1. Introdução

Com a organização da sociedade, surgiu a necessidade de levar informações para um grande número de pessoas, o que levou ao desenvolvimento de meios de comunicação em massa. Depois a impressão, o radio é o secundo nascido (em 1893) dos meios de comunicação de massa. Meio de comunicação popular por excelência, tem um déficit de pesquisas sobre-ela. E’ difícil para o estudioso da Comunicação entender e aceitar a escassez de trabalho sobre o radio. Em contra tendência, nos vamos a analisar a sua historia, as caraterísticas, os vantagem e desvantagem do radio.

2. História do radio

Tudo começou em 1863 quando, em Cambridge - Inglaterra, James Clerck Maxwell demonstrou teoricamente a provável existência das ondas eletromagnéticas. Apartir desta revelação outros pesquisadores se interessaram pelo assunto. O alemão Henrich Rudolph Hertz (1857-1894) foi um deles. O princípio da propagação radiofônica veio mesmo em 1887, através de Hertz. Ele fez saltar faíscas através do ar que separavam duas bolas de cobre. Por causa disso os antigos "quilociclos" passaram a ser chamados de "ondas hertzianas" ou "quilohertz".

A industrialização de equipamentos se deu com a criação da primeira companhia de rádio, fundada em Londres - Inglaterra pelo cientista italiano Guglielmo Marconi (na foto). Em 1896 Marconi já havia demonstrado o funcionamento de seus aparelhos de emissão e recepção de sinais na própria Inglaterra, quando percebeu a importância comercial da telegrafia. Mas a Suprema Corte Americana concedeu a Nicola Tesla o mérito da criação do rádio (1893), tendo em vista que Marconi usara 19 patentes de Tesla em seu projeto.

Na mesma época em 1893, no Brasil, o padre Roberto Landell de Moura (na foto ao lado) também buscava resultados semelhantes, em experiências feitas em Porto Alegre, no bairro Medianeira, onde ficava sua paróquia. No Brasil a primeira transmissão foi realizada no centenário da Independência do Brasil, em 7 de setembro de 1922, em que o presidente Epitácio Pessoa, acompanhado pelos reis da Bélgica, Alberto I e Isabel, abriu a Exposição do Centenário no Rio de Janeiro.

Outras datas importantes para o radio som: 1932 - O Governo de Getúlio Vragas autoriza a publicidade em rádio.

1938- No dia das bruxas, a rádio americana CBS, apresenta o programa "A Guerra dos

anunciava: "Atenção senhoras e senhores ouvintesos

Mundos", com Orson Welles (foto), que simula uma invasão de marcianos aos Estados Unidos. O realismo era tamanho que uma onda de pânico tomou conta do País. O locutor marcianos estão invadindo a Terra...". A emissora teve que interromper a transmissão tamanha foi a confusão.

Também em 1938 acontece a primeira transmissão esportiva em rede nacional no Brasil, na Copa de 38, por Leonardo Gagliano Neto, da Rádio Clube do Brasil do RJ.

1939-45 - A secunda guerra mundial fiz evoluir muito o uso do radio: meio de comunicação de massa especialmente adequada para a transmissão da informação e noticias. Um exemplo que ilustra muito,bem essa afirmação, foram os serviços prestados pela rádio inglesa BBC, durante a Segunda Guerra Mundial. Ela manteve os aliados informados sobre as batalhas contra o Eixo (Alemanha, Itália e Japão ) e monopolizou a voz do mundo livre com trasmissões para países invadidos pelos alemães.

1997 - Emissoras agora navegam em rede de internet: em 1997 o UOL coloco a radio na internet brasileira.

3.Caraterísticas

etc(foto ao lado). A técnica para fazer um transmissor è

O rádio tradicional é um sistema de comunicação através de ondas eletromagnéticas propagadas no espaço. Conta para o emissor de um aparelho chamado transmissor com antena, transistor, bastante simples e na internet se acham vários exemplos para construir um transmissor da própria radio caseira o da escola. Também por isso, o radio é um meio comunicação muito popular especialmente no Brasil, na cidades e no interior: tem cerca 115 milhões de radio ouvidores; 85 milhões de telespectadores e no máximo 8 milhões de leitores de jornais e revistas (fonte do livro “Radio no Brasil”, do 1999). Num pais de analfabetos e pouca leitura, o radio se construí no melhor e mais barato meio de comunicação. Pesquisas nos informam que nos últimos 10 anos foram vendidos 90 milhões de aparelhos de radio. Mas tal preferencia popular não faz da radio o meio mais predileto dos publicitários. Uma contradição.

