Aula 04 - evidências da evolução

Aula 04 - evidências da evolução

PROFº: HUBERTT GRÜN. Página 1

Quando uma hipótese passa a ser confirmada por diversas vezes através de experimentações ou evidências poderá se tornar uma teoria.

No decorrer deste material, trataremos dos argumentos que levam as evidências e provas.

Argumentos Paleontológicos:

Através dos estudos de fósseis, foi possível verificar que o planeta já foi habitado por diversos seres vivos diferentes dos que existem atualmente ou que alguns deles apresentaram uma evolução com o passar do tempo.

Imagem retirada da página: http://webpendrive.files.wordpress.com/2009/04/gr_phytosaur.jpg

O estudo de fóssil recebe o nome de Paleontologia, e para que seja estudado o fóssil é preciso se ter provas tais como pegadas de animais, dentes, ossos, esqueletos inteiros de animais que já foram extintos o que é raro de se ter, alguns destes esqueletos ficam impressos em rochas, outros esqueletos já estão mais preservados; enfim após achar uma destas provas passa a se fazer o estudo que servirá para conhecer os seres que habitaram na Terra e que por algum motivo foram extintos ou que tem algum grau de parentesco com os seres atuais.

A Paleontologia divide-se em: a) Paleozoologia: É o estudo dos fósseis animais vertebrados e invertebrados.

Fóssil de peixe. Imagem retirada da página: http://it.geocities.com/piscopogaspare/VVPale8.jpg b) Paleobotânica: É o estudo dos fósseis vegetais.

Pteridosperma. Imagem retirada da página: http://www.ebrisa.com/portalc/media/media-S/images/00039667.jpg c) Paleoicnologia: É o estudo dos icnofósseis que são estruturas resultantes das atividades dos seres vivos, como pegadas, sulcos, perfurações ou escavações. Exemplo: As pegadas de dinossauro.

Pegadas de dinossauro. Imagem retirada da página: http://br.viarural.com/servicos/turismo/estacoes-ecologicas/area-de-relevanteinteresse-vale-dos-dinossauros/default.htm

Então, conclui-se que os fósseis são considerados evidências da evolução porque mostram que o nosso mundo já foi habitado por seres diferentes dos atuais e que teriam sido ancestrais das formas de vida modernas.

Os exemplos de fósseis são o Mamute da Sibéria do Norte, o

Ambulocetus, Pakicetus, Archaeopteryx.

A archaeopteryx é um dos exemplos de fóssil mais conhecido, sendo da primeira ave que possuía escamas na cabeça, dentes, garras e cauda com ossos, apresentando asas e penas.

Archaeopteryx. Imagens retiradas das páginas: http://www.fossilmuseum.net/fossilpictures-wpd/Archaeopteryx/Archaeopteryx.jpg e http://www.damisela.com/zoo/photo/cq4/archaeopteryx.jpg

Argumentos da Anatomia Comparada:

É um estudo que faz comparações entre os seres vivos de diferentes classes ou épocas colocando semelhanças, um exemplo disso é o mamute e o elefante, partindo da observação que alguns seres apresentam estruturas ósseas ou membros que desempenham a mesma função ou não e, portanto podem ter alguma relação de parentesco. Isto tem constatado a existência de estruturas homólogas, análogas e vestigiais.

Mamute e Elefante. Imagens retiradas das páginas: http://1.bp.blogspot.com/_8O_ug6UB_sk/STfLE3X8CyI/AAAAAAAAAs8/MIbvkYz_ozI/s40 0/Mamute.jpg e http://ednene.files.wordpress.com/2008/09/elefante2.jpg

Argumentos da Embriologia:

Diversos vertebrados apresentam grande semelhança no desenvolvimento inicial foi o que pôde observar Haeckel, existindo uma analogia entre estes vertebrados, este fato foi ligado à idéia de que provavelmente deve existir um ancestral comum entre eles.

Haeckel. Imagem retirada da página: http://www.greenspirit.org.uk/resources/ernst_haeckel.jpg

Ao verificarmos a evolução dos embriões de vertebrados desde a primeira célula, podemos reparar que há semelhanças desde os peixes até o homem nos primeiros momentos de desenvolvimento, porém em alguns casos essa semelhança persiste um pouco mais durante o desenvolvimento é o caso do macaco com o homem. Haeckel, por exemplo, fala da presença de cauda existente nos embriões vertebrados até mesmo no ser humano (que desaparecerá à medida que for se desenvolvendo o embrião).

Imagem retirada da página: http://soraiabiogeo.blogs.sapo.pt/7123.html

A partir do momento que esse embrião vai se desenvolvendo é que começam a surgir características individuais e passa a se perderem a semelhança com os embriões de outra espécie, tornando-se mais diferenciado ao longo do seu desenvolvimento.

PROFº: HUBERTT GRÜN. Página 2

Imagem retirada da página: http://sti.br.inter.net/rafaas/biologia-ar/introducao.htm

A seguir veremos as semelhanças presentes nos vertebrados durante o seu desenvolvimento embrionário. a) Fossas branquiais: Nos peixes, dá origem as fendas branquiais e as guelras. Enquanto que, nos vertebrados superiores desaparecem ou pode dá origem a Trompa de Eustáquio ou canal auditivo, etc.

