Modelo Plano de Negocio

Modelo Plano de Negocio

(Parte 1 de 3)

Clever business

2 S U M Á R I O

1. Sumário Executivo3
2. O Conceito do Negócio (Missão e Visão)4
2.1. O negócio Cleverbusiness.com.br4
2.2. O produto6
3. Equipe de Gestão8
4. Análise Estratégica (Mercado e Competidores)8
4.1. Análise Setorial8
4.2. Mercado-alvo10
4.3. Projeção de Vendas e Market Share1
4.4. Necessidades do Cliente12
4.5. Benefícios do Cleverbusiness13
4.6. Competidores14
4.7. Vantagem Competitiva15
5. Marketing e Vendas15
5.1. Produto15
5.2. Preço17
5.3. Praça (Distribuição)17
5.4. Promoção: foco nos fornecedores e consumidores17
5.5. Estratégia de Vendas19
5.6. Parceiras Estratégicas2
6. Estrutura e Operação2
6.1. Organograma Funcional2
6.2. Política de R ecursos Humanos23
6.3. Processos de Negócio23
6.4. Fornecedores de Serviços24
6.5. Tecnologia24
6.6. Estratégia de Crescimento25
6.7. Cronograma de Ações26
7. Planejamento Financeiro (Previsão dos Resultados)27
7.1. Evolução dos Resultados Econômicos (em milhões de reais)28
7.2. Composição dos Principais Gastos (em milhões de reais)29
7.4. Investimentos (em R$ mil)31
7.5. Indicadores de Rentabilidade31
7.6. Necessidades de Aporte e Contrapartida31

Página 7.3. Evolução dos Resultados Financeiros (em milhões de reais) 29 7.7. Cenários Alternativos 32

3 1. SUMARIO EXECUTIVO

Missão/Visão do Negócio

O site w.Cleverbusiness.com.br surgiu da oportunidade identificada em se atuar como intermediário no processo de comercialização de produtos e/ou serviços de pequenas e médias empresas por meio da Internet. O site visa a facilitar a aproximação entre fornecedores e compradores através da forma mais simples possível, via e-mail, proporcionando a qualquer empresa que tenha este recurso efetuar o comércio eletrônico. O modelo de negócios conhecido como Leilão Reverso, é dirigido pela demanda e não pela oferta, diferentemente dos sites convencionais de comércio eletrônico. Os clientes do Cleverbusiness são classificados em: fornecedores — que se cadastram no site, mediante o pagamento de uma taxa mensal — e consumidores —usuários que utilizarão o site à procura de produtos e/ou serviços oferecidos pelos fornecedores das várias categorias do site.

Equipe de Gestão

A equipe de gestão do Cleverbusiness é um dos pontos fortes do negócio, sendo composta por quatro profissionais que possuem sólida experiência em negócios de varejo e tecnologia, atuando há mais de três anos em vendas de produtos via Internet para pequenas e médias empresas brasileiras, possuindo ótima formação e, sobretudo, motivação para enfrentar e superar os desafios de administrar, gerar resultados positivos e conquistar uma participação de mercado expressiva para o empreendimento.

Mercado e Competidores

O segmento de B2C da América Latina é altamente promissor e apresenta intenso crescimento, com potencial para alcançar US$1,7 bilhão em 2010, estando aberto a negócios inovadores que promovam o encontro entre consumidores e fornecedores de produtos e/ou serviços, experimentando um crescimento anual médio de 95%. O mercado brasileiro corresponde à aproximadamente 50% do mercado da América Latina. Cerca de 20% da população brasileira são responsáveis por 65% dos gastos totais, significando que mesmo com uma penetração próxima dos 4%, o país já atingiu um patamar de consumo considerável na Internet. As pequenas e médias empresas no Brasil ainda estão em fase de absorção da cultura da Internet e não estão prontas para dar grandes saltos na rede. A carência de produtos simples e eficazes inibe a participação destas empresas no comércio eletrônico. A proposta do Cleverbusiness procura justamente ocupar esse espaço e oferecer uma alternativa para a inserção desse público-alvo no comércio eletrônico.

