Pneumática complementar

Pneumática complementar

(Parte 1 de 2)

SENAI-RJ • Mecânica versão preliminar

Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro Eduardo Eugenio Gouvêa Vieira Presidente

Diretoria Corporativa Operacional Augusto Cesar Franco de Alencar Diretor

Diretoria Regional do SENAI-RJ Fernando Sampaio Alves Guimarães Diretor

Diretoria de Educação Andréa Marinho de Souza Franco Diretora

Rio de Janeiro 2003

Pneumática Complementar 2003

SENAI-Rio de Janeiro Diretoria de Educação

Gerência de Educação Profissional Gerência de Produto Produção Editorial Coordenação Revisão Técnica Revisão Editorial Colaboração Projeto Gráfico Original Programação Visual e Diagramação

Edição revista da apostila Pneumática Complementar do convênio SENAI-RJ / Michelin.

SENAI-RJ GEP – Gerência de Educação Profissional

Rua Mariz e Barros, 678 – Tijuca 20270-903 – Rio de Janeiro Tel.: (21) 2587-1116 Fax: (21) 2254-2884 GEP@rj.senai.br http://www.rj.senai.br

Luis Roberto Arruda Darci Pereira Garios Vera Regina Costa Abreu Alda Maria da Glória Lessa Bastos Ézio Zerbone Rita Godoy Antonio Carlos Cezar de Carvalho Artae Design & Criação

In-Fólio – Produção Editorial, Gráfica e Programação Visual

Sumário

APRESENTAÇÃO1
UMA PALAVRA INICIAL13
ESQUEMAS PNEUMÁTICOS17
Válvula direcional multifunção Joucomatic19
Praticando21
Esquemas pneumáticos25
Praticando28
DIAGRAMAS5
Representação dos acionadores em um circuito57
Diagrama de movimento58
Diagrama de comando61
Diagrama de funcionamento62
Diagrama gráfico63
Praticando69
MOVIMENTOS SEQÜENCIAIS7
Temporizador79
Praticando80
Movimentos seqüenciais89
Praticando91
PARA CONSULTA105
Simbologia pneumática107

TEMPORIZADOR E 4

Prezado aluno,

Quando você resolveu fazer um curso em nossa instituição, talvez não soubesse que, desse momento em diante, estaria participando do maior sistema de educação profissional do país: o SENAI. Há mais de sessenta anos, estamos construindo uma história de educação voltada para o desenvolvimento tecnológico da indústria brasileira e da formação profissional de jovens e adultos.

Devido às mudanças ocorridas no modelo produtivo, o trabalhador não pode continuar com uma visão restrita dos postos de trabalho. Hoje, o mercado exigirá de você, além do domínio do conteúdo técnico de sua profissão, competências que lhe permitam decidir com autonomia, proatividade, capacidade de análise, solução de problemas, avaliação de resultados e propostas de mudanças no processo do trabalho. Você deverá estar preparado para o exercício de papéis flexíveis e polivalentes, assim como para a cooperação e a interação, o trabalho em equipe e o comprometimento com os resultados.

Soma-se, ainda, que a produção constante de novos conhecimentos e tecnologias exigirá de você a atualização contínua de seus conhecimentos profissionais, evidenciando a necessidade de uma formação consistente que lhe proporcione maior adaptabilidade e instrumentos essenciais à auto-aprendizagem.

Essa nova dinâmica do mercado de trabalho vem requerendo que os sistemas de educação se organizem de forma flexível e ágil, motivos esses que levaram o SENAI a criar uma estrutura educacional, com o propósito de atender às novas necessidades da indústria, estabelecendo uma formação flexível e modularizada.

Essa formação flexível tornará possível a você, aluno do sistema, voltar e dar continuidade à sua educação, criando seu próprio percurso. Além de toda a infra-estrutura necessária ao seu desenvolvimento, você poderá contar com o apoio técnico-pedagógico da equipe de educação dessa escola do SENAI para orientá-lo em seu trajeto.

Mais do que formar um profissional, estamos buscando formar cidadãos. Seja bem-vindo!

Andréa Marinho de Souza Franco Diretora de Educação

Pneumática Complementar – Apresentação

SENAI-RJ 1

A dinâmica social dos tempos de globalização exige dos profissionais atualização constante. Mesmo as áreas tecnológicas de ponta ficam obsoletas em ciclos cada vez mais curtos, trazendo desafios renovados a cada dia, e tendo como conseqüência para a educação a necessidade de encontrar novas e rápidas respostas.

Nesse cenário, impõe-se a educação continuada, exigindo que os profissionais busquem atualização constante durante toda a sua vida – e os docentes e alunos do SENAI/RJ incluem-se nessas novas demandas sociais.

É preciso, pois, promover, tanto para os docentes como para os alunos da educação profissional, as condições que propiciem o desenvolvimento de novas formas de ensinar e aprender, favorecendo o trabalho de equipe, a pesquisa, a iniciativa e a criatividade, entre outros aspectos, ampliando suas possibilidades de atuar com autonomia, de forma competente .

O Curso de Pneumática Complementar tem como propósito oferecer educação continuada aos profissionais de Manutenção, na área de Mecânica, que já realizaram o Curso de Pneumática Básica, e desejam aprofundar conhecimentos teóricos e práticos para desenvolver e interpretar esquemas pneumáticos; montar circuitos pneumáticos em bancadas; pesquisar, analisar e solucionar problemas em circuitos dessa natureza.

