A01-novafapi-dt- introdução ao dt

A01-novafapi-dt- introdução ao dt

“O rabisco não é nada, o risco riscorisco risco-o traço –é tudo. O risco tem carga cargacarga carga, é desenho com determinada intenção-é o "design”. É por isto que os antigos empregavam a palavra risco riscorisco riscono sentido de

"projeto”: o "risco para a capela de São Francisco”, por exemplo. Tremulo ou firme, esta carga é o que importa. Portinari costumava dar como exemplo a assinatura, feita com esforço, pelo analfabeto (risco), com o simples fingimento de uma assinatura (rabisco).

O arquiteto (pretendendo ser modesto) não deve jamais empregar a expressão "rabisco” e sim risco riscorisco risco.empregar a expressão "rabisco” e sim risco riscorisco risco.

O risco é desenho não só quando quer compreender compreendercompreender compreenderou significar significarsignificar significar, mas “fazer”, construir construirconstruir construir.

(Lúcio Costa, 1940 –O Ensino do Desenho, Programa para a reformulação do ensino de desenho no curso secundário, por solicitação do ministro Capanema )

-Por que estudar desenho técnico se hoje

Por que estudar desenho técnico se hoje Por que estudar desenho técnico se hoje Por que estudar desenho técnico se hoje tem vários programas de computação gráfica, tem vários programas de computação gráfica, tem vários programas de computação gráfica, tem vários programas de computação gráfica, como o AutoCAD? como o AutoCAD?como o AutoCAD? como o AutoCAD?como o AutoCAD? como o AutoCAD?como o AutoCAD? como o AutoCAD?

Desenho tela AutoCAD: CURSO DE GRADUAÇÃO TECNOLÓGICA EM DESIGN DE INTERIORES

Impressão desenho AutoCAD: CURSO DE GRADUAÇÃO TECNOLÓGICA EM DESIGN DE INTERIORES

Conteúdo da disciplina DESENHO TÉCNICO:

1. O que é desenho –Diferença entre desenho técnico e desenho artístico –Importância e origem do desenho técnico –

O que é visão espacial; 2. Instrumentos de desenho;2. Instrumentos de desenho; 3. A importância das Normas Técnicas –Formatos e dimensões do papel –Legendas (carimbos) –Dobramento de pranchas; 4. Linhas e texturas (hachuras); 5. Tipos de letras e números; 6. Escalas; 7. Cotagem e ângulos.

8. Projeção ortográfica da figura plana –Plano de projeção – 9. Projeções ortográficas: ponto, reta e figura plana; 10. Traçado de projeções (Vistas); 1. Representação de superfícies inclinadas;1. Representação de superfícies inclinadas; 12. Representação de superfícies curvas e linhas de centro; 13. Representação de arestas coincidentes; 14. Perspectiva isométrica; 15. Perspectiva cavaleira.

. PAPEL MANTEIGA –TAMANHO A1, . PAPEL SULFITE –TAMANHOS A0, A3 e A4; . PAR ESQUADROS –TAMANHO MÉDIO . ESCALÍMETRO; . LAPISEIRAS 0,5 / 0,7-0,9 OULÁPIS H, HB e 2B;. LAPISEIRAS 0,5 / 0,7-0,9 OULÁPIS H, HB e 2B; . BORRACHA BRANCA; . TRANSFERIDOR; . COMPASSO.

-É uma importante forma de comunicação que nos permite conhecer as técnicas, os hábitos e as idéias do desenhista.

Forma de representação gráfica que transmiteidéias, pensamentos e sensações de maneira pessoal,refletindo o gosto, atécnicaemaneira pessoal,refletindo o gosto, atécnicae a sensibilidade de quem o criou, sem o compromisso derelatarfielmente arealidade, estimulando aimaginação doespectador.

É umalinguagem gráfica que permite que as idéias de um “produto”(objeto/espaço), quetem 3 dimensões,sejamrepresentadas emsuperfícies planas

(2D), por meio de um conjunto delinhas, números, símbolos eindicações escritas, normalizadas a nível símbolos eindicações escritas, normalizadas a nível internacional, fornecendo informações concisas, exatas e inequívocas, sobre a função, forma, dimensões e materiais do dado objeto/espaço, permitindo asua execuçãosem ocontato direto entre projetistaeexecutante.

