Relações entre Estado, Governo e Mercado durante o Século XX

Relações entre Estado, Governo e Mercado durante o Século XX

(Parte 1 de 3)

Relações entre Estado, Governo e

Mercado durante o Século X Suas Formas, Origens e Características

Jocélio Hércules Corneau Ibotirama/ BA

Apresentação

A relação Estado e sociedade é uma relação histórica e dinâmica que vem sendo construída com a história da própria humanidade. É o resultado dos conflitos de interesse, das interações e dos sonhos.

Essas relações continuam acontecendo, sendo construída no agora por nossas decisões, nossos valores, e de nossa visão de mundo.

Objetivo

Apresentar as formas de Estado mais conhecidas durante o século X, destacando suas diferenças e os fatores de suas origens e de seu declínio.

Metodologia

Através de pesquisa bibliográfica será analisado as quatro formas de padrões de relação entre Estado e mercado mais dominantes no mundo no decorrer do século X.

Introdução

abandono

O que mata o jardim não é o

O que mata um jardim é esse olhar vazio

De quem por ele passa indiferente.

(Mário Quintana)

A condição de estarmos vivos exige responsabilidade e cuidado para conosco, para com o outro e tudo o que está ao nosso redor.

A vida é preciosa demais para vivermos no "automático".

E essa relação é construída por nós, somos sujeitos das nossas histórias , sujeitos da história da humanidade.

Introdução

As quatro formas de relação entre Estado e mercado que foram mais dominantes no decorrer do século X.

Estado Liberal;

Estado de Bem-Estar Social;

Estado Socialista;

Estado Neoliberal.

Emerge no feudalismo contribuindo para a derrocada do mesmo e para com a ascensão do capitalismo.

Apresenta-se como desdobramento lógico da separação entre o público e o privado ou pessoal.

Estado Liberal

A revolução da burguesia transformou radicalmente a sociedade feudal na

Europa, exigindo uma nova forma de

Estado, que rompeu com a ordem hierárquica das corporações, dos laços sanguíneos e dos privilégios e criou uma estrutura de poder político capaz de manter e ampliar suas conquistas.

Estado Liberal

Todos os indivíduos são livres e independentes;

O Estado garante a defesa do país das agressões externas e a integridade do seu povo e de seu território;

Assegura o direito e usufruto da propriedade;

Proteção da vida, o direito de ir e vir dos seus cidadãos e a ordem pública.

Estado Liberal

Pelos princípios do Liberalismo o mercado é uma instituição autoregulável.

Os três elementos fundamentais da produção – trabalho, terra e dinheiro – iriam se transformar em mercadorias.

Para Polanyi, mercadorias são “objetos produzidos para venda no mercado”.

Estado Liberal

Tratamento reservado aos pobres não guardava nenhuma relação com a responsabilidade que o Estado e as

“classes superiores” tinham em relação às “classes inferiores” na sociedade tradicional europeia pré-capitalista.

Jornada de trabalho feminina “reduzida” para 12 horas diárias.

Estado Liberal

Em 1874 o direito de greve iria ser reconhecido;

Em 1875, trabalhadores nas fábricas seria finalmente permitida pelo Estado;

De acordo com Stuart Mill, para o bom governo o sufrágio deveria ser o mais largamente distribuído;

Na virada do século XIX para o X que os

Estados liberais iriam se transformar em democracias representativas, com a adoção do sufrágio universal masculino.

Estado Liberal

(Parte 1 de 3)

Comentários