Durante seus estudos, você terá o apoio constante do docente e também desse material didático. Nele são apresentados todos os conteúdos que serão abordados ao longo do Curso, além de variados exercícios. Nesses exercícios são simuladas, por exemplo, diversas situações que descrevem o funcionamento desejado de um determinado equipamento ou posto de trabalho para, em seguida, solicitar que faça a definição do esquema pneumático e respectiva montagem, em laboratório, a fim de confirmar seu funcionamento.

Para obter êxito em seus estudos é necessário, portanto, participar ativamente das aulas, ler o material didático e realizar todos os exercícios apresentados, pois eles vão lhe ajudar a fixar os conhecimento recém-adquiridos.

Desejamos, enfim, que essa jornada de estudo seja proveitosa, e que também tenha sucesso na vida profissional.

Apresentação

Pneumática Complementar – Uma Palavra Inicial

SENAI-RJ 13

Meio ambiente... Saúde e segurança no trabalho... O que é que nós temos a ver com isso? Antes de iniciarmos o estudo deste material, há dois pontos que merecem destaque: a relação entre o processo produtivo e o meio ambiente; e a questão da saúde e segurança no trabalho.

As indústrias e os negócios são a base da economia moderna. Produzem os bens e serviços necessários, e dão acesso a emprego e renda; mas, para atender a essas necessidades, precisam usar recursos e matérias-primas. Os impactos no meio ambiente muito freqüentemente decorrem do tipo de indústria existente no local, do que ela produz e, principalmente, de como produz.

É preciso entender que todas as atividades humanas transformam o ambiente. Estamos sempre retirando materiais da natureza, transformando-os e depois jogando o que “sobra” de volta ao ambiente natural. Ao retirar do meio ambiente os materiais necessários para produzir bens, altera-se o equilíbrio dos ecossistemas e arrisca-se ao esgotamento de diversos recursos naturais que não são renováveis ou, quando o são, têm sua renovação prejudicada pela velocidade da extração, superior à capacidade da natureza para se recompor. É necessário fazer planos de curto e longo prazo, para diminuir os impactos que o processo produtivo causa na natureza. Além disso, as indústrias precisam se preocupar com a recomposição da paisagem e ter em mente a saúde dos seus trabalhadores e da população que vive ao seu redor.

Com o crescimento da industrialização e a sua concentração em determinadas áreas, o problema da poluição aumentou e se intensificou. A questão da poluição do ar e da água é bastante complexa, pois as emissões poluentes se espalham de um ponto fixo para uma grande região, dependendo dos ventos, do curso da água e das demais condições ambientais, tornando difícil localizar, com precisão, a origem do problema. No entanto, é importante repetir que, quando as indústrias depositam no solo os resíduos, quando lançam efluentes sem tratamento em rios, lagoas e demais corpos hídricos, causam danos ao meio ambiente.

O uso indiscriminado dos recursos naturais e a contínua acumulação de lixo mostram a falha básica de nosso sistema produtivo: ele opera em linha reta. Extraem-se as matérias-pri-

Uma palavra inicial

Pneumática Complementar – Uma Palavra Inicial

14 SENAI-RJ mas através de processos de produção desperdiçadores e que produzem subprodutos tóxicos. Fabricam-se produtos de utilidade limitada que, finalmente, viram lixo, o qual se acumula nos aterros. Produzir, consumir e dispensar bens desta forma, obviamente, não é sustentável.

Enquanto os resíduos naturais (que não podem, propriamente, ser chamados de “lixo”) são absorvidos e reaproveitados pela natureza, a maioria dos resíduos deixados pelas indústrias não tem aproveitamento para qualquer espécie de organismo vivo e, para alguns, pode até ser fatal. O meio ambiente pode absorver resíduos, redistribuí-los e transformá-los. Mas, da mesma forma que a Terra possui uma capacidade limitada de produzir recursos renováveis, sua capacidade de receber resíduos também é restrita, e a de receber resíduos tóxicos praticamente não existe.

Ganha força, atualmente, a idéia de que as empresas devem ter procedimentos éticos que considerem a preservação do ambiente como uma parte de sua missão. Isto quer dizer que se devem adotar práticas voltadas para tal preocupação, introduzindo processos que reduzam o uso de matérias-primas e energia, diminuam os resíduos e impeçam a poluição.

Cada indústria tem suas próprias características. Mas já sabemos que a conservação de recursos é importante. Deve haver crescente preocupação com a qualidade, durabilidade, possibilidade de conserto e vida útil dos produtos.

As empresas precisam não só continuar reduzindo a poluição, como também buscar novas formas de economizar energia, melhorar os efluentes, reduzir a poluição, o lixo, o uso de matériasprimas. Reciclar e conservar energia são atitudes essenciais no mundo contemporâneo.

É difícil ter uma visão única que seja útil para todas as empresas. Cada uma enfrenta desafios diferentes e pode se beneficiar de sua própria visão de futuro. Ao olhar para o futuro, nós (o público, as empresas, as cidades e as nações) podemos decidir quais alternativas são mais desejáveis e trabalhar com elas.

Infelizmente, tanto os indivíduos quanto as instituições só mudarão as suas práticas quando acreditarem que seu novo comportamento lhes trará benefícios – sejam estes financeiros, para sua reputação ou para sua segurança.

(Parte 1 de 2)

Comentários