Gênero Textual CRÔNICA

Gênero Textual CRÔNICA

Gênero Textual: crônica

Por : Vera Lucia Oliveira

Assim como a fábula e o enigma, a crônica é um gênero narrativo. Como diz a origem da palavra (Cronos é o deus grego do tempo), narra fatos históricos em ordem cronológica, ou trata de temas da atualidade abordando acontecimentos do cotidiano.

Assim como a fábula e o enigma, a crônica é um gênero narrativo. Como diz a origem da palavra (Cronos é o deus grego do tempo), narra fatos históricos em ordem cronológica, ou trata de temas da atualidade abordando acontecimentos do cotidiano.

É, primordialmente, um texto escrito para ser publicado no jornal - veículo de informação diário e, portanto, veicula textos efêmeros. A crônica, assim como o jornal, nasce, cresce, envelhece e morre em vinte e quatro horas. Por isso, ela é feita com uma finalidade pré-estabelecida: agradar aos leitores dentro de um espaço sempre igual e com a mesma localização.

Ela se diferencia no jornal por não buscar exatidão da informação. Diferente da notícia, que procura relatar os fatos que acontecem, a crônica os analisa, dá-lhes um colorido emocional, mostrando aos olhos do leitor uma situação comum, vista por outro ângulo, singular.

Ela se diferencia no jornal por não buscar exatidão da informação. Diferente da notícia, que procura relatar os fatos que acontecem, a crônica os analisa, dá-lhes um colorido emocional, mostrando aos olhos do leitor uma situação comum, vista por outro ângulo, singular.

Podemos dizer que a crônica é uma mistura de:

  • jornalismo, do qual recebe a observação atenta da realidade cotidiana; e

  • literatura, pela construção da linguagem, o jogo verbal.

Geralmente, as crônicas apresentam linguagem simples, espontânea, situada entre a linguagem oral e a literária. Isso contribui também para que o leitor se identifique com o cronista, que acaba se tornando o porta-voz daquele que lê.

Geralmente, as crônicas apresentam linguagem simples, espontânea, situada entre a linguagem oral e a literária. Isso contribui também para que o leitor se identifique com o cronista, que acaba se tornando o porta-voz daquele que lê.

Ao desenvolver seu estilo e ao selecionar as palavras que utiliza em seu texto, o cronista está transmitindo ao leitor a sua visão de mundo. Ele está, na verdade, expondo a sua forma pessoal de compreender os acontecimentos que o cercam. Ele pode ser considerado o poeta dos acontecimentos do dia a dia.

Podemos listar algumas características da crônica:

Podemos listar algumas características da crônica:

  • É um texto curto;

  • Baseia-se em fatos do cotidiano;

  • Apresenta linguagem informal, próxima da oralidade;

  • Utiliza recursos como humor e ironia para dizer coisas sérias por meio de uma aparente conversa fiada;

  • Traz as pessoas comuns como personagens, sem nome ou com nomes genéricos. As personagens não têm aprofundamento psicológico; são apresentadas em traços rápidos;

  • Tem como objetivo envolver, emocionar o leitor.

Para concluir,

Para concluir,

A crônica é assim: simples na aparência, banal no assunto, mas extremamente rica na essência, na arte da construção da frase, na poesia com que se narra o acontecimento. Seu tema é sempre simples e trivial porque o que mais se destaca é sua forma, sua construção e sua linguagem.

Sugestão de leitura: Crônica O coelho e o cachorro, de Mário Prata

Referências:

CEREJA, William Roberto. Interpretação de textos: construindo competências e habilidades de leitura. São Paulo: Atual, 2009.

PARÂMETROS CURRICULARES NACIONAIS: terceiro e quarto ciclos do ensino fundamental: Língua Portuguesa. Brasília: MEC/SEF, 1998.

http://educacao.uol.com.br/portugues/cronica.jhtm

http://www.recantodasletras.com.br/teorialiteraria/794029

Comentários