Prominp logistica - de - suprimentos

Prominp logistica - de - suprimentos

LOGÍSTICA DE SUPRIMENTOS (COMPRAS / CAPÍTULO 3  PÁGINAS 27 a 35)

  • CEFET / RJ – PROMINP

  • SUPERVISOR DE SUPRIMENTOS

SUMÁRIO

  • Denominações, Definição e Objetivos

  • Posicionamento da Função Compras no ciclo da Administração de Materiais

  • Importância das Compras para os Negócios

  • Diferentes insumos para as operações

  • Abordagem Gerencial do Compras: Tradicional versus Atual

  • A Cadeia de Suprimentos

  • Interação Fornecedor - Organização

  • Ciclo de Compras

Denominações, Definição e Objetivos

  • Gestão de Compras

  • Gestão de Suprimentos

  • Gestão de Aquisições

  • Compras é a Função Organizacional encarregada de adquirir os insumos necessários aos processos (produtivos e de apoio) da Organização.

  • Por que ela é necessária ?

  • Porque nenhuma Organização produz (ou extrai da natureza) tudo o que precisa para realizar seu produto.

  • As Organizações também focam sua atividade fim, terceirizando ou comprando fora tudo o que for secundário.

Posicionamento da Função Compras no Ciclo da Administração de Materiais

Importância do Compras - 1

Importância do Compras - 2

Importância do Compras - 2

Importância do Compras - 3

  • Qual é o lucro?

  • Vendas Totais = 10.000.000

  • Materiais & Serviços comprados = 7.000.000

  • Salários = 2.000.000

  • Despesa fixa = 500.000

  • Lucro = ?

Importância do Compras - 3

Tipos de Recursos

Estrutura da Função / Departamento de Compras

Abordagem Tradicional versus Atual

A Cadeia de Suprimentos e o Relacionamento com Fornecedores

  • O que é Cadeia de Suprimentos?

  • Como pode ser a relação com os fornecedores?

A Cadeia de Suprimentos

Relacionamento com Fornecedores & Clientes

O processo de Compras

O Ciclo de Compras (considerando que o levantamento das necessidades vem de fora)

Fatores condicionantes da atividade de Comprar

  • Tipo de Organização: Pública ou Privada, Nac. ou Multinacional.

  • Setor de atuação: regulamentação forte (ANVISA) ou não.

  • Cultura da Organização: Burocrática ou Autônoma.

  • Porte: Micro, Pequeno, Médio ou Grande.

  • Nível de Informatização: Nenhum, Automatizado, B2B.

  • Nível de Integração Interna e da Cadeia de Suprimentos.

  • Tipo de recurso que está sendo adquirido: Serviço, Insumo ou Patrimonial.

  • Tipo de produto: controlado pelo governo ou não (bélico, drogas, radioativo etc.)

  • Freqüência de abastecimento: Esporádica ou “Contínua”.

  • Disponibilidade do “material”: Escasso ou Abundante – Regional, Nacional ou Internacional.

  • Poder dos Fornecedores: Fonte Única, Múltipla ou Simples.

  • Poder de negociação da Organização compradora.

  • Tempo disponível: Urgente ou Normal.

Contratos e Transferência de Propriedade

  • Há muitos aspectos a considerar durante o estabelecimento do contrato de compra / venda. Nosso foco é a transferência da propriedade.

  • Com a transferência de propriedade, transfere-se também os direitos e as obrigações.

  • Definir o momento e o local para essa transferência legal torna-se um aspecto fundamental dos contratos.

  • A preocupação aumenta se se tratar de comércio internacional, pelas diferenças de cultura, idioma, legislação etc.

  • Para dirimir dúvidas, foram estabelecidos os Termos do Comércio Internacional (INCOTERMS), aplicáveis também ao comércio dentro do Brasil. [Ver próximo slide]

Termos do Comércio Internacional - INCOTERMS (1990 – PARCIAL)

Novas formas de Comprar

  • EDI (Exchange Data Interchange),

  • Internet – B2B.

  • E-procurement (conjunto de soluções tecnológicas e serviços de consultoria, com o objetivo de melhorar os processos de compra. Até 2009, a metade das transações de compras será feita eletronicamente. Fonte: Datasul)

  • Cartões de Crédito (BNDES, Banco do Brasil, CEF).

Estratégias de Suprimentos

  • Fabricar ou Comprar?

  • Locação ou Arrendamento?

Integração Vertical

  • Grau e extensão de propriedade que uma empresa tem da cadeia de suprimentos da qual ela mesma faz parte.