É um dom que,em princípiotodostêm, a capacidade de percepção mental dasformas espaciais.

É enxergar o que não é visível, a capacidade de entender umaforma espacial a partir de umafigura plana; ousem estarvendo fisicamente o objeto/espaço.

O desenho técnico desenvolve o raciocínio, o senso de rigor geométrico, o espírito deiniciativa, organização, criatividade, coordenação motora, além de apurar a coordenação motora, além de apurar a aptidão para a comunicação em diferentes aspectos.

• Conforme histórico feito por H OELSCHER,

SPRINGER E D OBR OV OLNY (1978) um dos exemplos mais antigos do uso de planta e exemplos mais antigos do uso de planta e elevação estáincluído no álbum de desenhos na Livraria do Vaticano desenhado por Giuliano deSangalono ano de 1490.

• No século XVII, por patriotismo e visando facilitar as construções de fortificações, o matemáticofrancês Gaspar Monge, criou um sistema com correspondência entre os elementos do planoe doespaço, publicadoem elementos do planoe doespaço, publicadoem

1795 com o título " Geo metrie Descriptive“, considerado a base da linguagem utilizada pelo DesenhoTécnico.

• Noséculo XIX,com o desenvolvimentoindustrial, foi necessário normatizar aforma de utilização da

Geometria Descritiva para simplificar a comunicação e viabilizar o intercâmbio de informaçõestecnológicas.

• A Comissão Técnica TC 10 da International

• A Comissão Técnica TC 10 da International

Organizationfor Standardization -IS O normalizou a forma de utilização da Geometria Descritiva como linguagem gráfica da engenharia e da arquitetura,chamando-a de DesenhoTécnico.

Desenho Não Projetivo Desenho Não ProjetivoDesenho Não Projetivo Desenho Não Projetivo– ––

–Desenhos não subordinados à correspondência, por meio de projeção, entre as figuras que constituem e o que é por ele representado, na maioria das vezes resultantes de cálculos algébricos, vezes resultantes de cálculos algébricos, compreendendo uma variedade de representações gráficas, tais como:

Diagramas / Esquema / Fluxogramas / Organograma

Desenho DesenhoDesenho Desenho Projetivo

ProjetivoProjetivo Projetivo – ––

– Desenho resultante de projeções do objetosobre um ou mais planos quefazem coincidir com o próprio desenho, compreendendo:

-Vistas ortográficas -Perspectivas

-Vistas ortográficas:

Figuras resultantes de projeções ortogonais, de modo a representar, com modo a representar, com exatidão, a forma do mesmocomseus detalhes.

-Perspectivas:

Figuras resultantes de projeção isométrica ou cônica, sobre um único plano, com aúnico plano, com a finalidade de permitir uma percepção mais fácil da forma do objeto.

• Projeto efabricação de máquinas, equipamentos e de estruturas nas indústrias de processo e de manufatura (indústrias mecânicas, aeroespaciais, químicas, farmacêuticas, petroquímicas, alimentícias

• Projeto e construção de edificações comtodos os• Projeto e construção de edificações comtodos os seus detalhamentos elétricos, hidráulicos, elevadores

• Projeto e construção de rodovias e ferrovias mostrando detalhes de corte, aterro, drenagem, pontes,viadutosetc;

• Projeto e montagem de unidades de processos, tubulações industriais, sistemas de tratamento e distribuição de água,sistema de coleta etratamento deresíduos;

• Representação de relevos topográficos e cartas náuticas; • Desenvolvimento de produtosindustriais;

• Desenvolvimento de produtosindustriais;

• Projeto e construção de móveis e utilitários domésticos;

• Promoção de vendas com apresentação de ilustraçõessobre o produto.

Como resultado das especificidades das diferentes modalidades de engenharia, o desenho projetivo aparece com vários nomes que correspondem a alguma utilizaçãoespecífica:

•Desenho Mecânico;

•Desenho Mecânico; •Desenho de Máquinas;

•Desenho de Estruturas;

• Desenho Arquitetônico;

• Desenho Elétrico/Eletrônico;

•Desenho de Tubulações.

Mesmo com nomes diferentes, as diversas formas de apresentação do desenho projetivo têm uma mesma base, e todas seguem normas de execução que permitem suas interpretações sem execução que permitem suas interpretações sem dificuldadesesem mal-entendidos

Comentários