Manutenção industrial petrobras

Manutenção industrial petrobras

(Parte 1 de 8)

Noções de Confiabilidade e Manutenção Industrial

2 Noções de Confiabilidade e Manutenção Industrial

Noções de Confiabilidade e Manutenção Industrial

CURITIBA 2002

Equipe Petrobras

Petrobras / Abastecimento UNs: Repar, Regap, Replan, Refap, RPBC, Recap, SIX, Revap

Noções de Confiabilidade e Manutenção Industrial

620.0046Gurski, Carlos Alberto. G979Curso de formação de operadores de refinaria: noções de confiabilidade e manutenção industrial / Carlos Alberto Gurski. – Curitiba : PETROBRAS : UnicenP, 2002. 24 p. : il. (algumas color.) ; 30 cm.

Financiado pelas UN: REPAR, REGAP, REPLAN, REFAP, RPBC, RECAP, SIX, REVAP.

1. Manutenção industrial. 2. Serviços de manutenção. 3. Qualidade total. I. Título.

Noções de Confiabilidade e Manutenção Industrial

Apresentação

É com grande prazer que a equipe da Petrobras recebe você. Para continuarmos buscando excelência em resultados, diferenciação em serviços e competência tecnológica, precisamos de você e de seu perfil empreendedor.

Este projeto foi realizado pela parceria estabelecida entre o

Centro Universitário Positivo (UnicenP) e a Petrobras, representada pela UN-Repar, buscando a construção dos materiais pedagógicos que auxiliarão os Cursos de Formação de Operadores de Refinaria. Estes materiais – módulos didáticos, slides de apresentação, planos de aula, gabaritos de atividades – procuram integrar os saberes técnico-práticos dos operadores com as teorias; desta forma não podem ser tomados como algo pronto e definitivo, mas sim, como um processo contínuo e permanente de aprimoramento, caracterizado pela flexibilidade exigida pelo porte e diversidade das unidades da Petrobras.

Contamos, portanto, com a sua disposição para buscar outras fontes, colocar questões aos instrutores e à turma, enfim, aprofundar seu conhecimento, capacitando-se para sua nova profissão na Petrobras.

Nome:

Cidade:

Estado: Unidade:

Escreva uma frase para acompanhá-lo durante todo o módulo.

Noções de Confiabilidade e Manutenção Industrial Sumário

1 HISTÓRICO DE MANUTENÇÃO7
1.1 Introdução7
1.1.1 A Primeira Geração7
1.1.2 A Segunda Geração7
1.1.3 A Terceira Geração7
1.2 Manutenção – Conceitos Principais8
1.2.1 Manutenção eficiente e manutenção eficaz8
1.2.2 Custo de Manutenção8
1.2.3 Confiabilidade8
1.2.4 Manutenção Centrada na Confiabilidade9
1.2.5 Disponibilidade10
1.2.6 Mantenabilidade10
1.3 Produto da Manutenção1
1.4 Trabalho em Equipe12
1.5 Tipos de Manutenção13
1.5.1 Manutenção Corretiva13
1.5.2 Manutenção Preventiva, Preditiva e Detectiva14
1.5.3 Engenharia de Manutenção14
1.6 Sistemas de Controle da Manutenção15
1.6.1 Introdução15
1.6.2 Sistemas de Controle15
1.7 Política e diretrizes da manutenção2
1.7.1 Política2

Noções de Confiabilidade e Manutenção Industrial

1Histórico de Manutenção

1.1 Introdução

O conceito de manutenção, assim como a grande maioria dos conceitos relacionados com a indústria, foi modificado ao longo do tempo, em função das necessidades cada vez maiores e dos estudos correspondentes que procuravam responder a essas necessidades. Assim, até bem pouco tempo, o conceito predominante era de que a missão da manutenção consistia em restabelecer as condições originais dos equipamentos ou sistemas. Hoje, é possível afirmar que a missão da manutenção é: –garantir a disponibilidade da função dos equipamentos e instalações de modo a atender a um processo de produção e a preservação do meio ambiente, com confiabilidade, segurança e custos adequados.

