thaynara e da

thaynara e da

SISTEMA REPRODUTOR MASCULINO

É formado por:

† testículos;

† escroto (bolsa escrotal ou saco escrotal);

† pênis;

† vias espermáticas: epidídimos, canais (ductos) deferentes, uretra;

† glândulas anexas: próstata, vesículas seminais, glândulas bulbouretrais.

São as gônadas masculinas.

  • Estrutura:

Ductos ou túbulos seminíferos:

Células de Sertoli: sustentação.

Epitélio germinativo: formação dos espermatozóides.

Células intersticiais ou de Leydig: produção de testosterona

São as gônadas masculinas.

  • Estrutura:

Ductos ou túbulos seminíferos:

Células de Sertoli: sustentação.

Epitélio germinativo: formação dos espermatozóides.

Células intersticiais ou de Leydig: produção de testosterona.

Escroto ou bolsa escrotal

Afasta ou aproxima os testículos do corpo, mantendo-os a uma temperatura geralmente em torno de 1 a 3 °C abaixo da corporal Æ termorregulação.  

Pênis

Formado por dois tipos de tecidos cilíndricos:

1- dois corpos cavernosos;

2- um corpo esponjoso Æ envolve e protege a uretra.

  • Glande: na extremidade do pênis Æ onde pode ser visualizada a abertura (óstio) da uretra.

Prepúcio: pele que envolve e protege a glande Æ deve ser puxado e higienizado a fim de se retirar o esmegma Æ secreção sebácea espessa e esbranquiçada, com forte odor, que consiste principalmente de células epiteliais descamadas que se acumulam debaixo do prepúcio.

Frênulo do prepúcio: prega mediana que passa da camada profunda do prepúcio à parte da face uretral adjacente ao óstio externo da uretra.

Fimose: quando a glande não consegue ser exposta devido ao estreitamento do prepúcio.

Circuncisão ou postectomia: procedimento cirúrgico para a correção da fimose.

Pênis – Ereção

No pênis em repouso a quantidade de sangue que entra e sai é a mesma.

Ereção: inundação dos corpos cavernosos e esponjoso com sangue, tornando o pênis rijo, com considerável aumento do tamanho Æ excitação sexual e durante o sono Æ é comum ereções noturnas durante o sono REM (sonhos) Æ fundamentais para preservar os corpos cavernosos e o mecanismo da ereção Æoxigenação do pênis.

Pênis - Polução Noturna

É a ejaculação (emissão ou descarga do sêmen ou esperma) durante o sono Æ freqüentemente relacionada com um sonho erótico Æ mais comum da puberdade até os 20 anos.

Sêmen = espermatozóides + líquido da próstata + líquido das vesículas seminais

Vias Espermáticas

Epidídimos: dois tubos enovelados que partem dos testículos Æ armazenamento de espermatozóides.

Ductos deferentes: dois tubos que partem dos epidídimos, circundam a bexiga urinária e unem-se ao ducto ejaculatório, onde desembocam as vesículas seminais. 

Uretra: canal destinado à saída de urina e de esperma Æ os músculos na entrada da bexiga se contraem durante a ereção para que nenhuma urina entre no sêmen e nenhum sêmen entre na bexiga Æ os espermatozóides não ejaculados são reabsorvidos pelo corpo dentro de algum tempo.

Glândulas Anexas

Próstata: glândula localizada abaixo da bexiga urinária Æ secreta substâncias alcalinas que neutralizam a acidez da urina e  ativa os espermatozóides. 

Vesículas seminais: responsáveis pela produção de um líquido que age como fonte de energia para os espermatozóides Æ constituído principalmente por frutose.

Glândulas bulbouretrais ou de Cowper: sua secreção transparente é lançada dentro da uretra para limpá-la e preparar a passagem dos espermatozóides. Também tem função na lubrificação do pênis durante o ato sexual.

CIRCUITO HIPOTÁLAMO/HIPÓFISE

Freqüentemente o sistema nervoso interage com o endócrino formando mecanismos reguladores bastante precisos.

Hipotálamo: localizado no encéfalo diretamente acima da hipófise, é conhecido por exercer controle sobre ela por meios de conexões neurais e substâncias semelhantes a hormônios chamados fatores desencadeadores (ou de liberação).  

