levantar aspectos da metodologia de design para a sustentabilidade; primeiramente, difundindo os conceitos do pensamento sistêmico, alinhavando-os numa estrutura que serviu de base teórica para a construção metodológica, promovendo uma compreensão mais profunda desses conceitos e provocando uma mudança de paradigmas. Neste argumento, a concepção do objeto (ideias, serviços, comunicação), pode saltar da materialidade realística para um nível da cultura “transmaterial”, ou seja, na concepção dos bens intangíveis. Numa segunda etapa, um questionário foi aplicado, com o objetivo de levantar o alcance de conhecimento dos entrevistados acerca dos elementos que compõem o meio ambiente, tanto natural, como construído. As amostras foram coletadas por meio de protocolo aplicado em dois momentos: (1) No 1º. Simpósio Paulista de Pesquisa e Pós Graduação em Design e; (2) em sala de aula, aos alunos do curso de design, grupo no qual se desenvolveu Estudo de Campo, onde foi observada a potencialidade das propostas abordadas nesta dissertação e na aplicação dos Mapas Mentais como metodologia de design para a sustentabilidade, assumindo o papel de junção transdisciplinar. A pesquisa resultou na comprovação de que os estudantes e profissionais ligados à área do design não percebem os ambientes construídos pelo homem como parte integrante do meio ambiente. Ou seja, o meio ambiente natural (florestas, águas, animais, solo, terra) é percebido facilmente como elementos indissociáveis da vida terrestre, enquanto que o homem, o índio, planetas, favelas, cidades, não são percebidas pela maioria. Isso prova que o homem ainda está caracterizado como um ser superior ou fora do meio ambiente, repetindo um comportamento do passado. Diante deste cenário, foram trabalhados no Estudo de Campo conceitos do pensamento sistêmico, do desenvolvimento sustentável e de técnicas aplicadas no processo de design, que resultam em ferramentas para se atingir a sustentabilidade do planeta. Numa terceira etapa, e talvez a mais importante para este projeto por se tratar de uma proposta metodológica, entre outras tantas abordagens do D4S (Design for Sustainability) - proposta da UNEP/ ONU, foi aplicada a criação de mapas mentais como método de geração de ideias. O resultado comprovou que a criação de mapas como junção transdisciplinar mostrou-se bastante favorável como metodologia de design para a sustentabilidade. Sua aplicação pode auxiliar no processo de desenvolvimento dos conceitos e, principalmente, na elaboração do plano de ações e requisitos do projeto de modo sistêmico. Também foi observado que toda ação de design sem a consciência desses conceitos como parte integrante da cognição de quem os idealiza não passa de ações mecanizadas que, por sua vez, não auxiliam na construção do desenvolvimento sustentável. Nestes termos, pode ser preciso, antes de qualquer ação, trabalhar o aprendizado significativo da sustentabilidade, contribuindo para o desdobramento de uma nova ética de valorização da vida, em todos os níveis: humano, vegetal e animal.

Palavras chaves: Design, Metodologia Projetual, Mapas Mentais, Transdisciplinaridade

Mapas Mentais: uma proposta d

The aim of this study was to identify aspects of design methodology for sustainability, primarily by spreading the concepts of systems thinking which serve as a theoretical basis for the construction methodology, which promoted a deeper understanding of th and created a paradigm shift. communication) can leap of materiality realistic, to a level of culture "transmaterial", the design of intangibles. In a second step, a questionnaire was devel raising awareness of the scope of the interviewees, some of the elements that make up the environment, both natural and constructed. implemented in two phases: (1) Design, (2) in the classroom, the students of design, the group which also yielded a field study where we observed the potential of the proposals discussed in this essay and application of Mental Maps as transdisciplinary junction and method of design for sustainability. qualitative research resulted in evidence that students and professionals involved in the design area, do not realize the man the natural environment (forests, water, animals, soil, land) is easily perceived as inseparable elements of life on earth, while the man, the Indian, planets, slums, cities, are not perceived by the majority. Proving that the concepts are still characterized b superior being, or out of the environment. Repeating a behavior of the past. In this setting, were worked in Field Study, concepts of systems thinking, sustainability and concepts that result in techniques as tools for achieving sus perhaps most important for this project (because it is a methodology), among many other approaches to D4S Total (proposed Development Programme United Nations, UNEP/ONU), was used as a method of generating id creation of mental maps, as trans junction, was quite favorable as a methodology of design for sustainability. Its application could facilitate the process of developing concepts, and especially in preparing the action plan and project requirements, so systemic. observed that every action, without a meaningful concept, it is only mechanized actions and would not assist in the construction of sustainable design, if these concepts are not part o the cognition of those who idealize. working the effective learning of sustainability as well as launching a new ethic of valuing life at all levels, human, plant and animal.

Keywords: Design, Projetual Methodology, Mental Maps, Transdisciplinary de metodologia de design para a sustentabilidade.