Acompanhe, a seguir, um breve histórico de evolução dos conceitos de manutenção.

1.1.1 A Primeira Geração

A Primeira Geração abrange o período antes da Segunda Guerra Mundial, quando a indústria era pouco mecanizada, os equipamentos eram simples e, na sua grande maioria, superdimensionados.

Aliado a tudo isto, devido à conjuntura econômica da época, a questão da produtividade não era prioritária. Conseqüentemente, não era necessária uma manutenção sistematizada; apenas serviços de limpeza, lubrificação e reparo após a quebra, ou seja, a manutenção era, fundamentalmente, corretiva.

1.1.2 A Segunda Geração

Esta geração vai desde a Segunda Guerra

Mundial até os anos 60. As pressões do período da guerra aumentaram a demanda por todo tipo de produtos, ao mesmo tempo em que o contingente de mão-de-obra industrial diminuiu sensivelmente. Como conseqüência, neste período, houve forte aumento da mecanização, bem como da complexidade das instalações industriais.

Começa a se evidenciar a necessidade de mais disponibilidade, bem como maior confiabilidade: a indústria estava bastante dependente do bom funcionamento das máquinas. Isto levou à idéia de que falhas dos equipamentos poderiam e deveriam ser evitadas, o que resultou no conceito de manutenção preventiva.

Na década de 60, esta manutenção consistia em intervenções nos equipamentos feitas a intervalo fixo.

O custo da manutenção também começou a se elevar muito em comparação com outros custos operacionais. Esse fato fez aumentar os sistemas de planejamento e controle de manutenção que, atualmente, são parte integrante da manutenção moderna.

Finalmente, a quantidade de capital investido em itens físicos, juntamente com o nítido aumento do custo deste capital levou as pessoas a buscarem meios para aumentar a vida útil dos itens físicos.

1.1.3 A Terceira Geração

A partir da década de 70, acelerou-se o processo de mudança nas indústrias. A paralisação da produção era uma preocupação generalizada, já que diminui a capacidade de produção, aumenta os custos e afeta a qualidade dos produtos. Na manufatura, os efeitos dos períodos de paralisação foram se agravando pela tendência mundial de utilizar sistemas just-in-time, em que estoques reduzidos para a produção em andamento significam que pequenas pausas na produção/entrega, naquele momento, poderiam paralisar a fábrica.

O crescimento da automatização e da mecanização passou a indicar que confiabilidade e disponibilidade tornaram-se pontos-chave em setores tão distintos quanto saúde, processamento de dados, telecomunicações e gerenciamento de edificações.

Maior automação também significa que falhas cada vez mais freqüentes afetam nossa

Noções de Confiabilidade e Manutenção Industrial capacidade de manter padrões de qualidade estabelecidos. Isso se aplica tanto aos padrões do serviço, quanto à qualidade do produto; por exemplo, falhas em equipamentos podem afetar o controle climático em edifícios e a pontualidade das redes de transporte.

Cada vez mais, as falhas provocam sérias conseqüências na segurança e no meio ambiente, em um momento em que os padrões de exigência nessas áreas estão aumentando rapidamente. Em algumas partes do mundo, as empresas devem satisfazer as expectativas de segurança e de preservação ambiental, ou podem ser impedidas de funcionar.

Na Terceira Geração, reforçou-se o conceito de uma manutenção preditiva. A interação entre as fases de implantação de um sistema (projeto, fabricação, instalação e manutenção) e a Disponibilidade/Confiabilidade torna-se mais evidente.

Tabela 1: Evolução da Manutenção

Primeira GeraçãoSegunda GeraçãoTerceira Geração

–Conserto após afalha

– Disponibilidade crescente

–Maior vida útil do equipamento

– Maior disponibilidade e confiabilidade – Melhor custo-benefício

–Melhor qualidade dos produtos

(Parte 1 de 8)

Comentários