Tradicionalmente ela è de forma analógica, mas hoje temos também: 1. Rádio Digital: com essa tecnologia, o sinal é transmitido de forma digital, que possibilita ainda mais qualidade, além da possibilidade de enviar juntamente com o som, informações em texto que podem ser exibidas no display do aparelho. (ex. Nome da rádio, promoções da rádio, qual música e de qual cantor está sendo executada, etc..)

2. Rádio digital via satélite: com as vantagens da rádio digital e semelhante a uma TV por assinatura via satélite, esse sistema oferece maior área de abrangência e uma infinidade de canais oferecidos por uma só empresa.

3.Via Internet: apesar de sua relativa baixa qualidade, devido à conexão da maioria dos usuários, esse meio possibilita que o ouvinte se conecte de qualquer parte do mundo sem custos adicionais. Muitos falam que o futuro do radio è o podcasting, onde os programas ou arquivos, gravados em qualquer formato digital (MP3, AAC e OGG), ficam armazenados em um servidor na internet. Por meio do feed RSS novos programas de áudio, são automaticamente baixados para o leitor através de um agregador, um programa no computador como iTunes.

Uma das grandes vantagens da rádio sob o jornalismo impresso é que, além de informar, diverte. No que se refere à linguagem convém realçar que, na informação radiofónica, ela é simples e caracterizada pela repetição de conceitos de modo a que o ouvinte possa assimilar a ideia que se pretende comunicar. Eliminar o supérfluo para não desvirtuar o significado da mensagem tornou-se um imperativo. Assim, a naturalidade de expressão prevalece em detrimento das palavras confusas e das frases complicadas, isto para que o ouvinte não se sinta forçado a esforços superiores à sua compreensão normal.

No inicio, a transmissão da informação pode ser considerada a função principal do radio. A rádio foi o primeiro dos meios de comunicação de massa que deu imediatismo à notícia devido à possibilidade de divulgar os factos no exacto momento em que ocorrem. Permitiu que o Homem se sentisse participante de um mundo muito mais amplo do que aquele que estava ao alcance dos seus órgãos sensoriais: mediante uma ampliação da capacidade de ouvir, tornou-se possível saber o que está a acontecer em qualquer lugar do mundo. Hoje, em sua função principal de entretenimento, o radio consegue abranger um universo imenso de programação, passando pelo humor, entrevistas, musicas, fofocas, debates, radionovelas e coberturas várias. Quanto à informação, abarca notícias globais e locais, principalmente. Um exemplo disso, tipicamente informativo e locais, pode ser a nossa Radio Difusora Acreana: dessa anexamos o som audio na apresentação power-point.

O rádio também age como criador de hábitos, ao mesmo tempo, em que preserva valores. A primeira função social que deixou sempre a desejar, é a educacional. Esse potencial permanece latente, esperando alguém corajoso para despertá-la. Fica aí, o desafio de elevar a qualidade do rádio. Basta apenas, encontrar pessoas que sejam amantes dele e tenham coragem de lutar por sua melhoria.

O cinema pego inspiração da a radio, contados historias como:

Talk Radio (Oliver Stone, 1988) - Sinopse: Um homem tem um programa no rádio e usa esse espaço para expor os podres da América e questionar os poderes políticos. As suas verdades, no entanto, começam a gerar ódio, pois muitas vezes agridem outras verdades. Está criada a tensão, e o radialista passa a correr o risco inerente àqueles que fazem críticas mordazes e colocam o dedo na ferida. Radio America (Robert Altman, 2006) Bom dia, Vietnã (Barry Levinson, 1987) - Sinopse: O DJ do exército norte-americano no Vietnã Adrian Cronauer (Robin Williams) chega para mexer com a programação da rádio com seu humor forte e irônico. Ele acaba agradando a todos os soldados, com exceção de alguns superiores, que vêem nele uma ameaça à organização das tropas.

4. Vantagens e Desvantagens

Com a competição dos outros meios de comunicação de massa, precisa analizar os pontos fortes e fracos do radio, o seja seus vantagem e desvantagem. Vantagem:

-Sendo menos complexa tecnicamente do que a televisão, a rádio pode estar presente com mais facilidade no local dos acontecimentos. Ela tem condições de transmitir a informação com mais rapidez do que qualquer outro meio.

-Baixo consumo de Energia (existem rádios portáteis que funcionam a energia solar) e baixo custo de aquisição de aparelhos. -Mobilidade. O receptor está livre de fios e tomadas (wireless).

