trabalho sobre Balbina e Martinelli

trabalho sobre Balbina e Martinelli

Estudo Dirigido

Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro.

Departamento de Serviço Social

Disciplina: SER 1153 - Historia do Serviço Social I

Professora: Ebe Campinha dos Santos

Aluno: Caio Henrique Farias da Silva

Periodo: 2011.1

Com base nos textos de Vieira e Martinelli e nos debates em sala de aula, compare e fundamente, apresentando suas reflexões em relação as teses destas autoras sobre o surgimento do serviço social, identificando nelas a pespectiva que representam, os fatores que determinaram o aparecimento da profissão e os principais protagonistas.

Temos diferentes análises sobre este tema descitas pelas duas autoras já que Vieira tem no recrutamento, feito por São Vicente de Paula e Luísa de Marillac, de moças para a formaçao para a dedicaçao ao "Serviço dos Pobres" as chamadas "Filhas de Caridade" e tambem as "Damas de Caridade" a primeira tentativa de profissionalizaçao da caridade, ja com ideais muito semelhantes aos de Juan Luis Vives. Ela destaca tambem como primeira tentativa de organizaçao do serviço social o caso de Nuremberg,em 1788, que tem na criaçao de um Bureau Central que dividia a cidade em distritos e designando para cada, um supervisor,ajudado por varios voluntarios que nao tinham apenas a intensao de visitar mas sim de tambem estudar as causas da pobreza, uma experiencia real de exercicio do serviço social.

Ao contrario de Vieira Martinelli tem nas "Sociedades de Organização da Caridade" a primeira tentativa realmente profissional de organizaçao da caridade que apesar de ter sido criada da associaçao de igreja e burguesia tinha realmente um carater mais profissional.

Pode-se destacar a importancia que as autoras dão a igreja é diferente entre as 2 ja que Vieira a usa destacando como um habito formado desde o inicio da era da cristandade sendo tratado como uma virtude divina e incentivado pela igreja enquanto Martinelli só da destaque a igreja apartir de Santo Tomás de Aquino que é colocado por ela como grande organizador da doutrina cristã.

Outro ponto divergente é diferença de abordagem histórica, ja que Vieira trata de forma neutra e Martinelli tem uma visao, mais critica e direta analizando ate mesmo duramente os reais e verdadeiros motivos da criaçao do serviço social como vemos no trecho "A visita domiciliar era a pratica mais usual, situando-se como um instrumento que permitia atingir um duplo objetivo: conhecer in loco as condiçoes de moradia e de saúde da classe trabalhadora e da socializar o "modo capítalista de pensar"." Como podemos ver os agentes eram usados para difundir os ideais de interesse da classe dominante.

De acordo com Martinelli, o serviço social surge com "a identidade atribuída pelo capitalismo realizando uma prática por ele determinada...". Com base na leitura realizada construa um texto explicando e exemplificando o que a autora quis dizer com esta afirmação.

O interesse da burguesia em melhor tratar a Questao Social que estava em crescente modificação com os novos panoramas que estavam em destaque no final do seculo XIX "Ao longo do século XIX os trabalhadores europeus haviam transitado da pratica sindical, stricto sensu, para a pratica politica, desenvolvendo, nesse caminhar, importantes estrategias de luta. O proprio Estado burgues, capitulando diante de evidencias, passara a conciderar mais atentamente as pautas de reivindicaçoes dos trabalhadores, rendendo-se, inclusive, à realizaçao de açoes coletivas. A pressao dos trabalhadores era encarada com mais seriedade, sendo ponderavel sua influencia sobrea organizaçao do processo de trabalho. o lastro construido atravesda pratica sindical e a militancia organica em suas associaçoes e partidos haviam mudado a face do movimento trabalhista europeu."

Alem disso com a utilizaçao do serviço social pela burguesia que passou a ser vista como menos cruel, ja que apartir desse momento foram vistos por alguns ate mesmo como bons samaritanos ou pelomenos como bons chefes. Um grande erro que nao foi feito pela maioria que continuou lutando contra os abusos da da burguesia.

Isso começou a mudar durante a fase profissionalizaçao do serviço social que se iniciou no final do seculo XIX com a criaçao de novas escolas que tornaram os metodos melhor embasados e difundidos. Com a diminuiçao da dependencia ostas a profissao passou a ter um carater ate mesmo mais comprometido com o a classe trabalhadora mas mesmo assim o poder financeiro da burguesia ainda era algo muito relevante a realizaçao de pesquisas e tambem a propria assistencia social.

Analise e compare, com base em Martinelli, as propostas de atuação dos assistentes sociais da Sociedade de Organização da Caridade americana e europeia, apontando as diferenças e os aspectos em comum.

Atravéz da criação da primeira Sociedade de Organização da Caridade em 1869, em Londres apartir da aliança da alta burguesia com a Igreja Catolica e o Estado, sob a iniciativa da primeira, que teve a dificil tarefa de racionalizar a assistencia, nao foi uma missao facil, já que não tendo precendentes era um trabalho de construção de bases o que sempre se torna mais dificil vendo que a analise não tinha um norteamento a ser seguido.