Abstract

The aim of this study was to identify aspects of design methodology for sustainability, primarily by spreading the concepts of systems thinking which serve as a theoretical basis for the construction methodology, which promoted a deeper understanding of th and created a paradigm shift. Accordingly, the object conception (ideas, services, communication) can leap of materiality realistic, to a level of culture "transmaterial", the

In a second step, a questionnaire was developed with the goal of raising awareness of the scope of the interviewees, some of the elements that make up the environment, both natural and constructed. Samples were collected using a protocol implemented in two phases: (1) 1º Paulista Symposium of Research and Graduate and Design, (2) in the classroom, the students of design, the group which also yielded a field study where we observed the potential of the proposals discussed in this essay and application of nsdisciplinary junction and method of design for sustainability. qualitative research resulted in evidence that students and professionals involved in the design area, do not realize the man-built environments as part of the environment. atural environment (forests, water, animals, soil, land) is easily perceived as inseparable elements of life on earth, while the man, the Indian, planets, slums, cities, are not perceived by the majority. Proving that the concepts are still characterized by the image of man as a superior being, or out of the environment. Repeating a behavior of the past. In this setting, were worked in Field Study, concepts of systems thinking, sustainability and concepts that result in techniques as tools for achieving sustainability of the planet. In a third step, and perhaps most important for this project (because it is a methodology), among many other approaches to D4S Total (proposed Development Programme United Nations, UNEP/ONU), was used as a method of generating ideas, creating mind maps. The result proved that the creation of mental maps, as trans junction, was quite favorable as a methodology of design

Its application could facilitate the process of developing concepts, and ing the action plan and project requirements, so systemic. observed that every action, without a meaningful concept, it is only mechanized actions and would not assist in the construction of sustainable design, if these concepts are not part o the cognition of those who idealize. Accordingly, it may be necessary working the effective learning of sustainability as well as launching a new ethic of valuing life at all levels, human, plant and animal.

al Methodology, Mental Maps, Transdisciplinary

The aim of this study was to identify aspects of design methodology for sustainability, primarily by spreading the concepts of systems thinking which serve as a theoretical basis for the construction methodology, which promoted a deeper understanding of these concepts

Accordingly, the object conception (ideas, services, communication) can leap of materiality realistic, to a level of culture "transmaterial", the oped with the goal of raising awareness of the scope of the interviewees, some of the elements that make up the

Samples were collected using a protocol

Paulista Symposium of Research and Graduate and

Design, (2) in the classroom, the students of design, the group which also yielded a field study where we observed the potential of the proposals discussed in this essay and application of nsdisciplinary junction and method of design for sustainability. The qualitative research resulted in evidence that students and professionals involved in the built environments as part of the environment. That is, atural environment (forests, water, animals, soil, land) is easily perceived as inseparable elements of life on earth, while the man, the Indian, planets, slums, cities, are not perceived y the image of man as a superior being, or out of the environment. Repeating a behavior of the past. In this setting, were worked in Field Study, concepts of systems thinking, sustainability and concepts that tainability of the planet. In a third step, and perhaps most important for this project (because it is a methodology), among many other approaches to D4S Total (proposed Development Programme United Nations, UNEP/ONU),

The result proved that the creation of mental maps, as trans junction, was quite favorable as a methodology of design

Its application could facilitate the process of developing concepts, and ing the action plan and project requirements, so systemic. Also, it was observed that every action, without a meaningful concept, it is only mechanized actions and would not assist in the construction of sustainable design, if these concepts are not part of

Accordingly, it may be necessary, before any action, working the effective learning of sustainability as well as launching a new ethic of valuing life al Methodology, Mental Maps, Transdisciplinary

Mapas Mentais: uma proposta de metodologia de design para a sustentabilidade.

Figura 1: Mapa Organizacional do Manual. [Fonte D4S, 2006]47
Figura 2: A Tripolaridade da sustentabilidade [Fonte: D4S, 2007]48
Figura 3: O ciclo de vida do produto. [Fonte: D4S, 2007]54
Figura 4: O Ciclo de Vida do Produto. [Fonte: MANZINI e VEZZOLI. 2002]5
Figura 5: Ciclo de Vida na Eco Concepção [Fonte: KAZAZIAN, 2005]57
Figura 6: Mapa Mental para um projeto de D4S. [Fonte D4S, 2007]67
Figura 7: Mapa Mental criado durante Oficina. [Fonte: D4S, 2007]68
Figura 8: Mapa Mental representando este projeto de pesquisa73
Figura 9: Mapa Mental Projeto Black Pixel preparado por alunos, UNESP, 2009103

Lista de Figuras

2009104
Figura 1: Mapa Mental elaborado de aluno, UNESP, Bauru, 2009105

Figura 10: Abstração dos conceitos contidos no Mapa Mental, preparado por alunos, UNESP,

2009105
Figura 13: Ilustração do Projeto Black Pixel, preparado por aulnos, UNESP, 2009106

Figura 12: Flexibilização do nível Esquematização do projeto preparado por alunos UNESP,

2009106
Figura 15: Painel Animado com personagem, preparado por alunos, UNESP, 2009107

Figura 14: Mapa mental preparado por alunos para Design de Mídia Animada, UNESP, Bauru, Figura 16: Mapa mental de alunos com versão acabada, UNESP, 2009. ............................... 108

Mapas Mentais: uma proposta de metodologia de design para a sustentabilidade.

2009108
Figura 18: Mapa mental criado por alunos, UNESP, 2009109

Figura 17: Ilustração de mídia para o Design Sustentável, preparado por alunos, UNESP,

alunos, UNESP, 2009109

Figura 19: Elaboração da logomarca para ONG de projetos sustentáveis, preparado por

ambientais, preparado por alunos, UNESP, 2009110

Figura 20: Painel animado com mensagens que percepção para a entidade e os problemas

ambientais, preparado por alunos, UNESP, 2009110

Figura 21: Exemplo de intervenção do Design para a conscientização dos problemas

preparado por alunos, UNESP, 20091

Figura 2: O Mapa Mental sai da metodologia e salta para comunicação de um novo design,

Figura 23: Mapa Mental elabora com corpos nus, o "natural", tatuado com notas musicais, "o sensorial", garantindo o valor semiótico, preparado por alunos, UNESP, 2009. .............. 112

(Parte 1 de 7)

Comentários