Seminário de Gestão Ambiental Poluição Atmosférica

Equipe: Leidiane Brasileiro, Paloma Ribeiro e Washington Bernardo

Introdução

A poluição atmosférica pode ser definida como a introdução na atmosfera de qualquer matéria ou energia que venha a alterar às suas propriedades, afetando a saúde das espécies animais ou vegetais que dependem ou tenham contanto com essa atmosfera;

Este tipo de poluição resulta do efeito provocado na atmosfera por diferentes elementos sólidos, líquidos, ou gasosos, provenientes sobretudo da atividade do Homem;

Os problemas mais graves da contaminação do ar surgem nas cidades e áreas com um grande nível de industrialização, embora cada vez mais se generalizem por todo o planeta, merecendo assim, nossa preocupação.

A poluição do ar nas áreas urbano-industriais, ocorre devido ao fato de estas regiões serem as que possuem mais focos de poluição, como os escapes dos automóveis (que emitem grandes quantidades de gases poluentes), os aquecimentos domésticos, os fumos industriais e outros, os incêndios florestais e as pulverizações com pesticidas;

Outros fatores que também contribuem para a poluição atmosférica são: as características climáticas de cada região, a posição geográfica e os ventos dominantes;

Os espaços propícios para a concentração da poluição atmosférica são os locais afastados do litoral e regiões abrigadas (pouco ventosas), nestes locais existe uma maior concentração de poluição, pois o ar não se movimenta e os gases acumulam-se.

Os espaços desfavoráveis para a concentração da poluição atmosférica são as regiões litorais ou montanhosas, onde o ar é ascendente, nestes locais existe uma menor concentração de poluição;

Nos países desenvolvidos verifica-se uma maior concentração de poluição atmosférica, devido ao grande nível de industrialização e ao modo de vida das pessoas que utilizam exageradamente os automóveis, os CFC’s (carbono, flúor e cloro), etc.;

Este problema cada vez mais se estende aos países em desenvolvimento, devido a esses países começarem a utilizar cada vez mais automóveis e construir mais fábricas.

Causas da poluição atmosférica

Naturais: atividade vulcânica;

fogos florestais de origem natural.

Imagens: Google Imagens.

Causas da poluição atmosférica

Provocadas pelo Homem: combustão de combustíveis fósseis, principalmente dos automóveis,

atividade industrial,

incêndios provocados pelo Homem

Imagens: Google Imagens.

As principais consequências da poluição atmosférica

O smog;

As chuvas ácidas;

O efeito de estufa;

A destruição da camada de ozono.

O Smog

O “Smog” define-se como uma combinação de fumo e de nevoeiro em áreas urbano industriais;

Surge em situações de nevoeiro, a sua formação é favorecida pelos focos de poluição, que aumentam o número de núcleos de condensação (poeiras ou partículas diversas) na atmosfera saturada ou quase saturada.

Imagem: Google Imagens.

O Smog

As consequências do Smog são:

A inversão térmica, ou seja, o aumento da temperatura durante o dia, e em condições de grande arrefecimento noturno;

Aumento de pessoas com desenvolvimento de asma, bronquite, problemas respiratórios e cardíacos;

A concentração de fumos à superfície.

O Smog

Exemplos de algumas lugares que sofrem com os efeitos do Smog:

Los Angeles, é uma cidade que tem grandes problemas de contaminação pelo smog;

Londres, foi onde ocorreu uma das situações mais graves, na década de 195O, devido à conjugação de vários fenômenos meteorológicos;

Em janeiro desde ano, uma foto do satélite Aqua da NASA provou que a poluição na China é tão grave que já se pode vê-la do espaço.

Los Angeles Londres (1952) China

I ma g e

G o ogle I m a g en s.

As chuvas ácidas

As chuvas ácidas formam-se coma libertação de dióxido de enxofre e de óxido de azoto (provenientes de fábricas e automóveis) para a atmosfera, sendo levados pelos ventos para as nuvens;

A combinação destes gases com o oxigênio e o vapor de água contido nas nuvens, dá origem ao ácido sulfúrico e ácido nítrico que formam-se as chuvas ácidas;

Com a precipitação, as chuvas ácidas originam a acidificação dos solos, que vai prejudicar a agricultura e as espécies de árvores e plantas que vão nascer. Outra consequência é a destruição da vegetação e a contaminação da água, que é muito prejudicial para a vegetação assim como para os animais.

