5459-Manobra e proteçao (2)

5459-Manobra e proteçao (2)

(Parte 1 de 13)

Copyright © 1987, ABNT–Associação Brasileira de Normas Técnicas Printed in Brazil/ Impresso no Brasil Todos os direitos reservados

Sede: Rio de Janeiro Av. Treze de Maio, 13 - 28º andar CEP 20003-900 - Caixa Postal 1680 Rio de Janeiro - RJ Tel.: PABX (021) 210-3122 Fax: (021) 220-1762/220-6436 Endereço Telegráfico: NORMATÉCNICA

ABNT-Associação Brasileira de Normas Técnicas

NBR 5459JUN 1987 Manobra e proteção de circuitos

Palavra-chave: Circuito elétrico16 páginas

Origem: Projeto 03:07.1.1-058/1986 (Revisão da TB-19 - Parte 15/1979) CB-03 - Comitê Brasileiro de Eletricidade CE-03.1.1 - Comissão de Estudo (Permanente) de Terminologia Esta Norma foi baseada na IEC 50 (441)/1984 Esta Norma substitui a NBR 5459/1983

3 Definições

Para os efeitos desta Norma são adotadas as definições de 3.1 a 3.184.

Nota:Na utilização das definições desta Norma, deve ser entendido:

a)que cada termo é definido de acordo com a sua aplicação no campo abrangido por 1.1; b)que uma palavra ou expressão entre parênteses no título de um termo, indicando uma restrição ou particularidade de emprego deste, pode ser omitida em uma determinada aplicação; c)que um número entre parênteses, no fim da definição de um termo, é o do termo correspondente no capítulo 441 do vocabulário Eletrotécnico Internacional, publicação IEC 50(441)/1984: “Switchgear, controlgear and fuses”.

3.1 Acionamento intermitente

Acionamento comandado por uma seqüência mais ou menos rápida de fechamentos e aberturas do circuito de um motor ou de um eletroímã, para obter deslocamentos pequenos e intermitentes do órgão acionado. (41-16-4)

3.2 Alavanca de comando

Ver a nota de “Elemento de comando”.

Terminologia Sair da NormaVoltar para o Índice Alfabético Geral

1 Objetivo

1.1 Esta Norma define termos relacionados com a manobra e a proteção de circuitos elétricos, por meio de dispositivos adequados e destinados a essa finalidade.

1.2 Esta Norma não inclui:

a)termos gerais de eletricidade e tecnologia elétrica (ver NBR 5456); b)termos relacionados com a proteção por meio de relés elétricos e pára-raios (ver NBR 5465 e NBR 5470, respectivamente).

2 Documentos complementares Na aplicação desta Norma é necessário consultar:

NBR 5456 - Eletrotécnica e eletrônica - Eletricidade geral - Terminologia

NBR 5465 - Eletrotécnica e eletrônica - Relés elétricos - Terminologia

NBR 5470 - Pará-raios de resistor não linear a carboneto de silício (SiE) para sistemas de potência - Terminologia

2NBR 5459/1987Sair da NormaVoltar para o Índice Alfabético Geral

3.3 Alternância grande

Alternância cuja duração é maior do que o semiperíodo do componente fundamental de uma tensão ou corrente não senoidais.

3.4 Alternância pequena

Alternância cuja duração é menor do que o semiperíodo do componente fundamental de uma tensão ou corrente não senoidais.

3.5 Banco (de capacitores) único

Banco de capacitores em derivação em um sistema elétrico, que não tem outros capacitores em derivação suficientemente próximos para aumentar significativamente a corrente de energização transitória do banco.

3.6 Bancos (de capacitores) em contraposição

Banco de capacitores em derivação em um sistema elétrico, cuja corrente de energização transitória é aumentada significativamente por outro ou por outros bancos de capacitores já ligados ao sistema.

Nota:O termo “contraposição” corresponde ao inglês back-to-back.

3.7 Barreira

Septo que separa e protege partes condutores, e impede a formação de arco entre elas.

3.8 Base (de um dispositivo fusível)

Parte fixa de um dispositivo fusível, com contatos e terminais. (441-18-02)

3.9 Botão de comando Ver a nota de “Elemento de comando”. 3.10 Botoeira

Chave de comando cujos contatos são acionados pela pressão manual de um ou mais botões, que acumulam energia em molas para o seu retorno, imediato ou ulterior, à posição inicial. (441-14-53)

3.1 Cabina

Invólucro de um conjunto de manobra, que assegura um grau de proteção especificado contra influências externas, e um grau de proteção especificado contra a aproximação ou contato com partes vivas ou partes em movimento. (441-13-01)

3.12 Câmara

Parte de um disjuntor que tem características de disjuntor para estabelecimento, condução e interrupção de correntes.

3.13 Câmara de extinção

Compartimento que envolve os contatos do circuito principal de um disjuntor, capaz de resistir às solicitações devidas ao arco e destinado a favorecer a extinção deste. (441-15-19)

3.14 Câmara de sopro

Compartimento para o qual o arco é transferido para facilitar a sua extinção. (441-15-19)

3.15 Capacidade de estabelecimento

Valor de crista máximo de corrente de estabelecimento presumida que um disjuntor é capaz de estabelecer, sob uma tensão dada e nas condições prescritas de emprego e de funcionamento. (441-17-09)

3.16 Capacidade de estabelecimento em curto-circuito

(Parte 1 de 13)

Comentários