(Parte 1 de 2)

FERRAMENTAS DA QUALIDADE

As empresas cada vez mais necessitam certificar através de política e

ações. Fazer qualidade é procurar a satisfação dos clientes em primeiro

lugar. A verificação deste princípio fez com que muitas empresas de

sucesso dominassem o mercado de produto e serviço nos últimos anos. As

ferramentas analisadas a seguir são as mais utilizadas no TQC, mas não são

as únicas. Essas ferramentas são usadas por todos em uma organização e

são extremamente úteis no estudo associado às etapas ao fazer rodar o

ciclo. Segundo Yoshinaga, "As ferramentas sempre devem ser

encaradas como um MEIO para atingir as METAS ou objetivos". Meios

são as ferramentas que podem ser usadas para identificar e melhorar a

qualidade, enquanto a meta é onde queremos chegar (fim).

A qualidade não pode estar separada das ferramentas básicas usadas

no controle, melhoria e planejamento da qualidade, visto estas fornecerem

dados que ajudam a compreender a razão dos problemas e determinam

soluções para eliminá-los.

O objetivos deste trabalho é demonstrar a aplicação de cada uma das

ferramentas, os pré-requisitos para a construção e como fazer a relação

entre cada uma.

• As dez ferramentas da qualidade estudadas neste trabalho são:

  • Brainstorning

  • PDCA

  • Fluxograma

  • Folha de Verificação

  • Estratificação

  • Gráfico de Pareto

  • Ishikawa

  • Histograma

  • CPE

  • Masp

1. BRAINSTORMING

1.1 O que é

Brainstorming é uma ferramenta para geração de novas idéias, conceitos e soluções para qualquer

assunto ou tópico num ambiente livre de críticas e de restrições à imaginação.

1.2 Quando usar

O Brainstorming é útil quando de deseja gerar em curto prazo uma grande quantidade de idéias

sobre um assunto a ser resolvido, possíveis causas de um problema, abordagens a serem usadas,

ou ações a serem tomadas.

Estilo

Geração livre de idéias, num espaço de tempo entre 30 e 60 minutos. Pode durar mais ou menos,

dependendo da complexidade do assunto e da motivação da equipe. Usualmente, é um trabalho

em equipe, mas pode também ser individual. As equipes variam entre 4 e 8 pessoas.

1.4 Como usar

1.4.1Prepare o grupo

Dedique o tempo suficiente para esclarecer os propósitos da sessão de Brainstorming e as cinco

regras que devem ser seguidas:

1. Suspensão do julgamento: estão proibidos os debates e as críticas às idéias apresentadas,

pois causam inibições e desvios dos objetivos.

2. Quantidade é importante: quanto mais, melhor.

3. Liberdade total: nenhuma idéia é suficientemente esdrúxula para ser desprezada. Pode ser

que ela sirva de ponte para idéias originais e inovadoras.

4. Mudar e combinar: em qualquer momento, é permitido que alguém apresente uma idéia

que seja uma modificação ou combinação de idéias já apresentadas por outras pessoas do

grupo. Contudo, as idéias originais devem ser mantidas.

5. Igualdade de oportunidade: assegure-se de que todos tenham a chance de apresentar

suas idéias.

Defina o problema

A clara definição do problema é um dos pontos mais importantes e, freqüentemente, um dos mais

negligenciados. Descreva o problema ou assunto para o qual estão procurando idéias e assegure

que todos o tenham compreendido. Evite que o grupo tome caminhos errados. Uma boa medida é

escrever a definição muma folha de flipchart e colocá-la na parede.

Geração de idéias

Nesta etapa as idéias são criadas e anotadas. Siga os seguintes passos:

1. Estabeleça o tempo máximo de duração da sessão de geração de idéias. Designe alguém

para controlar o tempo.

2. Comunique o tópico a ser analisado na forma de uma pergunta. Assegure-se de que todos

o entendam.

3. Conceda alguns minutos para que todos pensem sobre a pergunta e peça que eles

apresentem suas idéias. Defina se as idéias serão solicitadas de forma estruturada ou não

estruturada:

 Estruturada: o facilitador define uma rotação de maneira que cada pessoa contribua

com uma idéia em cada turno. Se a pessoa não tem uma idéia, passa a vez.

 Não estruturada: as pessoas apresentam suas idéias à medida que vão surgindo.

Este método requer que o facilitador monitore de perto o processo para assegurar

que as regras sejam seguidas e que todas as pessoas tenham a chance de

participar.

4. Anote as idéias numa folha de flipchart e disponha-as de forma que todos possam vê-las.

Isto evita duplicidades, mal entendidos e ajuda a estimular o pensamento criativo no

grupo.

(Parte 1 de 2)

Comentários