Marketing e Vendas

A estratégia de marketing do Cleverbusiness visa a ganhar mercado de forma rápida, focando primeiramente o estado de Maranhão e gradativamente os demais estados brasileiros. Os principais fundamentos de marketing foram considerados em um plano que têm a intenção de atingir tanto consumidores quanto fornecedores que se associarão ao site. As estimativas da carteira de fornecedores indicam um crescimento médio de 36% ao ano, passando dos 18.0, no primeiro ano, para mais de 60.0 no quinto ano de operação.

Estrutura e Operação

A empresa possui uma estrutura funcional enxuta, com estilo de gestão moderno e ágil, previsão de participação de funcionários nos resultados, e outros incentivos que atraem os melhores profissionais do mercado.

Previsões dos Resultados Financeiros e Investimentos

A implantação do site, dentro dos planos e condições preestabelecidos, resultará num empreendimento de alta rentabilidade e em retorno aos acionistas, quando se comparam as diversas oportunidades financeiras existentes no mercado. A operação, quando adotada apenas no Brasil, resultará num valor presente do Lucro Líquido, descontado à taxa de IGPM + 13% ao ano, equivalente a R$6,6 milhões e uma taxa interna de retorno de 86% ao ano. O investimento previsto para implantação desse plano de negócios, considerando-se apenas o mercado brasileiro, é de R$1 milhão. Para tal investimento a empresa disponibiliza 150/ô de suas ações.

2. O CONCEITO DO NEGÓCIO (Missão e Visão) 2.1. O Negócio Cleverbusiness.com.br

A crescente explosão da Internet no mundo e, mais recentemente, na

América Latina, tem proporcionado oportunidades jamais vistas para negócios inovadores. O comércio eletrônico é o grande foco da maioria das empresas que ingressam nesse meio e, em particular, destacam-se aquelas focadas em B2B (business-to-business) e B2C (business-to-consumer). O Cleverbusiness é uma nova forma de fazer comércio eletrônico B2C.

A missão do Cleverbusiness é a de fazer fornecedores e consumidores se comunicarem por e-mail, proporcionando condições necessárias para a concretização de negócios por intermédio da Internet. O modelo de negócios é dirigido pela demanda e não pela oferta, diferentemente dos sites de comércio eletrônico convencional.

Os clientes do Cleverbusiness podem ser classificados em: fornecedores que se cadastram no site mediante o pagamento de parcela fixa mensal e consumidores — que acessarão o site à procura de produtos e/ou serviços, oferecidos por fornecedores credenciados previamente organizados nas diversas categorias do site. Os consumidores não pagam para utilizar os serviços do Cleverbusiness. Assim, as receitas geradas são provenientes de mensalidades cobradas dos fornecedores cadastrados, bem como da comercialização de banners no site e publicidade contida nos e-mails enviados aos usuários.

O diferencial do Cleverbusiness é o seu modelo de negócios, que se baseia na troca de e-mails entre consumidores e fornecedores, e que é o meio de comunicação mais utilizado pelos usuários de lnternet. Recentes projeções indicam que a quantidade de e-mail deverá ultrapassar o número de telefones em três anos, tornando-se, cada vez mais, uma ferramenta indispensável na comunicação entre pessoas. Como toda comunicação entre consumidores e fornecedores é intermediada pelo Cleverbusiness por meio de e-mail, esta pode ser considerada uma vantagem competitiva em relação aos demais negócios de comércio eletrônico (e-commerce) B2C.

Quadro 1. Crescimento do uso de e-mail

Fazem pesquisa

Buscam informações definidas Trocam mensagens eletrônicas (e-mail)

Fazem navegação aleatória Fazem transações bancárias

Visitam sites preferidas Fazem “chat”

Vendem e compram na Net

% Vendas por Canal

Telemarketing E-mail direto Cadastramento através do siteVendas pessoais

Usuários de e-mails, em milhões e-mails nos EUA e-mails fora do EUA

O número de e-mails no mundo aumento 83% no ano em 1999, atingindo 569 milhões no final do ano

Existem 3 milhões de e-mails nos EUA e 236 milhões no restante do mundo

40% dos americanos usam e-mails

Fora dos EA, o uso de e-mail está na fase inicial, mesmo considerando o crescimento de mais de 100% em 1999

Fonte: Nazca Saatch & Satch/AT Keaney, Messaging Online.