  • No nível estratégico, implica decidir entre adquirir ou não outras empresas (fornecedoras e/ou clientes).

  • No nível tático / operacional, implica decidir se a empresa se estrutura para fabricar ou se compra um componente específico do seu produto.

  • A integração pode ser a montante (p/ trás – upstream) e a jusante (p/ frente – downstream); ampla (muitos elos desde o ponto original) ou estreita.

  • Caso clássico: Ford x Seringueiras no Amazonas.

  • Como a integração afeta a qualidade, rapidez, confiabilidade e flexibilidade?

Terceirização – Outsourcing

  • Alternativa à integração vertical, a Terceirização (ou outsourcing) consiste em adquirir no mercado os insumos (materiais e serviços) necessários à operação da empresa.

  • Em termos do que será adquirido, a decisão chave é:

  • Quais insumos serão adquiridos? Apenas os triviais ou os centrais também?

  • Em termos de quem fornecerá, as decisões chaves são:

  • Quantos fornecedores serão utilizados: single-sourcing ou multi-sourcing?

  • Como será o relacionamento com os fornecedores:

  • Mercado livre tradicional?

  • Operação virtual?

  • Parceria?

Single-sourcing X Multi-sourcing

  • Qualidade potencialmente melhor (SGQ)

  • Fortalecimento da relação quanto a comprometimento, comunicação, cooperação p/ DNP.

  • Economia de escala.

  • Confidencialidade.

Comprar ou Fabricar: fatores de decisão (parte 1)

  • Decidir comprar ou fabricar tem sido uma das maiores preocupações da empresa moderna. A análise deve englobar enfoques financeiros e estratégicos, porque nem sempre o menor preço é o fator fundamental para se optar por uma ou por outra.

  • Não há dúvida de que a principal corrente atual é a favor da aquisição de itens de terceiros (terceirização), de itens que eram fabricados internamente, mas para essa decisão a análise deve levar em consideração alguns fatores.

  • Valor estratégico da tecnologia de fabricação do item a ser comprado

  • A tecnologia de fabricação de um item é um ativo desenvolvido pela empresa e que proporciona uma diferenciação de seus produtos, ou seja, pertence ao seu core competence. Estrategicamente, essa tecnologia traria prejuízos à empresa caso fosse repassada para terceiros, porque os concorrentes teriam acesso a essa tecnologia e a sua vantagem competitiva de colocação de produtos no mercado ficaria reduzida.

  • Qualidade do produto

  • Qualidade assegurada no fornecimento é essencial para que o produto final tenha o desempenho desejado pela empresa compradora. Assim, o fornecedor deve comprovar que possui, pelo menos, a mesma competência para produzir o componente.

  • A terceirização baseia-se, principalmente, no fato de que fornecedores especializados têm competências adicionais de produção de itens específicos, o que leva a conseguir maior qualidade. Além disso, deve-se tomar cuidado com a possibilidade de o fornecedor poder incorporar aperfeiçoamentos e inovações às especificações dos componentes fabricados.

Comprar ou Fabricar: fatores de decisão (parte 2)

  • Confiabilidade no cumprimento de prazos

  • Uma das principais preocupações com fornecedores é o cumprimento sistemático dos prazos de entrega, principalmente em períodos de maior demanda. Atrasos de fornecimento podem comprometer a entrega do produto final, além de obrigar a empresa compradora a manter estoques adicionais para absorver as incertezas geradas por seus fornecedores. Ganhos no custo e na qualidade podem ser irrelevantes se os prazos não forem cumpridos.

  • Possibilidade de liberação de recursos produtivos

  • Repassar componentes para terceiros fabricarem libera recursos produtivos importantes para que a empresa possa utilizá-los em seu core competence. Assim, mão-de-obra, espaço no chão da fábrica, equipamentos e materiais que antes eram necessários para produzir componentes podem agora ser utilizados para aumentar sua capacidade produtiva, principalmente se utilizavam equipamentos-gargalo.

  • Indisponibilidade de recursos

  • Quando a capacidade de produção de determinado componente está esgotada ou há necessidade de novos investimentos para desenvolvimento de novos produtos que estão além dos recursos financeiros da empresa, o repasse da fabricação para terceiros é uma das saídas possíveis. Além disso, é preferível investir em recursos produtivos pertencentes ao core competence da empresa.

  • Novos produtos com volume de produção inicial baixo

  • Investimentos na produção de componentes para novos produtos que têm baixo volume inicial em geral são economicamente inviáveis. Em estágios iniciais, é preferível recorrer à terceirização até que o volume justifique novos investimentos.