HORMÔNIOS MASCULINOS

Testosterona

Produzida nos testículos pelas células intersticiais ou de Leydig.

Efeitos no feto:

† acelera a formação do pênis, da bolsa escrotal, da próstata, das vesículas seminais, dos ductos deferentes e dos outros órgãos sexuais masculinos.

† faz com que os testículos desçam da cavidade abdominal para a bolsa escrotal.

Efeitos a partir da puberdade:

A- Efeito nos caracteres sexuais secundários:

1- Estimula os folículos pilosos Æ crescimento de pêlos na face, ao longo da linha média do abdome, no púbis e no tórax.

2- Estimula o crescimento das glândulas sebáceas e a elaboração do sebo Æ CUIDADO COM A ACNE!

3- Promove aumento de massa muscular Æ deposição de proteína nos músculos.

4- Amplia a laringe e torna a voz mais grave.

5- Promove aumento da massa óssea.

6- Promove aumento e amadurecimento dos órgãos genitais.

ESPERMATOGÊNESE

Espermatogônias: permanecem adormecidas nos túbulos seminíferos desde o período fetal até a puberdade.

A partir da puberdade:

1- Multiplicação (período germinativo): espermatogônias sofrem várias divisões meióticas Æ novas espermatogônias.

2- Crescimento: espermatogônias crescem e sofrem modificações graduais Æ espermatócitos I.

3- Maturação:

† espermatócitos I sofrem 1ª divisão meiótica Æ espermatócitos II.

† espermatócitos II sofrem segunda divisão meiótica Æ espermátides.

4- Espermiogênese: espermátides sofrem diferenciação Æ espermatozóides.

ATO SEXUAL

Ereção e lubrificação

Orgasmo e Ejaculação

INTRODUÇÃOA função primordial do aparelho reprodutor é perpetuar a espécie por meio de reprodução. O Sistema Reprodutor Masculino é o conjunto de órgãos encarregado da reprodução no homem, assim como o Sistema Reprodutor Feminino é o conjunto de órgãos encarregado da reprodução na mulher. O organismo feminino é mais complexo que o do homem, pelo fato de possuir mais um órgão e consequentemente mais uma função: o útero que abriga e propicia o desenvolvimento de uma nova vida, resultante da união dos gametas.A reprodução humana começa quando o óvulo inicia sua vagarosa travessia pelas tubas uterinas para o útero. No percurso, vários milhões de espermatozóides poderão ir ao encontro, mas somente os mais fortes conseguirão atingi-lo e apenas um deles fecundá-lo. Depois de nove meses se produzirá o nascimento do novo ser humano.

.

Conclusão

Concluímos que O pênis é o órgão muscular encarregado de depositar os espermatozóides no interior da vagina. Compreende grande parte da uretra. Seu interior é composto por três cilindros de tecido esponjoso, os vasos cavernosos, formados por vasos sangüíneos que, durante o ato sexual, estimulados pelo sistema nervoso autônomo, recebem uma quantidade maior de sangue, dilatando-se e provocando a ereção do órgão. Esta ereção é fundamental para que o pênis venha a ser introduzido na vagina da mulher e em seguida venha a depositar seus gametas no interior da fêmea, fenômeno conhecido por ejaculação;

O meato uretral é o orifício no qual a uretra encontra o exterior do organismo. Situa-se na glande, parte mais volumosa do pênis, popularmente conhecida como "cabeça" do pênis. Esta estrutura contém uma grande quantidade de terminações nervosas, podendo com um simples toque em sua superfície estimular a ereção;

A glande é coberta pelo prepúcio, uma camada de pele que a protege. Quando há ereção, o prepúcio fica recolhido e a glande fica exposta. Quando isso não ocorre, há o que chamamos de fimose, uma anomalia que impossibilita a exposição da glande com o pênis ereto. Felizmente, pode ser facilmente corrigida com uma cirurgia simples de circuncisão;

Saco ou bolsa escrotal: camada de pele que envolve e protege os testículos.

Escola de Formação Técnica

Trabalho de Anatomia Sistema Reprodutor masculino.

Alunas: Fabiula, Lidiane. Marciana,

Marciléia,Thaynara

Prof: Sidélia

Colméia –To

21/04/2012

Comentários