acad d ENGENHARIA AMBIENTAL 1

acad d ENGENHARIA AMBIENTAL 1

A CIÊNCIA DA SOBREVIVÊNCIA

  • Curso: Engenharia Química

  • Disc.: Intro. Engenharia Quim Ambiental

  • Prof(a) Andreá T. Papacídero

CRISE ECOLÓGICA

  • Esta crise evoluiu em conseqüência da má administração crescente do meio natural e do crescimento desenfreado das populações humanas.

  • A crise não apenas ameaça suas chances de realizar um modelo de vida condizente com a presente população humana mas também suas possibilidades de continuar a existir como espécie.

OS SINAIS DA CRISE:

  • desequilíbrio da produção de alimentos e do crescimento da população humana,

  • (b) a redução da produtividade de vastas áreas de terra,

  • (c) mau uso e a poluição das águas,

OS SINAIS DA CRISE:

  • (d) a mudança gradual dos climas regionais e globais como resultado das atividades urbanas e das técnicas agrícolas,

  • (e) a destruição de importantes espécies da fauna selvagem e a alteração das comunidades naturais

  • (f) proliferação de organismos transmissores de doenças e epidemias

O GRANDE VILÃO...

  • Se analisarmos bem, verificaremos que é após a Revolução Industrial que se começou a utilização exagerada dos recursos naturais do meio ambiente, tudo em nome do capital, ou melhor, do lucro, do desenvolvimento. Pode dizer que em 2006 a humanidade tomou consciência de que a crise ambiental é real, e tudo isso é fruto da ação humana sobre o meio ambiente.

ALTERAÇÕES CLIMÁTICAS Principal Evidência

  • A intensidade energética das economias, baseada nos combustíveis fósseis, libertou em poucas dezenas de anos uma enorme quantidade de carbono acumulado no subsolo durante milhões de anos. Este e outros gases com efeito de estufa estão a romper delicados equilíbrios físico-químicos que já estão a ser fatais para inúmeras espécies e poderão sê-lo também para a nossa.

CONSEQUÊNCIAS DA CRISE:

  • - Aquecimento Global, Efeito Estufa,

  • - Água: ameaça de esgotamento das fontes de água limpa;

  •      - Mudança climática; –      Perda da biodiversidade; –      A poluição; –      A redução dos recursos energéticos.

AUTO RECUPERAÇÃO

  • A Terra possui mecanismos de reposição dos equilíbrios necessários à vida mas com tempos de reajustamento que não se coadunam com os tempos da civilização humana. É célebre, a este propósito, a Teoria de Gaia de James Lovelock. A violência de que falamos não é uma metáfora, é uma ameaça séria à sobrevivência de toda a civilização humana à escala planetária.

OS 3 VÉRTICES DA SOBREVIVÊNCIA

POPULAÇÃO

  • A taxa de crescimento está em aproximadamente 1,3% ao ano...

  • Que corresponde a um acréscimo de 78 milhões de habitantes a cada ano.

  • Ou seja 215 mil novos habitantes/dia,

  • 1,5 milhão por semana,

  • 78 milhões por ano

POPULAÇÃO

  • Depois da Rev. Ind. A tecnologia proporcionou uma bruta redução da taxa de mortalidade, sendo responsável pelo aumento da taxa de crescimento populacional, apesar da diminuição da taxa de natalidade desde aquela época até os dias atuais.

CÁLCULO DA TAXA DE CRESCIMENTO POPULACIONAL

  • Natalidade mundial = 365 682 hab/dia

  • Mortalidade mundial = 149 597 hab/dia

  • Natalidade é 2,4 vezes maior que a mortalidade

  • Crescimento populacional = natalidade – mortalidade

RECURSOS NATURAIS

  • Recurso natural é qualquer insumo de que os organismos, populações e ecossistemas necessitam para sua manutenção, portanto algo útil

RECURSOS NATURAIS RENOVÁVEIS E NÃO RENOVÁVEIS

POLUIÇÃO

  • É uma alteração indesejável nas características físicas, químicas ou biológicas da atmosfera, que cause ou possa causar prejuízo à saúde, sobrevivência ou às atividades dos seres humanos.

EFEITO ESTUFA

EFEITO ESTUFA

  • Conseqüências do efeito estufa

  • Elevação do nível dos mares provocada por:       - dilatação térmica da massa de água oceânica.       - degelo das calotas polares e geleiras.

  • Alterações climáticas em todo o planeta:       -aumento de tempestades.       -ondas de calor.       -alterações no ciclo das chuvas.

AQUECIMENTO GLOBAL

MEDIDAS PREVENTIVAS

  •     As seguintes medidas preventivas foram propostas na ECO-92 no Rio de Janeiro, no Japão (em 1997) e pelo Protocolo de Kyoto (em 2001):

  • diminuição da emissão de CO2, investindo em energias alternativas, renováveis, como a energia eólica, a solar, a biomassa, o hidrogênio. O hidrogênio tem sido considerado o combustível do futuro, pois é abundante na natureza e sua combustão é limpa, só produz água.

  • estabelecer responsabilidades comuns, como estabilizar o clima e o crescimento populacional, respeitando o direito soberano de cada país explorar seus recursos.

  • a falta de certeza científica na deve ser usada como motivo para adiar medidas preventivas e corretivas, de modo que estas permitam iniciar uma era em que o progresso e o crescimento econômico não estarão em conflito com a mecânica natural do clima

O CICLO DE PRESERVAÇÃO DO PLANETA

REFERÊNCIAS

  • BRAGA, B. et al. Introdução à Engenharia Ambiental, São Paulo: Prentice Hall, 2002.

Comentários