Uso que brasileiros fazem da Internet, em %

O processo de comunicação do Cleverbusiness é simples e preserva a privacidade do usuário consumidor até que este demonstre interesse em contatar o(s) melhor(es) fornecedor(es), selecionado pelo próprio consumidor, para atender sua requisição. Este processo consiste basicamente em:

1. O consumidor interessado em um produto e/ou serviço preenche um formulário com seu endereço de e-mail, as características do produto, faixa de preço que está disposto a pagar e o prazo para receber as propostas.

2. O Cleverbusiness encaminha os pedidos, via e-mail, aos fornecedores cadastrados naquela categoria em questão, sem identificar o consumidor.

3. Os fornecedores encaminham suas propostas respondendo aos e-mails recebidos.

4. Cleverbusiness remete as propostas ao consumidor.

5. Havendo interesse por parte do consumidor, o Cleverbusiness disponibiliza as informações necessárias para que o mesmo se comunique com o(s) fornecedor(es), a fim de que o negócio seja concretizado.

2.2. O Produto

A principal preocupação foi a obtenção de um produto de fácil compreensão e utilização, tanto pelos consumidores quanto pelos fornecedores, com especial atenção aos aspectos velocidade de acesso e o mínimo de passos possível, visando à economia de tempo. Nesse sentido, o layout do site atende a essas especificações de requisitos. Existe uma explicação clara do funcionamento do produto e de sua gratuidade para os usuários consumidores, que se localiza em destaque na parte superior do site. Outro destaque é a seção de busca por palavrachave, que proporciona ao usuário encontrar mais rapidamente o produto e/ou serviço desejado e a categoria em que o mesmo se enquadra.

O site contém quatro seções: uma destinada à elaboração de pedidos de consumidores; uma para o cadastro de fornecedores; outra para ajuda de consumidores e fornecedores; e ainda uma outra contendo informações úteis e ofertas do site. Todas elas podem ser acessadas pelo menu lateral ou pelo menu localizado na parte inferior do site.

Seção de Pedidos: Encontra-se na página inicial do site e apresenta todas as categorias e subcategorias de produtos e/ou serviços existentes. Essas categorias foram definidas por meio de uma profunda pesquisa referente aos principais produtos e serviços comprados via Internet no Brasil. São mais de duzentas subcategorias agrupadas em diversas categorias:

O usuário encontrará determinado produto e/ou serviço rapidamente, bastando selecionar com o mouse a categoria desejada. O pedido é feito pelo usuário em um formulário padrão com os seguintes campos: endereço do e-mail para contato, descrição do produto e/ou serviço, faixa de preço desejado e prazo para receber as propostas dos fornecedores.

Artes, casa e cia. Informática Artigos esportivos Instrumentos musicais Automóveis e motocicletas Livros e revistas Brinquedos Papelaria e material de escritório CDs e discos Relógios, jóias e bijuterias Corretora e administradora de seguros Saúde e beleza Cursos Vestuário Eletroeletrônicos Viagens e turismo Flores e presentes

Seção de Fornecedores: O destaque especial é a área administrativa existente, a qual poderá ser acessada através de uma senha previamente cadastrada pelo fornecedor, que permite acesso a várias estatísticas úteis referentes à participação do fornecedor no site, tais como: número de pedidos recebidos por categoria em determinado período; pedidos pendentes; classificação em relação aos demais fornecedores da mesma categoria; sazonalidade dos pedidos; índice de produtividade em termos de respostas; e, ainda, o fornecedor poderá alterar dados a qualquer momento, responder a pedidos diretamente no site, cadastrar-se em outras categorias ou subcategorias, entre outras ações.

Seção de Ajuda: A seção ajuda contém uma relação completa de perguntas mais freqüentes, visando a sanar dúvidas de usuários e de fornecedores. Existem dicas de pesquisa, informações sobre como se cadastrar no site, informações detalhadas de funcionamento do Cleverbusiness, e-mails para esclarecimento de dúvidas, contato, parcerias, sugestões e críticas, oferecendo assim um suporte adequado aos clientes Cleverbusiness.

