Avaliação de Resultados em Pesquisa

Avaliação de Resultados em Pesquisa

A ANÁLISE DE CONTEÚDO, SE REFERE A UM MÉTODO DESTINADO À INVESTIGAÇÃO DE FENÔMENOS SIMBÓLICOS POR MEIO DE VÁRIAS TÉCNICAS DE PESQUISA.

  • A ANÁLISE DE CONTEÚDO, SE REFERE A UM MÉTODO DESTINADO À INVESTIGAÇÃO DE FENÔMENOS SIMBÓLICOS POR MEIO DE VÁRIAS TÉCNICAS DE PESQUISA.

  • POLÊMICA: EXISTE UM DEBATE IDEOLÓGICO, AINDA NÃO TOTALMENTE SUPERADO, SOBRE A PERTINÊNCIA DE UMA DAS VISÕES MAIS TRADICIONAIS DA CIÊNCIA: O POSITIVISMO.

NA VISÃO POSITIVISTA, ATÉ MESMO AS TEORIAS SOBRE A VIDA SOCIAL “DEVERIAM SER FORMULADAS DE FORMA RÍGIDA, LINEAR E METÓDICA, SOBRE UMA BASE DE DADOS VERIFICÁVEIS.”

  • NA VISÃO POSITIVISTA, ATÉ MESMO AS TEORIAS SOBRE A VIDA SOCIAL “DEVERIAM SER FORMULADAS DE FORMA RÍGIDA, LINEAR E METÓDICA, SOBRE UMA BASE DE DADOS VERIFICÁVEIS.”

FORMULADA POR BERNARD BERELSON EM 1952, DESIGNA A ANÁLISE DE CONTEÚDO COMO “UMA TÉCNICA DE PESQUISA PARA A DESCRIÇÃO OBJETIVA, SISTEMÁTICA E QUANTITATIVA DO CONTEÚDO MANIFESTO DA COMUNICAÇÃO.”

  • FORMULADA POR BERNARD BERELSON EM 1952, DESIGNA A ANÁLISE DE CONTEÚDO COMO “UMA TÉCNICA DE PESQUISA PARA A DESCRIÇÃO OBJETIVA, SISTEMÁTICA E QUANTITATIVA DO CONTEÚDO MANIFESTO DA COMUNICAÇÃO.”

É CONSIDERADA UMA OPERAÇÃO LÓGICA DESTINADA A EXTRAIR CONHECIMENTOS SOBRE ASPECTOS LATENTES DA MENSAGEM ANALISADA.

  • É CONSIDERADA UMA OPERAÇÃO LÓGICA DESTINADA A EXTRAIR CONHECIMENTOS SOBRE ASPECTOS LATENTES DA MENSAGEM ANALISADA.

  • INFERIR DEDUZ, DE MANEIRA LÓGICA, CONHECIMENTOS SOBRE O EMISSOR OU SOBRE O DESTINATÁRIO DA COMUNICAÇÃO.

APESAR DA INTRODUÇÃO DA INFERÊNCIA, A EMPATIA PELOS NÚMEROS NÃO DESAPARECEU. A ANÁLISE DE CONTEÚDO OSCILA, ORA VALORIZANDO O ASPECTO QUANTITATIVO, ORA O QUALITATIVO, DEPENDENDO DA IDEOLOGIA E DOS INTERESSES DO PESQUISADOR.

  • APESAR DA INTRODUÇÃO DA INFERÊNCIA, A EMPATIA PELOS NÚMEROS NÃO DESAPARECEU. A ANÁLISE DE CONTEÚDO OSCILA, ORA VALORIZANDO O ASPECTO QUANTITATIVO, ORA O QUALITATIVO, DEPENDENDO DA IDEOLOGIA E DOS INTERESSES DO PESQUISADOR.

Análise de Conteúdo – Análise de Mensagens

  • Análise de Conteúdo – Análise de Mensagens

Análise de materiais impressos > desenvolvidos

  • Análise de materiais impressos > desenvolvidos

  • Estudo de mensagens sonoras e audiovisuais > segundo plano

  • Marcos da Referência:

    • Dados analisados, como foram definidos e de qual população foram extraídos;
    • Contexto dos dados;
    • Relação entre os dados e seu contexto;
    • Objetivo da análise de de conteúdo;
    • Inferência como tarefa básica;
    • Critérios para validação do resultado.

ORGANIZAÇÃO DA ANÁLISE:

  • ORGANIZAÇÃO DA ANÁLISE:

  •  

    • Pré-análise (uma das mais importantes)
    • Planejamento
    • Exploração do material
    • Análise propriamente dita.
    • Tratamento dos resultados obtidos e interpretação
    • Os resultados brutos são tratados de maneira a serem significativos e válidos.
  • Primeiro passo: Leitura flutuante

    • Conhecer o texto deixando-se invadir por impressões e orientações.

As diversas aplicações da análise de conteúdo foram organizadas por Krippendorff (1990) em seis categorias:

  • As diversas aplicações da análise de conteúdo foram organizadas por Krippendorff (1990) em seis categorias:

    • Sistemas
    • Construção mental; extrapolar os dados existentes.
    • Normas
    • Relação das mensagens com as normas preestabelecidas.
    • Índices e sintomas
    • Relação com outros fenômenos.
    • Representações linguísticas
    • Inferências extraídas do material disponível.
    • Comunicações
    • Pouco frequentes os trabalhos de análise de conteúdo sobre essa forma de investigação.
    • Processos Institucionais
    • Funções das mensagens dentro das organizações e das instituições sociais.

Dados brutos são transformados de forma organizada e agregadas em unidades, permitindo uma descrição das características do conteúdo. São três fases:

  • Dados brutos são transformados de forma organizada e agregadas em unidades, permitindo uma descrição das características do conteúdo. São três fases:

INFERÊNCIA

  • INFERÊNCIA

Análise Categorial: desmembra o texto em categorias segundo agrupamentos analógicos. Ex: análise temática.

  • Análise Categorial: desmembra o texto em categorias segundo agrupamentos analógicos. Ex: análise temática.

  • Análise de Avaliação: mede predisposições (opiniões ou atos) do locutor quanto aos objetos a que ele se refere.

  • Análise de Enunciação: analisa o discurso como um processo dado em determinado momento sob circunstâncias específicas. Muito usada para a análise de entrevistas e programas de rádio.

Muito ligada a Análise Automática do Discurso (AAD), que visa substituir a Análise do Discurso, procura ligações entre as condições de produção do discurso e sua estrutura. Acredita que o discurso é determinado por suas condições de produção e pelo sistema linguístico utilizado. Caso ambos sejam conhecidos seria então possível descobrir a estrutura organizadora do texto e seu processo de produção.

  • Muito ligada a Análise Automática do Discurso (AAD), que visa substituir a Análise do Discurso, procura ligações entre as condições de produção do discurso e sua estrutura. Acredita que o discurso é determinado por suas condições de produção e pelo sistema linguístico utilizado. Caso ambos sejam conhecidos seria então possível descobrir a estrutura organizadora do texto e seu processo de produção.

Comentários