O Riso e o Risível

O Riso e o Risível

(Parte 1 de 128)

O Riso e o Risível na história do pensamento

Verena Alberti

---

Nota: na edição impressa desta obra, a numeração das páginas encontra-se na parte superior das folhas.

---

Orelha esquerda:

O riso sempre foi enigma na história do pensamento ocidental;

Tentar descobrir sua essência e a qualidade daquilo que faz rir fascina os mais variados pensadores. Durante muito tempo, o riso foi a marca que distinguia o homem tanto dos animais quanto de Deus, o que teve implicações éticas importantes: ora o condenavam por nos afastar da verdade e do sério característicos da superioridade divina, ora o

toleravam seguindo certas regras que visavam nos afastar da inferioridade animal. A partir do século XIX, porém, a verdade e o sério não mais bastavam para explicar o mundo, e o riso passou a ocupar um lugar de destaque na filosofia.

Este livro é uma história das teorias do riso desde a

Antigüidade até os dias atuais, história na qual se mantém constante a

tensão entre o riso e o pensamento. Percorrendo suas páginas, veremos de que forma autores como Platão, Aristóteles, Cícero, Quintiliano, Hobbes, Kant, Schopenhauer, Spencer, Darwin, Bergson, Freud, Nietzsche, Bataille e muitos outros caracterizaram o riso e o que faz rir.

O estudo das teorias do riso desde a Antigüidade nos mostra não só a recorrência de um julgamento ético no tratamento da questão, mas também outras preocupações freqüentes na definição do "próprio homem".

Durante algum tempo, por exemplo, foi importante saber o lugar físico do riso - onde se instalava, no corpo humano, essa diferença em relação aos animais.

---

Orelha direita:

Outro conjunto de teorias revela que, em determinado período, o pensamento sobre o riso tinha relação direta com o pensamento sobre a organização política e social do homem. Já em outros textos, tentar

definir o risível era fornecer um elenco de recursos úteis para a

produção do cômico.

Em todos os casos, Verena Alberti examinou os textos em sua

versão integral, o que lhe permitiu recuperar questões e tradições

teóricas ao longo da história do pensamento sobre o riso e

desmistificar algumas das concepções correntes sobre essa história.

Verena Alberti, nascida em 1960, é formada em história pela

Universidade Federal Fluminense, mestre em antropologia social pelo

Museu Nacional da Universidade Federal do Rio de Janeiro e doutora em

teoria da literatura pela Universidade de Siegen, Alemanha.

Pesquisadora do Centro de Pesquisa e Documentação de História

Contemporânea do Brasil (CPDOC) da Fundação Getúlio Vargas, é autora de História Oral: a experiência do CPDOC (1990) e de artigos nas áreas de história, história oral, antropologia e teoria da literatura.

---

Contra-capa:

O riso e o risível

Este livro é uma história das teorias do riso desde a Antigüidade até os dias atuais, história na qual se mantém constante atenção entre o riso e o pensamento. Em suas páginas, a historiadora Verena Alberti mostra de que forma pensadores como Platão, Aristóteles, Cícero, Quintiliano, Hobbes, Kant, Schopenhauer, Spencer, Darwin, Bergson, Freud, Nietzsche, Bataille e muitos outros caracterizaram o riso e o que faz rir.

---

O Riso e o Risível

na história do pensamento

Verena Alberti

Coleção

ANTROPOLOGIA SOCIAL

diretor: Gilberto Velho

.O RIso E O RISÍVEL

Verena Alberti

- MOVIMENTO PUNK NA CIDADE

Janice Caiafa

- ESPÍRITO MILITAR

- Os MILITARES E A REPÚBLiCA

Celso Castro

- VELHOS MILITANTES

Ângela Castro Gomes,

Dora Flaksman,

Eduardo Stotz

- DA VIDA NERVOSA

Luiz Fernando Duarte

- GAROTAS DE PROGRAMA

Maria Dulce Gaspar

- NOVA Luz SOBRE

A ANTROPOLOGIA

Clifford Geertz

- COTIDIANO DA POLÍTICA

Karina Kuschnir

- CULTURA: UM CONCEITO

ANTROPOLÓGICO

Roque de Barros Laraia

-AUTORIDADE & AFETO

Myriam Lins de Barros

-GUERRA DE ORIxÁ

Yvonni Maggie

- ILHAS DE HISTÓRIA

Marshall Sahlins

- Os MANDARINS MILAGROSOS

(Parte 1 de 128)

Comentários