Seção de Informações: E destinada a temas como termos do serviço, política de privacidade, informações sobre a empresa responsável pelo Cleverbusiness, e para comunicar novas funcionalidades do site, ou mesmo dar dicas sobre ofertas etc.

Houve a preocupação de se desenvolver uma área completa de administração do site, totalmente automatizada e acessível via Web pela equipe administrativa do Cleverbusiness. Essa área é controlada com senhas e permite acesso total ou restrito a usuários cadastrados pelo administrador, provendo suporte às decisões das várias áreas da empresa, como o departamento de Marketing e

Financeiro. Como exemplo, banners de publicidade podem ser cadastrados e inseridos no site por uma agência terceirizada, com acesso apenas a essa área do site. Todas as ações de fornecedores e usuários são monitoradas e registradas na área administrativa, que possui estatísticas e filtros ainda mais sofisticados que os disponíveis aos fornecedores cadastrados.

3. EQUIPE DE GESTÃO

A equipe de gestão do Cleverbusiness é eclética, com experiência e formação de alto nível, bem como possuidora de grande conhecimento do ramo de negócios de Internet. Possui ainda larga experiência em vendas de produtos Internet para pequenas e médias empresas brasileiras, sendo composta pelos quatro sócios fundadores da empresa, cujos curriculuns estão em anexo a esse Plano de Negócio.

4. ANÁLISE ESTRATÉGICA (Mercado e Competidores)

4.1 Análise Setorial

A indústria da Internet está determinando a performance do mercado de ações, dos investimentos em novos empreendimentos e a forma como as empresas fazem negócios no Brasil. Os fatores que mais influenciam o crescimento do número de usuários na Internet são: a redução significativa dos custos de acesso a equipamentos de informática, o acesso grátis à Internet e a economia relativamente estável.

É importante destacar o forte crescimento da base de usuários de

Internet no país que, a uma taxa média anual de 27%, deverá atingir a casa dos 9 milhões em três anos. Cerca de 20% da população brasileira é responsável por 65% dos gastos totais, significando que, mesmo com uma penetração de Internet próxima dos 4%, o país já atingiu um patamar de consumo considerável na Internet. Este fato reforça ainda mais o potencial de B2C no Brasil, onde o comércio eletrônico (e-commerce) deverá saltar dos US$71 milhões, atuais, para cerca de US$800 milhões, em 2010.

Quadro 2. Crescimento do e-commerce no Brasil e usuários de Internet

Discriminação 2006 2007 2008 2009 2010

INDICADORES MACROECONÔMICOS População (Milhões) Produto Interno Bruto (US$ Bil.) PIB per Capita (US$)

COMPUTADORES E INTERNET (milhões) Computadores Penetração Usuários de Internet

PUBLICIDADE (milhões) Mercado Global (US$) Mercado Online (US$) Participação

E-COMMERCE (mil.) Mercado total (US$ 0) Crescimento

TELEFONES (milhões) Total de linhas Penetração

Comparando-se com outros mercados internacionais, a América Latina, e em particular o Brasil, será o mercado em que a Internet crescerá mais rapidamente nos próximos anos. O acesso grátis transpôs algumas barreiras de acesso, gerando mais oportunidades para os negócios relacionados direta ou indiretamente com a rede. Também a forte campanha dos portais horizontais vem estimulando ainda mais o aumento do número de usuários que compram, impulsionando o valor médio das compras.

4.2. Mercado-alvo

O público-alvo do site Cleverbusiness é o consumidor que sabe o que quer comprar, mas que não tem tempo para efetuar pesquisas na Internet ou em outros meios. Os executivos e os empresários inserem-se nesse nicho, dentre a grande parcela dos brasileiros que utilizam a Internet e efetuam compras por meio da Web.

Perfil do usuário de lnternet 84% das classes A e B

Crescimento Médio 2006 – 2010

Residencial 28% a Empresarial 34% a Educação/Governo 19% a.a.

Total 27% a.a.

AL Brasil

18% empresários ou executivos 78% utilizam e-mail 61% buscam informações definidas 38% fazem pesquisa na lntemet 25% fazem compras na lntemet 75% têm interesse em fazer compras, sabem o que querem comprar, não querem gastar seu tempo procurando, buscam mais de uma alternativa de fornecedor

(Parte 1 de 3)

Comentários