Com a expansao da sociedade, em 1882, com a primeira Sociedade fora do continente europeu, criada por Josephine Shaw Lowel, em Nova Iorque, a primeira sede Americana da Sociedade. Expansao foi tao rapida que em 1907 o numero de sedes da sociedade ja chegava a marca de 180. Sua principal bandeira de luta a organizaçao cientifica da asssistencia.Outra luta de destaque era pela expansao da Sociedade e pela ampliaçao do efetivo.

Apesar de ser a pioneira a sociedade europeia teve que se render a eficiente e fulgaz expanção da Sociedade de Organização da Caridade americana que se tornou a mais influente do planeta e se firmou como a de maior porte ate o inicio do seguimento apartir do final do seculo XIX.

Uma das principais lutas em comum das sociedade de caridade era pela profisionalizaçao da classe que teve como fato de destaque a criaçao da escola de serviço social em Nova Iorque, em 1898, que levou 2 anos depois a criaçao da primeira escola europeia em Amsterdã, na Holanda que desencadeou outras varias escolas.

Outro ponto comum entre elas foram lutas como a pela utilizaçao correta do "inquerito domiciliar" que teve como principais defensoras as pioneiras e membros criadoras das Sociedades de Caridade Octavia Hill, em Londres, e Josephine Shaw Lowel, em Nova Iorque e pela qualificaçao dos visitadores voluntários para a atual realidade da questao social.

Reflita sobre a diferença entre serviço social, assistência social, assistencialismo e caridade trazendo exemplos da realidade.

O serviço social nada mais é do que a area de atuação do profissional que age na assistencia social que muitas vezes e confundida com assistencialismo ou caridade.

Serviço social: Tem como objetivo formar o discente bacharel em Serviço Social, para atuar como assistente social. Com disciplinas básicas, fundamentais, formativas, profissionalizantes, teóricas e práticas, os alunos aprendem a ser futuros assistentes sociais com compromisso ético e conhecimentos capazes de participar e intervir nas questões sociais. Durante os oito semestres de faculdade, os acadêmicos são preparados tanto para a investigação da realidade em que vivem, quanto para a formulação, implantação e execução de projetos, planos e políticas sociais públicas em consonância com o projeto ético-político da profissão. O curso de Serviço Social forma assistentes sociais que trabalham diretamente com as expressões da questão social, desemprego, violência, fome, vulnerabilidade e risco social, dentre outras, através de instrumentos e técnicas próprias (entrevista, diagnóstico social, visita domiciliar, pesquisa, levantamento de dados/informações, trabalhos grupais e comunitários, atendimentos individuais, parecer e relatório social e etc). Além do planejamento, execução, monitoramento e avaliação de planos, programas e projetos sociais e políticas públicas. O Assistente Social pode se especializar em diversas áreas. Habitação, socio-jurídica, saúde (Programa Saúde da Família – PSF, reabilitação, saúde hospitalar, saúde mental, saúde do idoso, saúde da mulher, planejamento familiar, DST/AIDS, saúde do adolescente, saúde do trabalhador e etc.), formulação de Políticas Públicas, Educação, Consultoria e Assessoria, Planejamento de programas e projetos sociais, Meio ambiente, Acadêmica, Assistência Social, Empresas, Desenvolvimento Humano, dentre outras.

Assistencia social:é a assistência -social e econômica- que o governo, como representante do Estado, tem o dever de prestar aos membros mais desfavorecidos da população. Inicia em nível federal,é repassada ao Estado, como gestor, e ao municipio, como executor final das políiticas de assistência social. O termo Serviço Social é privativo do curso universitário de formação de assistentes sociais, profissionais que, entre outras prerrogativas, criam e executam programas, planos e projetos relativos à assistência social prestada por entidades particulares ou governamentais.

Assistencialismo:ação de pessoas, organizações governamentais ou entidades da sociedade civil junto as camadas mais pobres da comunidade, com objetivo de apoiar ou ajudar de forma pontual, oferencendo alimentos, medicamentos, entre outros gêneros de primeira necessidade, não transformando a realidade social.

Caridade:Do latim "caritas", terceira virtude teologal, é a mais importante trazida pelo cristianismo no plano a que hoje chamamos social. A caridade é a expressão do serviço aos outros, de gratuitidade, de partilha, de generosidade desinteressada. A caridade é, no plano da realização humana, o verdadeiro património comportamental do cristianismo. A caridade é muito mais que solidariedade, compaixão, enternecimento, filantropia, altruísmo ou mesmo fraternidade. É amor, respeito pelos outros, é entrega como valor de vida em sociedade. Não é um disfarce para a hipocrisia por vezes reinante nos dias de hoje. É uma virtude e um principio. É uma categoria moral. A caridade crista é muito diferente da mera partilha do que se tem a mais. Não é uma dispensa do supérfluo, nem uma acto de estigmatização daquele que não a tem. Caridade é amar sem contrapartida. É plenitude de desinteresse pessoal. A caridade é ao mesmo tempo a inteligência do coração e o coração da inteligência. É o ponto de encontro das nossas mãos, das nossas mentes e dos nossos corações na busca incessante do amor ao próximo. A caridade é um importante caminho para a esperança. A caridade significa dar as mãos por nada. E dar as mãos por nada não significa alguém receber nada pelas mãos dos outros. Porque dar as mãos por nada é o oposto de dar as mãos para nada.

Comentários