Comprar ou Fabricar 500 mil unidades? (Exemplo 1)

Comprar ou Fabricar ? (Exemplo 2 - enunciado)

  • Uma empresa deseja verificar a possibilidade de terceirização de um componente de seu produto final. Para isso, levantou os dados da tab. 1.

  • O componente utiliza apenas equipamentos de usinagem que são gargalo para a fabricação de seu produto final. Foi realizada uma avaliação no sistema de qualidade do fornecedor e verificou-se que ele tem condições para cumprir as especificações desejadas.

  • Assim, a empresa pode alocar recursos que atualmente são utilizados para produzir o componente na fabricação de seu produto final, ou seja, cada hora liberada de equipamento, que deixou de produzir 50 componentes, pode ser utilizada para a montagem de dez produtos finais, em que se lucra R$ 14,00/peça. Note-se que a variação de velocidade de produção entre eles é: 10 produtos finais dividido por 50 componentes = 0,2

  • Então, o gerente industrial deve decidir se vale a pena ou não terceirizar o componente

Comprar ou Fabricar ? (Exemplo 2 – dados, cálculos e resposta)

Locar ou Arrendar ?

  • Ver texto

Ética em Compras

  • Ver texto

Compras no setor Público

  • Ver apostila do Professor André

LICITAÇÃO

  • O que é?

  • Processo formal regido por legislação pelo qual as empresas públicas adquirem bens materiais e serviços.

LICITAÇÃO: Legislação Geral

  • No nível geral, tem-se:

  • Lei 8.666/93, que regulamenta o inciso XXI do Art. 37 da Constituição Federal e que estabelece normas gerais sobre licitações e contratos administrativos pertinentes a obras, serviços, compras, alienações e locações, dos governos dos três níveis da federação. Todas estas operações - ressalvadas algumas hipóteses previstas na própria lei - têm de ser precedidas de licitação.

LICITAÇÃO: Legislação Local

  • O nível local diz respeito à legislação própria dos estados, distrito federal e municípios, mas sem entrar em contradição com as leis de maior nível.

Princípios da Licitação

Princípios da Licitação

Modalidades de Licitação

Como escolher a modalidade da licitação?

Exceções

  • Dispensa

  • Licitação dispensada (art. 17 da Lei 8.666/93) = a própria lei a declarou como tal.

  • Licitação dispensável (art. 24 da Lei 8.666/93) = lista fechada de várias situações em que a licitação, embora possível, não é obrigatória:

  • Emergência ou calamidade pública.

  • Aquisição de hortifrutigranjeiros, pão e outros gêneros perecíveis.

  • Na contratação de instituição brasileira incumbida regimental e estatutariamente da pesquisa, do ensino ou do desenvolvimento institucional, ou de instituição dedicada à recuperação social do preso, desde que a contratada detenha inquestionável reputação ético-profissional e não tenha fins lucrativos.

  • Aquisição de componentes ou peças necessárias à manutenção de equipamentos, durante o período de garantia.

Tipos de Licitação  Critério de Julgamento

Abordagem da NBR/ISO 9001:2000

  • Requisito 7.4

  • Ver texto

NBR/ISO 9001:2000

  • 7.4 Aquisição

  • 7.4.1 Processo de aquisição

  • A organização deve assegurar que o produto adquirido está conforme com os requisitos especificados de aquisição. O tipo e extensão do controle aplicado ao fornecedor e ao produto adquirido devem depender do efeito do produto adquirido na realização subseqüente do produto ou no produto final.

  • A organização deve avaliar e selecionar fornecedores com base na sua capacidade em fornecer produtos de acordo com os requisitos da organização. Critérios para seleção, avaliação e re-avaliação devem ser estabelecidos. Devem ser mantidos registros dos resultados das avaliações e de quaisquer ações necessárias, oriundas da avaliação (ver 4.2.4).

NBR/ISO 9001:2000

  • 7.4.2 Informações de aquisição

  • As informações de aquisição devem descrever o produto a ser adquirido e incluir, onde apropriado, requisitos para:

  • a) aprovação de produto, procedimentos, processos e equipamento;

  • b) qualificação de pessoal, e;

  • c) sistema de gestão da qualidade.

  • A organização deve assegurar a adequação dos requisitos de aquisição especificados antes da sua comunicação ao fornecedor.

NBR/ISO 9001:2000

  • 7.4.3 Verificação do produto adquirido

  • A organização deve estabelecer e implementar inspeção ou outras atividades necessárias para assegurar que o produto adquirido atende aos requisitos de aquisição especificados.