As chuvas ácidas Formação das chuvas ácidas:

Imagem: UEMS.

As chuvas ácidas

As chuvas ácidas embora afetem mais as regiões industrializadas da América do Norte (EUA e Canadá) e da Europa (Alemanha , Áustria, Polónia, República Checa, Escandinávia), devido à emissão de dióxido de enxofre e à queima de petróleo e carvão, são um problema global visto que os ventos transportam as partículas poluentes.

Imagens: Google Imagens.

O Efeito estufa

O sol é constituído por radiações ultravioletas, infravermelhos, entre outras que atravessam a atmosfera, mas nem todas chegam à superfície, pois a mesma absorve, difunde e reflete parte dessa radiação (função de filtro). A crescente emissão de dióxido de carbono é prejudicial, pois o CO2 permite a passagem da radiação solar para terra mas depois funciona como uma barreira, não deixando sair o calor que é refletido pela superfície terrestre, então o calor fica concentrado formando o Efeito de Estufa.

O Efeito estufa Imagem: USP.

O Efeito estufa

Este fenômeno atinge mais os países desenvolvidos, por serem os maiores emissores de dióxido de carbono;

Na atualidade as regiões menos desenvolvidas e industrializadas também são afetadas por este problema, devido à queima das florestas tropicais e fenômenos naturais (erupções vulcânicas). Este processo tem duas consequências:

1.O aquecimento global do planeta, o que pode provocar a fusão do gelo das regiões polares e a subida dos oceanos, com a submersão das regiões litorais.

2.Alterações climatéricas que poderão acelerar o avanço dos desertos (desertificação).

A destruição da camada de ozônio

A existência de ozônio na estratosfera é vital para a Terra, pois absorve grande parte da radiação ultravioleta, embora ao nível do solo seja prejudicial para a saúde e para o ambiente;

A destruição da camada de ozônio origina variações do clima (aquecimento global);

O aumento do “buraco” na camada de ozônio é uma situação preocupante, pois, corre-se o risco do derretimento dos polos, aumentando desta forma o nível médio das águas do mar.

Imagens: Google Imagens.

A destruição da camada de ozônio

Atualmente tenta-se substituir os CFCs (principais agentes destruidores da camada de ozônio, que infere no aumento da radiação ultravioleta, causando sérios danos como câncer de pele), por outros que não provoquem danos ambientais, pois, para os especialistas se a camada de ozônio chegar a ser destruída, poderemos ter o fim da vida humana na terra e o início de uma nova era glacial.

Imagem: Google Imagens.

Conclusões

A poluição atmosférica refere-se a mudanças da atmosfera susceptíveis de causar impacto a nível ambiental ou de saúde humana, através da contaminação por gases, partículas sólidas, líquidas em suspensão, material biológico ou energia;

A adição dos contaminantes pode provocar danos diretamente na saúde humana ou no ecossistema, podendo ser causados também por elementos resultantes dos contaminantes;

Além de prejudicar a saúde, pode igualmente reduzir a visibilidade, diminuir a intensidade da luz ou provocar odores desagradáveis;

Esta poluição causa ainda mais impactos no campo ambiental, tendo ação direta no aquecimento global, sendo responsável pela degradação de ecossistemas e potenciadora de chuvas ácidas.

Fontes consultadas

GOOGLE IMAGENS. Disponível em: < http://www.google.com.br/imghp?hl=pt- BR&tab=wi >. Vários acessos.

MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE. Disponível em: < http://www.mma.gov.br/ >. Acesso em 04 de nov. de 2012.

USP – UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO. Disponível em: < http://www5.usp.br/ >. Acesso em: 03 de nov. de 2012.

UEMS – UNIVERSIDADE ESTADUAL DO MATO GROSSO DO SUL. Disponível em: < http://www.uems.br/portal/ >. Acesso em 03 de nov. de 2012.

Imagem: Google Imagens.

Comentários