Imagem retirada da página: http://www.simbiotica.org/argumentosevolucao.htm b) Coração: Nas aves e nos mamíferos inicialmente surge um tubo com duas cavidades, que se mantém nos peixes, depois passa a apresentar três cavidades com mistura de sangues (anfíbios) e, por último, passa a quatro cavidades (aves e mamíferos).

Argumentos biogeográficos:

Está relacionado ao espaço geográfico ocupado por uma determinada população.

As diferenças biogeográficas ocorrem devido à deriva dos continentes, em que indivíduos da mesma espécie foram separados e esses indivíduos tiveram que se adaptar ao ambiente em que passaram a viver.

Em alguns casos, os indivíduos apesar de viver em regiões próximas apresentam bastantes diferenças (pois estes devem ter passado por condições diferentes, e por isso apresentaram diferenças), enquanto que em outros casos ocorrem semelhanças entre os indivíduos mesmo vivendo em regiões muito distantes (isso se deve ao fato de que mesmo vivendo em locais distantes, as condições entre estas regiões são as mesmas, por isso não tiveram que sofrer alterações para se adaptarem).

Exemplo: Os mamíferos australianos são diferentes dos mamíferos do resto dos continentes, pois os mamíferos australianos são marsupiais (nascem num estado embrionário e completam o seu desenvolvimento no interior de uma bolsa materna), não existindo mamíferos placentários (que são aqueles que durante o seu desenvolvimento embrionário ficam todo o tempo dentro do útero).

Animais da Austrália. Canguru e urso coala. Imagens retiradas das páginas: http://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/8/89/Kangaroo_and_joey05.jpg e http://3.bp.blogspot.com/_Ylf0wq7waOU/SHD94hu7PI/AAAAAAAAAa0/YJArAPwiHIQ/s400/Coala.jpg

Argumentos Citológicos:

Tem relação com o princípio da Teoria Celular que foi proposto por Schleiden e Schwann, estes afirmavam que todos os animais e vegetais são constituídos por células. Sendo que estas células só podem ser formadas a partir de outra pré-existente através da divisão celular. Esta teoria apóia a seleção, pois como uma espécie teria a mesma estrutura e os mesmos fenômenos celulares se fossem de origem diferente, logo teriam que ter um ancestral em comum.

Argumentos da Seleção Artificial:

Espécies selvagens foram domesticadas com isso passaram a produzir espécie a partir destas e de acordo com as características desejadas ocasionando uma transformação.

Argumentos Bioquímicos:

Todos os seres vivos possuem os mesmos componentes bioquímicos fundamentais (tais como: ácidos nucléicos, glicídios, lipídios, água e sais minerais). E este argumento também se baseia na universalidade do código genético e do ATP como energia biológica utilizada pelas células, tendo também o mecanismo de síntese protéica comum em todos os seres.

Imagem retirada da página: http://soraiabiogeo.blogs.sapo.pt/7123.html

Argumentos Taxonômicos:

Alguns indivíduos passaram a ser tratados como aberrações, no qual o ornitorrinco passa a ser considerado uma aberração, pois apresenta características de várias classes de indivíduo em um só, trata-se de um animal com pêlo e glândulas mamárias (as quais são presentes em animais mamíferos), possui cloaca, a sua temperatura é semelhante a de réptil, enquanto que a sua boca tem forma de bico o que caracterizaria a de uma ave. Esse tipo de animal poderia até ser enquadrado numa evolução primitiva dos mamíferos, porém faz parte da evolução atual.

Imagem retirada da página: http://www.anajoana.name/blog/wpcontent/images/ornito.jpg

Sites pesquisados: http://biologiainterativa.wordpress.com/2009/07/26/exemplos-da-evolucao-baleias-e-oregistro-fossil/ http://www.portalbrasil.net/educacao_seresvivos_evolucao.htm http://teoriaevolucionistadelamarck.blogspot.com/2008/03/argumentos-da-anatomiacomparada.html http://profviseu.com/pessoal/santy/arganacomp.html http://www.notapositiva.com/trab_estudantes/trab_estudantes/biologia/biologia_trabal hos/origem_especies.htm http://lamarcknow.blogspot.com/2008/03/anatomia-comparada.html http://www.professorjarbasbio.com.br/vida.htm http://www.simbiotica.org/argumentosevolucao.htm http://darwinliceu.blogspot.com/2008/03/evolucionismo.html http://soraiabiogeo.blogs.sapo.pt/7123.html http://biologiaegeologia11c.blogspot.com/2008/12/evoluo-argumentos-bioqumicos.html http://ichnofossils.blogs.sapo.pt/1323.html http://teoriaevolucionistadelamarck.blogspot.com/2008/03/argumentosbiogeogrficos.html http://www.geocities.com/RainForest/Wetlands/4710/evidencia.html http://sti.br.inter.net/rafaas/biologia-ar/introducao.htm

FORMATAÇÃO E EDIÇÃO: LAST UPDATE: 13.02.2011 PROF: LIMA VERDE, HUBERTT. huberttlima@gmail.com; BIOLOGIA EVOLUÇÃO E ORIGEM DA VIDA.

Comentários