  • Quando a organização ou seu cliente pretender executar a verificação nas instalações do fornecedor, a organização deve declarar, nas informações de aquisição, as providências de verificação pretendidas e o método de liberação de produto.

Exercícios

CASA DA MOEDA – ANALISTA DE NÍVEL SUPERIOR / SUPRIMENTOS – Setembro / 2006.

  • 14) O gerenciamento das compras na modalidade de compras centralizadas tem, entre outras, as características abaixo, à EXCEÇÃO de uma. Indique-a.

  • (A) Maior poder de negociação junto aos fornecedores.

  • (B) Maior controle global.

  • (C) Maior autonomia funcional das unidades regionais.

  • (D) Redução do número de compradores em relação à modalidade de compras descentralizadas.

  • (E) Redução das disparidades de preços das compras de um mesmo produto, se realizadas por diversos compradores regionais.

CASA DA MOEDA – ANALISTA DE NÍVEL SUPERIOR / SUPRIMENTOS – Setembro / 2006.

  • 17) Uma das vantagens da parceria entre fornecedores e empresas é:

  • (A) ter um maior número de entregas de seus itens de estoques.

  • (B) negociar contratos globais de fornecimento com garantia de qualidade.

  • (C) centralizar os controles de recebimento dos materiais.

  • (D) reduzir as entregas dos materiais aos depósitos das fábricas.

  • (E) aumentar o controle de qualidade através de freqüentes inspeções nas fábricas dos fornecedores.

CASA DA MOEDA – ANALISTA DE NÍVEL SUPERIOR / SUPRIMENTOS – Setembro / 2006.

  • 24) A modalidade de contrato de fornecimento FOB destaca-se por:

  • (A) ser responsabilidade da empresa compradora o transporte do produto até o seu destino final.

  • (B) ser obrigação contratual do comprador o pagamento da mercadoria fornecida no ato do seu recebimento no depósito do comprador.

  • (C) facilitar o fornecedor na escolha do modal de transporte a ser utilizado na transferência da mercadoria.

  • (D) incluir no custo do produto o custo do transporte do depósito do fornecedor até o depósito do comprador.

  • (E) obrigar os fornecedores a entregar os produtos adquiridos nos depósitos da empresa compradora.

PETROBRÁS – ADM. PLENO – Maio / 2006

  • 45) Uma empresa produtora de equipamentos eletrônicos decidiu adquirir os componentes de determinado fornecedor, que serão transportados por navio. Depois de analisar os diversos tipos de contrato que podem ser firmados entre o comprador e o fornecedor, os representantes de ambas as empresas firmaram um contrato do tipo ex-works. Sendo assim, pode-se salientar que a empresa:

  • (A) fornecedora paga e providencia o carregamento dos itens no navio e, a partir daí, a responsabilidade é da empresa compradora.

  • (B) fornecedora assume total responsabilidade pelos itens até que eles sejam entregues e aceitos pelo comprador.

  • (C) fornecedora paga e providencia até o descarregamento dos itens do navio e, a partir daí, a responsabilidade é da empresa compradora.

  • (D) compradora é responsável pelo transporte de itens a partir de determinado ponto acordado com a fornecedora, e, até este ponto, o transporte dos itens é de responsabilidade da empresa fornecedora.

  • (E) compradora aceita total responsabilidade por providenciar transporte a partir da base do fornecedor.

Atividade Prática

  • Identifique quais são e planeje (desenhe) os formulários utilizados pelo setor de Compras de uma empresa particular que não disponha de recursos de informática para automatizar o processo.

  • De quais informações você precisaria para poder comprar ...

  • Tijolos para a construção de um prédio?

  • Canetas para os alunos de uma das turmas de MBA da FGV?

  • Serviços de Manutenção de Ar Condicionado de um Hospital?

  • Utilize a Internet para localizar e pré-selecionar os fornecedores do item “c”.

  • Pergunte a eles quais informações são necessárias para preparar uma cotação.

Bibliografia e outras fontes de consulta

  • BARBIERI e MACHLINE. Logística hospitalar: teoria e prática. Editora Saraiva.

  • CHIAVENATO, Idalberto. Administração de materiais: uma abordagem introdutória. CAP. 6. Editora Campus.

  • MARTINS, Petrônio G. Administração de Materiais e Recursos Patrimoniais – 2ª Ed. São Paulo: Saraiva, 2006.

  • SLACK. Administração da Produção. CAP. 13. Editora Atlas.

  • GURGEL. Administração de materiais e do patrimônio. Editora Thomson Pioneira.

  • Web site da Coppead-CEL / Artigos.

Comentários