- A emoção e sensorialidade que o radio pode levar, os outros meios de comunicação não alcançam. Em esse sentido queremos relembrar a fala de uma produtora de radio, na nossa apresentação em power-point, e lembrar de como Orson Welles consegui emocionar, apavorar e fazer acreditar em uma invasão extraterrestre nos Estados Unidos, no 1938.

-O rádio está junto ao consumidor na hora da compra.

Segundo pesquisa Marplan, o rádio é o veículo que está junto a 93% dos consumidores na hora que antecede a compra. Ou seja, não importa o que ele viu na tevê na noite anterior porque quem decide a compra é o rádio, o comercial que ele ouviu antes de ir para o comércio.

-O rádio é imbatível durante o horário comercial.

O rádio tem o triplo da audiência da televisão durante a manhã e mais do dobro durante a tarde. E mais: no horário nobre da tv (19 às 2 horas), o rádio atinge mais pessoas do que a tv durante o dia. Note que o rádio é imbatível justamente no horário em que as empresas e o comércio estão abertos, fazendo dele mídia obrigatória para quem quer efetuar uma venda. A tv só tem boa audiência à noite, quando o comércio está fechado e o cliente, em casa.

-O rádio chega onde a tv ou jornais não vai.

O Radio está em 98% das casas brasileiras, enquanto a TV em apenas 75% . Ele é o único veículo que atinge o consumidor em qualquer lugar. Entre o público radiofónico, pode também estar incluído a faixa da população analfabeta (o Brasil tem um dos mais altos índices de analfabetismo do mundo) que no caso do jornalismo impresso está eliminada à priori.

-O rádio é o veículo de maior credibilidade.

Todos os anos são realizadas pesquisas para aferir a credibilidade dos vários setores da sociedade junto ao público e todos os anos o rádio brilha. Ele é o segundo em credibilidade, logo atrás da Igreja Católica, 7 posições acima dos jornais e 17 posições acima da televisão. Ou seja: as pessoas acreditam muito mais no que é veiculado no rádio do que nos telejornais e isto se reflete também na credibilidade de sua propaganda, aceita com mais facilidade.

-Uma produção de alto nível no rádio custa 95% menos.

Você pode usar dez helicópteros, vinte carros de Fórmula Um, uma fábrica inteira e milhares de pessoas em um comercial de rádio gastando quase nada e em prazo recorde. Isto porque o rádio usa a imaginação do consumidor ao invés de usar o seu bolso. Tente fazer a mesma cena na televisão e ela se transforma em uma superprodução de alguns milhares de dólares e meses de filmagem (se o tempo permitir). Além disso, quando você mostra uma "bela mulher" na tv, ela pode ou não agradar o consumidor. Mas se você diz a ele, no rádio, que ali está uma "bela mulher", ele imagina a mulher de seus sonhos. Anunciar no rádio custa 15 vezes menos que na tv.

Desvantagem: - Se è verdade que uma imagem fala mais de 1000 palavras, essa è a limitação da radio.

- Limitações em se expandir em outros linguagem de comunicação: a televisão se pode virar em radio (com muitas telenovelas, as pessoas assistam como seja uma radionovela, sem dar importância as imagens) também internet pode se virar em radio.

5. Exemplos

No 5 exemplos que anexamos na nossa apresentação queremos chamar atenção em como é construído um mensagem radiofônico , considerando também as musicas: a)Tempo da voz: velocidade da fala. b)Dinâmica da voz: escolher ênfase em palavras (pausas, alterações). c)Melodia e ritmo da voz: seleção das palavras que tem um som, seja harmônica e com ritmo.

Numa emissão informativa todas as mensagens devem estar condicionadas a um ritmo. A harmonia dá-a o locutor que freqüentemente utiliza separadores musicais ou ruídos com efeitos equivalentes aos parágrafos. Todo esse mosaico permite uma variedade que corta a monotonia da linguagem e, simultaneamente, retém a atenção do ouvinte d) Musicas escolhidas. e)Sound design - rumores de fundos - efeitos. f)Tipo de voz humana: rica de inflexões e persuasiva, clara. A voz do locutor deve ser preferencialmente grave, pois sugere confiança e transmite credibilidade. Geralmente, os locutores com voz aguda não conferem à notícia a autenticidade exigida aquando a sua transmissão. g)Linguagem do comunicador adequado para o publico-alvo. Em geral, o rádio tem sua própria linguagem, muito mais direta, coloquial e intimista.

Bibliografia da nossa pesquisa: Internet: Wikipedia e http://www.ipv.pt/forumedia/4/16.htm Livro: Radio no Brasil, tendências e prospectivas (editora UnB, 1999)

Comentários