Apostila de Toxicologia

Apostila de Toxicologia

(Parte 1 de 6)

TOXICOLOGIA OCUPACIONAL

Profª DSc. Rita Wetler Tonini

1- TOXICOLOGIA

A Toxicologia é a ciência que tem como objeto de estudo o efeito adverso de substâncias químicas sobre os organismos vivos, com a finalidade principal de prevenir o aparecimento deste efeito, ou seja, estabelecer o uso seguro destas substâncias químicas.

Trata-se de uma Ciência multidisciplinar, onde os conhecimentos estão inter-relacionados. Envolvendo assim, especialistas com diferentes formações profissionais

A Toxicologia se apóia em 3 elementos básicos:

i) O agente químico (AQ) capaz de produzir um efeito;

ii) O sistema biológico (SB) com o qual o AQ irá interagir para produzir o efeito;

iii) O efeito resultante, que pode ser adverso (ou tóxico) para o SB.

2- ÁREAS DA TOXICOLOGIA

Toxicologia Ambiental: efeitos nocivos produzidos por substâncias químicas presentes no macro ambiente dos seres vivos.

Toxicologia Ocupacional: efeitos nocivos produzidos pelas substâncias químicas presentes no meio ocupacional (micro ambiente) do homem.

Toxicologia de Alimentos: estuda os efeitos adversos produzidos por agentes químicos presentes nos alimentos, sejam estes de origem biogênica ou antropogênica.

Toxicologia de Medicamentos: efeitos adversos decorrentes do uso inadequado de medicamentos, da interação medicamentosa ou da susceptibilidade individual.

Toxicologia Social: efeito nocivo dos agentes químicos usados pelo homem em sua vida de sociedade seja sob o aspecto individual ou social.

Ecotoxicologia: estudo dos efeitos adversos de agentes químicos ou físicos no ecossistema.

Todas estas áreas poderão ser estudadas sob três aspectos distintos: o clínico, o analítico e o experimental.

3- AGENTE TÓXICO

Diz-se de qualquer substância química que, interagindo com um organismo vivo, é capaz de produzir um efeito tóxico, seja este uma alteração funcional ou a morte.

Toda a substância química é potencialmente tóxica, este potencial pode se transformar em risco com base em 3 fatores:

- Dose recebida

- Sensibilidade do receptor à concentração recebida

- Via de contato

Todas as substâncias são venenos, não há uma que não seja. A dose correta é que diferencia um veneno de um remédio (PARACELSUS-1493-1541).

3.1- Classificação dos Agentes Tóxicos

- Quanto à natureza: Naturais ou Sintéticos

- Quanto ao órgão ou sistema onde atuam: Hepatotóxico, Neurotóxico, Nefrotóxico, Genotóxico, etc.

- Quanto às características físicas: Sólidos, Líquidos, Gases, vapores, partículas

- Quanto às características químicas: Halogênios, Metais, Produtos alcalinos, Hidrocarbonetos alifáticos, HPAs, etc.

4- TOXICIDADE

Toxicidade é capacidade do agente químico, de produzir maior ou menor efeito nocivo sobre os organismos vivos, em condições padronizadas de uso.

- Substância muito tóxica: causará dano a um organismo se for administrada em quantidades muito pequenas.

- Substância de baixa toxicidade: somente produzirá efeito quando a quantidade administrada for muito grande.

4.1- Fatores que influem na toxicidade

- Fatores ligados ao agente químico:

- propriedades físico-químicas (solubilidade, grau de ionização, coeficiente de partição óleo/água, tamanho molecular, estado físico, etc.);

- impurezas e contaminantes;

- fatores envolvidos na formulação (veículo, adjuvantes)

- Fatores relacionados com o organismo:

- espécie, linhagem, fatores genéticos;

- fatores imunológicos, estado nutricional, dieta;

- sexo, estado hormonal, idade, peso corpóreo;

- estado emocional, estado patológico

- Fatores relacionados com a exposição:

- via de introdução;

- dose ou concentração

- Fatores relacionados com o ambiente:

- temperatura, pressão, radiações, luz, umidade, etc.

5- INTOXICAÇÃO

É um conjunto de efeitos nocivos representado pelos sinais e sintomas que revelam o desequilíbrio orgânico produzido pela interação do agente químico com o sistema biológico. Corresponde ao estado patológico provocado pelo agente tóxico, em decorrência de sua interação com o organismo.

Efeito tóxico

=

Dose da substância

+

Tempo contato

Suficientes para quebrar a homeostasia do organismo

5.1- Fases da intoxicação

Fase de Exposição: corresponde ao contato do agente tóxico com o organismo. Representa a disponibilidade química das substâncias químicas e passíveis de serem introduzidas no organismo.

Fase Toxicocinética: consiste no movimento do AT dentro do organismo. É formada pelos processos de absorção, distribuição, armazenamento e eliminação (biotransformação e excreção). Todos esses processos envolvem reações mútuas entre o agente tóxico e o organismo, conduzindo à disponibilidade biológica.

Fase Toxicodinâmica: corresponde à ação do AT no organismo. Atingindo o alvo, o agente químico ou seu produto de biotransformação interage biológicamente causando alterações morfológicas e funcionais, produzindo danos.

Fase Clínica: corresponde à manifestação clínica dos efeitos resultantes da ação tóxica. É o aparecimento de sinais e sintomas que caracterizam o efeito tóxico e evidenciam a presença do fenômeno da intoxicação.

5.1.1- Fase de exposição

Exposição é a medida do contato entre o AT e a superfície corpórea do organismo e sua intensidade depende de fatores, tais como:

5.1.1.1- Via ou local de exposição:As principais vias de exposição, através das quais os AT são introduzidos no organismo são:

- via gastrintestinal (ingestão)

(Parte 1 de 6)

Comentários